Comunicação

15

Jan

Comunicação

Transporte e trânsito em Natal terão reforço para o ENEM

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), vai reforçar o sistema de transporte público neste domingo (17/01) e no próximo (21/01), quando ocorrem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Agentes de mobilidade urbana estarão nos principais corredores para dar suporte a possíveis ocorrências.
 
Segundo a STTU, as linhas N-07 (Alvorada IV/Cidade Jardim) e N-29 (Nova Natal/Nova Descoberta, via Campus) terão seus itinerários estendidos até o Praia Shopping, de modo a dar acesso as instituições de ensino localizadas ao longo da Av. Engenheiro Roberto Freire. 

A linha L-51 (Rocas/Pirangi, via Praça) circulará a partir das 8h30 nos domingos do ENEM, de modo a atender a demanda oriunda do bairro de Neópolis. Pelo bairro ainda circularam as linhas S-50 (Serrambi/Santa Catarina) e O-83 (Felipe Camarão/Ponta Negra, via Cidade Satélite). 

Já as linhas N-60 (Pajuçara/Mirassol) e N-77 (Parque dos Coqueiros/Mirassol) vão circular pelo Campus Universitário para permitir o acesso dos estudantes as salas que serão locais de prova na UFRN a partir das 9h. A linha 588 (Circular UFRN) também irá circular, com três veículos. Cabe ressaltar que, além dessas linhas, circularão pelo Campus as linhas N-29, O-63 (Felipe Camarão/Campus), 304 (Parque dos Coqueiros/Mirassol) e 503 (Planalto/Nova Descoberta). 

A linha N-75 (Parque das Dunas/Alecrim, via Petrópolis) também irá circular neste domingo, de modo a atender a demanda do Parque das Dunas com destino as escolas localizadas na Ribeira, Cidade Alta, Alecrim e Petrópolis. 

Além das linhas citadas, também terão reforço na frota as linhas N-08 (Redinha/Mirassol, via Rodoviária), N-15 (Pajuçara/Petrópolis), O-21 (Felipe Camarão/Areia Preta), O-22 (Felipe Camarão/Rocas, via Bom Pastor), O-30 (Felipe Camarão/Mirassol, via Candelária), N-35 (Soledade/Candelária), L-37 (Rocas/Cidade Satélite, via Praça), O-39 (Cidade Nova/Tirol), S-46 (Ponta Negra/Ribeira, via Praça), L-54 (Rocas/Ponta Negra, via Alecrim), N-70 (Parque dos Coqueiros/Ribeira) e N-84 (Soledade/Petrópolis). 

A STTU orienta que os estudantes não deixem para sair de casa em cima da hora da realização da prova, de modo a evitar aglomeração no sistema de transporte público, além de possíveis incidentes que gerem atrasos no deslocamento. Em caso de dúvidas os passageiros podem ligar para STTU, no telefone 156. 

Trânsito

De acordo com a STTU, agentes de mobilidade urbana estarão nos principais corredores – como Av. Hermes da Fonseca/Sen. Salgado Filho, Av. Bernardo Vieira e Av. Prudente de Morais – e no entorno do Campus Universitário, além de dar suporte em outros locais em caso de necessidade. 

Ao todo, serão 29 agentes de mobilidade urbana e 16 viaturas trabalhando na operação ENEM. Em caso de ocorrências no dia da prova, o cidadão pode ligar para o 156. 

Informações em tempo real

A Web Rádio 156Natal vai realizar uma cobertura especial do trânsito nos dois domingos de realização do ENEM. Das 09h30 às 13h00 você vai acompanhar boletins de tráfego especiais com as condições do trânsito nas principais vias e nos acessos aos principais locais de prova. Acompanhe pelo APP rádio na Google Play (http://bit.ly/2nK3Vn9) ou ouça no RadiosNET (http://l.radios.com.br/r/64793) ou TuneIn Radio (http://tun.in/sfAui). 

No Twitter, o @156Natal também vai monitorar em tempo real as condições de trânsito, informando locais de congestionamento e incidentes. Acompanhe em www.twitter.com/156Natal.

15

Jan

Comunicação

Pesquisadores podem se inscrever no programa Catalisa ICT do Sebrae até o dia 24

O Sebrae está com as inscrições abertas até dia 24 deste mês para o programa Catalisa ICT, uma iniciativa que visa estimular o ingresso de pesquisadores acadêmicos no mundo do empreendedorismo. Os interessados devem acessar o site www.sebrae.com.br/catalisaict/ para se inscrever gratuitamente. Em todo o país, serão selecionadas mil pesquisas que têm potencial inovador e que podem se transformar em um negócio.

Segundo a analista técnica da Unidade de Negócios, Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, Jéssica Sena, a ideia é estimular mestres, mestrandos, doutores e doutorandos a participarem da seleção, que vai oferecer para pesquisadores brasileiros uma jornada de aceleração inicialmente e, na etapa seguinte, subsídios para implementar 270 planos de inovação em empresas.

No Rio Grande do Norte, o programa foi apresentado no final de novembro de 2020 para todo o ecossistema de inovação potiguar, mostrando os benefícios da iniciativa para pesquisadores do estado, uma vez que o Catalisa ICT oferece capacitação em gestão, mentorias, fomento a projetos e acesso ao universo empresarial.

Podem se inscrever no programa pesquisadores das mais diversas áreas de atuação. O único requisito é que o participante apresente alguma proposta inovadora. A expectativa é que a partir do Catalisa ICT possam surgir projetos de solução para as áreas da saúde, alimentação, agronegócio, tecnologia da informação, comunicação, entre outras.

A jornada de aceleração dos pesquisadores para o empreendedorismo terá quatro etapas: mobilização, capacitação estruturação, desenvolvimento e teste, inovação e escala. A primeira fase conta com a realização de workshops à distância envolvendo os ecossistemas estaduais de inovação, assim como a publicação do primeiro edital nacional e a seleção das pesquisas com potencial de inovação.

A segunda fase é voltada para educação empreendedora, na qual os pesquisadores serão apresentados a conceitos como atitude empreendedora, gestão inovadora, modelo de negócios, prospecção tecnológica, além de conhecerem desafios de empresas e da sociedade. Nessa etapa, por meio de editais, haverá o fomento a planos de inovação apresentados pelos pesquisadores selecionados.

A terceira fase consiste em aplicar os conhecimentos e propor projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). Serão abertos editais com aportes de recursos para criação de empresas. Na quarta e última fase, os resultados das empresas criadas serão impulsionados com ações de aproximação com investidores, para captação de capital empreendedor. O Catalisa pretende entregar ao País mais de 1.000 pesquisas com potencial inovador, 270 planos de inovação, 135 projetos de PD&I e 130 pesquisadores atuando diretamente em micro e pequenos negócios.

14

Jan

Comunicação

Laboratório da UFRN assina acordo de cooperação científica na área de Neuromarketing

O Laboratório de Neuromarketing do Seridó/UFRN e o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) do Instituto Santos Dumont (ISD) assinam nesta sexta-feira, 14 de janeiro, Acordo de Cooperação de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Com duração de dois anos o Acordo  permitirá permutas de informações científicas, tecnológicas e bibliográficas, além de participação recíproca em estudos, pesquisas e investigações científicas. 

O Laboratório de Neuromarketing do Seridó, que tem como missão promover a ciência e, otimizar o desenvolvimento de estratégias de marketing, mediante pesquisas à luz dos achados da Neurociência do Consumidor, fará uso não só dos espaços físicos, como também de todo aparato tecnológico disponível pelo Instituto parceiro.

O acordo será assinado pelo professor Dr. Marcelo Henrique Neves Pereira, do Departamento de Administração da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (FELCS), unidade da UFRN sediada em Currais Novos, e pelo professor Edgar Morya, coordenador de pesquisas do Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) do Instituto Santos Dumont (ISD), com sede em Macaíba-RN.

 Além do professor Marcelo Henrique participarão do ato os professores  Matheus William e Thairone Oliveira, do Curso de Administração da FELCS.  Na oportunidade a equipe de pesquisadores da FELCS realizará  visita técnica para conhecimento das instalações e equipamentos do Instituto Santos Dumont.

Sobre o Laboratório

Fundado em agosto de 2020, o Laboratório de Neuromarketing do Seridó, que conta com uma equipe de 8 pesquisadores, tem como missão ser referência regional em pesquisas de Neuromarketing que fomentem a criação de estratégias empresariais precisas. 

O Neoromarketing é um ramo da ciência que atua nas áreas de Marketing e Neurociência do Consumidor, na busca de compreender o que influencia as decisões do consumidor no ato da compra, na escolha da marca e até mesmo na fidelização. Atualmente, a base de pesquisa está concentrando esforços em um experimento que visa discutir os efeitos dos merchandisings integrados às narrativas de eventos comerciais sobre o recall publicitário.

13

Jan

Comunicação

Google cria fundo para ajudar no combate às fake news sobre vacinas

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, fake news e boatos são compartilhados nas redes sociais. Agora, com o início das primeiras campanhas de vacinação contra a COVID-19, a onda de desinformação cresce e, potencialmente, coloca em risco o combate à pandemia. Em resposta a este problema, o Google anunciou nesta terça-feira (12) a criação de um novo fundo para apoiar a produção de conteúdo jornalístico checado sobre vacinas.

Para alavancar a checagem e a verificação de fatos, a Google News Initiative desenvolveu o Fundo Aberto Contra a Desinformação de Vacinas COVID-19 e depositou US$ 3 milhões (cerca de 15,9 milhões de reais) para a inciativa. A expectativa é ajudar no combate à desinformação sobre as imunizações contra o coronavírus.

Atualmente, o fundo contra a desinformação está em fase de seleção de projetos e recebe inscrições de iniciativas que ampliem o público de consumidores de fatos checados. Vale lembrar que iniciativas de checagem são importantes aliadas contra a pandemia e, entre elas, o projeto Coronavirus Facts Alliance já checou cerca de 10 mil fatos sobre a COVID-19, em colaboração com 99 organizações presentes em 77 países.

Foco do fundo sobre desinformação

Segundo o Google, o novo fundo é aberto para organizações de todos os tamanhos e, para a inscrição de um projeto, o jornalista deve seguir alguns dos seguintes requisitos: produzir conteúdo original e focar na produção de notícias relevantes; ter um histórico comprovado no combate à desinformação e o reconhecimento de terceiros sobre o assunto; ou colaborar com organizações já reconhecidas na checagem de fatos.

A seleção dos projetos será feita por uma equipe composta de especialistas em desinformação e imunização de todo o mundo. No comitê, estará a brasileira Angela Pimenta, Diretora de Operações do Projor, e ainda Andy Pattison, gerente de soluções digitais da Organização Mundial da Saúde (OMS). No total, o júri que escolherá os beneficiados pelo fundo é formado por 14 membros.

Esta iniciativa se soma ao fundo de US$ 6,5 milhões (estimado em cerca de 34,5 milhões de reais) de apoio a outras iniciativas de combate à desinformação sobre COVID-19, não focado apenas nas vacinas. Além disso, a Google News Initiative lançou o Fundo de Auxílio Emergencial ao Jornalismo, no ano passado, que impactou mais de 5,6 mil pequenas e médias organizações de jornalismo no mundo. No Brasil, foram mais de 380.

"Seguiremos expandindo o número de países com painéis de informações sobre vacinas autorizadas na Busca do Google e exibindo fatos checados em todas as plataformas do Google por meio do ClaimReview", completa o Google, em nota, sobre o desafio de combater a desinformação e suas iniciativas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/saude/covid-19-google-cria-fundo-para-ajudar-no-combate-as-fake-news-sobre-vacinas-177306/

11

Jan

Comunicação

Sebrae apresenta Ideias de Negócios para interessados em empreender

No ano passado, pessoas do mundo inteiro tiveram que adiar sonhos por causa da pandemia da Covid-19. Não foi fácil cancelar aquela viagem tão esperada, reunir os amigos virtualmente para comemorar o aniversário e até mesmo, adiar o sonho de empreender, abrindo o próprio negócio diante de tanta incerteza. Mesmo com a pandemia, a expectativa é que muitas novas micro e pequenas empresas possam surgir neste ano de 2021, tendo em vista que o empreendedorismo é uma das alternativas encontradas como fonte de trabalho e renda em momentos de crise.

Para apoiar os potenciais empresários, o Sebrae disponibiliza mais de 400 ideias de negócios, com conteúdo voltado para quem planeja abrir uma microempresa ou empresa de pequeno porte ou tornar-se um Microempreendedor Individual (MEI), neste ano.  Em 2020, o canal “Ideias de Negócios”, do Portal Sebrae, continuou sendo uma das sessões mais visitadas por interessados em empreender em atividades que apresentam viabilidade no mercado competitivo e que possam garantir um retorno financeiro satisfatório.

O Sebrae identificou os 26 negócios mais pesquisados na página. Entre eles destacam-se: distribuidora de bebidas, pet shop, escritório de consultoria, frete e transporte de pequenas cargas, loja de produtos naturais, centro de estética, loja de cosméticos e perfumaria, hamburgueria, produção de alimentos congelados, padaria e fornecedor de refeições em marmita.  Nesses conteúdos especiais, o futuro empreendedor facilmente pode encontrar diversas informações organizadas por tópicos como: visão geral do mercado, estrutura necessária, dicas, investimentos e custos, equipamentos, pessoal, exigências legais e específicas, localização, entre outras.

Na contramão da crise instalada com a pandemia no ano passado, o jovem empreendedor Marcell Cunha pesquisou e estruturou um negócio num momento em que muitos empresários fechavam as portas. Marcell abriu na capital o Hambúrguer de Ponta, uma operação que funciona sob o sistema de entregas e tem como atrativo a cultura potiguar e as memórias afetivas do natalense. O cardápio reúne uma variedade de hambúrgueres gourmet que tem nomes, como ‘Blend de Ponta’ e ‘Escalada do Careca’, remetendo à famosa Praia de Ponta Negra e seu famoso atrativo turístico, o Morro do Careca.

O analista técnico do Sebrae no Rio Grande do Norte, Paulo Ricardo Bezerra, ressalta a importância do empreendedor desenvolver um produto ou serviço que atenda a necessidade do cliente. “É importante ser algo novo, que atenda um nicho de mercado e tenha potencial de gerar lucro. E, ressalto, que diante de uma ideia de negócios, é importante que ela seja validada por meio de uma pesquisa de mercado junto ao público-alvo do negócio, conversa com especialistas do segmento em que pretende atuar e experimentação do produto ou serviço”, recomenda.

Especialista em pesquisa de mercado e Doutor em Engenharia de Produção, o estatístico Paulo Ricardo adverte que a não validação da ideia poderá gerar problemas, como o desperdício de recursos financeiros em um negócio que pode se mostrar inviável no futuro. “O empreendedor poderá demorar para descobrir que a sua ideia não tem mercado e ainda sofrer uma frustração, que é o pior efeito da falta de validação. Ou seja, o empreendedor fica sem saber se o produto ou serviço é viável ou não”, complementa.

11

Jan

Comunicação

O que será tendência no marketing de influência para 2021

Cada vez mais as marcas estão entendendo o potencial de se trabalhar com influenciadores, fazendo com que o chamado marketing de influência represente uma grande parte das estratégias das companhias. Observando esse movimento, um relatório da FleishmanHillard projeta que os orçamentos em marketing de influência aumentarão em 2021, isso porque o público está mais cauteloso em quem confiar (marcas, imprensa, figuras públicas) e com esse cenário, os produtores de conteúdos são mais confiáveis e ganham relevância. Para entender um pouco melhor como será este mercado em 2021, o estudo da FleishmanHillard levantou algumas tendências globais.

Notícias

Um dos insights do relatório diz respeito às notícias, que, cada vez mais, estão integradas, tanto em relação às plataformas, quanto em relação aos emissores. Isso acontece porque, hoje, o que constitui “notícia” é, na verdade, uma mistura de jornalismo, informação, opinião e conteúdo. Com isso, a “notícia” não vem apenas de jornalistas, mas de outros tipos de influenciadores.

De acordo com o levantamento, as marcas precisam continuar ouvindo, não apenas aqueles que sabem ser influentes em sua categoria ou setor, mas também usam a descoberta para identificar aqueles que podem ser especialistas insólitos, que estão compartilhando conteúdo que seus seguidores estão interpretando como notícias ou conteúdo relevante sobre um determinado assunto ou tema. Apesar disso, a pesquisa alerta que por serem tão confiáveis, os influenciadores podem, às vezes, ajudar a alimentar a disseminação de imprecisões, causando desinformações.

Conteúdo patrocinado

Um estudo da Harvard Business Review descobriu que, desde 2017, a lacuna entre as atitudes favoráveis e não favoráveis em relação ao conteúdo patrocinado foi fechada. Com isso, o report da FleishmanHillard ressalta que conteúdo patrocinado não espanta seguidores e nem diminui o engajamento. Dessa forma, em 2021 o público continuará se engajando e confiando no conteúdo patrocinado tanto quanto orgânico e as marcas poderão ficar menos nervosas em relação a isso.

Os tipos de postagem estão em evolução

Com mais tempo em casa por conta da pandemia da Covid-19, os criadores de conteúdo ajustaram suas postagens para categorias de interesse do público durante esse período, como condicionamento físico, alimentação, hobbies ou conselhos. Este foco direcionado os ajudou a entender – e a aprender – outros ângulos em que seu conteúdo pode ser explorado e amplificado. A pandemia também acelerou a tendência em direção a conteúdos menos roteirizados, encenados e filtrados. Há uma expectativa dos seguidores para que os influenciadores criem a sua própria autenticidade.

Fluxos de receita alternativos

Por conta da pandemia, muitos contratos com influenciadores sofreram. Em decorrência disso, muitos desses profissionais mudaram seu foco para fluxos de receita alternativos e fontes de receita diversificadas. De acordo com o levantamento, mais influenciadores estão colocando conteúdo atrás de monetização como o Patreon, web site norte-americano de financiamento coletivo. Muitas marcas passaram a se interessar por programas de afiliados e links que dão comissão aos criadores de conteúdo. Isso significa que os influenciadores dependem menos dos negócios da marca e podem manter negociações difíceis.

Criatividade

Desde a pandemia, os influenciadores tornaram-se mais criativos na forma de produzir conteúdo. Dessa forma, os anunciantes descobriram que os influenciadores podem ser particularmente úteis durante uma época em que as filmagens comerciais em grande escala foram suspensas. O estudo prevê que, em 2021, as marcas continuarão a trabalhar com influenciadores como um recurso de geração de conteúdo, mas precisarão exercitar a criatividade para manter esses formatos novos e envolventes.

Microinfluenciadores são poderosos

Eles têm números de alcance menores de 10 mil a 50 mil, mas taxas de engajamento mais de 40% maiores do que suas contrapartes de nível macro (500 mil a 1 milhão), visto que senso de comunidade e segurança nas opiniões apresentadas são potencialmente mais eficazes. Microinfluenciadores são considerados por fornecerem grande valor às marcas com sua capacidade de acessar micro comunidades bem definidas. E os comentários em suas postagens patrocinadas ou promocionais também tendem a ser mais sobre a marca.

Diversidade

As mídias sociais estão em estágio inicial de transformação de um lugar de individualismo para um lugar do coletivismo. Isso está criando atitudes do consumidor que alterarão o que e como as pessoas consomem e compartilham conteúdo, segundo o relatório. Mais de um terço dos consumidores disseram ter seguido um grupo mais diverso de influenciadores do que antes dos protestos #BlackLivesMatter, de acordo com um report da FH global. Para desenvolver um elenco de influenciadores cada vez mais diversificado, as marcas precisarão demonstrar um compromisso interno e externo à diversidade e inclusão.

Nivelamento

Neste verão, nos EUA e no Reino Unido, “sindicatos” e associações de influenciadores foram lançados por e para influenciadores. O American Influencer Council nos EUA e o The Creator Union no Reino Unido visam padronizar a compensação e treinar influenciadores para se tornarem negociadores experientes.

Social Commerce

Embora os influenciadores possam ajudar a gerar consideração e compra para o e-commerce com o “arraste para cima”, em 2021, players como Google e Walmart anunciaram planos de investir em conteúdo de vídeo comprável compartilhado por influenciadores no YouTube e TikTok. Reunindo confiança, conveniência e comércio social, as postagens se tornarão uma parte importante das compras do consumidor neste ano.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2021/01/11/tendencias-do-marketing-de-influencia-para-2021.html

10

Jan

Comunicação

Brasil perde mais de um milhão de assinantes da TV paga em 2020

O Brasil perdeu mais de um milhão de assinantes da TV paga entre os meses de novembro de 2019 e novembro de 2020. Além disso, o país fechou novembro do ano passado com menos de 15 milhões de assinantes - 14.918 mil para ser mais exato - marca que não ocorria desde julho de 2012. Os dados são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e publicados pelo site Tela Viva.

Na performance mês a mês, novembro de 2020 ainda registrou uma aceleração na perda de base das operadoras, com mais de 100 mil assinantes abandonando este tipo de serviço, algo que não ocorreu nos outros meses. Tomando-se como referência o novembro de 2014 - considerado o melhor período do setor - o mercado de TV paga já perdeu cinco milhões de clientes - isso equivale a 20% do total da sua base.

Entre as operadoras de TV paga de pequeno porte - com atuação predominante nas regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte - a base instalada conta com 388 mil assinantes. A principal delas é a Brisanet, com 87 mil clientes. Todos contam com tecnologia de acesso via fibra.

Ainda segundo o levantamento da agência, as operadoras que mais perderam clientes em novembro último foram:

1º - Sky: perda de 58 mil clientes
Base atual: 4,55 milhões de assinantes

2º - Claro: perda de 55 mil clientes
Base atual: 7,05 milhões de assinantes (6,18 milhões com a tecnologia de cabo e 870 mil com DTH)

Mas também houve operadoras que registraram crescimento no mês em questão. São elas:

1º - OiTV: ganho de cerca de 17 mil clientes
Base atual: 1,67 milhão de assinantes

2º - Vivo: ganho de 633 clientes
Base de usuários: 1,255 milhão de assinantes (882 mil com tecnologia de fibra e 373 mil no DTH)

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/mercado/brasil-perde-mais-de-um-milhao-de-assinantes-da-tv-paga-em-2020-177109/

9

Jan

Comunicação

Com The Voice+, Globo aposta no talento da maturidade

*Por Meio & Mensagem

Um estudo da Harvard Business Review estima que a população mais velha movimentou US$ 15 trilhões no mundo e R$ 1,8 trilhão no Brasil, no ano passado. Esse movimento tem levado as marcas a prestarem cada vez mais atenção na chamada economia prateada e nos anseios dessa camada do público. É nesse contexto que a Globo estreia uma atração nas suas tardes de domingo. Em 17 de janeiro, vai ao ar a primeira temporada do The Voice+, uma versão do reality musical exclusiva para talentos a partir dos 60 anos.

Com o mote “sonhos não envelhecem”, a atração reforça a aposta da Globo no formato que está no ar há nove anos e também conta com uma versão para crianças, que já soma cinco edições. O time de estrelas dos técnicos é formado por Claudia Leitte, Mumuzinho, Daniel, que retorna para atração, e a estreante Ludmilla. Já a apresentação fica a cargo da dupla André Marques e Thalita Rebouças, que também comanda a versão Kids.

Com direção artística de Creso Eduardo Macedo e direção-geral de Angélica Campos, o dominical aposta em uma abordagem multiplaforma. O programa do domingo será reexibido no canal pago Multishow, na segunda-feira, e na plataforma de streaming da emissora, o Globoplay, para os espectadores que quiserem rever as apresentações.

A versão focada em artistas a partir de 60 anos também é uma criação da Endemol, que licencia o formato The Voice. “Ao optarmos por trazê-lo ao Brasil, mais do que acompanhar uma tendência mundial e do mercado, onde as pessoas mais maduras estão cada vez mais ativas, seja do ponto de vista social ou profissional, entendemos que a nova versão representa o crescimento e amadurecimento da franquia ‘The Voice’ no país”, afirma Macedo.

Apesar da aposta no talento da maturidade, o programa ocupará uma faixa tradicionalmente destinada aos programas para família e pretende, por meio da proposta emocional, conquistar um público abrangente. “A inversão da nossa pirâmide demográfica, que mostra um país com uma população cada vez mais madura, passou a fazer mais sentido nos últimos anos. Mas sobre público, o que posso dizer é que, embora a competição seja para vozes a partir dos 60 anos, queremos continuar fazendo um programa de entretenimento para toda a família brasileira”, explica o diretor artístico do programa.

Até o momento, a atração estreará com quatro patrocinadores: Claro, parceira de longa data das demais edições do reality musical; Nutren, complemento alimentar da Nestlé; Novalgina; e Cif, da Unilever. Segundo Manzar Feres, diretora comercial da Globo, aos patrocinadores do The Voice+ serão ofertadas oportunidades de inserção que vão desde os comerciais e entregas digitais até outras soluções e formatos como inserts animados, interações de marca nas cadeiras dos técnicos, ações de conteúdo modulares, com uso de QR Code e realidade aumentada, além de possíveis projetos customizados de branded content, licenciamento de conteúdo e ações com influenciadores.

Fonte: Meio & Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/01/07/com-the-voice-globo-aposta-no-talento-da-maturidade.html

8

Jan

Comunicação

Google cria página para explicar como age no combate às fake news

O Google deu um importante passo para o combate às fake news. A gigante da tecnologia anunciou a criação da página "Mitos e Fatos", um espaço virtual que reúne explicações sobre como a empresa atua no combate à desinformação em suas plataformas, entregando conteúdo de qualidade e também respeitando a diversidade e a liberdade de expressão.

De acordo com o Google, a iniciativa visa promover informação de qualidade. Na página é possível encontrar informações sobre como a Busca do Google foi projetada para fornecer as informações mais relevantes e confiáveis disponíveis e, também, como suas políticas proíbem que os proprietários de sites busquem enganar o usuário sobre sua identidade ou produtos.

Especialmente em um ano em que fomos bombardeados por informações diversas sobre a COVID-19, esclarecer a veracidade das notícias é um papel importante dos grandes players de tecnologia.

"Dar destaque para conteúdo útil e confiável em nossas plataformas é uma das principais formas de contribuirmos para o combate à desinformação na internet. Há ainda uma boa parte desse trabalho que é menos visível, mas não menos importante para que tenhamos sucesso em nossa missão", disse Marcelo Lacerda, diretor de Políticas Públicas e Relações Governamentais do Google no Brasil.

Para mais informações sobre a iniciativa do Google, visite a página oficial do Mitos e Fatos.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/google-cria-pagina-para-explicar-como-age-no-combate-as-fake-news-177089/

3

Jan

Comunicação

5 dicas para criar conteúdo em vídeo de qualidade em 2021

Na última década, a produção de conteúdo se alterou dramaticamente com  a popularização dos vídeos. Mais de 500 milhões de horas de vídeos no Youtube são assistidas todos os dias e, em 2020, de acordo com pesquisa da Cisco, 82% do tráfego da internet será gerado por vídeo. A pesquisa revela ainda que 80% dos usuários preferem assistir conteúdo audiovisual a ler um texto online, por exemplo. Portanto, se você está procurando engajar pessoas com um conteúdo relevante e envolvente, o vídeo é a maneira de fazê-lo.

Mas, e se você não tem ideia de como começar? André Wendler, gerente de marketing para América Latina da InVideo, plataforma que permite aos usuários criar vídeos de alta resolução para qualquer formato de mídia digital com facilidade e rapidez, traz cinco dicas para criar conteúdos em vídeo incríveis - e assim você pode começar 2021 abrindo horizontes em novas mídias.

Conheça seu público

"A melhor ideia para começar a criar conteúdo em vídeo é saber para quem você vai fazê-lo", diz Wendler. “Gosto da ideia de conhecer o público porque a partir desse conhecimento, posso fazer conteúdos para os temas relevantes para eles (ou para outras pessoas que não nos conhecem ainda, mas que têm as mesmas características do nosso público). Com temas que fazem sentido pra minha audiência, consigo engajá-los e trazer outras pessoas parecidas com elas, aumentando minhas visitas”, completa. 

Quando você começar a pensar em vídeos que deseja fazer, concentre-se em dar conhecimento. Eduque seus visualizadores dando-lhes informações que melhorarão suas vidas. Se for começar do zero, uma pesquisa sobre qual assunto que quer falar e a capacidade de penetração desse conteúdo é necessária. “A análise não precisa ser algo tão rebuscado, mas procurar números para apoiar as suas decisões é sempre bom -  quanto menor é a audiência, menor pode ser a complexidade dessa pesquisa, mas se o público for grande, é preciso dedicar mais tempo a isso”, continua André.

Não sabe por onde começar? Faça perguntas

Agora, se você está completamente perdido sobre qual tipo de conteúdo de vídeo produzir, faça perguntas. Leve para as mídias sociais e pergunte ao seu público o que eles querem e precisam. Uma caixinha de perguntas no stories do Instagram, por exemplo, é um lugar fácil de ter ideias. Uma live também pode ser o ponto ideal para se perguntar, além disso, você aprenderá mais e terá tópicos para conteúdos futuros. 

“Além disso, pesquisar o mercado é tão importante quanto. Isso envolve: observar concorrentes, players que vendem produtos diferentes, mas para o mesmo público e empresas análogas, só que de outros países. Usar conteúdos existentes para adaptá-los para o formato de vídeo ou até editar uma palestra gravada, por exemplo, em vídeos menores, são boas alternativas para começar”, afirma André.

Respeite o formato das plataformas

Cada plataforma de vídeo tem suas particularidades, mas, o que importa é o conteúdo e você usar o tamanho certo para a plataforma certa. Por exemplo, o Instagram stories precisa ter duração de segundos, já vídeos de YouTube podem durar de cinco minutos até horas, dependendo da audiência/profundidade/densidade do conteúdo. “Pensando na estratégia, é legal mesclar vídeos curtos para conseguir atenção, com vídeos mais longos e profundos que educam o público", diz Wendler.

Mostre seus vídeos

Por mais estranha que seja essa dica, não importa que tipo de vídeo que você faça, não esconda isso do resto do mundo. Dependendo de seus objetivos e público, você pode optar por distribuir seus vídeos em diferentes plataformas. Se o marketing de vídeo é o que você está atrás, você pode empurrar seus vídeos no Facebook, Twitter, Instagram ou YouTube como posts regulares ou anúncios direcionados. 

Além disso, uma boa edição é mais interessante para sua audiência do que onde estará o vídeo. Ferramentas como a InVideo, são fundamentais nesta etapa do processo. 

Engajando sua comunidade

Em vez de ficar obcecado com o número de visualizações de seus vídeos, foque em trazer conhecimento ou ajudar seu público-alvo. “Para conseguir resultados com vídeos, não tem jeito: é um misto de qualidade de conteúdo com frequência de execução. Fazendo isso, você conseguirá construir uma comunidade engajada de pessoas com mentes semelhantes”, finaliza André.

Leva tempo e esforço para criar vídeos de alto desempenho. Mas se você tem o plano de conteúdo de vídeo certo e mostra um pouco de criatividade, você pode capitalizar seu potencial para fazer clipes inspiradores e incentivar as pessoas a vê-los.

30

Dez

Comunicação

TV Universitária promove programação de férias

Os meses de janeiro e fevereiro prometem programação variada na TV Universitária. Isso porque, em 2021, a Comunica promove os programas de férias da TVU para os telespectadores. A programação completa está disponível nas redes sociais da TVU, no canal aberto da TVU (5.1), e nas prestadoras de TV a cabo e por assinatura.

A programação conta com produções da própria emissora e de suas parceiras como o Canal Saúde e a TV Nova Escola, além de parcerias com produtores do Rio Grande do Norte. São documentários, shows especiais, programas de divulgação científica, entrevistas e dicas de saúde que compõem o quadro de programas.

A ideia foi homologada pelo Superintendente da Comunica, Sebastião Faustino, e pela diretora da TVU em exercício, Hilca Honorato. A TVU irá veicular programas como o documentário A Província Moderna, shows de MPB e Jazz, e muitas outras atrações.

30

Dez

Comunicação

Estudo da UFRN comprova relação entre maus tratos na infância e transtornos na vida adulta

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que os transtornos mentais representam 13% do  total de todas as doenças, atingindo cerca de 700 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, 9,3% da população têm ansiedade, mas 80% dos brasileiros sofrem com algum tipo de transtorno mental. São muitas as causas que levam a essa condição, mas uma delas pode ter relação com maus tratos sofridos na infância, como aponta novo estudo desenvolvido por pesquisadores do Departamento de Fisiologia e Comportamento (DFS) do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

No artigo Maus-tratos precoces contribuem para distúrbios de comportamento social no peixe-zebrapublicado na Frontiers, os pesquisadores Fabiano Peres Menezes, Igo Padilha de Sousa e Ana Carolina Luchiari mostram que o estresse causado pela exposição à agressão na fase juvenil leva a um aumento do medo e do comportamento de evitação mais tarde na vida.

O  peixe-zebra foi utilizado como modelo animal deste experimento por ser bastante social, mas também porque possui 70% de semelhança genética com o ser humano. Os animais foram divididos em três grupos. Em um deles, os peixes permaneceram com seus semelhantes sem receber interferência externa, enquanto outro foi submetido ao estresse de ser removido do aquário e isolado em outro ambiente. O terceiro grupo, também isolado, foi exposto a estresses sociais durante 10 dias, causados por um peixe da mesma espécie, só que mais velho e agressivo.

Os peixes submetidos ao estresse social desenvolveram comportamentos de reclusão e ansiedade quando atingiram a fase adulta. Uma das alterações observadas foi que os animais chegaram a desenvolver o comportamento de cardume, movimento de defesa contra possíveis agressores, aos 20 dias dias de vida, o que é precoce. 

Segundo Fabiano Menezes, o peixe-zebra desenvolve esse comportamento de coesão e formação de cardume só depois de 40 a 45 dias. “Esses animais desenvolveram prematuramente essa coesão e alguns artigos indicam que isso é uma demonstração de ansiedade”, explica o pesquisador.

Entre as pioneiras no uso de animais para estudar essa correlação, a pesquisa visa a identificar os mecanismos que levam o indivíduo a desenvolver determinados comportamentos na idade adulta. Fabiano ressalta que “não só para o indivíduo é prejudicial esse tipo de abuso, mas também para a sociedade e esse é um tema negligenciado em estudos”. 

Ana Luchiari, coordenadora da pesquisa, destaca que o estudo pretende agora avaliar outros estressores. “Quais são esses comportamentos que indicam que está acontecendo alguma coisa errada? A gente quer chegar nisso”, conclui a professora.

24

Dez

Comunicação

E-book valoriza produção da agricultura familiar; confira

A governadora Fátima Bezerra lançou, nesta quarta-feira (23), o e-book “Receitas da Cesta Básica”, elaborado por estudantes dos cursos de nutrição, Juliana Amorim e Ana Carolina Mota, e de gastronomia, Max George, e compilado pelo Governo Cidadão. O livro virtual contém receita simples feitas, por exemplo, com batata doce, cajá e arroz vermelho, tendo destaque especial para a compostagem, que é a reciclagem de resíduos orgânicos.

“Gostaria de parabenizar os autores e a equipe do Governo Cidadão pela produção deste material, que valoriza cada vez mais a agricultura familiar. Esse cuidado evidencia como buscamos políticas públicas que garantam o fomento do trabalho dos nossos produtores e produtoras rurais”, afirma a governadora e professora Fátima Bezerra, “Além de ter um papel importante na melhoria da segurança alimentar, sobremaneira neste período de pandemia, com esse e-Book estamos levando a cultura alimentar do nosso semiárido para as mesas de todo o mundo”, finaliza a gestora.

A publicação reúne informações sobre alimentação saudável e preparações com ingredientes cultivados no semiárido potiguar, e que compõem a cesta básica da agricultura familiar, entregue pelo Governo do Estado a 1.667 famílias quilombolas, por meio do Programa de Compras Governamentais da Agricultura Familiar - Pecafes.

As cestas foram compostas por: biscoito artesanal, peixe seco, farinha de mandioca, goma para tapioca, mel de abelha, arroz vermelho, feijão macassar, jerimum, batata doce, macaxeira, mamão, banana, bebida láctea, polpa de fruta e café em pó. Ao todo, foram comprados cerca de 95 mil quilos de alimentos dos produtores rurais.

Durante três meses da pandemia de Covid-19, essas famílias receberam em casa alimentos de alta qualidade e tiveram sua segurança alimentar garantida, ao mesmo tempo que foi fomentado o trabalho das famílias na produção de hortaliças, tubérculos, frutas e grãos nos quatro cantos do Rio Grande do Norte.

O e-book mostra a acessibilidade a uma alimentação a` base de itens deste tipo de agricultura, com dicas fáceis que promovem um balanço nutricional equilibrado para pessoas de qualquer idade.

Para acessar o livro eletrônico, clique aqui: e-Book

23

Dez

Comunicação

Estudo aponta que “luto” é a palavra do ano no Brasil

Segundo um levantamento feito pela consultoria CAUSE, em parceria com o Instituto IDEIA Big Data, a palavra de 2020 no Brasil foi “luto”. Em sua quinta edição, o levantamento tem como principal objetivo entender o espírito da época, o sentimento dos cidadãos em relação ao ciclo que se encerra e gerar discussões a partir dessa escolha.

A eleição da palavra que melhor representa o sentimento dos brasileiros neste ano se deu em três etapas. Na primeira delas, especialistas de diversas áreas de atuação da comunicação sugeriram palavras que, em suas visões, melhor resumiam o espírito desse ano tão peculiar e que pudessem ser finalistas à “palavra do ano”.

Na segunda etapa, estrategistas e sócios da CAUSE fizeram uma combinação entre as palavras ou conceitos mais citados pelos especialistas, os mais pesquisados em ferramentas de busca da internet e também os mais citados e comentados em redes sociais. Dessa curadoria surgiram as sete palavras finalistas: luto, resistência, desamparo, isolamento, queimada, saudade e antirracismo.

Por fim, na terceira e última etapa, uma pesquisa nacional de opinião, apontou, dentre as finalistas, aquela que o público escolheu como palavra do ano 2020. Luto foi a escolhida pela maioria (30,2%) das 1.200 pessoas ouvidas pela IDEIA Big Data, através de ligações telefônicas, entre os dias 14 e 16 de dezembro de 2020. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

“Num ano em que pelo menos 180 mil famílias brasileiras perderam alguém por conta do coronavírus, não surpreende que LUTO represente o sentimento das pessoas. Fazemos há cinco anos esta pesquisa e, sem dúvida, essa foi a palavra mais dura de todas”, afirma Leandro Machado, cientista político e sócio fundador da CAUSE.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/136719/pesquisa-aponta-que-luto-e-a-palavra-do-ano-no-brasil/

21

Dez

Comunicação

Destinação do Imposto de Renda pode ajudar crianças com câncer

Declarar Imposto de Renda é uma obrigatoriedade para milhões de brasileiros, mas o que muitos contribuintes não sabem é que a destinação de parte dos recursos pode ajudar projetos sociais e transformar o futuro de centenas de crianças e adolescentes, como as que são acolhidas pela Casa Durval Paiva. Para isso, é necessário fazer uma doação, através do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA) até o dia 31 de dezembro e lançar o valor na declaração de Imposto de Renda, sem nenhum ônus extra para o declarante.  

A iniciativa é amparada pela Lei Federal 8.069/90, que permite a destinação de até 1% do imposto de renda devido, para pessoas jurídicas, por meio do FIA, em benefício dos projetos sociais, utilizando o Modelo Completo, com imposto a receber ou imposto a pagar, e fazendo a contribuição às crianças, por meio dos projetos aprovados pelo Fundo. 

A Casa Durval Paiva, atualmente, tem dois projetos em andamento com recursos do FIA, são eles: “Arte Viva: Conhecendo e vivendo sem as drogas”, que promove a sensibilização de crianças, adolescentes e acompanhantes acolhidos pela Casa, bem como dos seus colaboradores, sobre a prevenção do uso de drogas licitas e ilícitas, e o “Viver Feliz”, que garante a continuidade do processo de escolarização de crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas crônicas em tratamento. 

Como funciona a destinação: uma parcela do imposto devido pelo contribuinte que iria para a União será encaminhada diretamente para o Fundo designado pelo doador. Assim, a doação não acarreta um aumento do ônus fiscal para o contribuinte, pois trata-se de uma renúncia fiscal do Tesouro para projetos sociais. Os valores são registrados e comprovados diretamente junto à Receita Federal, mediante a emissão e pagamento do DARF, gerado pelo próprio programa da Declaração de Ajuste Anual (Modelo Completo). 

Além de pessoas jurídicas, os contribuintes pessoas físicas podem doar até 6% do IR, desde que optem pelo Modelo Completo da Declaração do Imposto de Renda e que a destinação tenha sido feita no ano-base da declaração, ou seja, de 01 de janeiro até 31 de dezembro. Nesse último caso, a pessoa fará uma doação direto para o Fundo da Infância e Adolescência, solicitando um recibo da doação. Quando chegar o momento da doação (entre março e abril do ano seguinte), a pessoa clica em “doações efetuadas” e declara normalmente o seu imposto de renda. 

Dados para doação 

Fundo para Infância da Adolescência de Natal 

CNPJ: 14778345/0001-85 

Conta corrente: 10.609-7 

Agência: 3795-8 

Fundo da Infância e Adolescência – FIA 

É um fundo especial que tem como objetivo financiar projetos sociais que atuem na promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente. Os recursos são aplicados exclusivamente nessa área e os projetos são selecionados mediante edital público, gerido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - COMDICA.