Mercado

12

Jun

Mercado

AGN-RN lança aplicativo para concessão de crédito a empreendedores do RN

Os empreendedores formais e informais passarão a ter acesso, a partir do próximo dia 22 deste mês, ao aplicativo RN + Crédito, uma ferramenta que possibilitará dar início ao processo de aquisição de financiamento das diversas linhas disponibilizadas pela Agência de Fomento do Rio Grande do Norte sem precisar sair de casa ou do próprio estabelecimento comercial. A ferramenta foi desenvolvida pela Gerência de Tecnologia da instituição financeira potiguar.

Agora, além das opções já disponíveis de atendimento direto na sede da Agência, pelo Whatsapp ou através dos parceiros da AGN-RN, o empreendedor poderá iniciar o processo de contratação ao realizar um pré-cadastro na plataforma. A partir daí será realizada análise de crédito, indicação dos indicar valores que o empreendedor deseja financiar, objetivo da contratação, dentre outras informações necessárias para enquadramento em uma das linhas operadas pela instituição.

A plataforma oferecerá ainda a possibilidade de os contratantes realizarem o envio de toda a documentação necessária à contratação de forma digital, bem como, de acompanhamento de todo o processo desde o pré-cadastro até a aprovação do financiamento para a assinatura do contrato. Ainda no sistema online, serão disponibilizados links para o site oficial e a página de dúvidas mais frequentes relacionadas ao funcionamento do crédito na instituição.

O aplicativo, inclusive, não vai exigir que seja feito qualquer download ou instalação em aparelhos celulares, tablets ou mesmo computadores. O funcionamento se dará todo no sistema de nuvem e, para ter acesso, será necessário apenas clicar no link a ser disponibilizado no lançamento do app.

Para a diretora-presidente da AGN-RN, Márcia Maia, o desenvolvimento da plataforma atende à diretriz da política de estímulo e fomento à economia potiguar estabelecida pelo Governo do Estado e a governadora Fátima Bezerra em razão da necessidade de o empreendedor, se precisar, ter acesso cada vez mais rápido e simples aos serviços da Agência de Fomento. Antes, a instituição já havia implementado o atendimento por meio de whatsapp, ainda no início da pandemia provocada pelo Covid-19.

"É uma iniciativa importante no apoio aos empreendedores do nosso estado, pois não basta disponibilizarmos o crédito. Nós precisamos criar ferramentas para que eles possam acessar os recursos com a menor dificuldade possível. Garantir esse acesso pode representar a diferença entre uma empresa seguir funcionando, manter empregos e mesmo crescer ou precisar fechar as portas", ponderou a diretora-presidente.

Crédito na AGN 

A atuação da Agência de Fomento do RN integra a política pública estadual do Governo do RN de fomento à economia norte-rio-grandense. Em pouco mais de dois anos, empreendedores e empresas do Rio Grande do Norte conseguiram uma injeção de recursos, via AGN-RN, superior a R$ 60 milhões. São mais de 14 mil operações de crédito a partir das mais diversas linhas de crédito geridas pela instituição.

12

Jun

Mercado

Pegue e Pague: Empreendedores criam startup de minimercado automatizado para condomínios

Prático, acessível, cômodo, seguro, conveniente e rápido. Se são estes os adjetivos que têm norteado muitas decisões de compra, sobretudo nos últimos anos, foram estes, também, que definiram o propósito da Minha Quitandinha, uma startup de solução de minimercados autônomos 24 horas por dia dentro de condomínios, que chegam a disponibilizar cerca de 700 produtos ao consumidor. Os empreendedores que estão por trás desta startup são Guilherme Mauri, Marcelo Villares e Douglas Pena, que somaram suas experiências em consultoria corporativista, TI e franquias, respectivamente, para lançar, em março de 2020, em Balneário Camboriú, litoral norte de Santa Catarina, o minimercado focado em condomínios residenciais. 

Baseada no conceito de honest market, a Minha Quitandinha tem uma operação bem simplificada, pois não requer muito espaço, sendo o ideal acima de dois m², podendo ser no hall de entrada, recepção, corredor ou até mesmo em uma vaga de garagem, como foi no caso da unidade instalada na cidade de Itajaí, em Santa Catarina. O layout é pré-definido e personalizado para cada projeto de acordo com a área e caso desejável, podendo ser instalado em um container, se for numa área externa, ou white label, em que o nome da unidade é modificado e pode remeter a localização, por exemplo. Assim, o projeto arquitetônico, já pronto, é adaptado às medidas do novo local e repassado ao licenciado, que adquire os equipamentos e os acomoda de forma prática, sem necessidade de pregar nada à parede.  

Para o consumidor, também é tudo intuitivo: o minimercado está às mãos e é totalmente viabilizado pelo sistema de self-checkout. As compras são realizadas por meio de um app de celular gratuito que por geolocalização identifica a loja e permite o passo a passo seguinte bem simples: escanear o código de barra dos produtos que deseja adquirir e pagar diretamente pelo aplicativo, via cartão de crédito e, agora, mais recentemente, débito. Para a geladeira de bebidas alcoólicas, um QR Code afixado à porta só destrava via app, se validados os dados cadastrais com a Receita Federal, que confirma o usuário como maior de 18 anos. Além de cervejas geladas, alguns licenciados podem incluir, entre os produtos, sorvete e iogurtes. 

A ideia da Minha Quitandinha começou a ganhar forma no segundo semestre de 2020 e abriu sua primeira unidade em dezembro, em Itajaí, Santa Catarina, seguido de outras duas, na mesma cidade. Em janeiro, a quarta: desta vez, em Pelotas, num condomínio de casa, razão pela qual foi instalada no formato container. A partir daí, o ritmo acelerou e hoje já são 17 lojas e 12 licenciados, incluindo unidades em São Paulo, Belo Horizonte, Minas Gerais, e Belém, no Pará. Com um investimento total de R$ 190 mil, a startup cresce agora por meio de um licenciamento, com valores iniciais a partir de R$ 35 mil, já contemplando a taxa inicial, os treinamentos, a aquisição das estruturas e estoque inicial para uma primeira loja. 

Agora, a meta é conquistar seu primeiro milhão em 2021, triplicar o número de lojas em 2022 faturando R$ 48.000.000,00  e chegar a R$ 1 bilhão em 2023, com 800 lojas abertas. Razões para acreditar nisso não faltam: a Minha Quitandinha tem um horizonte promissor pela frente, já que oferece um serviço 100% digital, dispensando interações humanas e ainda gera cashback para o condomínio. E mais, a estruturação do negócio ao longo dos meses ampliou também o escopo da startup, que passou a mirar não só nos condomínios residenciais, como também em empresas, clubes, academias, marinas e hotéis que apresentem um fluxo médio diário de 500 pessoas ou mais. Em 2020, no Brasil, 278.703 estabelecimentos foram registrados com o CNAE 8112-5/00 (Condomínios prediais), 0,36% a mais que em 2019, segundo o portal Empresômetro, números que animam, com razão, os fundadores da marca.

11

Jun

Mercado

Empresa do RN cria tala biodegradável que substitui gesso para tratar fraturas

Quebrar algum osso do corpo é uma dor de cabeça, mas a recuperação pode ser menos desconfortável e mais rápida. A empresa potiguar Fix It desenvolveu talas biodegradáveis modernas que reduzem em até 17% o tempo de imobilização e tratamento de membros fraturados. 
 
Criada em 2015 a partir de uma competição, a empresa foi pré-incubada na Incubadora Empreende da Universidade Potiguar e ganhou destaque no Brasil, já se preparando para uma expansão internacional. As soluções Fix It são fabricadas por meio da tecnologia de impressão 3D e substituem as tradicionais órteses de gesso. Sustentáveis, elas são produzidas com bagaço de cana-de-açúcar, milho e beterraba, auxiliando no processo de preservação ambiental. 
 
"Já compramos o material pronto. As mais de 20 soluções, genuinamente Fix It, utilizam o polímero difundido mundialmente na impressão 3D, que é o PLA", explicou Felipe Neves, fisioterapeuta egresso da UnP e CEO da empresa. O PLA é obtido através de fontes renováveis a partir da fermentação do amido de milho, raízes de mandioca, cana-de-açúcar e beterraba, por exemplo. O bagaço e restos – que seriam descartados – são reaproveitados no produto.


 
Os produtos são indicados para membros inferiores e superiores, em procedimentos envolvendo fraturas e casos pós-cirúrgicos, com um design que facilita a imobilização e limpeza da área. São confortáveis, leves, podem ser molhadas e não são alergênicas. Segundo Felipe Neves, o tempo de imobilização é reduzido em até 17% quando comparado ao gesso ou a talas de tecido, e o paciente adere ao tratamento com mais facilidade. 
 
"O design é muito conhecido. É um padrão chamado Voronoi e imita a natureza. Pode ser comparado a uma fruta, pele, asa de libélula ou até mesmo a parte interna do osso. Além da possibilidade da limpeza, existe uma distribuição de vetores de força, o que entrega resistência para a peça. Com isso, conseguimos áreas vazadas para limpeza, para coçar, para terapias alternativas como o laser, acupuntura, entre outros, e a resistência", pontuou Felipe. 
 
O produto se decompõe em torno de 24 meses enterrado ou 48 meses em água e, em uma composteira, em cerca de 45 dias – virando adubo em um processo que não emite gases prejudiciais à saúde. Mais de mil órteses foram impressas pela Fix It, atendendo 4 mil pacientes, o que significa uma redução de aproximadamente 2,5 toneladas de gesso.
 
Modelo de negócio

"Vendemos a licença para hospitais, clínicas, médicos e fisioterapeutas. Eles compram uma impressora 3D de um parceiro, com um software da Fix It, onde são consumidas as soluções. Elas são todas sob medida, de acordo com a demanda. O paciente tem as medidas verificadas e, em seguida, a imobilização personalizada é aplicada", explicou Felipe. 
 
"O custo é muito baixo para hospitais, mais do que gesso. Para o paciente final, a órtese pode custar em média R$ 150 - os valores variam entre R$ 50 e R$ 400, dependendo de cada caso". As órteses duram até 3 anos e podem ser remodeladas quatro vezes após a primeira aplicação.

11

Jun

Mercado

Projeto pretende ampliar processo digital em 500 indústrias

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) definiu como meta aumentar a transformação digital das empresas nordestinas e esse processo  começará pelo Rio Grande do Norte. O presidente da Agência, Igor Calvet, está em visita à Natal para conhecer os primeiros resultados da fase piloto do projeto Transforma RN, uma ação de capacitação intensiva, desenvolvida por meio de uma rede integrada de instituições, para aumento da produtividade e da presença digital de 50 pequenas indústrias do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó.

O projeto foi concebido pelo Instituto Metrópole Digital (IMD), vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte, que é a unidade operacional executora da iniciativa. Igor Calvet se surpreendeu com os resultados e sinalizou apoio para fase seguinte do projeto, que deve atender outras 500 pequenas e médias indústrias de todas as regiões do estado. É a chamada etapa de escala do projeto, prevista para começar no próximo mês e que envolverá recursos da ordem de R$ 1,5 milhão por parte da ABDI e mais R$ 2 milhões investidos pelo Sebrae.

“Nessa primeira ação, já notei um diferencial do projeto, que é esse empenho do empresário. Ter 50 empresas e ampliar numa escala para mais 500, dez vezes mais, não é todo estado que consegue esse nível”, reconheceu Igor Calvet, que, após a análise da metodologia aplicada na primeira fase, vislumbrou a possibilidade de tornar essa experiência um modelo a ser aplicado em outros estados do Brasil. “Essa metodologia que está sendo criada aqui, no Rio Grande do Norte, com os erros e os acertos, vai servir para dar escalabilidade, não só aqui, mas também no país inteiro. Se der certo com 50 empresas, certamente vai dar com quinhentas”.

As declarações do principal executivo da ABDI foram dadas nesta quinta-feira (10), durante uma reunião para a apresentação do projeto Transforma RN, que conta com um aporte de R$ 1,5 milhão da ABDI, recurso concedido como prêmio pela seleção em edital, se destacando entre os projetos do Nordeste apresentados à agência no ano passado, visando à implantação de iniciativas de transformação digital nas indústrias do nordeste brasileiro.

Ações articuladas e integradas

A solenidade contou com a participação de representantes do ecossistema de inovação do estado, governo do RN, Fiern, e das demais instituições envolvidas no Transforma RN, assim como dirigentes, conselheiros e gestores do Sebrae estadual e Nacional. O diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, expôs o modelo de atuação da instituição para desenvolver ações em parceria com outras organizações de abrangência nacional, como a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) - que elegeu o Sebrae-RN como o único do país a receber aporte financeiro para execução dos projetos Tecnova e Centelha II, Fundação Banco do Brasil, Banco do Brasil e Riachuelo, com o recém lançado programa Mais Integrados, para capacitar, desenvolver e fortalecer o segmento das micro e pequenas empresas do estado oriundas de diversas cadeias produtivas.

O diretor superintendente do Sebrae destacou o trabalho que é feito de forma articulada e integrada com as entidades representativas do setor produtivo e órgãos dos governos para ações dos projetos mantidos pelo Sebrae para a assertividade de todas as ações implementadas em prol dos pequenos negócios potiguares. Trata-se de esforço concentrado e alinhado em uma visão sistêmica, que assegura bons resultados dos projetos idealizados e cria um ambiente propício para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte.

O vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Itamar Manso Maciel, que representou o presidente do CDE, Marcelo Queiroz, ratificou essa articulação promovida pela instituição e ressaltou a importância do Transforma RN para o setor industrial do estado. “Agora, são 50 empresas, mas, a nossa expectativa é chegar a mais 500 indústrias atendidas com esse projeto, o que poderá trazer um ganho significativo para a transformação digital das indústrias potiguares”, afirma Itamar Maciel.

O diretor de Inovação da FIERN e presidente da COINCITEC, Djalma Barbosa Júnior, que participou da solenidade, também destacou o ganho para o segmento com a implementação do Transforma RN e da força da parceria entre as instituições. “Temos no estado uma disposição das instituições com o propósito de converger as ideias e a transformação digital hoje tão necessária, com a qualidade e logística”. Também participaram da solenidade os diretores do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti (Técnico) e Marcelo Toscano (de Operações), representantes da Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado, Agência de Fomento do Estado (AGN) Instituto Metrópole Digital (IMD) e do Sebrae Nacional.

Nesta sexta-feira (11) o presidente da ABDI, Igor Calvet, prossegue com a agenda de visitas na região metropolitana de Natal, juntamente com os dirigentes do Sebrae-RN e alguns parceiros do “Transforma RN”, visitando pela manhã a Fonte da Cristalina Água Mineral, em Macaíba, o Instituto Metrópole Digital (IMD), no campus da UFRN, e à Raff Cervejaria, uma das empresas atendidas pelo projeto localizada no bairro de Candelária, em Natal.

10

Jun

Mercado

Universidade tem vagas em projeto de apoio à mulher

Em mais uma iniciativa para contribuir com a comunidade em que está inserida, a Estácio segue com vagas abertas para o projeto de extensão Mulheres Empreendedoras e Empoderadas, lançado em maio deste ano com o objetivo auxiliar mulheres em uma jornada que envolve incentivo à autoaceitação e orientação sobre negócios.

A realização multidisciplinar da instituição envolve os cursos de Psicologia, Nutrição e Gestão da unidade da Alexandrino de Alencar, e acompanha as participantes com orientações nos âmbitos pessoal e profissional para estimular sua autonomia financeira.  

“Muitas mulheres não conseguem montar o próprio negócio por falta de autoconfiança e autoestima baixa, então trabalhamos nessas vertentes com alunos e professores dos cursos envolvidos e, se entre 50 participantes, impactarmos positivamente 20, já será um ganho gigante”, afirma a coordenadora do projeto, Edjane Buriti. 

As inscrições podem ser realizadas por meio de formulário online no link (https://bit.ly/3yhed10) e são voltadas tanto para mulheres que já empreendem e querem dar um up nos negócios, quanto para as que querem ter um primeiro contato com os conteúdos oferecidos.

Com o primeiro grupo formado, já está em prática um cronograma de atendimento individual e rodas de conversa sobre noções de liderança, marketing, atendimento e serviço, concomitante à escuta psicológica após processo de triagem, e à avaliações nutricionais com direcionamentos para quem queira empreender no ramo de alimentos.

“Posteriormente, outras áreas também farão parte do projeto, como o Núcleo de Apoio Fiscal (NAF) para apoio contábil e o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) para as questões legais. É um projeto grandioso e esperamos que ao final, as participantes possam colher os resultados de forma concreta”, almeja a professora Anne Katarine, coordenadora da área de Gestão no projeto. 

10

Jun

Mercado

Parceria Mais Integrados amplia mercado para artesanato e confecções

Fomentar a competitividade para ampliar o mercado para 78 oficinas de costura e 60 artesãos, dos quais 30 fazem parte de grupos que produzem os bordados de Caicó, que já detêm o selo de Indicação Geográfica (IG), e sejam inseridos na cadeia de valor do Grupo Guararapes, fazendo com que esses produtos cheguem à rede de lojas da Riachuelo em todo o Brasil. Esse é o objetivo principal do Projeto Mais Integrados, uma ação desenvolvida em parceria entre o Sebrae no Rio Grande do Norte e o Instituto Riachuelo. O projeto foi lançado nesta quarta-feira (9), durante uma live realizada no hotel Holiday Inn, que contou com a participação dos executivos das duas instituições, incluindo o presidente do Grupo Guararapes, empresário Flávio Rocha.

Através da iniciativa, será oferecida capacitação às pequenas empresas atendidas durante 18 meses, com foco na ampliação da competitividade e do mercado consumidor dos produtos desses pequenos negócios. A proposta é desenvolver até o final de 2022 as empresas de pequeno porte da cadeia de valor da indústria potiguar Guararapes a partir da adaptação do processo produtivo, em conformidade com as exigências da Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), que reúne os maiores grupos varejistas do país, e, no caso do artesanato, intervenções na área de design de produto e mercado.

O lançamento contou com a participação dos diretores do Sebrae-RN José Ferreira de Melo Neto (superintendente) e João Hélio Cavalcanti (técnico), além das gestoras dos projetos de Moda e Confecções, Verônica Melo, e de Economia Criativa, Ana Ubarana. Também estiveram presentes no evento o diretor do Instituto Riachuelo, Gabriel Kanner, e a diretora de Comunicação do Instituto Riachuelo, Marcella Kanner. Já o presidente do Conselho de Administração do Grupo Guararapes, o empresário Flávio Rocha, participou da solenidade por videoconferência e destacou o impacto que esse projeto pioneiro pode trazer para o Rio Grande do Norte, já que atingirá diretamente em torno de 2.200 potiguares de 24 municípios do estado.

“Acredito no poder transformacional desse projeto. Com a expansão da Riachuelo no canal digital, que quintuplicou as vendas no período da pandemia, uma loja com 100 funcionários gera cinco vezes mais empregos na produção, dos quais 80% ficam concentrados na costura. Imagine a Riachuelo gerando 10 mil, 20 mil empregos nos próximos anos, quantos postos de trabalho estarão sendo gerados na costura. É um efeito transformacional”, calcula o empresário. Flavio Rocha se refere principalmente ao projeto Pró-Sertão, que consolidou e viabilizou o desenvolvimento das pequenas unidades de costura do estado, principalmente em pólos como o Seridó.

“Uma cidade com cinco ou dez mil habitantes que nunca tinha visto uma carteira de trabalho assinada. Com o pontapé de uma oficina do Pró-Sertão, seis meses depois, vê que houve uma verdadeira revolução”, compara Flávio Rocha, referindo-se ao sucesso que pode alcançar com as ações do projeto Mais Integrados, que reúne moda e confecção e produção associada ao artesanato.

“Essa parceria foi sonhada por nós, do Sebrae, e também pela Riachuelo há muitos anos. Com esse projeto, vamos fortalecer as empresas que trabalham com oficinas de costuras e abrir portas para o artesanato potiguar, sobretudo para o IG do Bordado de Caicó. A gente vai dar visibilidade ao nosso artesanato e vamos dar oportunidade das pessoas trabalharem e venderem, gerando renda e mudando de vida, notadamente os pequenos artesãos do estado, por meio dessa articulação e devido à grande capilaridade nacional que a Riachuelo possui”, ressalta o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto.

Fotos: Moraes Neto

10

Jun

Mercado

Setor têxtil e artesãos serão capacitados para ter mais competitividade

O Projeto Mais Integrados vai atuar junto às 78 oficinas de costuras e 60 artesãos do Rio Grande do Norte. Serão monitorados o índice de competitividade dos negócios e os indicadores de produtividade e qualidade, com o acompanhamento da evolução das empresas durante o projeto, que foi lançado nesta quarta-feira (9). A iniciativa é uma parceria do Sebrae no Rio Grande do Norte com o Instituto Riachuelo.

A meta do projeto Mais Integrados é dar suporte, através dessa ação, a microempresas e empresas de pequeno porte que fazem parte da cadeia de valor da indústria Guararapes, com ênfase naquelas procedentes das regiões do Seridó e Trari do Rio Grande do Norte. O diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, detalhou a implementação do programa, durante a solenidade de lançamento do projeto.

“É motivo de muita satisfação lançar um programa em uma parceria integrada entre o Grupo Guararapes/Riachuelo, Sebrae e todos os parceiros. É o ápice de um trabalho que estamos desenvolvendo há tanto tempo. E dos reflexos que podem trazer na área da economia local, mas também atingimos o campo social, que tem um peso enorme e isso faz a diferença”, destaca o diretor.

Segundo João Hélio Cavalcanti, a linha de atuação do projeto é capacitar para desenvolvimento de produtos confeccionados por grupos de artesão para melhoria do design, concepção de novos produtos, nivelamento técnico, gorvernança e rastreabilidade do selo IG do Bordado de Caicó, consultorias nas áreas de marketing e mídias sociais, exposição em lojas Pop-Up nas seções da Riachuelo Casa e valorização dos mestres do artesanato potiguar.

Na área do artesanato, o projeto atenderá a 60 artesãos, dos quais 30 são associados ao Comitê Regional das Associações e Cooperativas Artesanais do Seridó (Cracas), que conquistou, em 2020, o Selo de Indicação Geográfica (IG, do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), para o bordado da região, que possui qualidade e características reconhecidas internacionalmente.

“Iremos trabalhar um diagnóstico de competitividade, ou seja, todas as oficinas que já estamos trabalhando há alguns anos receberão um acompanhamento melhor na sua gestão no visão integrada e um olhar muito forte na sustentabilidade”, ressalta o diretor em relação às oficinas de costura que serão atendidas pelo projeto. Essas empresas terão monitorados o índice de competitividade dos negócios e os indicadores de produtividade e qualidade, com o acompanhamento da evolução das empresas durante 18 meses.

Sobre o projeto, o diretor do Instituto Riachuelo, Gabriel Kanner, afirma que está dentro dos propósitos do grupo e dentro do que pensou o fundador do grupo Guararapes, Nevaldo Rocha. “A missão do Instituto é transformar vidas por meio da geração de trabalho e renda em uma das regiões mais carentes do Brasil. E decidimos focar o trabalho, pelo menos inicialmente, no Rio Grande do Norte, mais especificamente no interior. Primeiro nas oficinas de costura, dando um apoio maior aos empreendedores do Pró- Sertão, elevando mais o nível e melhorando o atendimento dessas empresas à Guararapes”, afirma Gabriel.

A diretora de Comunicação do Instituto Riachuelo, Marcella Kanner, reforçou a importância desse trabalho em prol da região do Rio Grande do Norte, que é o berço da companhia. “Um papel das grandes empresas também é fortalecer sua cadeia de valor. Então, a gente viu isso acontecendo e que era hora de ampliar, olhar para essa região, não só para as oficinas de costura, mas também para os artesãos e bordadeiras. Achamos importante trazer esse tipo de tecnologia social que o Sebrae já emprega tão bem para o grupo”, conclui Marcella Kanner.

Fotos: Moraes Neto

9

Jun

Mercado

Projeto Transforma RN fomenta competitividade nas pequenas indústrias

O Rio Grande do Norte foi um dos estados selecionados no Nordeste para receber recursos visando a implantação de um projeto piloto na área de transformação digital de empresas. O projeto Transforma RN, que foi concebido pelo Instituto Metrópole Digital IMD), Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte, que é a unidade operacional executora do projeto, recebeu como prêmio da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) pela elaboração da iniciativa um aporte de R$ 1,5 milhão, recurso que já está sendo aplicado na implementação do projeto.

Na próxima quinta-feira (10), o presidente da ABDI, Igor Calvet, vem a Natal consolidar a parceria e conhecer de perto o que está sendo desenvolvido por essa rede de instituições através do Transforma RN. O propósito da rede é executar o projeto contemplado pelo edital da ABDI, criando ferramentas e um modelo de atendimento às pequenas empresas, voltado basicamente para a ampliação da produtividade e da transformação digital nessas empresas do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó, que possuem a maior concentração de indústrias.

“Focamos na indústria de alimentos e bebidas pela grande relevância, pelo número de unidades e pela articulação com esse segmento”, explica a gerente da Unidade de Desenvolvimento Setorial do Sebrae-RN, Lorena Roosevelt. Nessa etapa de prototipagem, já estão sendo atendidas 50 pequenas indústrias, selecionadas por um processo de inscrição.

Foram realizados diagnósticos de transformação digital que abordam oito dimensões e uma pesquisa para mensurar o nível de produtividade da empresa, além de mentorias com o intuito de atuar junto à mentalidade do empresário acerca da transformação digital para assim elencar prioridades.

“Geramos uma grande matriz de prioridades das empresas com base nas informações dos empresários acompanhados pelos mentores. Somente após isso, foi criado o plano de ação que está sendo executado agora. Inclusive com a realização de várias consultorias voltadas para microssegmentos, como cervejaria, água mineral e indústria de processamento de coco, por exemplo, com o portifólio de soluções do programa Sebraetec”, acrescenta Lorena.

Maior abrangência

"O Projeto busca apoiar as empresas de alimentos e bebidas na inexorável jornada para a transição digital , trata-se de sobrevivência e de olhar para o futuro onde as pequenas empresas conquistam novos mercados a partir do relacionamento e da geração de valor para o consumidor cada vez mais informado e exigente", enfatiza a gerente do Sbrae-RN.

As consultorias seguem até julho próximo e em seguida essas empresas voltam a ser avaliadas para verificar o nível de evolução. Também está sendo desenvolvido no IMD uma plataforma digital, onde todo esse processo de atendimento que agora é feito analogicamente passe a ser digital. O próprio empresário vai poder entrar na plataforma e selecionar serviços tecnológicos que venham a resolver problemas imediatos na área de transformação digital.

“Vamos submeter o projeto para a etapa de escala, a partir de julho. Se conseguirmos êxito, a ABDI deverá aportar mais R$ 1,5 milhão e o Sebrae entrará com uma contrapartida de R$ 2 milhões para atendermos 500 empresas nessa etapa de escala e para aprimorarmos essa plataforma de atendimento”, anuncia Lorena Roosevelt.

Indústria atendida

Uma das empresas que estão sendo atendidas pela iniciativa nessa primeira etapa é a Água Mineral Cristalina de Natal. O proprietário da empresa, Djalma Júnior, reconhece que o Transforma RN é uma grande oportunidade para o Nordeste do Brasil, sobretudo por ter contemplado o Rio Grande do Norte com a aprovação do projeto na atual conjuntura econômica do país. “Essa parceria com o Sebrae, o IMD, a FIERN e a SEDEC é de grande relevância. A transformação digital é uma realidade, sobretudo com o advento da pandemia. Estamos todos envolvidos na construção de um ecossistema de inovação fortalecido”, afirma o empresário.

Na visão de Djalma Junior, é fundamental que as pequenas e médias empresas possam avançar no ambiente tecnológico e digital. “As empresas necessitam se redesenhar, repensarem seus processos e o meio digital é indispensável para que as empresas possam avançar na direção das reais necessidades de seus clientes e na própria evolução do mundo tecnológico”, defende. As expectativas da Água Minral Cristalina de Natal são, segundo o seu diretor, de ganhos significativos, considerando o grau de maturidade da empresa em relação à gestão de inovação.

Para Djalma Junior, a transformação digital contribuirá para melhorar e aprimorar alguns processos. “É fundamental que o gestor analise todas as etapas dos procedimentos internos, o que pode ser digitalizado e o que pode ter de aumento de produtividade”, recomenda.

Segundo Djalma Junior, o fato do edital ser voltado para a indústria de alimentos e bebidas fortalece as empresas do ecossistema e a integração entre a academia e a indústria, porque “acredito que as pesquisas existentes dentro das universidades precisam ser cada vez mais aplicadas e levadas ao conhecimento dos industriários”.

9

Jun

Mercado

Pix terá mecanismo especial de devolução de dinheiro

O Banco Central (BC) aprovou a criação do Mecanismo Especial de Devolução do Pix, que entra em operação em 16 de novembro, quando o sistema de pagamento instantâneo completará um ano de funcionamento no país.

De acordo com o BC, a criação do mecanismo é uma forma de padronizar as regras e os procedimentos para viabilizar a devolução de valores "nos casos em que exista fundada suspeita de fraude ou nas situações em que se verifique falha operacional nos sistemas das instituições envolvidas na transação".

A devolução poderá ser iniciada pelo prestador de serviço de pagamento (PSP) do usuário recebedor, por iniciativa própria ou por solicitação do PSP do usuário pagador. A nova norma consta na Resolução BCB nº 103.
 

Devolução

Desde o lançamento do Pix, está disponível a funcionalidade de devolução que permite que o usuário recebedor devolva, total ou parcialmente, os valores de uma transação. No entanto, não havia previsão de que a devolução fosse iniciada pela instituição de relacionamento do usuário recebedor.

Pelas regras atuais, em uma eventual fraude ou falha operacional, as instituições envolvidas precisam estabelecer procedimentos operacionais bilaterais, de forma a efetuar as comunicações relacionadas a solicitações e recebimentos de pedidos de devoluções, dificultando o processo e aumentando o tempo necessário para que o caso seja analisado e finalizado, o que reduz a eficácia das devoluções, argumenta o BC.

"O estabelecimento do mecanismo especial de devolução dará mais celeridade e eficiência ao processo de devolução, aumentando a possibilidade de os usuários reaverem os valores nos casos de fraude. A instituição que efetuar uma devolução utilizando-se do mecanismo especial, precisará notificar tempestivamente o usuário quanto a realização do débito na conta. Além disso, a transação constará do extrato das movimentações", diz o BC, em nota à imprensa.

Fonte: Agência Brasil

8

Jun

Mercado

Unimed Natal expande serviços próprios pelo estado e inaugura Centro Clínico em Mossoró

A Unimed Natal segue o projeto de expansão da rede no estado com mais um passo importante na maior cidade do Oeste Potiguar. A cooperativa inaugura um novo Centro Clínico, com diversas especialidades, entregando mais qualidade e acolhimento aos clientes de Mossoró e região.

A unidade médica, que passa a funcionar no dia 9 de junho, conta com uma equipe formada por Médico da Família e equipe de enfermagem, responsáveis por prestar uma assistência voltada para os cuidados integrais à saúde, baseados em modelos consagrados mundialmente.

Além disso, ainda vai disponibilizar especialidades como: Cardiologia, Cirurgia Geral, Endocrinologia, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Urologia.
O Centro Clínico está localizado na Av. Rio Branco, 1200 - Centro de Mossoró/RN, com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.  Aos sábados os atendimentos acontecem das 8h às 14h.  

A inauguração reafirma o compromisso da Unimed Natal em fazer cada vez mais e melhor pelo seu cliente com sustentabilidade, qualidade e inovação. O serviço surge para mostrar que ser Potiguar de Carteirinha é contar com uma rede ampla numa cooperativa que sabe da importância da expansão pelo Rio Grande do Norte para prestar o melhor atendimento e assim continuar sendo o maior plano de saúde do RN.
 
Para agendar as consultas, o cliente poderá acessar o aplicativo Unimed Natal Beneficiário, ou o site unimednatal.com.br. Também é possível marcar ainda pelo 3320-6400

8

Jun

Mercado

Vídeocast informa e educa mercado imobiliário do RN

Três corretores de imóveis amigos lançaram um canal no Youtube para informar e educar o mercado imobiliário potiguar. A ideia surgiu de um bate-papo informal, por isso o nome Resenha Cast Imob - https://www.youtube.com/channel/UCJA3eV60mkS0b7EL_DL0j1A.

Já foram ao ar dois episódios, o primeiro sobre Regime de Condomínio Fechado e o segundo sobre IGP-M e o impacto nos contratos de aluguel.

De acordo com Fernando Loiola, da Remax Audaz, a ideia de fazer o vídeocast "surgiu de um bate-papo informal e tem o objetivo de compartilhar informações de uma forma bem descontraída, mas com muita responsabilidade, para o mercado, amigos e clientes".

No Youtube, cada programa ainda disponibiliza a área de comentários para que o consumidor ou cliente possa tirar a sua dúvida do tema debatido. Valdomiro Júnior (da Emobi Imobiliária) e Hugo Leonardo (da Siga Negócios Imobiliários) completam o trio de corretores e apresentadores ao lado de Fernando.

A ideia é lançar um episódio por semana, entre 15 e 20 minutos, para cada tema. Vale a pena conferir. 

Mais Informações:

Fernando Loiola
Instagram: @fernando_loiola
Whatsapp: (84) 99127-7633

Hugo Leonardo
Instagram: @hugoleonardorealestatebroker
Whatsapp: (84) 99620-0161

Valdomiro Júnior
Instagram: @_valdomirojunior
Whatsapp: (84) 99408-7198

8

Jun

Mercado

Parceria com Instituto Riachuelo agrega valor à cadeia têxtil do RN

O Sebrae no Rio Grande do Norte e o Instituto Riachuelo firmaram uma parceria para impulsionar o potencial das pequenas indústrias têxteis do Rio Grande do Norte e inserir o artesanato, sobretudo o bordado de Caicó que conquistou em 2020 o selo de Indicação Geográfica (IG), nessa cadeia produtiva. As duas instituições vão oferecer capacitação às pequenas empresas atendidas durante 18 meses. O objetivo é torná-las mais competitivas e ampliar o mercado consumidor. O convênio de cooperação técnica e financeira será assinado na próxima quarta-feira (9), durante a apresentação da Parceria Mais Integrados.

A proposta é desenvolver até o final de 2022 as microempresas e empresas de pequeno porte da cadeia de valor da indústria potiguar Guararapes. “E dessa forma ampliar os negócios e melhorar a competitividade das empresas envolvidas. A ideia é também consolidar o uso da marca IG do Bordado de Caicó e o desenvolvimento de produtos de artesanato potiguar com foco no aumento de vendas, principalmente para atender as demandas do mercado consumidor”, explica o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto.

A meta da Parceria Mais Integrados é dar suporte, através dessa ação, a 74 microempresas e empresas de pequeno porte que fazem parte da cadeia de valor da indústria Guararapes, com ênfase naquelas procedentes das regiões do Seridó  e Trari norte-rio-grandense. Serão monitorados o índice de competitividade dos negócios e os indicadores de produtividade e qualidade, com o acompanhamento da evolução das empresas durante o projeto.

Para a diretora de Comunicação do Instituto Riachuelo, Marcella Kanner, sempre foi importante trabalhar em prol da região do Rio Grande do Norte, que é o berço da companhia e onde seu avô, empresário e empreendedor Nevaldo Rocha, fundou a empresa. "Estamos muito felizes em lançar o Instituto Riachuelo em parceria com o SEBRAE, sabendo que nossos propósitos estão coligados em oferecer soluções para o desenvolvimento social e econômico da nossa cadeia produtiva. É uma maneira em que conseguimos retribuir tudo o que a gente já vem conquistando e também fortalecer cada vez mais a produção nacional, tornando o sertão em uma referência significativa como um polo têxtil”, afirma Marcella Kanner.

Na área do artesanato, o projeto atenderá a 60 artesãos, dos quais 30 são associados ao Comitê Regional das Associações e Cooperativas Artesanais do Seridó (Cracas), que conquistou, em 2020, o Selo de Indicação Geográfica (IG, do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), para o bordado  da região, que possui qualidade e características reconhecidas internacionalmente.

“Teremos duas estratégias de atuação. Uma se refere ao apoio à consolidação da IG do Bordado de Caicó, atuando diretamente junto a esses artesãos da região. A outra será voltada a outros grupos com tipologias diversas, totalizando 30 artesãos atendidos, para o desenvolvimento de peças conceituais e de novos produtos orientados para as demandas do mercado atual de artesanato e de design”, detalha a analista técnica do Sebrae-RN, Ana Ubarana, que é gestora do projeto de Economia Criativa, no qual se insere o artesanato. 

De acordo com a gestora, dentro das ações, está também a valorização dos mestres e das tipologias eminentemente potiguares. “Assim, estaremos estimulando o desenvolvimento do artesanato em sintonia com o que o público busca”, justifica Ana Ubarana.

Segundo a gestora do Projeto de Moda e Confecções do Sebrae-RN, Verônica Melo, em relação à moda e confecções o trabalho será direcionado às oficinas de costura. Estão previstos diagnósticos de maturidade da gestão dessas empresas, consultorias, oficinas e mentorias nas áreas de gestão de pessoas, sustentabilidade,  controles financeiros, Lean Manufacturing (conceito focado na redução de sete tipos de desperdícios) e Indicadores de Produtividade.

“Nossa expectativa é que a parceria Mais Integrados promova a melhoria da gestão e da competitividade das oficinas de costura que fazem parte da cadeia de valor da Indústria Guararapes, através de intervenções que irão fomentar o desenvolvimento e o engajamento dos colaboradores e dos líderes para uma produção mais segura e sustentável”, afirma Verônica Melo.

A parceria também incentivará as empresas a buscarem o processo de certificação ou recertificação do selo Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), além de levantamento do impacto sócioeconômico da atividade das unidades de costura e monitoramento dos resultados no início e no fim do projeto.

8

Jun

Mercado

Dia dos Namorados: Pix e carteira digital crescem

A compra através de sites será a principal opção para o Dia dos Namorados, sendo escolhida por 72% das pessoas, segundo pesquisa realizada com 700 pessoas pela V.Trends, hub de pesquisa e insights da Vivo, especializado em comportamento do consumidor.

Em relação aos pagamentos dos presentes, a grande maioria (79%) será feito através do cartão de crédito, seguido por boletos, com 44%. O que chamou a atenção foi que, em menos de um ano de PIX, ele já é escolhido por 36% dos entrevistados, igualando a mesma porcentagem das carteiras digitais (os respondentes puderam citar mais de uma modalidade).

O levantamento constatou, ainda, que 55% dos entrevistados levam em consideração o valor do frete na hora da compra, e 50% se importam com a confiabilidade do site. Cupons de desconto influenciam 25%.

Já nas escolhas dos presentes, uma em cada quatro pessoas apostarão em smartphones. No topo da lista dos mais escolhidos, 56% dos entrevistados comprarão roupas e acessórios, enquanto 29% escolherão cosméticos e 28%, eletrônicos.

A pesquisa realizada no mês de maio foi feita através da plataforma Human Analytics, da MindMiners. A base foi formada por participantes de ambos os gêneros, de classe ABC, com mais de 18 anos, que fizeram compras online nos últimos seis meses.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2021/06/07/dia-dos-namorados-pix-e-carteira-digital-crescem.html

7

Jun

Mercado

Seridó Rural conta a história da tradição do queijo de manteiga

Prestes a completar um ano de criação, o projeto Seridó Rural realizará a sua 15ª live, desta vez sobre o famoso e muito apreciado queijo artesanal pelos nordestinos sob o tema “Queijo de Manteiga – identidade nordestina”, na próxima quinta-feira (10), às 19 horas, pelo canal do YouTube do Sebrae/RN. O Seridó Rural é apresentado pela analista técnica do Sebrae/RN, Kessianny Souza, e o tema será apresentado pela especialista em queijos artesanais, Adriana Lucena, que vem desenvolvendo uma série de lives sobre Leite e Produtos Lácteos. A atração cultural ficará por conta do Forrozão a 1000 e da Seridó Couros do Município de Ipueira.

O Seridó Rural é uma ação que que visa contribuir com o fortalecimento do agronegócio na Região Seridó. Teve início em junho de 2020 já no formato de live pelo canal do Youtube. A programação foi estruturada para ocorrer de forma itinerante em municípios do Seridó, no período que antecede as exposições agropecuárias de Caicó e Currais Novos, visando mobilizar produtores rurais, empreendedores e instituições parceiras. Cada edição é realizada por um convidado especialista no tema a ser tratado durante o evento.

“Este projeto tem a proposta de levar conhecimento e cultura aos produtores rurais seridoenses e era para ser realizado presencialmente, mas em virtude da pandemia, foi necessário adaptar para o formato digital. Através da transmissão ao vivo do canal do YouTube do Sebrae/RN foi possível chegarmos às propriedades rurais de todo o estado do Rio Grande do Norte, assim como de diversos Estados do Brasil,  explica Kessianny Souza, lembrando que além da palestra técnica, em toda edição é mostrada a cultura seridonse, seja na música, poesia ou em peças do artesanato da região.

Desde abril do ano passado, está em execução o Programa de Apoio ao Queijo Artesanal Potiguar, uma iniciativa do SEBRAE-RN para viabilizar a implantação e formalilização de 50 queijeiras do Rio Grande do Norte. Com o advento da pandemia e a recomendação de não realizar o trabalho em campo, surgiu a idéia de orientar os produtores de queijos através de lives. O Seridó Rural foi o canal escolhido, por se tratar de uma ferramenta já consolidada de informação do escritório regional do Sebrae em Caicó, através do canal do Youtube Sebrae-RN.

A consultora para Leite e Produtos Lácteos, Adriana Lucena, que está executando no Programa de Apoio ao Queijo Artesanal Potiguar, realiza uma live a cada 15 dias, abordando temas do setor, através de palestras virtuais, respondendo as dúvidas dos produtores de forma online. “Fizemos três lives sobre ‘Queijos Artesanais e também industriais’, ‘A manteiga da terra’ e ‘Queijo de Coalho’, abordando aspectos históricos, culturais e conceituais de cada tema. Outras lives estão programadas para o setor lácteo, mas já temos o spolier que pode se prolongar e tornar uma série sobre vários temas da cultura alimentar sertaneja’, explica Adriana.

O projeto Seridó Rural já realizou 14 edições com os seguintes temas:

Produção de hortaliças na época das chuvas;

Queijeiras artesanais: uma oportunidade para o produtor de leite;

Georreferenciamento da propriedade rural;

Manejo alimentar de aves poedeiras caipiras;

Aprimoramento do cavalo de vaquejada;

Fruticultura: a cultura do maracujá;

Apicultura no bioma caatinga: dificuldades e desafios;

Suinocultura: manejo de matrizes;

Piscicultura em águas interiores: requisitos para empreender e viabilidade;

O manejo de caprinos e ovinos no semiárido;

Especial - Mulheres do campo;

Papo sobre queijo artesanal e industrial;

A Manteiga da terra;

Queijo de coalho.

Todas as lives são gravadas e disponibilizadas no Canal do YouTube do Sebrae/RN e podem ser acessadas na Playlist https://www.youtube.com/playlist?list=PL5NpRX4keWx7dpJnLA2Cv-HKRxgOVTmSL

4

Jun

Mercado

Programa Quartzo fomenta transformação digital no RN

Lapidar para o digital é a inspiração da BlackRocks Startups para seu novo programa de aceleração para a transformação digital de até 20 negócios tradicionais no Rio Grande do Norte. Em parceria com o Sebrae-RN, o hub de inovação preto lança o Quartzo, iniciativa exclusiva para mulheres negras potiguares e está com inscrições abertas para participação até dia 4 de julho próximo. O projeto conta com o apoio do Itaú Mulher Empreendedora, que visa conectar e capacitar empresárias, e da International Finance Corporation (IFC), instituição global do grupo do Banco Mundial.

“O Quartzo é um programa de aceleração focado na transformação digital e de impacto social de empreendimentos tradicionais liderados por mulheres negras. Um projeto especial da BlackRocks em conjunto com o Sebrae-RN e que vai proporcionar troca de experiências e conhecimentos, acessibilizando ferramentas e estratégias para modelar negócios mais inovadores e oportunidades no mercado digital”, explica Maitê Lourenço, idealizadora do Quartzo, fundadora e CEO da BlackRocks. “Maximizar as oportunidades e conexões transformadoras que fomentem a inovação dessas mulheres para que exponenciem seus negócios e potenciais de liderança é nossa entrega inegociável”, completa Maitê.

Ecossistema de inovação

A participação no Quartzo é gratuita e podem participar organizações de todos os setores, mas tem critérios para que as inscrições sejam válidas: a empresa precisa ter no time fundador pelo menos uma mulher negra, a pessoa responsável pela inscrição com mais de 18 anos de idade e é preciso ter um CNPJ ativo e domiciliado no Rio Grande do Norte. Também é necessário que já exista operação há 6 meses, no mínimo, e faturamento no mercado tradicional.

Diferente do habitual apresentado no ecossistema de inovação, o programa surge como um potencializador de empreendimentos tradicionais do Estado com contribuições para o aperfeiçoamento de cada um por meio de técnicas e instrumentos a serem ensinados ou desenvolvidos em mentorias, workshops e palestras. Além disso, a metodologia do Quartzo também conta com a preparação de novos modelos de negócio para o mercado, a troca de conhecimentos entre eles, o ecossistema empreendedor e outros potenciais parceiros.

A duração do programa será de quatro meses, iniciando em agosto e finalizando em novembro deste ano. Segundo o diretor técnico do Sebrae RN, João Hélio Cavalcanti (foto), o Quartzo é um marco na atuação da instituição de apoio às micro e pequenas empresas no Rio Grande do Norte e um importante agente de mudança nas perspectivas de sustentabilidade e prosperidade das empresas selecionadas pelo programa.

“A transformação digital é mais do que inovação e adoção de tecnologia ou modelo de negócio. É um passo relevante para se chegar a novos mercados, aumentar a competitividade e ampliar a geração de lucro nas empresas dessas mulheres empreendedoras. No programa, nossa missão é apoiar, fortalecer e orientar essas empresas, objetivando garantir a presença delas num contexto mais tecnológico e competitivo”, avalia João Hélio Cavalcanti.

Oportunidades do digital

Incentivar e contribuir para que mulheres ocupem mais e mais espaços e posições de autonomia, destaque e poder, motivou muito a criação dessa edição do Quartzo. Sendo assim, segundo a CEO da BlackRocks, era preciso buscar apoiadores com propósito muito alinhado e sólido com relação ao público do programa, então, o encontro com o Itaú Mulher Empreendedora e a IFC foi encaixe muito oportuno.

A inspiração para o nome do programa está nesse que é o segundo mineral mais abundante da Terra e o Brasil é um dos países mais rico em quartzo em suas variedades todas. Com sua estrutura cristalina, a pedra preciosa amplia e purifica energias, também tem a capacidade de até produzir eletricidade, quando submetido a pressão e tem uso diversificado desde a construção civil à fibra ótica.

Essas características se assemelham bastante com o perfil das pessoas que empreendem: versáteis, diversas, dedicadas, múltiplas. Segundo Maitê, o desenho da iniciativa partir da provocação de como trazer as oportunidades do digital para o tradicional e como levar as especialidades do offline para o mundo digital.

O período de inscrições segue até 4 de julho próximo e para obter os detalhes e preencher a ficha para a seleção, acesse www.blackrocks.com.br/quartzo. As empresas selecionadas serão anunciadas dia 15 de julho no site do Quartzo e perfis da BlackRocks e do Sebrae-RN nas redes sociais.

Sobre a BlackRocks Startups

BlackRocks Startups é um hub de inovação que promove acesso à população negra em ambientes altamente inovadores e tecnológicos. Desde 2016, a empresa apoia pessoas e negócios inovadores, lucrativos e tecnológicos, como hub de inovação preto que conecta empreendedores a capital e oportunidades no ecossistema de startups.

Sobre a IFC

A IFC - organização do Grupo Banco Mundial, é a maior instituição global de desenvolvimento voltada para o setor privado nos mercados emergentes. Trabalham em mais de 100 países, usando capital, conhecimentos técnicos e influência para criar mercados e gerar oportunidades nos países em desenvolvimento. No exercício financeiro de 2020, investiram US$ 22 bilhões em empresas privadas e instituições financeiras situadas em países em desenvolvimento, alavancando o poder do setor privado para erradicar a pobreza extrema e aumentar a prosperidade compartilhada. Para mais informações, visite www.ifc.org.

Sobre o Itaú Mulher Empreendedora

O programa Itaú Mulher Empreendedora tem como objetivo apoiar e impulsionar negócios com grande potencial liderados por mulheres, além de contribuir para a inclusão desse público e sua independência financeira, alavancando resultados financeiros, assim como seu potencial de impacto social. Saiba mais em: https://imulherempreendedora.com.br/.

Foto: Moraes Neto