Comunicação

12

Abr

Comunicação

Dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn são oferecidos em fóruns de hacking

Semelhante ao que aconteceu dias atrás com o caso do Facebook e a divulgação de dados pessoais de mais de 533 milhões de usuários em fóruns de hacking, a ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, alerta para a comercialização, nessa classe de fóruns, de dados de 500 milhões de usuários do LinkedIn.

As informações passaram a ser oferecidas por meio de quatro arquivos e incluem nomes completos, sexo, endereço de e-mail, telefone, dados sobre o local de trabalho e descrição profissionallinks para perfis do LinkedIn e também para outras redes sociais das vítimas.

Por outro lado, um arquivo de amostra está sendo oferecido em troca de US$ 2 em créditos dentro do fórum. Esta amostra contém os dados de dois milhões de usuários, mas aparentemente, para obter a informação completa, o preço mínimo excede US$ 1 mil. Embora o criminoso que comercializa os dados afirme que eles foram extraídos do LinkedIn, não se sabe se os dados estão atualizados ou não, ou se foram obtidos a partir de brechas anteriores sofridas pela rede social.

“Como dissemos esta semana, quando os dados do Facebook foram divulgados, essas informações podem ser usadas por agentes mal-intencionados para realizar ataques de engenharia social. Por exemplo, e-mails de phishing personalizados que incluem dados específicos da vítima potencial para convencê-la de que é algo legítimo, para se fazer passar pela vítima e tentar enganar seus contatos criando contas clonadas. Nesse sentido, utilizando os números de telefone, também podiam enviar mensagens SMS, comunicar-se via WhatsApp ou realizar golpes telefônicos”, explica Josep Albors, especialista da ESET.

Caso antigo

O uso do LinkedIn por criminosos para contatar suas vítimas não é novo. No ano passado, a ESET alertou sobre como outros grupos de espionagem lançaram ataques a empresas militares e aeroespaciais usando engenharia social via LinkedIn

“Esse tipo de informação pode ser valiosa para diferentes perfis de criminosos, alguns mais sofisticados, mas principalmente para golpistas. O uso de senhas exclusivas para cada conta, o duplo fator de autenticação e um bom software de segurança ajudará a protegê-lo. E, se você não consegue se lembrar de senhas ou criar senhas exclusivas e complexas, um gerenciador de senhas pode ser útil", adiciona Tony Anscombe, chefe de segurança da ESET.

Para saber mais sobre segurança da informação, acesse o portal de notícias da ESET: https://www.welivesecurity.com/br/

 

10

Abr

Comunicação

Plataforma oferece conteúdo gratuito para pais e professores

A plataforma digital educacional De Criança para Criança (DCPC) já desenvolveu mais de 800 animações a partir do protagonismo infantil dentro das salas de aula, além de 132 filmes produzidos em libras e áudio descrição. Todos os conteúdos estão disponíveis gratuitamente no canal do YouTube e na EncicloKids, a enciclopédia de animações do DCPC que as escolas, professores, pais e alunos podem acessar de onde estiver.

No acervo da EncicloKids, os vídeos estão organizados em disciplinas e podem ser usados em sala de aula como material didático, direcionados para alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I e II. Desde as matérias básicas, como Português, História, Matemática, Geografia e Ciências, a temáticas mais abrangentes, como Idiomas, Ecologia, Inclusão, Saúde, Social e Fantasia são encontradas no catálogo.

Dicas para aulas remotas, sentimentos, alimentação, brincadeiras, rimas, aventuras, sonhos, jogos e outros são alguns dos assuntos disponíveis no canal do YouTube do DCPC. A diversidade de temas abordados possibilita que as crianças se inspirem e possam aprender de igual para igual, com uma linguagem adequada para a sua faixa etária e de forma lúdica, retendo mais informação e conhecimento.

Todos os conteúdos são criados a partir da aplicação da metodologia Criando Juntos, onde crianças criam histórias, desenham personagens e cenários sob a mediação e orientação do professor. A plataforma colaborativa do DCPC é por onde tramitam todo esse material produzido e o resultado é uma linda animação. A metodologia está em conformidade com todas as diretrizes da BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Segundo a ONG HundrED, baseada na Finlândia, o Criando Juntos está entre as 100 mais brilhantes inovações mundiais para a educação. A proposta da startup é fazer com que as crianças sejam protagonistas da aprendizagem e que retenham mais o conteúdo da matéria dada em sala de aula.

 

8

Abr

Comunicação

Com 16 filmes, edição online e gratuita do ‘Assim Vivemos - Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência’ começa dia 10

Começa neste sábado, 10, e segue até quarta-feira, 14, a edição online e gratuita do Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência. Serão exibidos 16 curtas, médias e longas-metragens de 11 países - 14 de eventos anteriores e dois brasileiros inéditos - e quatro debates: “Arte e Diversidade”, “Escola e Vida Independente”, “Vida Amorosa e Autonomia” e “Autismo e Neurodiversidade”. As produções têm temas diversos e que permitem a reflexão, como a busca por uma vida independente; dificuldades de comunicação de quem nasce surdo; integração através do teatro; a importância do esporte;  a dança que supera barreiras; autimos, entre outros. Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc, apresentam o evento. 

Para assistir aos filmes, basta entrar em www.assimvivemos.com.br  Até o dia 13, as produções serão disponibilizadas em duas sessões diárias: às 15h e às 17h.  Às 19h terá início o debate em link específico divulgado no site do festival. A mediação dos bate-papos será feita por Lara Pozzobon, uma das fundadoras do Assim Vivemos. Durante a quarta-feira, 14, último dia do evento, todo o conteúdo está disponível. 

Filmes e debates contarão com recursos de acessibilidade como a audiodescrição e as legendas LSE (para surdos e ensurdecidos), além interpretação em LIBRAS. Será distribuído gratuitamente por e-mail material didático com sugestões de atividades para professores e profissionais da área, inspirado nos temas retratados pelos filmes, podendo ser aplicadas tanto para alunos como para professores.

No sábado, 10, serão exibidos dois médias e um longa-metragem. São eles: o francês “A Largura e o Comprimento do Céu”, de Domonique Margot; o belarrusso “Quem É o Último”, de Siarhei Isakov; e o espanhol “O Que Tem Debaixo do Seu Chapéu”, de Lola Barrera e Iñaki Peñafiel.  O debate sobre Arte e Diversidade conta com a participação da bailarina Moira Braga e do artista plástico Lucio Piantino. 

No domingo, 11, o público poderá assistir a seis filmes, sendo três curtas e três médias-metragens. São eles: o russo “Ver e Crer”, de Tofik Shakhverdiev; o iraniano “Beleza Desconhecida”, de Mahboubeh Honarian; o brasileiro “Mona”, de Lucca Messer; o iraniano “Quando Brilha Um Raio de Luz”, de Shahriar Pourseyedian; o tailandês “Dentro de Mim”, de Sophon Shimjinda e, o brasileiro inédito “O Que Pode Um Corpo”, de Victor Di Marco e Márcio Picoli. Vida Amorosa e Autonomia é o tema do debate com a dançarina Mona Rikumbi (Filha do sol) e o diretor Victor Di Marco (O Que Pode Um Corpo). 

Na segunda, 12, o espectador poderá escolher entre quatro médias-metragens: o brasileiro “Estrangeiros”, de Sônia Machado Lima; o birmanês “Uma Menina em 10x10”, de Mai May Sakarwah e Mary, Yu Par Mo Mo; o isaraelense “Independente”, de Ariela Alush, e o moçambicano “De Corpo e Alma”, de Matthieu Bron. O debate Escola e Vida Independente traz as jornalistas Lucília Machado e Rosângela Berman Bieler. 

Na terça, 13, serão exibidos um longa e dois médias-metragens. O canadense “Somos Todos Daniel”, de Jesse Heffring; o inédito brasileiro “Stimados Autistas”, de Cristiano de Oliveira, e o francês “Soluções Promissoras”, de Romain Carciofo. Autismo e Neurodiversidade serão debatidos pelo diretor Cristiano de Oliveira (Stimados Autistas) e pela docente e pesquisadora Laís Silveira Costa. 

“Sempre tivemos uma demanda muito grande de pessoas e instituição querendo os filmes do Assim Vivemos para exibir nos seus espaços de trabalho. Profissionais de outros estados onde o festival presencial não percorre, solicitavam o acervo, porém por questões de direitos de exibição nunca podíamos atender. Agora, com a versão online do festival, estamos tendo a chance de ampliar esse alcance. O Assim Vivemos Online está sendo preparado com ambiente virtual acessível e recursos de acessibilidade comunicacional para que todos em qualquer lugar do mundo, possam acessar com facilidade" – comenta Graciela Pozzobon, diretora do festival.

Esta edição online só foi possível porque a Cinema Falado Produções, organizadora do festival, foi contemplada no edital Lei Aldir Blanc. Realizado bienalmente desde 2003 – há 18 anos – no segundo semestre de 2021 está prevista a 10ª edição com produções inéditas. O evento será presencial nas cidades do Rio de Janeiro, de Brasília e de São Paulo. As inscrições para os filmes estão abertas até 12 de abril na plataforma FilmFreeway, através do link:  https://filmfreeway.com/assimvivemos.

 
 

5

Abr

Comunicação

Sistema FIERN lança “Ação pela vida” com estrutura de vacinação contra a Covid-19

A campanha de vacinação contra a Covid-19, em Natal, ganha novos espaços e estruturas com a “Ação pela vida” realizada pelo Sistema FIERN. A iniciativa surgiu de parceria firmada com a Prefeitura Municipal do Natal para ampliar os pontos de vacinação e cobertura da imunização na capital. O Sistema Indústria no RN irá montar 25 pontos de vacinação, sendo 15 tendas em sistema drive thru no estacionamento do CTGAS-ER e 10 pontos de vacinação para pedestres, instalados no Ginásio da SESI Clínica, em Lagoa Nova, com capacidade para 4 mil atendimentos diários. O funcionamento é previsto para esta segunda-feira, dia 5.

O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, enfatiza que o momento é de unir esforços e priorizar ações para mitigar os efeitos da pandemia da Covid-19. “O Sistema FIERN vem atuando desde o início da pandemia, em diversas frentes, na construção de soluções que possam auxiliar não apenas a indústria, como toda a sociedade no combate ao coronavírus e aos efeitos da crise sanitária e econômica instalada. A vacinação da população é uma etapa fundamental nessa luta e a FIERN atende esse chamado não apenas disponibilizando o espaço, como também toda estrutura, pessoal e expertise em atendimentos de saúde necessários para ampliar a imunização”, disse.

Procurada pelo Executivo Municipal para colaborar com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal, na campanha de imunização contra a COVID-19, o Sistema FIERN irá disponibilizar toda estrutura e montagem das tendas e pontos de vacinação, além de 90 colaboradores e estagiários, para atuar na organização do fluxo de vacinação, e enfermeiros e médicos do trabalho para a supervisão.

O Município será responsável pela vacina, insumos e 25 profissionais de saúde – enfermeiros e técnicos de enfermagem -, que atuarão na aplicação das doses da vacina.

Referência no atendimento de saúde e segurança do trabalho para a Indústria em todo o estado, o SESI-RN irá atuar na coordenação da vacinação nesses postos. Já o SENAI-RN, por meio de sua infraestrutura, é responsável pela cessão de espaço, pessoal de apoio e protetores faciais; enquanto o IEL-RN faz a intermediação de estagiários para atuação direta na Ação.

“Essa é uma ação de articulação do Sistema FIERN, que abrange o SESI, SENAI, IEL e a Federação, no sentido de ajudar, efetivamente, a Prefeitura do Natal com mais um equipamento na campanha de vacinação no combate ao Covid-19. A equipe técnica de enfermagem é da Prefeitura com a supervisão técnica, de enfermeiro e médico do trabalho do SESI, além de colaboradores e estagiários do SESI trabalhando na logística e organização”, explica o superintendente do SESI-RN, Juliano Martins.

Aberta a toda população, a campanha de imunização seguirá o calendário e faixas etárias indicados pela Secretaria Municipal de Saúde. O atendimento será feito de segunda a sábado, das 8h às 16h. Para ser atendido, é preciso obedecer ao cronograma estabelecido pelo Município e levar a documentação exigida: Identidade, comprovante de residência e cartão de vacinação.

1

Abr

Comunicação

Procura e contratação de desinfeção de ambientes aumenta 100% no RN

Estabelecimentos potiguares enquadrados como serviço essencial e que apresentam um fluxo maior de pessoas no dia a dia, têm intensificado os cuidados para conter o avanço da Covid-19. A principal medida adotada tem sido a desinfecção de ambientes, que cresceu nas últimas semanas.

De acordo com a JMT Service, empresa de terceirização de mão de obra no Rio Grande do Norte, houve um aumento de 100% na procura e contratação do serviço. Empreendimentos do ramo hospitalar e bancário estão entre os que mais demandam. Para otimizar o atendimento, a JMT ainda aumentou o quadro de pessoal.

Antes do último decreto do Governo do Estado, que definiu medidas mais restritivas para o setor de comércio e serviços, academias e escritórios, como os de advocacia, também estavam entre os que mais demandavam pela higienização de ambientes.

“Por desempenhar um papel importante na proteção das pessoas contra infecções, inclusive a do Coronavírus, a sanitização tem demonstrado ser uma das medidas mais eficazes na luta contra a Covid-19, não só aqui no Estado, mas em todo o mundo”, frisa a gerente administrativa da JMT, Jerlani Alves.

30

Mar

Comunicação

Projeto Fomento Mulher dá suporte a produtoras rurais no RN

 Beneficiada pelo crédito Fomento Mulher, Aliete da Silva (55), possui no lote da família uma plantação de 2 hectares de cana de açúcar. A planta é essencial para a economia mundial. Dela são extraídos o caldo que posteriormente vira álcool ou açúcar, e o bagaço que é utilizado pelas usinas para gerar energia elétrica e, em menor escala, biogás.

Para os meses de março e abril está prevista a liberação de R$ 990 mil do Fomento Mulher para aplicação em projetos produtivos. "O valor contribuiu para que a gente pudesse comprar o adubo e assim manter a lavoura em crescimento", disse a agricultora.
 
Para os produtores rurais do Assentamento Meu Rancho no município de Pureza/RN, a cana de açúcar é o mais importante meio de sobrevivência da região. Toda a produção gerada no ano é vendida às indústrias locais.

Adriele da Silva, trabalha na roça diretamente com os pais - Aliete e Severino da Silva - e fala da dificuldade em se manter na zona rural. "Se não fosse as plantações que são feitas com o auxilio do Governo, não conseguiríamos nos manter no campo". Segundo Antônio Fernandes Neto - Chefe do Serviço de Infraestrutura do órgão, esse é o objetivo maior do Crédito Instalação Modalidade Fomento Mulher. 

"O sucesso das mulheres em sua aplicação. Sabemos das dificuldades em empreender, nem todas conseguiram obter êxito em seu empreendimento, mas em sua maioria, foram experiências exitosas como essa. Não podemos deixar de lembrar o difícil trabalho desenvolvido por todos da Superintendência, principalmente da Divisão de Desenvolvimento e, em especial, a incansável equipe de crédito para que resultados como esse sejam possíveis. Parabéns a todos", frisou.

Além da cana de açúcar, os agricultores cultivam milho, feijão e mandioca. Aproximadamente 55 famílias são atendidas pelo Incra no Assentamento Meu Rancho.

Fomento Mulher

O Fomento Mulher é uma das linhas do Crédito do Instalação, voltado exclusivamente para as mulheres do campo, no valor de até R$ 5 mil por família. Foi criado para estimular a produção das assentadas, contribuindo para que incrementem a renda da família, auxiliem na assistência alimentar e adquiram liberdade financeira.

29

Mar

Comunicação

Presidente da FIERN reúne dirigentes de federações para debater crise da pandemia e soluções conjuntas

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Amaro Sales, reuniu-se na noite da última quinta (25) com os presidentes das demais federações e instituições empresariais do Rio Grande do Norte com a finalidade de apresentar dados do Observatório da Covid, estudo que vem sendo conduzido pelo Mais RN – núcleo de inteligência da FIERN – sobre a pandemia e, a partir dos números, discutir soluções para auxiliar a classe produtiva a passar pelo grave momento de crise sanitária e econômica.

Participaram da reunião o presidente da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca, José Vieira Alves; o presidente da Federação , Eudo Laranjeiras; o superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN (Sebrae), Zeca Melo;  o superintendente do sistema Fecomércio, Marcelo Queiroz; o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal, José Lucena e o presidente da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Norte (FACERN), Itamar Maciel; o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RN), Paolo Passariello; o presidente da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas (FCDL), Afrânio Miranda; além do coordenador técnico do Mais RN, José Bezerra Marinho.

A reunião contou com uma apresentação do assessor técnico de Economia e Pesquisa da FIERN, Pedro Albuquerque, que exibiu uma análise dos números da pandemia fornecidos pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; e em paralelo números que mostram como as empresas estão acumulando prejuízos e demissões diante das dificuldades impostas pela crise sanitária.

O fórum dos dirigentes discutiu a elaboração de uma série de sugestões ao Poder Público com caminhos para reduzir os danos causados às empresas com a evolução da pandemia. “Estamos alinhando o pensamento da classe empresarial, para que tenhamos um bloco de discussão único. Como disse o Papa Francisco ainda no início da pandemia, ‘ninguém passará por essa sozinho’. Precisamos estar unidos”, registrou o presidente da FIERN, Amaro Sales.

Para Sales, é preciso se buscar um ponto de equilíbrio que garanta a redução do avanço do vírus, a assistência aos doentes, a vacinação da população e o funcionamento da atividade econômica com distanciamento social controlado. “A pandemia afetou gravemente não somente a questão sanitária, mas a econômica. É preciso se encontrar caminhos para garantir que o sistema produtivo tenha um suporte para a sua sobrevivência”, afirmou.

26

Mar

Comunicação

Em meio à pandemia, controle do estresse e da ansiedade deve ser intensificado

“Papai, respire fundo”. A frase, dita pelo pequeno Anthony, de apenas 12 anos, enquanto o pai dirigia estressado entre um compromisso e outro, mostra uma criança atenta ao que ver, e buscando a melhor solução: respirar para encontrar a calma. O que chama atenção é que Anthony é autista, não costuma falar tanto e só depois que começou a praticar exercícios de respiração com a mãe, Janaína Sá, viu como eles eram importantes – para ele, e para todos. “Agora, ele sabe como não perder o controle e até me ensina quando eu estou ficando estressado”, brinca o pai, Domingos Sávio.

Os exercícios de respiração e atenção plena começaram a fazer parte do cotidiano de Anthony, após a mãe, que é empresária e criadora do Método 3R, buscar conhecimentos teóricos com estudos de publicações sobre a atenção plena, nas universidades de Massachusetts e de Oxford, nos EUA, onde é certificada como Master Avatar pela Star’s Edge International. Lá, ela viu o que eles poderiam mudar a vida da sua família e, assim, passou a praticar.

“Foi muito interessante ver o Anthony, uma criança autista, com dificuldade de concentração e foco, parar, desacelerar, respirar. Desde que começamos a trazer o programa para a nossa rotina, tivemos resultados incríveis. Meu filho agora sabe como manter a calma mesmo quando a situação é de caos e isso faz com que ele consiga se desenvolver melhor nos estudos e nas relações com outras pessoas”, conta Janaína, que decidiu transformar o seu conhecimento num curso, com o objetivo de ajudar outras famílias.

Afinal, a evolução de Anthony foi percebida por todos. “Antigamente, a gente não conseguia fazer uma brincadeira em família porque Anthony não ficava quieto. Agora, temos uma rotina familiar onde jogamos e ele consegue aguardar a sua vez”, relata a irmã mais velha e universitária Laís Sá.

O curso Método 3R é fundamentado em: respiração, relaxamento e reposta. De maneira prática busca trazer esses pontos para o dia a dia da família. O curso, dividido em oito módulos, será aberto para a venda no dia 02 de abril, o Dia do Autismo, mas para ajudar outras famílias, Janaína decidiu criar o mini-curso “Controlando estresse e ansiedade para crianças com atraso no desenvolvimento”, que será ministrado, de forma gratuita e pelo Instagram @paisefilhosespeciais, nos dias 30 e 31 de março, além do dia 1º de abril, sempre às 21h.

“Durante esses três dias abordarei os temas: Substituindo reações automáticas por respostas conscientes, Trazendo foco e concentração para o dia e calma para a hora de dormir e técnicas avançadas para momentos desafiadores. Será uma prévia do que será apresentado no curso, mas pretendo que esse conteúdo chegue a um número maior de pessoas, ajudando famílias como a minha foi ajudada”, conta Janaína.  


Aberto para a venda no dia 02 de abril, o curso será dividido em oito módulos: saindo do piloto automático, apreciação do aqui e agora, apreciação do movimento, apreciação dos sons, superando desafios, apreciando emoções, gratidão e integração. O programa contará com momentos on-line gravados, que ficarão com acesso disponível por um ano, e encontros ao vivo, no formato de mentorias. Nestes momentos, os participantes poderão interagir, por meio de dinâmicas, e tirar dúvidas das aulas já assistidas. Por isso, é indicado que o conteúdo gravado seja iniciado antes das práticas ao vivo. Vale lembrar que as aulas são dinâmicas e rápidas.

24

Mar

Comunicação

Busca do Google passa a destacar informações de qualidade sobre vacina contra Covid-19

A partir de agora, quando as pessoas procurarem por informações sobre a vacina contra a Covid-19 na Busca do Google, elas têm acesso rápido a uma experiência que prioriza e organiza conteúdos e notícias relevantes sobre o assunto, oriundo de autoridades públicas, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Panamericana de Saúde (PAHO), além de órgãos locais oficiais.

Ao pesquisar por “vacina covid” ou “vacina contra a Covid-19”, por exemplo, são exibidos carrosséis de notícias de fonte jornalísticas sobre o tema, bem como painéis com informações oficiais de número de doses aplicadas no Brasil, percentual da população vacinada, assim como o avanço histórico da população imunizada, entre outras estatísticas.

Essa nova experiência na Busca contempla ainda painéis informativos sobre as vacinas de fabricantes que já foram autorizadas pelos órgãos públicos, com informações da OMS. Há também links diretos para páginas de fontes oficiais locais com mais detalhes geolocalizados sobre cadastro e locais de vacinação do estado ou cidade de onde foi feita a pesquisa.

Desde o início da pandemia, as pessoas consultam o Google em busca de informações sobre sintomas e dicas de prevenção – em 2020, “coronavírus” foi o tema mais buscado pelos brasileiros. Diante do novo cenário, a experiência na Busca foi sendo ampliada em um esforço constante e alinhado com a missão do Google de organizar as informações do mundo e torná-las universalmente acessíveis e úteis para todos.

Para trazer informações relevantes e de forma rápida, a Busca lançou em março do ano passado uma experiência com um painel de Alerta SOS com links e orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde sobre sintomas, formas de contágio, tratamento e prevenção da doença. Esses painéis permitem acesso direto às notícias principais e vídeos sobre a Covid-19 e visualização de um mapa com as áreas mais afetadas.

Google Trends: as buscas por vacinas

As consultas por vacina na Busca do Google estão em nível recorde no Brasil. Essa tendência de alta vem crescendo desde novembro de 2020 no país. Só em março deste ano, o interesse pelo assunto cresceu 47% em comparação a fevereiro. Porém, no acumulado dos 12 meses da pandemia, entre março de 2020 e março de 2021, as pesquisas por vacina mais que dobraram, uma alta de 127%.

Os dados são do Google Trends, que lançou em janeiro deste ano uma central de insights sobre a vacina contra a COVID- 19 para acompanhar as tendências de busca sobre o tema. A página contém as principais dúvidas dos brasileiros sobre o imunizante no país, os planos de vacinação e os fabricantes mais buscados. Além da central de dados para a vacina da COVID-19, há também uma seção especial dedicada ao coronavírus .

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/141034/busca-do-google-passa-a-destacar-informacoes-de-qualidade-sobre-vacina-contra-covid-19/

23

Mar

Comunicação

RN teve 43 projetos de pesquisas selecionados no programa Catalisa

O Rio Grande do Norte teve 43 projetos de pesquisas acadêmicas aprovados na seleção do programa Catalisa ICT, uma iniciativa do Sebrae que visa estimular o ingresso de pesquisadores acadêmicos de todo o país no mundo do empreendedorismo. Foram selecionadas mil pesquisas de todos os estados do Brasil que têm potencial inovador e que podem se transformar em um negócio.

De todos os projetos inscritos no estado, 63% receberam aval para a capacitação. Em etapas seguintes, os projetos poderão concorrer a um aporte financeiro de R$ 150 mil para tornar a ideia de negócio em um empreendimento competitivo a ser lançado no mercado. A relação dos projetos selecionados foi divulgada pelo Sebrae. Confira aqui os 43 selecionados. 

No Rio Grande do Norte, que ocupou a oitava posição no ranking nacional em números de projetos aprovados, o programa foi apresentado no final de novembro de 2020 para pesquisadores do estado. O Programa Catalisa ICT oferece capacitação em gestão, mentorias, fomento a projetos e acesso ao universo empresarial. A próxima fase é a de capacitação, estruturação, desenvolvimento e teste, inovação e, por fim, de escala.

“Essa primeira etapa do edital Catalisa ICT mostra de maneira muito clara o potencial de negócios das pesquisas executadas no RN. Essa fase de capacitação vai permitir com que esses pesquisadores tenham um olhar cada vez mais apurado para o mercado, tendo mais chance de transformar seus suas pesquisas em grandes negócios. Sem falar na possibilidade de serem premiados com o valor de R$ 150 mil cada pesquisador, fazendo com que tenham recursos para acelerar seus projetos”, destaca o gerente da Unidade de Negócios, Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, David Góis.

Esses acadêmicos passarão por capacitação na área de educação empreendedora, em que os pesquisadores serão apresentados a conceitos como atitude empreendedora, gestão inovadora, modelo de negócios, prospecção tecnológica, além de conhecerem desafios de empresas e da sociedade. Por meio de editais, que ainda serão abertos, haverá o fomento a planos de inovação apresentados pelos pesquisadores selecionados.

Fases do Catalisa

A terceira fase consiste em aplicar os conhecimentos e propor projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). Serão abertos editais com aportes de recursos para criação de empresas. Na quarta e última fase, os resultados das empresas criadas serão impulsionados com ações de aproximação com investidores, para captação de capital empreendedor.

Segundo a analista técnica da Unidade de Negócios, Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, Jéssica Sena, está prevista uma programação aberta ao público como aula inaugural a ser realizada na próxima quinta-feira (25). Para participar, basta acessar o site do programa www.sebrae.com.br/catalisaict  e clicar no link da aula inaugural.

O Sebrae vai abrir um outro edital como parte do cronograma do Catalisa ICT, em que serão selecionados até e setenta planos de inovação e que receberão subsídio. De acordo com a analista, também podem participar desse novo edital projetos que não foram selecionados nesse primeiro edital, já que é uma fase que não exclui projetos não selecionados anteriormente, o que também deverá ocorrer nos editais subsequentes do programa.

20

Mar

Comunicação

Cinco perguntas e respostas sobre os chatbots

Com frequência as pessoas são atendidas por robôs nos canais de relacionamento das marcas, para tirar dúvidas ou até solucionar problemas. Apesar dos chatbots serem desenvolvidos para facilitar o atendimento ao cliente, além de atingir positivamente a gestão das empresas, ainda surgem algumas dúvidas relacionadas às funções desses bots.

Para ajudar a solucionar essas questões, Rafael Souza, que é CEO da Ubots, startup gaúcha com foco em desenvolver soluções de atendimento digital, responde cinco perguntas que podem ajudar a compreender a atuação dos chatbots nas empresas. Confira!

1)    Por que conversar com um robô durante o atendimento facilita a gestão da empresa?

R: Podemos levar em consideração o objetivo para o qual o chatbot foi desenvolvido, entre suas atividades ele pode filtrar as demandas que chegam dos clientes e separá-las por assunto, criticidade e até direcioná-las para os times corretos, caso o bot não consiga solucioná-las.

Além disso, o bot pode ser configurado para resolver problemas recorrentes dos consumidores, deixando apenas as solicitações mais complexas para o time de operadores, que são humanos. Vale ressaltar que todos os dados das interações podem ser gerenciados, o que contribui para que a empresa entenda quais são as principais demandas dos clientes e possa preparar a equipe para resolvê-las com maior agilidade.

2)    Como os clientes podem se sentir confiáveis na hora de enviar seus dados na conversa com o chatbot?

R: Os dados que serão processados e armazenados dependem da operação de cada empresa, porém é fundamental informar a finalidade do uso desses dados e pedir o consentimento do usuário. O chatbot pode fazer isso durante a conversa, desta forma, o cliente pode ficar tranquilo que, por se tratar de uma máquina pré-programada, o bot não irá desviar as informações fornecidas.

Aqui na Ubots, por exemplo, temos regras expressas com os clientes a respeito do uso responsável dos dados pessoais e que vinculam as partes, mas o gerenciamento desses fica apenas com cada empresa.

3)    Quanto tempo é necessário para desenhar um chatbot?

R: Não há um tempo pré-determinado, o primeiro passo é definir o escopo do projeto, para isso é importante saber o objetivo do bot, quais problemas ele vai solucionar para a empresa, quem serão as personas que vão interagir com o bot, as funcionalidades que serão incluídas, como vai ser essa jornada de interação e em quais canais ele vai atuar.

4)    Quais são os maiores medos dos clientes ao conversar com o bot?

R:Há dois principais medos, abaixo, explico cada um deles:

O atendimento não ser resolutivo: as pessoas ainda acreditam que o robô só consegue responder dúvidas simples, e que não são capazes de resolver tarefas mais complexas.

Medo da interação ser fria: alguns consumidores temem que um chatbot não possa fazer uma interação mais humanizada.

5)    Como podemos explicar o processo de aprendizagem do chatbot durante a conversa com o cliente?

R:Do ponto de vista da inteligência artificial o chatbot pode ser desenvolvido a partir do processamento de linguagem natural, ou PLN. Desta maneira, o fluxo conversacional vai ser mais próximo da linguagem humana.

Outra possibilidade é partir do trabalho de curadoria, no qual são percebidas melhorias na conversação do chatbot. Por exemplo: X vezes o bot não conseguiu responder à pergunta Y. Por consequência é possível aplicar estas melhorias, para que o chatbot seja o mais resolutivo possível.

18

Mar

Comunicação

Câmara brasileira de diagnóstico indica testes para verificar resposta vacinal contra a COVID

A Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), que trabalha em conjunto com diversas entidades atuantes no setor de diagnósticos no Brasil e exterior e é aliada da ANVISA na discussão e consolidação das normas e regulamentos do setor de diagnósticos no país, ressalta que há testes disponíveis no mercado para a verificação de resposta vacinal após o recebimento de vacinas contra a COVID-19.

Os testes IGG anti-S e a pesquisa dos anticorpos neutralizantes estão entre os indicados como opções viáveis, baseados na resposta antígeno anticorpo das vacinas. O laboratório DNA Center disponibiliza os exames em toda sua rede, não sendo necessário agendamento prévio. O laboratório dispõe, inclusive, de área exclusiva para coleta infantil.

Os exames podem ser colhidos em qualquer unidade do DNA Center, na Grande Natal e no interior do estado, de segunda a sexta-feira; na unidade matriz, na Av. Afonso Pena, 952, e no drive-thru (no estacionamento do Banco do Brasil da Afonso Pena), aos sábados das 6h às 12h e aos domingos e feriados das 6h30 às 12h.

17

Mar

Comunicação

TV Ponta Negra e Marilux realizam caravana da gratidão

Como forma de homenagear e agradecer aos telespectadores por 34 anos de parceria e sucesso, a TV Ponta Negra e empresa de produtos de limpeza Marilux, estão doando 1,7 toneladas de produtos para instituições da Grande Natal. 

A caravana da gratidão, da TV Ponta Negra com a Marilux, está beneficiando as seguintes instituições: Missão Braços Abertos; Espaço Solidário;, Nosso Lar; Lar da Vovozinha; Juvino Barreto; Lae-Lar do Ancião Evangélico; Ciad; Casa de Idosos Jesus Misericordioso; Abrigo Deus é Caridade; Casa do Menor Trabalhador; Casa das Marias e APAARN - Associação dos Pais e Amogos dos Artistas do RN. 

E cada uma delas esta recebendo uma média de 170 quilos de produtos como: limpador perfumado, detergente e sabão em pó.

"A TV Ponta Negra tem em seu DNA a realização de ações sociais. E num momento tão delicado, como o que vivemos hoje por conta dessa pandemia, nada melhor que fazer aniversário, fazendo o bem ao próximo” diz A conselheira do Sistema Ponta Negra de Comunicação, Rosy de Sousa. 

A Marilux abraçou a ideia e se juntou nessa corrente de solidariedade. Nas palavras do diretor comercial da Marilux, Deyvson Nery,  “Toda empresa tem uma responsabilidade social. O momento que nós vivemos é um momento muito atípico, um momento de muito sofrimento. E essa é a parte que nos cabe, de acolher quem mais precisa e terceirizar para entidades que trabalham diretamente com as pessoas mais necessitadas, essa distribuição de uma parte daquilo que a gente produz”.

15

Mar

Comunicação

Racismo e injúria racial: advogado potiguar explica como fazer a denúncia em ambos os casos

Embora ambos representem ofensas quanto "à raça, cor, etnia, religião ou origem", os conceitos jurídicos são diferentes paras os crimes de racismo e injúria racial. De acordo com o advogado potiguar Igor Hentz, a injúria racial está prevista no art. 140 do Código Penal e o racismo, mais grave, é tipificado na lei 7.716, de 1989, que "define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor". Segundo a legislação, enquanto a injúria racial é a ofensa à honra de uma pessoa usando como base raça e cor, o racismo é o crime resultante de preconceito a um grupo de indivíduos.

“Para facilitar a compreensão: injúria racial seria chamar uma pessoa negra de ‘macaco’. Já racismo seria proibir a entrada pessoas de uma cor específica em um bar, por exemplo”, explica Dr. Igor. Embora as formas de se denunciar sejam parecidas, o agente que conduz a denúncia muda de acordo com o crime.

A injúria racial entra no escopo dos crimes de ação penal pública condicionada à representação do ofendido, ou seja, a abertura de um inquérito e a ação judicial só são possíveis se a vítima denunciar. O crime pode ser denunciado nas delegacias especializadas em crimes raciais ou nas delegacias comuns. “Com o boletim de ocorrência em mãos, o ofendido pode procurar um advogado e mover um processo contra o agressor”, explica Hentz.

Como é considerado um crime contra um grupo de pessoas, o racismo trata-se de ação penal pública incondicionada, ou seja, independente da vontade das vítimas, a iniciativa do processo cabe, exclusivamente, ao Ministério Público, que tem o papel de proteger os direitos difusos e coletivos. Para que o MP prossiga com a ação, basta que tome conhecimento do crime. Essa informação pode chegar ao órgão por boletim de ocorrência ou pelo Disque 100, serviço do governo federal para denúncias de violação dos Direitos Humanos. O contato pode ser anônimo.

No caso específico de ofensas raciais nas redes sociais ou em meios de comunicação, a denúncia também pode ser feita via internet, no portal da Safenet, com o anexo do link. O site gera um protocolo que o pode ser usado pelo usuário para acompanhar o processo.

Segundo o art. XLII da Constituição Federal, trata-se de um crime "inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão". Pela lei 7.716, a pena pode chegar a 5 anos, com agravante de 1/3 caso o racismo seja praticado contra menores de 18 anos. Já a Injúria racial o crime é prescritível no prazo de oito anos e tem pena prevista de reclusão de um a três anos, além de multa. Diferente do racismo, o crime de injúria racial é afiançável.

A Hentz Advocacia é uma banca jurídica de atendimento especializado a clientes de todo Brasil, por meio da oferta de soluções jurídicas eficientes. O escritório está localizado na R. Dr. Lauro Pinto, 174, Candelária, Natal – RN. O telefone para contato é o Whatsapp (84) 98130-3131 e o site https://www.hentzadvocacia.com/.

10

Mar

Comunicação

Doação de IRPF pode ajudar crianças e adolescentes com câncer

A prestação de contas com o “Leão” começou, mas você pode transformá-la em uma atitude de solidariedade, ajudando centenas de crianças e adolescentes, como os pacientes acolhidos pela Casa Durval Paiva, em tratamento contra o câncer e doenças hematológicas crônicas. Para isso, ao fazer a sua declaração anual de rendimentos à Receita Federal, basta destinar até 3% do seu imposto apurado ao Fundo da Infância e Adolescência – FIA, até o dia 30/04.

A dedução de doações ao Fundo da Criança e do Adolescente no Imposto de Renda está prevista no Art. 260 do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA e em legislação tributária específica, que regulamenta a contribuição de pessoas físicas e jurídicas.

Graças a essa destinação, a Casa Durval Paiva conseguiu colocar dois projetos em prática, financiados por meio do FIA: “Projeto Viver Feliz”, desenvolvido pelo setor de pedagogia da Casa Durval Paiva, que garante a continuidade do processo de escolarização, e o “Pontes para o futuro”, desenvolvido pelo setor de serviço social, que promove a capacitação profissional de jovens e seus pais acompanhantes, para geração de emprego e renda.

Para doar, basta seguir o passo a passo:

1 - Apurar o imposto de renda no formulário completo. Ao final da declaração, clicar em Resumo da Declaração (Doações diretamente na declaração - ECA).

2- Escolher o nível de doação pretendido, selecionando o Estado: Rio Grande do Norte e o município de localização: Natal. Informar o valor a ser doado e confirmar.

3 - Ao final, o programa emitirá um DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) - sob o código 3351. O próprio programa da Receita Federal informa, automaticamente, o valor que pode ser doado com a dedução.

4 - Após imprimir o DARF, o contribuinte poderá pagar o documento até o último dia de entrega da declaração.

5 – Encaminhar o comprovante do pagamento do DARF para o email marketing@casadurvalpaiva.org.br