Mídias Sociais

17

Mai

WhatsApp permitirá saída de grupos sem fazer alarde

O WhatsApp está preparando um novo recurso que será especialmente útil para todos que permanecem em determinados grupos dos quais não desejam participar, mas permanecem apenas para que os demais membros não saibam disso. Assim que liberada pelo aplicativo de mensagens instantâneas, somente você e o administrador do grupo serão notificados da sua saída.

Muitas vezes, você nem quer, mas acaba “adicionado” a grupos de família ou de ex-colegas, por exemplo, e passa a receber mensagens que francamente não gostaria de ler, bem como fotos e vídeos que não são de seu interesse. No entanto, ao deixar um grupo desse tipo atualmente, você pode ficar malvisto ou gerar um "climão", pois todos os usuários visualizam a sua saída.

Como funcionará a saída "sorrateira" de grupos do WhatsApp?

A novidade, divulgada pelo WABetaInfo nesta terça-feira (17), mostra que a saída de grupo passará a ser menos traumática, e com menor publicidade. Na captura de tela mostrada acima, é possível notar que, ao deixar o grupo, somente você e o administrador serão notificados do fato.

De acordo com o WABetaInfo, embora a captura de tela tenha como origem o WhatsApp Desktop beta, o recurso deverá ser lançado também na versão beta para Android e iOS futuramente. Por enquanto, é melhor permanecer no grupo em que você está, mesmo a contragosto, para poder sair em breve "à francesa", sem ser notado.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/238702-whatsapp-atualizacao-facilitar-saida-grupos-alarde.htm

15

Mai

Nostalgia e comunidade: como o Orkut mexe com as redes sociais

*Por Meio & Mensagem

O Orkut, rede social criada pelo engenheiro de software Orkut Buyukkokten em 2004 e extinta em 2014, após dez anos de existência, foi uma das primeiras plataformas sociais a ganhar os internautas. Na época, a empresa oferecia aos usuários funcionalidades que facilitavam as formas de interação online, seja por meio dos depoimentos que podiam ser enviados por amigos e aprovados pelo dono do perfil, as comunidades em que um grupo de pessoas se conectavam por gostos em comum, como por exemplo, uma das mais famosas “Eu odeio segunda-feira”, e interações quase “metaversicas” com o Buddy Poke – avatar virtual que podia realizar atividades com os amigos – e o jogo Colheita Feliz.

Por isso, o apelo nostálgico é um dos elementos que está na pauta da volta da rede social. Ao passo que chama atenção de quem viveu a onda dessa rede, atrai também a geração Z, por trazer características vintage e cíclico, como a moda. “Esse retorno é uma segunda chance desafiadora. O cenário mudou muito e a competição é brutal”, a diretora de conteúdo da WMcCann, Patrícia Colombo.

Recentemente, o criador da rede reativou o site e deixou um recado aos usuários de redes sociais. O engenheiro argumentou que acredita que “o mundo é um lugar melhor quando nos conhecemos um pouco mais”, e por isso criou a rede. Buyukkokten deixou no ar um possível retorno da rede, com a frase “vejo você em breve!”.

Essa possibilidade de volta levanta inúmeras questões sobre como esse retorno aconteceria, quais seriam as funcionalidades dessa rede, como ela se relacionaria com as marcas e com as concorrentes. Para Patrícia, tudo vai depender de qual target a plataforma irá mirar, e como vão chegar a eles. “Tudo depende das mudanças ou readaptações arquitetadas ali. Será um test and learn como qualquer outra rede social que surgiu nos últimos anos”, diz.

Por isso, uma das preocupações de quem trabalha com redes sociais e criação de conteúdo é em relação a quais formatos o Orkut disponibilizará. No mercado atual, muitas possibilidades já estão disponíveis seja em áudio, vídeo, foto ou texto. A especialista em planejamento estratégico da BR Media Group, Jordana Fonseca, explica que as redes sociais atuais já estão observando as movimentações das outras e testando novos formatos o tempo todo. Nesta semana, por exemplo, o Instagram começou os testes do uso de NFTs nos perfis dos influenciadores. “Todos estão de olho no que está acontecendo, e isso é bom, porque não deixa ninguém estagnado”, explica.

Comunidade, algoritmo e marcas

O possível retorno do Orkut chega em um momento em que as marcas estão aproveitando as redes sociais para desenvolver as suas próprias comunidades e conexão com os usuários de redes. Elas usam os algoritmos como dados para reforçar a sua comunicação e chegar ao seu target com mais precisão. Essas características já faziam parte da rede social nos anos 2000 por trazer comunidades próprias. Era um cenário orgânico, ainda sem tanta discussão sobre os algoritmos.

Em seu comunicado, Buyukkokten reforça esse posicionamento. “Acredito que o orkut.com encontrou sua comunidade porque reuniu tantas vozes diversas de todo o mundo em um só lugar. Trabalhamos muito para tornar o orkut.com uma comunidade onde o ódio e a desinformação não fossem tolerados. Nos dedicamos muito para tornar o orkut.com uma comunidade onde você pudesse conhecer pessoas reais que compartilhavam seus mesmos interesses, não apenas pessoas que curtiram e comentaram em suas fotos”, disse.

Para Jordana, o Orkut é sobre nichos, e os usuários escolhiam em qual deles se envolver. A profissional acredita que essa pode ser a aposta da rede para a sua volta. “O algoritmo é um dado, então ele é frio. Te entrega um resultado dentro de uma ótica. No caso do Orkut, é algo muito íntimo e do cotidiano, tem um quê de intimidade, para saber do gosto da pessoa”, avalia.

Por isso, o trabalho das marcas precisa ser feito de forma planejada e estratégica. “A empresa tem que identificar que o seu consumidor final está lá. O assunto condiz com o assunto da minha marca? Se temos um positivo, vale sim uma inserção”, explica Jordana. Por fim, os creators também farão essa curadoria para identificar se faz sentido se envolver em mais uma rede para alimentar e trazer o conteúdo.

Sem muitas informações, o retorno da rede está no imaginário de usuários, marcas e criadores de conteúdo. As dinâmicas podem fazer sentido para algumas, em alguns nichos, para atrair os brand lovers, e pode não fazer para outras. A necessidade será entender como se encaixar nessa nova comunidade que pode surgir.

Fonte: Meio & Mensagem, disponível em:https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2022/05/13/nostalgia-e-comunidade-como-o-orkut-mexe-com-as-redes-sociais.html

13

Mai

Facebook Pay vai mudar de nome e se chamar Meta Pay

O sistema de pagamentos de produtos e serviços Facebook Pay vai trocar de nome e, em breve, será conhecido como Meta Pay. Quem revelou a informação foi o chefe do setor de fintech da empresa, Stephane Kasriel, em uma postagem feita no Medium.

Além da alteração, a expansão do agora Meta Pay foi paralisada para outros países, para que a companhia melhore a ferramenta e aplique ela em novas tecnologias.

"Nós estamos focados em aprimorar as experiências de pagamento que já garantimos com o Facebook Pay onde nós vimos uma boa adoção. E, com isso, manteremos uma ênfase em qualidade nos países em que já nos posicionamos, em vez de expandir para novos territórios no momento", afirma.

Transição

A ideia segue a estratégia de mudança de marca da companhia desde que passou a apostar mais fichas no metaverso e separar o "Facebook empresa" do "Facebook rede social". Em outubro de 2021, a companhia formalizou a mudança de nome para Meta e, rapidamente, começou a usar o nome na sede e nas redes sociais.

Aos poucos, os produtos de Realidade Virtual da linha Oculus e até os aplicativos começaram a ganhar a marca — até os funcionários agora são chamados de "metamates".

No Brasil, o Facebook Pay existe desde abril de 2021 e é também o serviço utilizado na transferência de dinheiro via WhatsApp.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/238520-facebook-pay-mudar-nome-chamar-meta-pay.htm


12

Mai

Google cria novos controles de anúncios para os usuários

O Google anunciou novas medidas de segurança e privacidade na conferência de desenvolvedores I/O 2022 que aconteceu nessa quarta-feira, 11. As melhorias chegam com a ideia de permitir ao usuário maior controle sobre o uso de seus dados, tanto nos aplicativos como nas buscas da plataforma.

Agora, através de uma nova ferramenta disponível na página de perfil do usuário, será possível solicitar que informações pessoais como e-mail ou detalhes de endereço sejam removidas dos resultados de pesquisa. A plataforma também criou um recurso denominado My Ad Center, que consiste em um novo hub onde os usuários poderão personalizar os tipos de anúncios que veem através da escolha de tópicos de interesse e até mesmo ver menos anúncios de um determinado tema.

Mais segurança

Dentro dos anúncios de privacidade, os executivos falaram sobre mudanças nas abordagens de engenharia de software e enfatizaram o conceito de “computação protegida”, que se resume em um conjunto de tecnologias para uma abordagem transformada de onde e como os dados são processados.

Agora, mais dados serão processados nos dispositivos sem serem enviados aos servidores em nuvem do Google. E, quando as informações do usuário forem enviadas aos servidores, elas serão anonimizadas por meio de técnicas como o uso de privacidade diferencial.

Além disso, um novo ícone de status de segurança da conta mostrará um aviso no perfil de todos os aplicativos quando algum problema de segurança for identificado, direcionando o usuário para as ações recomendadas e uma expansão da verificação em duas etapas.

Diversidade e representatividade

A empresa também anunciou novidades envolvendo resolução do racismo algorítmico. Desenvolvida em parceria com Ellis Monk, professor associado de sociologia da Universidade de Harvard, conhecido por sua pesquisa sobre tom de pele e colorismo, o Google criou uma nova escala de 10 tons de pele humana. Com ela, as pessoas poderão combinar com seus próprios tons de pele ou com os mostrados em fotografias.

A empresa prevê que a escala poderá fornecer um padrão padronizado para o setor de tecnologia criar e testar produtos em toda a gama de tons de pele humana, através de uma abordagem uniforme.

A novidade será também usada internamente no Google para avaliar ferramentas de pesquisa, algoritmos de detecção facial e outros sistemas automatizados para um bom funcionamento em diferentes tipos de pele.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2022/05/12/google-cria-novos-controles-de-anuncios-para-os-usuarios.html

12

Mai

Twitter atualiza e simplifica sua Política de Privacidade

Nesta quarta-feira (11), o Twitter apresentou uma nova edição das Políticas de Privacidade da rede social, disponibilizadas em nove idiomas no site da empresa. Junto à reedição do conteúdo, também foi lançado um game online, o Twitter Data Dash, com o objetivo de ensinar as políticas da empresa de uma forma bem mais leve e divertida aos usuários da plataforma.

A ideia da reescrita da política é para que qualquer um possa saber, através de uma linguagem mais fácil de compreender, como os seus dados estão sendo coletados, usados e compartilhados pela plataforma — não sendo mais necessário possuir um diploma de Direito para isso, brinca o anúncio da empresa

A nova Política de Privacidade da rede social concentra todo o seu conteúdo em três principais frentes: a coleta de dados, o uso de dados, e o compartilhamento de dados. Além disso, a repaginação da política agora abrange os diferentes tipos de mídias exibidos na timeline do Twitter, que hoje em dia vai muito além dos simples tweets. Ademais, informações referentes aos anúncios personalizados de acordo com a experiência de cada usuário também foram atualizadas.

Joguinho sobre o uso de dados

Para entender a política de uma maneira muito mais divertida, o Twitter lançou um joguinho online, o Twitter Data Dash, criado por ninguém menos do que Momo Pixel, uma premiada artista e desenvolvedora de games.

O objetivo do jogo é ensinar os usuários como navegar com mais segurança através da rede social, além de aprender mais sobre o controle dos seus dados. Para explorar o jogo, basta acessar: http://twitterdatadash.com/

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/238462-twitter-atualiza-simplifica-politica-privacidade.htm

11

Mai

WhatsApp vai lançar filtros que separam grupos e conversas

O mensageiro WhatsApp deve ganhar em breve um novo recurso que permite a você filtrar algumas conversas em grupo ou individuais na plataforma. A informação é do site WABetaInfo, que encontrou pistas da novidade em versões Beta do aplicativo.

Com a função, é possível criar filtros de busca de chats que reduzem a quantidade de conversas exibidas na tela inicial. Isso facilita a vida de quem deseja listar apenas os papos com mensagens não lidas, formadas apenas por contatos adicionados na agenda telefônica ou grupos com várias pessoas, por exemplo.

Até agora, isso só era possível no WhatsApp Business, a versão do mensageiro para contas corporativas e empreendedores que utilizam o mensageiro para negócios.

Em breve, como mostra a imagem, o recurso também chega para o app tradicional no Android, iOS e Desktop. A única diferença é que, no botão ainda em desenvolvimento, ele deve ficar sempre visível no topo da tela, enquanto o Business exibe o filtro apenas quando a opção é selecionada pelo usuário.

Como o recurso ainda está em desenvolvimento, não há previsão para que a versão funcional do botão seja lançada nas versões Beta ou estáveis no mensageiro.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/238379-whatsapp-lancar-filtros-separam-grupos-conversas.htm

10

Mai

Instagram: novo botão permite obter orçamentos de maneira rápida

A Meta, empresa mãe do Facebook, anunciou nesta quarta-feira (4) novas ferramentas para as empresas no Instagram. Uma das novidades é o botão “Get a Quote” que pode ser traduzido como “obter orçamento”.

Para utilizar o recurso, as empresas devem configurar perguntas personalizadas para que os clientes respondam antes de iniciar uma conversa. Após preencher o formulário, o orçamento pode ser solicitado maneira fácil e rápida. O botão poderá ser adicionado no perfil do Instagram ou compartilhado como etiqueta de link nos stories.

A Meta, empresa mãe do Facebook, anunciou nesta quarta-feira (4) novas ferramentas para as empresas no Instagram. Uma das novidades é o botão “Get a Quote” que pode ser traduzido como “obter orçamento”.

Para utilizar o recurso, as empresas devem configurar perguntas personalizadas para que os clientes respondam antes de iniciar uma conversa. Após preencher o formulário, o orçamento pode ser solicitado maneira fácil e rápida. O botão poderá ser adicionado no perfil do Instagram ou compartilhado como etiqueta de link nos stories.

Comunicação mais prática

Segundo uma pesquisa da Kantar, 7 em cada 10 pessoas desejam se comunicar com empresas da mesma forma que enviam mensagens com amigos e familiares. Visando facilitar esse objetivo, a Meta divulgou algumas ferramentas que chegarão em breve para os pequenos empreendedores integrando suas plataformas: Facebook, Instagram e WhatsApp.

A empresa entendeu que os anúncios do Instagram e Facebook que redirecionavam os clientes para o WhatsApp tinham um ótimo desempenho. Dessa maneira, em breve os anúncios poderão ser montados diretamente pelo WhatsApp Business. O aplicativo de mensagens diretas também será integrado ao Inbox, gerenciador de mensagens do Facebook Messenger e do Instagram Direct Messages.

Confira todas as novidades no comunicado oficial da Meta, em sua página oficial.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/238265-instagram-novo-botao-permite-obter-orcamentos-maneira-rapida.htm

10

Mai

WhatsApp lança nova tela de segurança no aplicativo para desktop

O WhatsApp lançou uma atualização para o aplicativo do desktop que traz uma página de segurança reformulada. A versão beta 2.2217.2 informa para o usuário quais recursos são protegidos pela criptografia de ponta a ponta: mensagens de texto e voz, chamadas, fotos, vídeos, documentos, localização e atualizações de status.

Não há nenhuma novidade em termos de recurso, portanto a mudança é apenas para esclarecer as pessoas quanto à tecnologia criptográfica adotada pela ferramenta. Usuários do WhatsApp no Android e no iOS são acostumados a lidar com o sistema de segurança, mas isso é menos comum no desktop — embora não haja diferença entre os protocolos adotados.

Logo abaixo do aviso, há uma opção para autorizar o envio de notificações de segurança para o usuário. Quando ativada, a pessoa receberá uma mensagem sempre que o código de um contato mudar. Quem acessa a conta de múltiplos dispositivos precisará marcar a caixa em cada aparelho para receber.

Nova tela de segurança do Zap

Em abril, o app liberou uma atualização para testadores beta no iPhone que modifica a página de segurança para um modelo parecido com esse de hoje. Isso significa que a plataforma deve implementar o novo formato para todas as versões, assim as pessoas podem usar o programa com mais tranquilidade.

Ainda não está claro quando essa mudança chegará em definitivo para a versão estável do WhatsApp. A tela faz parte da estratégia dos desenvolvedores de reforçaram a criptografia de ponta a ponta como um dos maiores diferenciais do mensageiro, acusado de ser menos seguro que os rivais Telegram e Signal.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-lanca-nova-tela-de-seguranca-no-aplicativo-para-desktop-215906/

9

Mai

Google Tradutor agora salva e sincroniza histórico na conta

O Google começou a disponibilizar para Android um recurso para o serviço de tradução da empresa que já estava há pelo menos dois anos em desenvolvimento.

Trata-se da possibilidade de salvar o histórico de conversão de idioma no Google Tradutor entre todos os seus dispositivos, a partir da conta que você utiliza no Gmail. O recurso foi identificado pelo site Android Police e deve ser distribuído globalmente nos próximos dias.

A novidade permite que você não apenas guarde todos os pedidos feitos ao Google Tradutor, algo que já existia dentro de cada dispositivo, mas também acesse esse histórico em qualquer aparelho (desde que esteja logado com a mesma conta) e gerencie quais itens você deseja ou não manter no backup.

A empresa deve anunciar oficialmente o recurso a partir de uma janela pop-up na medida em que cada usuário receber a atualização.

Para permitir que a sincronia aconteça quase de forma simultânea, o usuário precisa garantir que a opção "Atividade na Web e de apps" esteja ativada nas configurações da conta Google. Isso fará com que a atualização no histórico do tradutor seja realizada em questão de poucas horas.

Vale lembrar que, ainda no começo de 2022, o app do Google Tradutor para Android ganhou um novo design baseado nos atuais elementos visuais do Android.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/238208-google-tradutor-salve-sincroniza-historico-conta.htm

6

Mai

Google removeu 3,4 bilhões de anúncios irregulares em 2021

O Google apresentou um relatório de segurança sobre a publicidade online e dados interessantes do Google Ads. Segundo a gigante das buscas, foram removidos mais de 3,4 bilhões de anúncios, restringidas 5,7 bilhões de publicidades e suspensas mais de 5,6 milhões de contas de anunciantes.

Foram bloqueadas também mais de 1,7 bilhão de páginas que levavam para sites indevidos (sem relação com o conteúdo ou com tentativas de fraudes) e adotadas medidas severas contra 63 mil sites que demonstraram violações repetidas das diretrizes do serviço.

Uma das técnicas mais usadas é chamada cloaking ou manipulação de texto, que exibe um tipo de conteúdo para os avaliadores humanos e sistemas do Google e outro diferente para os usuários. Para barrar essa espécie de fraude, a empresa começou a verificar a identidade dos anunciantes e a monitorar as atividades executadas de modo coordenado entre diferentes contas.

Sempre que um anunciante não conclui o programa de verificação do Google, a conta é automaticamente suspensa. Entre 2020 e 2021, triplicou o número de contas suspensas. A verificação não é exigida de todos, mas somente de perfis monitorados ou com volume muito grande de anúncios.

Todas essas medidas foram tomadas para evitar ameaças à segurança dos usuários do buscador do Google, já que propagandas que levam para sites enganosos ou maliciosos podem trazer imensos transtornos. “Seguimos investindo nessas políticas, em equipes especializadas e em tecnologia que ajude a garantir o cumprimento das regras. Nosso objetivo é estar sempre à frente de possíveis ameaças”, afirmou a empresa.

Novas políticas para novos tempos

Foram criadas ou atualizadas mais de 30 políticas para anunciantes e publishers, além de um sistema de avisos para casos de violações repetidas. O Google também passou a proibir discursos que neguem mudanças climáticas, questionem a eficácia das vacinas e, mais recentemente, apoiem a invasão da Ucrânia.

Neste último, a ideia é coibir tentativas de lucrar ou explorar a guerras. Isso foi incluído no rol de proibição de monetização com anúncios em conteúdos que incitem a violência ou neguem a existência de acontecimentos trágicos, como o Holocausto, por exemplo.

Também foram punidos com perda de monetização os veículos de imprensa financiados pelo governo russo, em todas as plataformas do Google, o que inclui o YouTube. Foram bloqueados mais de 8 milhões de anúncios sobre a guerra e mais de 60 sites jornalísticos com vínculos ao Kremlin.

Pandemia também impactou

Para minimizar a disseminação de conteúdos falsos ou duvidosos, o Google passou a bloquear links de anúncios apontados para cerca de 500 mil páginas que descumpriam regras sobre a covid-19. Eram sites que traziam afirmações comprovadamente falsas sobre a ciência, mentiras sobre a vacinação contra o coronavírus ou tentativas de desqualificar o processo eleitoral.

Desde o início da pandemia, o Google bloqueou mais de 106 milhões de anúncios negativos relacionados à covid-19 e passou a divulgar conteúdos produzidos por ONGs e governos locais. No campo político, o Google assinou um acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar impedir os criminosos de espalharem boatos infundados sobre fraudes eleitorais ou sobre problemas com urnas eletrônicas.

O Google Ads é a principal ferramenta de publicidade da internet, voltada para quem deseja divulgar sites ou projetos no buscador, no YouTube e demais serviços da companhia. Embora seja pago, há várias regras que os anunciantes devem se submeter, criadas para evitar o abuso por criminosos.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/google-removeu-34-bilhoes-de-anuncios-irregulares-em-2021-215650/

6

Mai

WhatsApp anuncia atualização com restrições para o Brasil

A rede social de troca de mensagens instantâneas WhatsApp, que pertence à Meta (antiga Facebook), publicou ontem (5) em seu blog oficial que algumas mudanças anunciadas no mês passado já estão disponíveis na versão atualizada do aplicativo. Entre as novidades, a possibilidade de enviar arquivos de até 2 gigabytes (GB) protegidos por criptografia de ponta a ponta. Anteriormente, apenas arquivos de até 100 megabytes (MB) podiam ser enviados ou recebidos com a ferramenta.

Outro recurso da nova atualização é a possibilidade de reagir a mensagens enviadas por outros usuários usando seis tipos diferentes de emojis. São eles:

5

Mai

TikTok Pulse: novo sistema de anúncios da plataforma

O TikTok anuncia nesta quarta-feira, 4, o lançamento do TikTok Pulse, recurso que pretende transformar 4% dos vídeos mais populares da plataforma em territórios de publicidade “premium”, para ajudar as marcas a seguirem as principais tendências de compra. O Pulse oferece alguma segmentação contextual para os anunciantes, pois é dividido por categoria. Ao todo serão 12 categorias nessa fase inicial, que incluem beleza, moda, culinária e jogos.

O Pulse é o primeiro produto de compartilhamento de receita de publicidade com criadores, figuras públicas e editores de mídia, o que significa que eles receberão uma divisão do dinheiro que entra pelo programa. Ao AdAge, Sandie Hawkins, gerente geral do TikTok, afirmou que esse recurso coloca as marcas no coração de todas as comunidades do TikTok, ao lado de todo o conteúdo que está impulsionando a conversa e as ações.

Em seu blog, o TikTok disse que o Pulse “foi projetado para fornecer às marcas as ferramentas e controles para fazer parte desses momentos e tendências cotidianas que envolvem a comunidade”. Sandie não confirmou quanto o TikTok cobrará das marcas para participar do Pulse, mas afirmou que o programa é o tipo de plataforma de oferta de publicidade desenvolvida para perseguir os orçamentos de publicidade na TV, que estão disponíveis durante as negociações do NewFronts.


A gerente geral do TikTok ainda reforçou que a plataforma identificaria os vídeos mais populares e, em seguida, executaria apenas marcas abaixo desses vídeos. “São as visualizações de vídeo mais envolventes, altamente responsivas e seguras para a marca, que estão crescendo mais rapidamente”, completou ao AdAge. Ela ainda explicou que os vídeos disponíveis para os anunciantes do Pulse não são necessariamente aqueles com mais visualizações, mas aqueles classificados de acordo com uma fórmula que mede o quanto eles estão “decolando”.

O TikTok disse os criadores e editores com pelo menos 100 mil seguidores estarão qualificados no estágio inicial deste programa e que compartilhará a receita com esses criadores. “Estamos focados em desenvolver soluções de monetização e mercados disponíveis para que os criadores se sintam valorizados e recompensados ​​no TikTok”, afirmou, em seu blog.

Até o momento, a principal forma do TikTok recompensar os criadores era por meio de seu “Fundo do Criador”, que paga usuários selecionados com base na popularidade de seus vídeos. Porém, muitos afirmam que esses pagamentos podem ser pequenos e inconsistentes.

Movimento do mercado

O novo produto de anúncio em vídeo do TikTok é semelhante ao modo como o Google e o Facebook reservaram categorias de vídeos para as marcas que mais gastam. O Facebook, da Meta, por exemplo, tem o Watch, que é um hub de vídeos no estilo YouTube, onde as marcas podem solicitar anúncios de “reserva in-stream”.

Reservar o espaço do anúncio permite que as marcas controlem melhor o conteúdo que patrocinam e o ambiente em que aparecem. A Meta discutiu os anúncios de reserva in-stream, lançados em 2019, em seu primeiro evento NewFronts ao vivo na terça-feira, 3. Enquanto isso, o Google tem um produto de anúncio premium chamado YouTube Select , reservado para os 5% principais do conteúdo de vídeo no serviço. A Twitch, da Amazon, discutiu mais curadoria de conteúdo para anunciantes como parte de seu programa NewFronts na segunda-feira, 2.

Todas as plataformas estão tentando conquistar anunciantes que foram queimados por conteúdo inadequado nas mídias sociais. O TikTok, de propriedade chinesa, também precisava vir ao NewFronts com uma mensagem sobre segurança da marca, pois os anunciantes estão preocupados com a forma como os adolescentes são afetados pelas mídias sociais e tendências online que podem refletir negativamente nos anunciantes.

No caso do TikTok, associar-se a vídeos de tendências mais rápidas também pode ajudar as marcas a ampliar suas vendas, porque a plataforma tem a reputação de ajudar a impulsionar a popularidade dos produtos. O TikTok levou a vários momentos de comércio viral para marcas que nem esperavam atenção. “É premium em termos de segurança de marca”, disse Hawkins sobre o TikTok Pulse, “mas também é sobre os 4% dos principais TikToks que estão decolando”.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2022/05/04/tiktok-pulse-novo-sistema-de-anuncios-da-plataforma.html

5

Mai

Google Maps permitirá definir modo de transporte favorito

O Google Maps deverá permitir, em um futuro próximo, que o usuário escolha seu modo de viagem favorito ao pesquisar por rotas no aplicativo. A novidade começou a ser testada recentemente na versão beta da plataforma, de acordo com relato do 9to5Google na terça-feira (3).

Carro, bicicleta, transporte público ou a pé? Com a mudança em teste no serviço de mapas da Google, você poderá ver os resultados para os cálculos de rota apenas para o tipo de transporte definido previamente, em vez de receber diversas sugestões na tela, que podem confundir o usuário.

Segundo a publicação, o objetivo é justamente evitar essa confusão, tornando a interface mais minimalista, apenas com as informações da modalidade de viagem escolhida. Além disso, a alteração permite salvar a preferência para pesquisas futuras e deixa mais espaço livre para a visão geral do mapa na tela do celular.

É importante ressaltar que esse tipo de ajuste presente no Google Maps beta v11.28.0 não é algo inédito nos serviços da gigante das buscas. A definição do modo de viagem já podia ser feita no app da Google, seguindo o caminho Configurações > Assistente do Google > Conta > Preferências > Transporte, mas só agora está chegando ao Maps.

Caixa de pesquisa flutuante

Na imagem acima, também é possível visualizar uma nova caixa de pesquisa flutuante, na qual o usuário informa a origem e o destino da viagem. Mais compacta, ela substitui o atual painel de buscas, que ocupa um amplo espaço na tela, removendo componentes desnecessários para facilitar a visualização das rotas direto no mapa.

Disponíveis apenas no Google Maps beta, no momento, ainda não se sabe quando tais novidades chegarão à versão estável do serviço ou mesmo se isso acontecerá futuramente. Por enquanto, é necessário instalar a edição de testes do app para experimentá-las.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/238132-google-maps-permitira-definir-modo-transporte-favorito.htm

4

Mai

Google Assistente agora rebate falas ofensivas em português

O Google anunciou, nesta quarta-feira (04), que a assistente virtual da marca foi programada para começar a rebater comentários misóginos, homofóbicos, racistas ou de sexo explícito. A iniciativa começou nos Estados Unidos, mas a versão brasileira da tecnologia também já está respondendo aos comandos de voz abusivos.

De acordo com a empresa, a intenção é que o Google Assistente comece a lidar com o assédio e violência de gênero de inúmeras mensagens que são direcionadas para a inteligência artificial.

No Brasil, cerca de 2% das chamadas “interações de personalidade” do Google Assistente, que são perguntas de caráter pessoal como “Ok, Google, como você está”, são de mensagens com termos inapropriados. Além disso, um a cada seis insultos ao assistente são direcionados às mulheres.

Em uma análise da companhia de tecnologia, falas que ressaltam questões sobre aparência física, como “Você é bonita, Google?”, são duas vezes mais frequentemente feitas às vozes do Google Assistente que soam femininas do que em vozes que soam masculinas.

No caso de vozes do Google Assistente que soam mais masculinas, uma a cada dez ofensas recebidas tem a ver com comentários homofóbicos. Neste contexto, relatórios apontam o uso da palavra “bicha” ao invés de “gay” ou “homossexual”.

“Não podemos deixar de fazer uma associação entre o que observamos na comunicação com o Assistente e o que acontece no ‘mundo real’. Todos os dias, grupos historicamente discriminados recebem ataques de diversas maneiras no Brasil. E esse tipo de abuso registrado durante o uso do app é sim um reflexo do que muitos ainda consideram normal no tratamento a algumas pessoas”, pontuou Maia Mau, Head de Marketing do Google Assistente para a América Latina.

Tipos de respostas

O Google Assistente responderá comentários ofensivos a partir de abordagens diferentes. Se o usuário da aplicação fizer uma ofensa explícita utilizando palavrões ou com expressões misóginas, homofóbicas, racistas ou com teor sexual explícito, a voz do Google responderá de formas como: “O respeito é fundamental em todas as relações, inclusive na nossa” ou “Não fale assim comigo”.

Falas inapropriadas e com teor de assédio do tipo “Google, quer casar comigo?” ou “Google, quer namorar comigo?” serão respondidas de uma forma bem-humorada, segundo a companhia. Nestes casos, o assistente dará um “fora” e alertará a pessoa sobre o incômodo que esses tipos de expressões causam.

“Entendemos que o Google Assistente pode assumir um papel educativo e de responsabilidade social, mostrando às pessoas que condutas abusivas não podem ser toleradas em nenhum ambiente, incluindo o virtual”, acrescentou Maia.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/238099-nao-fale-comigo-google-assistente-rebate-falas-ofensivas.htm

3

Mai

WhatsApp: cliente poderá usar aplicativo para cancelar serviços

Mudanças feitas pelo governo federal nas regras dos serviços de atendimento ao consumidor (SAC) determinam que as empresas disponibilizem a possibilidade de cancelamento dos seus serviços pelo mesmo canal de atendimento no qual foram contratados, inclusive em aplicativos de mensagens. Isso significa que, na prática, serviços contratados por WhatsApp, por exemplo, possam ser cancelados por essa plataforma.

Publicado ontem (2) no Diário Oficial, um novo decreto determina que, a partir de outubro deste ano, qualquer tipo de empresa que ofereça serviços regulamentados pelo poder público ofereça, em seus canais de SAC, uma opção para cancelar serviços no canal em que foram contratados. Isso vale para qualquer tipo de serviço, como planos de saúde; distribuição de água, luz, bancos; passagens aéreas, telefonia e até streaming.

Por que o governo federal está permitindo cancelar serviços pelo WhatsApp?

Entre as mudanças introduzidas no SAC pelo governo federal, o cancelamento de serviços via aplicativo de mensagens é uma das principais. A intenção do decreto é diversificar os canais de suporte ao consumidor, hoje restritos ao atendimento telefônico, de forma a incentivar o uso da internet.

No caso do acompanhamento através de aplicativos de mensagens, a nova ordem executiva estabelece que o atendimento à solicitação deve ser resolvido no prazo de sete dias corridos, contados a partir da data do registro feito pelo cliente, com prestação de informações ao consumidor sobre o tratamento da sua demanda.

Além de determinar que a resposta ao consumidor seja clara, objetiva, conclusiva e abrangente, o novo decreto manda que o acesso aos serviços esteja disponível durante 24 horas, nos sete dias da semana. Mas isso não significa o fim do atendimento telefônico, que permanece obrigatório, operando por, no mínimo, oito horas diárias, preservando a opção de contato entre o consumidor e um atendente humano.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/237987-whatsapp-cliente-usar-aplicativo-cancelar-servicos.htm