O Twitter está considerando lançar um modelo de assinatura para uso da rede social, afirmou o CEO Jack Dorsey na última terça-feira (23). Observando sua receita cair com a redução dos lucros de propagandas, a companhia pensa em novas estratégias para manter a plataforma.

Em uma conversa com analistas, Dorsey afirma que “vocês poderão ver alguns testes esse ano” em várias abordagens. A companhia está traçando novos meios de garantir receita de sua base de usuários, mas não quer que isso afete a experiência de uso normal do Twitter e confirma que as ideias estão em fases iniciais.

Para Dorsey, a experiência de uso do Twitter não deve mudar e alivia ao dizer que tem “uma barra muito alta para quando [a companhia] for monetizar aspectos do Twitter”. O que significa que o CEO defende que a plataforma permaneça com a mesma experiência — ou pelo menos semelhante — mesmo se adotar algum modelo de assinatura.

A decisão de adicionar um modelo pago de Twitter, seria difícil; mas cobriria as perdas recentes de redes sociais — como no movimento de boicote e o grande ataque hacker que tomou a plataforma recentemente. A dimensão do impacto na receita da plataforma não foi revelada, mas Dorsey descreveu a ocasião como “uma semana difícil”.

Ainda em julho, rumores relacionados ao modelo de assinatura ganharam força quando o Twitter divulgou novas vagas de emprego para a criação de uma plataforma de assinatura identificada como “Gryphon”. O mercado de ações favoreceu os títulos da companhia rapidamente, na expectativa de uma nova fonte de lucros.

Não há informações sobre o novo modelo do Twitter, mas a plataforma deve demonstrar alguns experimentos e ideias até o fim do ano. Você estaria disposto a pagar para utilizar uma rede social, uma vez que ela já tenha sido gratuita anteriormente?