Mídias Sociais

16

Out

Cinco maneiras de gerar renda extra vendendo pela internet

Segundo dados da ABComm, mais de 150 mil novas lojas online foram registradas entre abril e setembro de 2020 e mais de 11 milhões de pessoas realizaram sua primeira compra pela internet nesse mesmo ano. Com tantas opções surgindo, empreender pode se parecer uma tarefa confusa e até difícil para quem não possui os conhecimentos fundamentais para arrecadar dinheiro no meio digital. 

Porém, pensando em ajudar esse público iniciante, a especialista Babi Tonhela, CPO e Sócia do Ecommerce na Prática, maior escola de vendas digitais do Brasil, organizou cinco maneiras para quem busca faturar uma renda extra vendendo na internet.


1.Comece com o que tem e defina a plataforma

A forma mais simples e barata de empreender é utilizando coisas que você já tenha em casa. “Nós indicamos selecionar coisas que muitas vezes estão paradas”, explica Babi. “Um computador, um colchão, uma câmera digital ou mesmo qualquer objeto que você enxergue valor de venda como item usado”. É a tendência chamada ‘recommerce’, que tem feito sucesso em plataformas como Enjoei. Existem também outros canais de serem utilizados como o OLX, Mercado Livre e até redes sociais como o Facebook Marketplace e o Instagram Shop. “Quando esses produtos estiverem rodando e forem dando retornos financeiros, você pode começar a procurar antiquários ou brechós, por exemplo, para continuar comprando e vendendo outros itens”, ressalta Babi.


2. Aproveite suas habilidades

Outra dica é aproveitar o que você sabe fazer, sejam atividades na cozinha ou com artesanato, por exemplo. “No caso da alimentação, você consegue tirar um CNPJ como MEI de forma rápida e se cadastrar em aplicativos de delivery”, conta. “O setor de artesanato online também é muito forte. Para você ter uma ideia, a maior plataforma de e-commerce desse tipo de produto é o Elo7, que foi a terceira mais acessada no Brasil durante 2020”. Então, é possível aproveitar uma habilidade ou até um hobby para ganhar dinheiro.


3.Venda produtos sob encomenda

Essa dica é bem parecida com a dos artesanatos, porém, nos itens encomendados é possível estruturar alguma coisa mais extensa como uma caneca ou produtos gráficos personalizados. Existem empresas investindo em ‘Print On Demand’, que significa “impressão sob demanda”, de camisetas, bonés e outros souvenirs. 


4.Crie uma loja virtual sem estoque

“Você já percebeu que existem diversos negócios na sua região que não vendem online?”, questiona Babi. “Uma dica é ir até esses lugares e se posicionar como representante comercial, fazendo uma troca com os empreendedores daquele estabelecimento”. Com isso, é possível anunciar produtos na internet e ir até esses lugares comprar a mercadoria para depois enviar. Assim, não é necessário um investimento inicial em estoque para começar a vender.


5.Como conciliar com o trabalho

“Qualquer habilidade que você tenha hoje, pode ser "empacotada" como um produto digital, seja um ebook, um mini curso, manual e um serviço também pode ser oferecido e consumido online”, conta Babi. “Em todas as opções anteriores o empreendedor consegue trabalhar 100% online e conciliar seu novo negócio com qualquer outra atividade. Existem pessoas que cumprem essa jornada dupla e conseguem aumentar sua renda, seja com venda de produtos físicos, digitais ou serviços”.

15

Out

Idec lança manual sobre moderação de conteúdo para usuários das mídias sociais

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lança o guia “Seus Direitos nas Mídias Sociais”, voltado para orientação de usuários sobre moderação de conteúdo em blogs, sites, redes sociais, apps e outros tipos de plataformas digitais controladas por empresas. 

Organizado em quatro capítulos, o guia busca informar os consumidores sobre este contexto com exemplos práticos sobre o que é moderação de conteúdo, quais são seus direitos e como é possível reivindicá-los em caso de decisões consideradas injustas.

Estes mecanismos para solucionar problemas relacionados à remoção de conteúdo ou exclusão de contas nas mídias sociais existem há anos, no entanto, consumidores desconhecem ou conhecem pouco sobre tais procedimentos. 

"Em tempos de acalorada discussão sobre o poder que as plataformas têm sobre os debates públicos, este material surge como uma tentativa de preencher esta lacuna, apresentando os direitos dos cidadãos nas redes sociais, mas também explicando como exercer tais direitos no seu cotidiano”, afirma Luã Cruz, pesquisador do programa de Telecom e Direitos Digitais do Idec.

Estas empresas, que detêm as mídias, estabelecem regras privadas das quais os usuários estão sujeitos mas nem sempre têm ciência delas; além de terem o poder de decidir o que não é visto, o que é falso e o que é verdadeiro, o que é ofensivo ou indecente. 

O material, disponibilizado de forma online e gratuita, foi desenvolvido originalmente pelo Observacom (Observatorio Latinoamericano de Regulación, Medios y Convergencia) no Uruguai, em 2020. No Brasil, o Idec é representante desta ação e adaptou o conteúdo.

"A iniciativa de traduzir e adaptar um material tão informativo, e originalmente criado em língua espanhola, nos pareceu oportuna, uma vez que as regras de moderação de conteúdo das grandes plataformas costumam ser as mesmas, seja no Brasil, no Uruguai ou em qualquer outro país da América Latina", complementa o pesquisador do Idec.

A publicação do Idec também traz exemplos de conteúdos que podem ser moderados e explica o que são termos como ShadowBan e Flagging, por exemplo. Estes termos se popularizaram após algumas plataformas sinalizarem conteúdos como desinformação, em especial, durante as eleições norte-americanas e em meio à pandemia de covid-19.

Acesse a página "Seus Direitos das Mídias Digitais" aqui.

15

Out

Spotify lança programa de aceleração para podcasts no Brasil

O Spotify anunciou nesta quinta-feira (14) o lançamento de um programa de aceleração de podcasts no Brasil. Batizado de Spotify Podcast Academy, o projeto visa amplificar o alcance de criadores da área que já mantenham um programa, ajudando a construir uma audiência mais engajada, a profissionalizar o projeto e no caminho fortalecer a comunidade de podcasters do país.

Ao B9, a companhia escreve que os criadores serão selecionados com base nos dados de audiência e performance de seus programas, com o uso do Anchor sendo um diferencial na escolha. Todos os projetos se tornam automaticamente exclusivos da plataforma e ganham acesso ao conhecimento da indústria por meio de aulas, workshops, suportes de comunicação e todo o ecossistema de ferramentas da empresa. A duração da “academia” é de no máximo dois anos, tempo visto como fundamental para a plataforma dar todo o apoio no crescimento dos selecionados.

No anúncio, o diretor do Spotify Studios na América Latina, Javier Piñol, define o programa como “Uma oportunidade única para os criadores que não possuem ferramentas para implementar estratégias claras de desenvolvimento de programas e públicos possam ter acesso aos recursos de produção de alta qualidade do Spotify”. Vale notar que o Spotify Podcast Academy já conta com dez projetos como membros, incluindo o Biscoito, o Diário de um Jovem Moderno, o Estamos Bem?, o Indo e Voltando, o Mundo Freak Confidencial, o Para Dar Nome às Coisas, o PeeWeeCast, o Podcat, o Respondendo em Voz Alta e o Santíssima Trindade das Perucas.

O programa ainda inclui uma playlist no Spotify com os melhores episódios dos podcasts selecionados, batizado de “O Melhor do Spotify Podcast Academy”.

O projeto marca mais um passo na expansão da plataforma no mercado de podcasts. Desde que comprou a Gimlet e o Anchor no início de 2019, o Spotify investe constantemente na sua seção de podcasts, desde atualizações do serviço à aquisição e produção de programas originais – por aqui, os mais recentes casos de sucesso foram o Mano a Mano de Mano Brown e a adaptação nacional de Paciente 63.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/152020/spotify-lanca-programa-de-aceleracao-para-podcasts-no-brasil/

15

Out

Google vai poupar você de ir à página dois em uma busca; entenda

O Google anunciou, nesta quinta-feira (14), a chegada da rolagem contínua dos resultados da pesquisa como uma solução para otimizar a experiência nos dispositivos móveis. Ao alcançar o final de uma página de resultados, em vez de pressionar na tela para mudar, o aplicativo deve carregar os próximos resultados automaticamente para tornar a pesquisa mais ágil e facilitada, em especial nas telinhas menores dos telefones.

Segundo a empresa, a ideia é permitir a visualização de mais resultados em pesquisas amplas, como receitas, inspirações, dicas ou similares. A rolagem contínua pode revelar opções além das presentes na página inicial e isso pode ajudar muita gente a encontrar o que precisava com muito mais rapidez.

No blog oficial, o gestor de produto do Google Search, Niru Anand, alega que a maioria das pessoas que deseja informações adicionais tende a navegar por até quatro páginas de resultados de pesquisa. "Com esta atualização, as pessoas agora podem fazer isso perfeitamente, navegando por muitos resultados diferentes, antes de precisar clicar no botão 'Ver mais'", destacou.

Essa nova experiência começou a ser implementada gradualmente para a maioria das pesquisas em inglês nos dispositivos móveis dos Estados Unidos. Por enquanto, os desenvolvedores não disseram quando ou se pretendem levar o recurso para outros idiomas e países, mas é bem provável que isso ocorra nas próximas semanas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/google-vai-poupar-voce-de-ir-a-pagina-dois-em-uma-busca-entenda-198841/

14

Out

Facebook vai proibir conteúdo que assedie sexualmente celebridades

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (13) que vai começar a remover “conteúdo severo de sexualização” voltado para figuras públicas. A medida faz parte da recente atualização das políticas de intimidação e assédio na rede social. Entre as mudanças, também está a proteção para ataques de assédio coordenado contra usuários comuns.

Inicialmente, ocorreria a remoção de perfis, páginas, grupos ou eventos dedicados a sexualizar figuras públicas, o que inclui celebridades, políticos e criadores de conteúdo. A nova política também proíbe fotos e desenhos sexualizados e qualquer conteúdo degradante “no processo das funções corporais”, apontou Antigone Davis, chefe global de segurança do Facebook.

De acordo com Davis,  as mudanças aconteceram porque “ataques como esses podem transformar a aparência de uma figura pública em uma arma, o que é desnecessário e, muitas vezes, não está relacionado ao trabalho que representam”.

O anúncio, mais uma vez, vai ao encontro das preocupações levantadas por Frances Haugen, que vazou informações de relatórios da empresa de Mark Zuckerberg ao Wall Street Journal sobre danos que a plataforma pode causar aos seus usuários.

A atualização desta quarta-feira também inclui o banimento de linguagem que fomente ataques coordenados a usuários, pensando na possibilidade de “risco elevado de danos offline”.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151939/facebook-vai-proibir-conteudo-que-assedie-sexualmente-celebridades/

14

Out

Instagram vai permitir lives agendadas e "treinos" antes da transmissão ir ao ar

O Instagram anunciou ontem (13) a chegada de novas ferramentas para facilitar a organização e realização de lives. Agora, os criadores de conteúdo poderão trabalhar melhor suas transmissões ao vivo e gerar expectativa com o agendamento prévio de até 90 dias, o compartilhamento de novidades sobre a live e a configuração de lembretes para o usuário.

Essa novidade finalmente coloca o Instagram ao nível de igualdade com o YouTube e o Tiktok, concorrentes que já tem o recurso há algum tempo. Na plataforma de vídeos do Google, por exemplos, existe a possibilidade de promover tais eventos pelo Google Ads e até usar materiais pré-gravados como se fossem ao vivo por meio do recurso chamado Estreias.

Já o Facebook também possibilita o agendamento prévio há bastante tempo, além de trazer ferramentas específicas para os criadores como divulgações antecipadas, compartilhamento em tempo real e salas experimentais pré-transmissão. O TikTok, principal rival do Instagram na atualidade, lançou as lives em 2021 e trouxe com elas a capacidade de agendamento prévio e lembretes.

Segundo o Instagram, o agendamento de lives será disponibilizado para todos os perfis do mundo a partir de hoje, embora a entrega seja feita de forma gradual ao longo dos próximos dias. Feito o agendamento, será possível compartilhar o conteúdo diretamente com os seguidores nos Stories e como posts no feed.

Outra adição é o chamado Pratice Mode (Modo de treino, em tradução livre) que deve permitir a realização de testes do criador e seus convidados antes do início do evento para testar a conexão, iluminação, som ou qualquer outra preparação necessária antes do ao vivo. Essa é uma adição muito aguardada pelos usuários, porque permite uma familiarização melhor para aqueles que nunca transmitiram via Instagram ou quer checar detalhes técnicos do celular.

Lives em alta, menos no Insta

Apesar de bem-vindos, os recursos podem ter chegado um pouco atrasados à plataforma, já que houve uma queda considerável na quantidade de lives no Instagram desde o início da pandemia — basta comparar o app atualmente com um ano antes e ver como há bem menos transmissões. Por outro lado, plataformas como o YouTube, a Twitch e o Facebook Gaming têm crescimento considerável de visualizações graças a conteúdos voltados para o entretenimento e jogos online.

Vale lembrar que a popular rede social de Adam Mosseri passa por um processo de redefinição de estratégias: a chegada dos Reels, o fim do IGTV, a migração de fotos para vídeos no Feed e, é claro, a aposta nas lives com até quatro pessoas simultâneas.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-vai-permitir-lives-agendadas-e-treinos-antes-da-transmissao-ir-ao-ar-198720/

14

Out

Nova rede social se inspira no Facebook, mas permite apenas 100 posts para toda vida

Facebook e Instagram que se cuidem. Na contramão das duas redes sociais, que são diariamente acusadas de consumirem tempo e saúde mental de seus usuários, Ben Grosser, um artista e professor da Universidade de Illinois, nos EUA, criou o Minus. Com o objetivo de ser uma provocação e não um negócio sustentável, ele se baseia em mais de uma década de estudos explorando formas de fazer uma comunicação mais saudável e rica na Internet.

Recentemente, o trabalho do pesquisador se tornou ainda mais relevante, à medida que documentos internos vazados e o testemunho da denunciante Frances Haugen revelaram quanto os negócios de Mark Zuckerberg estão impactando negativamente pessoas de todas as idades. Apesar de “imitar” o modelo do Facebook, o Minus desencoraja o uso constante.

Em entrevista ao Fast Company, Grosser afirmou que  “como empresa, o Facebook está obcecado por crescer cada vez mais”, assim, ele decidiu experimentar a construção de uma plataforma na qual o engajamento e o crescimento não são os objetivos.

Reprodução – Fast Company

No Minus, cada usuário recebe um total de 100 postagens para usar durante toda a sua vida, o que os força a pensar sobre como desejam usar cada postagem. Além disso, não há curtidas ou contagens de seguidores.

Para o Fast Company, Grosser diz que a plataforma tem como intuito estimular a conversa, uma vez que é possível responder às postagens livremente, também não exibe anúncios para gerar receita e não tem os mesmos incentivos que o Facebook para manter os usuários consumindo.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151932/nova-rede-social-se-inspira-no-facebook-mas-permite-apenas-100-posts-para-toda-vida/

14

Out

Twitter pode deixar o feed em ordem cronológica mais acessível

O Twitter testa no app a exibição de um feed secundário com publicações listadas em ordem cronológica. A novidade toma forma de uma aba extra na seção Página Inicial (a Home), e se chama “Latest” (“Mais recentes”, em português).

Trata-se apenas de um atalho para a navegação cronológica de publicações, já que o modelo existe na plataforma desde 2018, acessível pelo botão com símbolo de estrela localizado no canto superior direito da tela. Com a navegação em guias, bastaria arrastar para o lado para acompanhar os posts em ordem de publicação, e não mais alternar como uma preferência de exibição de conteúdo.

Segundo o Twitter, a novidade foi liberada para uma quantidade limitada de usuários do app para iOS. Por se tratar de um teste, a ferramenta pode não chegar de forma definitiva — neste caso, a estrela continuaria servindo para acessar o feed cronológico.

Se a navegação em guias se tornar definitiva, é incerto o destino do botão dedicado para a alternância de feeds. A presença da opção seria redundante, e não faria sentido mantê-la ocupando espaço na tela na Página Inicial.

Quem usa o Twitter pelo computador ou pelo app para Android não terá acesso ao recurso, ao menos por enquanto, então resta aguardar futuros anúncios da rede social sobre o novo modelo para a Página Inicial. Se você usa a plataforma pelo iPhone, vale deixar o app com atualizações em dia na App Store e, quem sabe, dar a sorte de conferir o feed novo.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/twitter-pode-deixar-o-feed-em-ordem-cronologica-mais-acessivel-198698/

13

Out

Instagram vai encorajar adolescentes a fazerem uma pausa no uso da rede social


Parece que o Facebook está tentando consertar sua reputação depois que o Wall Street Journal trouxe à público documentos internos com informações confidenciais da empresa. Entre eles, estavam dados sobre como o Instagram afeta a saúde mental dos jovens e é tóxico para meninas em idade de desenvolvimento. Segundo a Reuters e a CNN, o vice-presidente de Assuntos Globais do Facebook, Nick Clegg, afirmou que um recurso de “pausa” será incluído no Instagram, com a ideia de diminuir a frequência de acessos e, consequentemente, vícios e outros comportamentos nocivos.

O executivo também sugeriu que o Facebook vai se preocupar em manter os adolescentes longe de materiais que não sejam compatíveis com o seu bem-estar. Clegg não forneceu informações sobre quando a abordagem começa a funcionar, mas disse que os algoritmos da rede social deveriam ser “responsabilizados” para garantir que os resultados do mundo real correspondam às expectativas de mudança.

Esses novos projetos parecem surgir como resposta às preocupações que Frances Haugen, a ex-funcionária que expôs detalhes sobre o polêmico funcionamento interno da empresa de Mark Zuckerberg. De acordo com Frances, o Facebook não se dispõe a investir no que é necessário para evitar que ele seja perigoso.

Recentemente, a equipe de Zuckerberg também esteve envolvida em outro debate controverso: o desenvolvimento de uma versão infantil do Instagram para crianças menores de 13 anos. O projeto foi adiado após diversas críticas, e deve ouvir pais, especialistas e reguladores antes de ser retomado.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151839/instagram-vai-encorajar-adolescentes-a-fazerem-uma-pausa-no-uso-da-rede-social/

13

Out

Twitter libera função "remover seguidor" para todos os usuários

O famoso “soft block” finalmente se tornou um recurso nativo do Twitter nesta segunda-feira (11). A rede social passou a permitir que usuários removam seguidores com poucos cliques, sem precisar recorrer ao tradicional método de bloquear e desbloquear um perfil indesejado para removê-lo da lista.

Na lista de seguidores, a opção “Remover este seguidor” foi adicionada às opções anexadas para cada perfil. Clicar nela faz exatamente o que o nome diz: aquele usuário deixa de seguir a sua conta, mas não é notificado de forma alguma.

Diferente de bloquear alguém, a remoção de um seguidor não impede que interações, nem mesmo que o perfil volte a te seguir em outro momento. O grande lance está em evitar a atenção daquela pessoa ao retirá-la do círculo de seguidores, já que suas publicações deixam de aparecer na Página Inicial delas com tanta frequência.

Mais controle na rede

O recurso de remover seguidores não é uma novidade para usuários do Twitter, mas a funcionalidade torna a tarefa bem menos complicada. Às vezes, remover um seguidor é importante para evitar conversas desagradáveis, ou tomar espaço de uma certa pessoa que não deveria ver constantemente o que você posta na rede.

Recentemente, o Twitter anunciou que testa novos filtros automáticos para contornar comentários ofensivos em publicações. A ideia, que ainda está em fase conceitual, também se aplicaria a contas que são frequentemente flagradas com comentários ácidos na rede, evitando que o autor do post se depare com a resposta desagradável.

Além disso, a Rede do Passarinho explora mais funcionalidades para aumentar o controle sobre o conteúdo da rede, como o "Modo Seguro", um sistema de proteção contra uma onda de "cancelamentos", e o filtro de palavras, em que o próprio dono da conta define quais emojis ou palavras considera ofensivo.

Por enquanto, a função está disponível somente na versão web do Twitter para PC, então usuários ainda precisam apelar pelo “soft block” no app para celular. Provavelmente, é só questão de tempo até a rede social expandir o “Remover este seguidor” para outras plataformas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/twitter-libera-funcao-remover-seguidor-para-todos-os-usuarios-198552/

13

Out

Facebook está disposto a abrir algoritmos a reguladores

Um porta-voz-chefe do Facebook disse que a empresa está disposta a se submeter a uma maior supervisão para garantir que seus algoritmos estejam funcionando como pretendido e não prejudiquem os usuários. 

Nick Clegg, vice-presidente de assuntos globais do Facebook, defendeu as práticas de negócios da empresa contra as acusações de um denunciante de que ela colocava os lucros à frente do bem-estar dos usuários. 

Os algoritmos “devem ser responsabilizados, se necessário por regulamentação, para que as pessoas possam comparar o que nossos sistemas dizem que eles deveriam fazer com o que realmente acontece”, disse Clegg no “State of the Union” programa da CNN exibido nos Estados Unidos. 

Clegg também disse que o Facebook está aberto a mudar uma norma de 1996 da lei dos Estados Unidos que isenta as empresas de responsabilidade pelo que os usuários postam. A empresa está aberta a limitar essas proteções, “dependendo da aplicação dos sistemas e suas políticas por eles como deveriam”, disse ele. 

Na semana passada, Frances Haugen, ex-gerente de produto do Facebook, disse a um painel do Comitê de Comércio do Senado que a busca da empresa por lucros alimentou a divisão e prejudicou a saúde mental de jovens usuários. Seu testemunho veio na sequência de uma série de histórias publicadas pelo Wall Street Journal, com base em relatórios internos do Facebook que Haugen compartilhou. A profissional também enviou informações à Comissão de Valores Mobiliários. 

O depoimento deu impulso aos recentes esforços dos legisladores para aprovar uma legislação que regule mais fortemente o gigante das redes sociais. Os legisladores estão considerando projetos de lei que iriam, entre outras coisas, limitar a proteção dessas empresas contra processos judiciais e aumentar a proteção à privacidade do usuário.  

A senadora Amy Klobuchar disse que as alegações do denunciante mostram a necessidade de fortalecer a fiscalização antitruste. A democrata de Minnesota culpou a falta de ação do Congresso no lobby da indústria de tecnologia. 

“Em cada esquina que você passa, há lobistas de tecnologia, tem dinheiro jogado por eles pela cidade para que os legisladores os escutassem em vez de escutar os fatos”, disse Klobuchar no “State of the Union”.  

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/10/13/facebook-esta-disposto-a-abrir-algoritmos-a-reguladores.html

13

Out

Facebook lança mais recursos e melhorias com foco em conteúdos de áudio

Em mais um investimento em iniciativas de áudio, o Facebook lança um novo “destino de áudio” em seu aplicativo móvel nos Estados Unidos. A ferramenta permite que os usuários confiram, em um só lugar, todos os conteúdos de áudio que a empresa hospeda, incluindo podcasts, salas de áudio ao vivo e áudios curtos.

O Facebook também disse que está ampliando o Live Audio Rooms (lançado pela empresa para rivalizar com o Clubhouse), deixando o recurso, lançado nos EUA em junho, disponível para todos os usuários globais. A companhia também lança um novo produto chamado Soundbites, uma espécie de TikTok para áudio que oferece clipes curtos de áudio.

Uma versão inicial do novo hub de áudio está em processo de implementação para todos os usuários do Facebook nos EUA, tanto para dispositivos em iOS quanto Android. Ele pode ser acessado por meio da navegação superior em Assistir.

facebook-audio-novidades

A empresa diz que o novo destino ajudará os criadores a terem seus programas encontrados com mais facilidade, além de permitir que os usuários descubram novos conteúdos também com mais facilidade. A seção Áudio apresentará o conteúdo dos criadores que você já segue e incluirá um conjunto de recomendações personalizadas, bem como sugestões de outros áudios populares no Facebook.

Ainda segundo a empresa de Mark Zuckerberg, à medida que ela expande as experiências de áudio, também trabalha em ferramentas para identificar conteúdos de áudio que violam os Padrões da Comunidade do Facebook. Isso inclui recursos para identificar automaticamente conteúdos de áudio considerados prejudiciais na plataforma, além de estar adaptando tecnologia e processos para detectar e moderar conteúdos de áudio violados. Tudo isso, o Facebook ressalta, ainda é novo para a empresa.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151876/facebook-lanca-mais-recursos-melhorias-conteudos-audio/

13

Out

Instagram cria "alerta de instabilidade" para avisar sobre quedas da rede

Depois de cair duas vezes numa mesma semana, o Instagram apresentou medidas para evitar que sua base de usuários fique à deriva em momentos de instabilidade. Sempre que a plataforma enfrentar algum problema e boa parte do público esteja à procura de mais informações, ela enviará uma notificação para todos, visível no app para celular.

Segundo o Instagram, a adição dos avisos de instabilidade no serviço é resultado de uma ampla pesquisa. Por se tratar de uma rede social que assume profunda importância em perfis comerciais, a funcionalidade permite que usuários atestem as ocorrências mais rapidamente.

Primeiro, a notificação de instabilidade começará a rodar para usuários dos Estados Unidos, e só meses depois deve ser ampliada para mais regiões. Por se tratar de um aviso bem eventual, é pouco provável que o usuário se depare com o alerta — e, na prática, é até bom torcer para que não apareça.

A notificação geral é até uma boa ideia e pode ajudar muitos a entenderem o que acontece com o Instagram em momentos que as coisas parecem não funcionar direito, mas o que será que aconteceria se até o app também ficasse indisponível? A solução da rede social é funcional, mas só serve ao seu propósito depois que o problema for devidamente resolvido.

Entenda o que acontece na sua conta

Em paralelo, a rede social também apresentou o “Status de conta”. A ferramenta serve como uma central de informações sobre publicações detectadas como violações às Diretrizes da Comunidade da plataforma.

A partir desse centro, usuários conseguem acompanhar quais posts foram removidos e quais motivos justificam a remoção. Além disso, a seção permite que usuários recorram da decisão com poucos cliques, caso acreditem que a punição tenha sido efetuada por engano.

Neste caso, não há informações quanto a disponibilidade. O Instagram afirma, porém, que mais detalhes sobre as novidades serão divulgados futuramente.a

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-cria-alerta-de-instabilidade-para-avisar-sobre-quedas-da-rede-198557/

11

Out

Pesquisa: 75% dos pequenos e médios lojistas virtuais vendem pelo WhatsApp

Um levantamento da Loja Integrada, plataforma de criação de lojas virtuais, concluiu que cerca de 75% dos pequenos e médios comerciantes usam o WhatsApp como canal direto de vendas com seus clientes. Além disso, quase 68% dos empresários da rede utilizam o mensageiro como principal ferramenta de atendimento ao consumidor. O Instagram ficou em segundo (15%), e o e-mail em terceiro (5,6%).

A pesquisa foi realizada com 3.060 lojistas virtuais de todo o país durante o mês de maio e junho de 2021 por meio de questionário na internet. É apenas mais um dado que atesta o que todo mundo já sabia: as plataformas do Facebook, principalmente o WhatsApp, tornaram-se uma ferramenta essencial na vida dos pequenos comerciantes virtuais.

"Por ser gratuito, o app está no celular de quase todos os brasileiros. Para o empreendedor, uma das principais vantagens de usar a ferramenta é poder criar campanhas e ações promocionais que são enviadas de forma automática. Além disso, com o app é possível verificar métricas e realizar um atendimento quase que em tempo real", explica Gustavo Ruchaud, diretor de marketing da Loja Integrada.

Não é à toa que a queda nas plataformas do Facebook no início desta semana impactaram tanto os pequenos empreendedores. No Brasil, são mais de 120 milhões de pessoas com o app instalado no celular. "Com a instabilidade, os lojistas irão precisar fazer um balanço de suas vendas, dando um suporte e retorno aos clientes por outros canais também", analisa Ruchaud.

Aos lojistas prejudicados desta semana, o especialista deu três dicas: humanizar o diálogo com o cliente e criar ferramentas e padrões de atendimento por e-mail, até para comunicar instabilidades; investir na divulgação da loja virtual em outras plataformas, como os anúncios do Google e YouTube; e ramificar para outros mensageiros e meios de informação, como o Telegram ou mesmo canais próprios no seu site oficial.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/negocios/75-dos-pequenos-e-medios-lojistas-virtuais-vendem-pelo-whatsapp-diz-pesquisa-198389/

11

Out

WhatsApp prepara mais uma novidade básica para facilitar a gravação de áudios

Se você grava áudios com frequência no WhatsApp, é bem provável que já tenha refeito a mensagem depois de ter sido interrompido por um som alto ou outro obstáculo. Finalmente, o mensageiro trabalha em uma correção muito bem-vinda para esse inconveniente.

O site WABetaInfo encontrou uma função em uma das versões de testes do WhatsApp que basicamente permite pausar a captura de uma mensagem de áudio para continuar em outro momento. A função toma forma de um botão de “pause” centralizado na parte inferior do app, quando o usuário “trava” a gravação da mensagem para continuar a captura sem pressionar a tela.

Depois de dar continuidade, todo o conteúdo é compilado numa única mensagem, então este pode ser o fim das várias mensagens de áudio enviadas em sequência para contornar inconvenientes durante as gravações. Não se sabe também se a funcionalidade teria suporte para a alternância de aplicativos, mas, se tiver, seria ainda mais versátil para gravações ao longo de um dia movimentado.

Ainda em construção

O controle sobre a gravação de áudio foi encontrado no WhatsApp Beta para iOS, mas não está disponível para usuários por enquanto. O mensageiro para Android também prepara o recurso nos bastidores.

Até o momento, a função não está disponível nem para usuários do beta do app, então não existem pistas de quando ela será disponibilizada para o público. No entanto, por já parecer funcionar bem, pode ser que isso aconteça em breve — fique de olho no CT para ficar ciente assim que ficar disponível.

Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-prepara-mais-uma-novidade-basica-para-facilitar-a-gravacao-de-audios-198426/