Turismo

6

Jul

Turismo

Conteúdo de turismo tem alta no engajamento e queda na receita

O setor de turismo foi um dos mais afetados pela crise da Covid-19 e o cancelamento das viagens. Consequentemente, o mercado de produção de conteúdo sobre esse tema também foi fortemente impactado. Para entender esse movimento, a Guanabara, agência de PR e marketing de influência, realizou uma pesquisa com influenciadores digitais que falam sobre turismo para entender as tendências desse mercado.

O estudo ouviu cem criadores de conteúdo especializados em viagens, com números entre 50 mil e 1 milhão de seguidores. Impossibilitados de criar conteúdo sobre viagens, a pesquisa apontou que 83% dos influenciadores estão apostando em outras áreas como bem-estar, gastronomia, empreendedorismo e dicas relacionadas ao cotidiano da quarentena.

A mudança refletiu no engajamento do público. 40% dos criadores conseguiram ampliar seu número de seguidores e engajamento. Outros 22% mantiveram os números que tinham antes da pandemia. Diego Sierra, diretor e sócio da agência responsável pela pesquisa, enxerga desafios e oportunidades nesse movimento.

“Vejo muitas oportunidades, pois essa pandemia traz uma grande liberdade para que creators se reinventem e invistam em outros segmentos que fazem parte do seu estilo de vida, mas sem perder o foco. E perder o foco é justamente o maior risco. O creator deve ficar atento às estatísticas de desempenho dos seus conteúdos para analisar a receptividade do seu público a essas novidades e manter um bom engajamento”, afirma Diego.

No que diz respeito ao impacto econômico, o estudo mostrou que 77% dos influenciadores perderam faturamento no período. Já 23% conseguiram manter ou ampliar seus ganhos. A estabilidade, em muitos casos, se deu por contratos de longo prazo firmados antes da pandemia.

Outro fator responsável por essa variação é a multiplicidade de fontes de renda dos influenciadores de turismo. De acordo com o levantamento, 32% têm produtos digitais (e-books, cursos, etc) como principal receita, 31% usam os posts patrocinados, 13% programas afiliados e 13% contam com empregos formais em outras áreas.

Questionados sobre o futuro, 33% dos entrevistados acreditam que será possível viajar pelo Brasil em setembro, 28% apostam no mês de outubro e 11% em novembro. O cenário é menos otimista para as viagens internacionais. 67% dos influenciadores acham que elas só serão viáveis em 2021. Entre as tendências mapeadas para esse retorno estão a importância das agências para viagens mais seguras, a intenção de conhecer destinos nacionais e o desejo de se conectar com a natureza.

Fonte: Portal Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/07/06/conteudo-sobre-turismo-vive-alta-no-engajamento-e-queda-na-receita.html

2

Jul

Turismo

RN é o primeiro destino do Brasil a receber selo de turismo seguro

Empenhada em atender as melhores formas de se adaptar ao novo normal do turismo e dedicada a atingir os mais atuais protocolos de segurança sanitária de destinos turísticos, a Empresa Potiguar de Promoção Turística – EMPROTUR foi em busca do reconhecimento do WTTC - Conselho Mundial de Viagens e Turismo, com a requisição do selo de viagem segura criado pela entidade (Travel Safety Stamp). 

O Rio Grande do Norte passou a ser o primeiro estado brasileiro a receber o selo que tem o respaldo da Organização Mundial do Turismo e de mais de 200 CEOs das principais empresas de turismo do mundo, tais como: Hilton, Radisson Hospitality, Marriott International, Expedia, InterContinental Hotels Group, Grupo Accor, Grupo Trip.com, Hyatt, Booking.com, entre outros.

O presidente da EMPROTUR, Bruno Reis, contou que o objetivo da ação é posicionar o Rio Grande do Norte como a melhor e mais segura opção de viagem. “É importante que o trade tenha confiança e credibilidade na venda do nosso destino para os turistas terem a melhor experiência de viagem por aqui”. 

Para a secretária de turismo do RN, Aninha Costa, a referência do selo internacional traduz o trabalho que vem sendo realizado de forma profissional e participativa. “Para obtenção deste importante reconhecimento, contamos com a participação ativa do Sistema Fecomercio por meio do SENAC, Sebrae, Secretaria Estadual de Saúde do RN, todas as entidades do trade turístico potiguar e o conselho dos cinco polos turísticos do estado. Um trabalho realizado de forma conjunta buscando gerar os benefícios reais aos turistas e transformar o RN em um destino que planeja a atividade com seriedade e profissionalismo para colaborar com a retomada da economia em nosso estado“.

Importante destacar que para o selo ser validado, os protocolos precisam atender a requisitos que equilibrem segurança e viabilidade. Nesse sentido, são aceitos somente aqueles que propõem as devidas regras sanitárias, de saúde, desinfecção, distanciamento e segurança em equilíbrio com a viabilidade dos negócios de todos os tamanhos, de forma que possam ser realisticamente executadas. 

Selo do RN

Essa iniciativa se soma à criação do selo local, chamado Turismo + Protegido, que tem como objetivo capacitar os profissionais do setor e promover os serviços turísticos do Rio Grande do Norte. Lançaremos uma plataforma para que os viajantes tenham acesso às empresas do estado que fizerem adesão voluntária ao selo.

30

Jun

Turismo

IFRN e Observatório de Turismo da Uern publicam relatório de pesquisa inédita

Desenvolvido pelo Observatório de Turismo, sediado no Campus Natal da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), acabada de ser publicado o relatório final da pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da COVID – 19”. A pesquisa, coordenada pelo professor Sidcley Alegrini, contou com a participação do Campus Canguaretama do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), através da colaboração do professor Márcio Marreiro.

Segundo Márcio, diretor-geral em exercício do Campus Canguaretama, a pesquisa buscou identificar a intenção de viagem dos potiguares após a pandemia da COVID-19. O relatório publicado aponta que 74,8% dos potiguares tem a pretensão de viajar após a pandemia, sendo a Praia da Pipa (30,2%), localizada na Região Imediata de Canguaretama, foco de atuação do Campus, o principal destino turístico no rol de interesse de viagem.

Destinos como Serra de São Bento (14,9%) e São Miguel do Gostoso (20,1%) são os principais lugares de interesse do turista potiguar. A Serra de São Bento é destino também atendido por ações na área de turismo pelo Campus Canguaretama, em ações como roteirização, inventariação e diagnóstico da oferta turística local. “O lazer se configura como o maior motivo de viagem para 66,8% dos entrevistados, ao passo que atrativos turísticos (22,4%), preços praticados (21,6%) e cuidados com a higienização sanitária dos ambientes turísticos (20,1%) são os principais fatores de atratividade”, ressaltou Marreiro.

A pesquisa entrevistou, ao todo, 1.253 pessoas, entre dias 26 de maio e 03 de junho de 2020. A coleta de informações foi realizada por meio de questionário eletrônico com link disponibilizado pelos canais de comunicação do Observatur/RN.

Márcio acrescentou ainda a relevância da contribuição: “É mais uma das diversas ações que têm sido desenvolvidas pelo Campus e pelo Instituto com vistas a contribuir para a amenização dos efeitos da pandemia para a sociedade potiguar e planejamento da retomada após pandemia”; o professor citou também a doação de alimentos a estudantes e comunidades em situação de vulnerabilidade social, produção e distribuição de materiais e equipamentos para a área de saúde, desenvolvimento de sites e plataformas para disseminação de informação e orientação quanto ao COVID-19, apoio psicológico, produção e disponibilização de aulas online, promoção de capacitações e eventos online, entre as atividades desenvolvidas pelo Instituto em enfrentamento à pandemia.

Além do IFRN, por meio do Campus Canguaretama e do Observatório de Turismo (Observatur) da Uern (Campus Natal), a iniciativa contou com a participação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

29

Jun

Turismo

Sebrae lança ação para capacitar empreendimentos turísticos

As empresas e empreendedores que atuam na cadeia produtiva do turismo, uma das que foram mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e considerada de alto risco devido à grande rotatividade e circulação de turistas, terão capacitação virtual gratuita para que possam retomar as atividades com segurança para todos. O Sebrae no Rio Grande do Norte vai lançar uma ação para preparar esses empreendimentos instalados no litoral do estado a desenvolver as atividades com protocolos e procedimentos preventivos ao novo vírus, dentro do Programa de Bioprevenção, desenvolvido pela instituição em parceria com o Governo do Estado

O plano foi apresentado, na última sexta-feira (26), pelo diretor de Operações do Sebrae-RN, Marcelo Toscano, aos prefeitos e representantes dos municípios de Natal, Tibau do Sul, Canguaretama, Parnamirim, Nísia Floresta, Extremoz, Maxaranguape, Galinhos, Rio do Fogo, São Miguel do Gostoso, Ceará Mirim e Baia Formosa. O lançamento ocorrerá nesta semana.

De acordo com Lorena Roosevelt, que é gerente da Unidade de Desenvolvimento Setorial do Sebrae-RN, na qual está alocado o projeto Setorial de Turismo, o plano é oferecer capacitação para atender Microempreendedores Individuais (MEI) da área do turismo, guias, lojas de artesanato, bugueiros, ambulantes e barraqueiros. Esse público terá acesso à plataforma do Sebrae Bioprevenção, que terá conteúdos customizados para esses segmentos.

A plataforma terá palestras sobre bioprevenção, vídeo customizado ao setor, apontando boas práticas de higiene, atendimento, utilização de equipamentos de proteção individual (EPI), equipamentos de proteção coletiva (EPC) e seguindo os protocolos de segurança sanitária. A ideia é atender todos os empreendimentos da faixa litorânea do Estado em parceria com as prefeituras. A ação será coordenada pelos escritórios Metropolitano e Regional do Agreste com o suporte técnico e articulações do projeto Setorial do Turismo.

23

Jun

Turismo

Pesquisa do OBSERVATUR/RN aponta que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após pandemia de Covid-19

A pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da COVID – 19”, do Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte – OBSERVATUR/RN, revelou que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após a pandemia. A investigação evidenciou que 28,9% dos turistas potiguares irão preferir destinos domésticos; 24,4%, destinos dentro do RN, e 21,4% destinos no Nordeste.

Entre os destinos turísticos a serem procurados no RN pelos potiguares, Pipa foi citada por  30,2% dos futuros viajantes; São Miguel do Gostoso por 20,1% e Serra de São Bento e região por 14,9%. Na conquista dos visitantes, segundo a pesquisa do Observatório coordenado pela UERN Natal, os diferenciais mais relevantes serão os atrativos turísticos (22,4%), preços praticados (21,6%) e cuidados com a higienização sanitária dos ambientes turísticos (20,1%).

O levantamento traz um perfil bem detalhado do que os turistas potiguares vão buscar após a pandemia, norteando poder público e empreendimentos turísticos para a retomada do turismo no RN. Foram aplicados 1.253 questionários digitais, entre os dias 26 de maio a 03 de junho. O relatório completo da pesquisa pode ser consultado AQUI.

“Buscamos municiar o setor com  informações valiosas para a reabertura, depois do cumprimento dos decretos estaduais de isolamento social, que provocaram o fechamento de hotéis, pousadas, equipamentos de lazer, bares, restaurantes e similares no RN, assim como, afetaram os trabalhadores autônomos do turismo, como os guias, bugueiros, entre outros prestadores de serviços”, explica o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório.

17

Jun

Turismo

Cartilha orienta meio de hospedagem a retomar atividades com segurança

Os meios de hospedagem estão entre os empreendimentos com alto de risco de contaminação do novo coronavírus (Covid-19) devido à grande rotatividade e circulação de turistas nacionais e internacionais. E por isso também foi um dos mais atingidos pelas medidas de contenção à pandemia. Estimativas do Sebrae indicam que as empresas desse ramo tiveram perdas no faturamento semanal que variam entre 88% e 75% em comparação com o período pré-Covid. Para orientar o setor a retomar as atividades com foco na bioprevenção, o Sebrae no Rio Grande do Norte lançou uma cartilha para estimular os empreendimentos a prevenir e mitigar os riscos.

A publicação traz uma série de informações, protocolos de condutas e regras internas para fornecedores, distribuidores, visitantes, clientes e colaboradores, que podem servir como medidas preventivas e ajudar os empreendedores desse segmento a voltar a funcionar de forma segura. Denominada ‘Reiniciando as Atividades com Segurança’, a cartilha é voltada especialmente para os meios de hospedagem e faz parte da Trilha Saúde Coletiva, que traz uma série de medidas preventivas à Covid-19.

São informações sobre condutas de higiene e etiqueta respiratória, que ajudam a evitar ou pelo menos diminuir o risco de contaminação a todos os envolvidos na empresa. Além disso, traz dicas e recomendações comuns a todos e também destinadas a colaboradores e terceirizados, assim como nas atividades gerais e nos serviços prestados aos hóspedes. O material está disponível para download no portal do Sebrae (rn.sebrae.com.br/bioprevencao)

“Esse material visa justamente orientar os empresários do setor de meio de hospedagem a prepararem seus empreendimentos para a retomada da atividade turística. A ideia é orientá-los com relação aos procedimentos, boas práticas higiênico-sanitárias contra a Covid-19. Aplicando as orientações, ele terá um diferencial competitivo no mercado”, avisa o analista do Sebrae-RN, Yves Guerra, que é gestor do projeto Investe Turismo.

Segundo Yves, a cartilha orienta os empreendedores a implementarem os procedimentos de bioprevenção  em várias áreas do empreendimento turístico,  da reserva e recepção até as acomodações. “Esses empreendimentos tem várias estruturas, como setor de alimentação e área de lazer, que precisam seguir protocolos necessários à segurança de todos. Queremos que cada um adeque as regras de acordo com as particularidades da empresa, elaborando os seus próprios protocolos e identificando os pontos de riscos de contaminação”, recomenda Guerra.

16

Jun

Turismo

Operadores de turismo só veem recuperação em 2021, aponta pesquisa

Relatório da Rede Brasileira de Observatórios de Turismo (RBOT), sistematizado pelo Observatório de Turismo, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), revelou que prepondera no setor a perspectiva de que baixas financeiras provocadas no contexto da pandemia da covid-19, sejam recuperadas somente no ano que vem. A avaliação foi manifestada 51% das 4.921 pessoas consultadas pela sondagem.

Os participantes abrangeram profissionais atuantes de diversas áreas ligadas ao turismo, como hospedagem, alimentação, agências, operadoras de turismo e produtoras de eventos, além de representantes de prefeituras e associações. Ao todo, 15 estados foram contemplados pelo levantamento, o primeiro feito pela RBOT, e que deverá ter os números atualizados.

O estudo, intitulado Sondagem empresarial dos impactos da Covid-19 no setor de turismo do Brasil, também mostra que 12% imaginam que a melhora deve demorar para chegar, vindo apenas depois de 2021. Ainda menos otimista, uma parcela de 3% afirma que o prejuízo é irreversível, ou seja, que não irá conseguir se restabelecer, independentemente do prazo estimado. No total, quase um quinto, 19%, se mantém mais confiante e espera uma virada já para o segundo semestre deste ano.

Após analisar as respostas encaminhadas, os pesquisadores concluíram que o maior impacto se deu em abril. Naquele mês, a queda no faturamento dos empresários variou entre 75% e 100%, de modo geral, índice atingido devido ao fechamento de negócios ou à implementação de medidas de quarentena, que levou à suspensão das atividades. 

Sem dinheiro em caixa, o que levou empresários a recorrer a empréstimos, muitos deles não viram outra saída, senão encolher o quadro de funcionários. De cada dez empresas ouvidas na pesquisa, quatro demitiram empregados para reduzir gastos, característica que teve maior proporção entre os setores de hospedagem e alimentação. 

No final de maio, a Organização Mundial do Turismo (OMT), agência da Organização das Nações Unidas (ONU), informou que o setor pode perder cerca de 120 milhões de empregos com a manutenção de restrições a viagens internacionais.

Fonte: Agência Brasil

10

Jun

Turismo

Pesquisa: 59% dos brasileiros planejam viajar apesar da pandemia

Cerca de 59% dos brasileiros têm planos de fazer viagens a despeito da pandemia de covid-19, segundo pesquisa realizada com cerca de 24 mil pessoas de todo o País, entre os dias 5 e 6 de maio, pela Vivo Ads, sobre os impactos da pandemia e os planos dos consumidores brasileiros relacionados ao setor de Turismo.

O levantamento revela que, dos respondentes, 36% pretendem viajar em 2021 e que, entre os destinos, o mais desejado entre os internacionais são os Estados Unidos, indicados por 20% dos entrevistados, e a Europa, citada por 18%. Nos destinos nacionais, o Nordeste foi resposta de 29%, seguido pela região Sul, lembrada por 23%. Para os próximos deslocamentos, 26% dos entrevistados devem planejar e comprar suas viagens pela internet.

O estudo também revelou que 28% dos respondentes tiveram impacto em viagens previamente planejadas para o ano de 2020 e que, dessas, 83% eram viagens nacionais. Além disso, 17% dos participantes adiaram as passagens já compradas e outros 18% cancelaram. Quarenta e três por cento dos entrevistados acreditam que as viagens ficarão mais caras daqui em diante e 52% acham que viajarão menos após o período de isolamento social. Os resultados ainda mostram que, para 50%, as viagens serão mais perigosas em um cenário pós-pandemia.

Fonte: Panrotas, via Fecomércio

8

Jun

Turismo

Inscrições abertas a partir das 14h para cursos sobre protocolos sanitários na área de Turismo

A partir das 14h de hoje (08), o Sistema Fecomércio RN, por meio do Senac, inicia as matrículas para profissionais do segmento de turismo que desejarem participar dos cursos gratuitos focados no Plano Básico de Segurança Sanitária para Retomada do Turismo.

As capacitações têm 20 horas aulas cada e pretendem habilitar os envolvidos na cadeia produtiva do turismo para implementação das normas de biossegurança exigidas no documento, para o pleno funcionamento das atividades no contexto pós-Covid 19. Inicialmente, estão sendo disponibilizadas 500 vagas. A seleção dos alunos ocorrerá de acordo com a ordem de inscrição no site www.rn.senac.br.

Público-alvo:

Profissionais que atuam no turismo que possuam renda familiar mensal per capita de até dois salários mínimos federais, comprovados por meio de auto declaração. Deve-se apresentar documentos pessoais, como RG, CPF, comprovante de residência e escolaridade. O candidato também deve dispor de computador com acesso à internet, visto que as aulas ocorrerão a distância.

Parceiros do Plano de Retomada do Turismo

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN); Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RN); Secretaria de Turismo do RN (Setur RN); Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur); Sindicato das Empresas de Turismo do RN (Sindetur RN); Subcoordenadoria de Vigilância Sanitária do RN (Suvisa RN); Associação Braileira da Indústria de Hotéis do RN (ABIH RN).

4

Jun

Turismo

Webinar debate importância dos parques urbanos na retomada do turismo

Um tema extremamente atual entra nas discussões da Semana do Meio Ambiente de Natal de 2020: “A importância dos parques urbanos na retomada do turismo”. Um webinar vai reunir os secretários de Turismo de Natal e o de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) para uma mesa-redonda que será transmitida ao vivo, pelo canal do Youtube da Prefeitura, na sexta-feira (5), a partir das 9h.

Participam do Webinar os secretários da Semurb, Thiago Mesquita, de Turismo (Setur), Joham Xavier, o diretor da Luck Receptivo, George Costa  e como mediadora a professora do Departamento de Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Andrea Dantas.

Segundo a secretária adjunta de Turismo de Natal, Christiane Alecrim, os parques urbanos oferecem um contato com a natureza dentro da cidade, além de diversas atividades que podem ser oferecidas para os visitantes. Neles, os turistas podem relaxar, praticar esportes e socializar de forma segura. E, “como Natal tem dois parque urbanos - Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte e o Parque das Dunas -  nada mais pertinente trazer este assunto para ser debatido neste momento”, disse.

A utilização de parques urbanos pelo turismo amplia o leque de funções que os são atribuídos. O seu uso como ferramenta de lazer e recreação, bem como a gama de atividades que podem ser desenvolvidas nesses espaços, lhe conferem grande potencial para o seu desenvolvimento como produto turístico de uma cidade, informa ela. As atividades virtuais  seguem até o próximo sábado (6). Confira a programação completa aqui https://bit.ly/SemaNatal2020.

27

Mai

Turismo

Observatório do Turismo do RN lança pesquisa para nortear retomada do setor

O Observatório do Turismo do RN está realizando a pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da Covid-19”. O levantamento pretende traçar o perfil dos turistas em potencial para nortear a retomada do setor, principalmente pelas empresas norte-riograndenses que sofreram com os decretos de isolamento social, como agências de viagens, hotéis e demais comerciantes e prestadores de serviços relacionados.

Os pesquisadores também usarão as respostas para orientar as políticas públicas de turismo. O formulário digital ficará disponível até dia 04 de junho. Mais de 600 pessoas já responderam as questões formuladas pelos pesquisadores da UERN, UFRN e IFRN, em parceria com a Universidade Estadual do Piauí.

“A UESPI, através do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos em Turismo – NETUR, laboratório de pesquisa e extensão do Bacharelado em Turismo desta IES, uni-se ao Observatur RN para desenvolver pesquisas técnicas e científicas que contribuam com diagnósticos sobre a nova realidade do turismo do país. Desta forma, NETUR e OBSERVATUR somarão esforços também na produção de banco de dados que possa nortear e assessorar o planejamento e gestão do turismo, considerando especialmente os novos comportamentos do turista pós pandemia, bem como realizar análises das ofertas de atrativos e destinos, os quais deverão garantir uma retomada de atividades de forma segura e que promova experiências adaptadas a protocolos sanitários recomendados pelos órgãos oficiais de saúde e turismo do país”, explicou a Profa. Msc. Ana Angélica Costa, coordenadora geral do NETUR/UESPI.

“Através dessa parceria com a UESPI, firmamos um valioso intercâmbio de conhecimento científico, fortalecendo o Observatório do Turismo do RN, que nesta pesquisa irá utilizar como base a metodologia do NETUR/UESPI”, esclareceu o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório. A pesquisa pode ser respondida AQUI.

18

Mai

Turismo

Turismo debate futuro do mercado de agências de hotelaria, em Live no YouTube

O Departamento de Turismo (Detur), do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFRN (CCSA), realiza a primeira edição da LiveTur, com a mesa-redonda Novos caminhos para os profissionais do mercado de agências de hotelaria, na próxima quinta-feira, 21, às 16h, neste link.

A ação conta com a participação do Mestre Eduardo Faraco, da Faraco Consultoria, e Diogo Fernandes, CEO da Travel Plan Viagens & Radar de Viagens, com mediação do professor Guilherme Bridi, do Detur.

O projeto de extensão LiveTur pretende realizar debates virtuais sobre a área de Turismo durante o período de isolamento social provocado pela pandemia da covid-19. Para o professor Ricardo Lanzarini, coordenador do projeto, “essa é uma importante ação social que integra a comunidade acadêmica de turismo com o mercado de trabalho, em busca de alternativas para a retomada dos processos produtivos do setor tanto no RN quanto em todo o país”.

13

Mai

Turismo

Doutorando em Turismo da UFRN publica artigo em revista internacional mais tradicional da área

As tecnologias digitais têm sido fundamental na atualidade, desde salvar vidas até mesmo confortar famílias quebrando um pouco a distância geográfica. Nessa perspectiva, e antes mesmo do aumento dessa percepção proporcionado pelos últimos acontecimentos, o doutorando do Programa de Pós-graduação em Turismo (PPGTur), da UFRN, André Soares, tem se dedicado a estudar aspectos da relação entre Tecnologia e Turismo.

Um dos seus últimos trabalhos foi a publicação do artigo “Technology adoption in hotels: applying institutional theory to tourism” (link aqui), na revista Tourism Review, considerado o periódico de turismo mais antigo do mundo, com 75 anos de atuação. A publicação foi desenvolvida por André em parceria com os professores Luiz Mendes Filho (Departamento de Turismo e PPGTur, da UFRN) e Ulrike Gretzel (University of Southern California, Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos).

O artigo traz uma alternativa para o entendimento da adoção de tecnologia no turismo, tradicionalmente estudada com modelos mais racionais sob a perspectiva da Teoria Institucional. A pesquisa ajuda a compreender como hotéis adotam ferramentas e práticas de tecnologias e identificou que, muitas vezes, os estabelecimentos são pressionados, mesmo que sem perceber, a adotar algumas práticas tecnológicas – seja imitando um concorrente, por uma norma estabelecida, ou por atores da atividade que nem eles percebem que efetuam pressão em seus estabelecimentos.

Para o professor Luiz Mendes Filho o trabalho é importante para os estudos e para a prática em turismo: “A pesquisa contribuiu para a literatura sobre adoção de tecnologia nos hotéis devido à força que os consumidores têm nos comentários que eles postam na Internet sobre os hotéis. Isso é especialmente importante, pois as plataformas tecnológicas globais trazem disrupção aos serviços de turismo e hospitalidade”, ressalta.

1

Mai

Turismo

Série de lives reúne destinos brasileiros para promover a valorização do turismo

Com a pausa imposta ao turismo pela pandemia do novo coronavírus, vários destinos brasileiros adotam outras formas de fomentar e preservar o potencial turístico nacional. Pensando nisso, a operadora E-HTL Viagens criou uma série de bate-papos virtuais, que reúne representantes de diversas cidades do país para promover atrações locais. As lives acontecem até 9 de junho, por meio do Instagram @ehtloficial. (Veja a programação completa mais abaixo).

O presidente da E-HTL, Flávio Louro, sustenta que ações de incentivo ao turismo não podem parar. “Precisamos unir esforços para continuar promovendo a cadeia do turismo. Nosso setor foi um dos mais prejudicados devido à pandemia. Encontramos uma opção que nos aproxima de todos os nossos parceiros e será uma grande oportunidade para ajudar o setor”, comenta.

Não cancele, remarque! – Lançada no início de abril, a campanha do Ministério do Turismo busca orientar os turistas sobre a importância de adiar viagens e pacotes nesse momento de pandemia. Segundo a presidente da Brasil Total Receptivos, Marta Teixeira, graças aos esforços conjuntos do MTur e do Governo de Pernambuco, 70% das reservas em Porto de Galinhas foram remarcadas.

“A Medida Provisória 948 do Ministério do Turismo e a campanha ‘Não cancele, remarque!’ foram fundamentais para evitar demissões em massa e possibilitar as melhorias que estamos fazendo em nossas atrações turísticas. Os turistas que tinham comprado pacotes de viagem têm até 2021 para descobrir toda a beleza de Porto de Galinhas”, comemora.

O Brasil espera por você – Seguindo a vertente da promoção do turismo durante a pandemia, o MTur criou um espaço no seu portal para divulgar vídeos promocionais elaborados por destinos nacionais, que apostam em mensagens como “nos vemos em breve”, “estaremos esperando por vocês” e “a pandemia vai passar; o turismo, não”. Veja os vídeos AQUI.

Programação das lives E-HTL

05.05 – 16h00
Bonitoway (Adriana Merjann)
Tema: Bonito (MS)

12.05 – 16h00
Santa & Bella (Dagmar Zandonadi)
Tema: Florianópolis e Blumenau (SC)

19.05 – 16h00
Luck JPA (Christiane Teixeira)
Tema: João Pessoa (PB)

26.05 – 16h00
Taguatur (Maria Dias)
Tema: Lençóis Maranhenses (MA)

02.06 – 16:00
Wheltour (Wellington Palhano)
Tema: Pipa/Touros/São Miguel do Gostoso (RN)

09.06 – 16:00
TCH (André Mattos)
Tema: Morro de São Paulo (BA)

24

Abr

Turismo

Turismo: setor no Brasil voltará a níveis normais somente no fim de 2021

O setor de Turismo no Brasil vai voltar ao nível normal de produção, isto é, aos números do final do ano passado, entre setembro e dezembro de 2021. Os dados são da FGV Projetos, que lançou o estudo Impacto Econômico do Covid-19, Propostas Para o Turismo Brasileiro.

O material faz a análise contando com o início da reabertura da economia em maio; retomada gradual das viagens domésticas entre setembro e outubro; estabilização das viagens de negócios e eventos a partir de fevereiro de 2021; e a volta do Turismo internacional em junho de 2021.

As análises são do setor de hospitalidade, transportes, bares e restaurantes, agenciamento e operação de viagens, aluguel de imóveis, atividades recreativas, entre outros itens.

“Consideramos o período de interrupção de atividades de três meses, quando terá início o reequilíbrio dos negócios (estabilização) no Brasil, que durará cerca de 12 meses, uma vez que a saúde financeira dos negócios e das famílias estará comprometida. No caso do Turismo internacional, o período de recuperação poderá chegar a 18 meses”, aponta FGV Projetos.

Agenciamento é o mais atingido

Atividades de agências e organizadores de viagens é a categoria mais atingida, segundo o estudo, acompanhada de perto pelos transportes rodoviário e aéreo e pela categoria “Outros transportes e serviços auxiliares dos transportes”. Os bares e restaurantes foram os menos afetados, mas ainda assim com uma queda média de quase 60% na produção.

Dado este cenário, as perdas econômicas, em comparação ao PIB do setor em 2019, totalizarão R$ 116,7 bilhões no biênio 2020-2021, uma queda de 21,5% na produção total do período. Para compensar o prejuízo, será necessário que o Turismo como um todo cresça em média 16,95% ao ano em 2022 e 2023, com PIB de, respectivamente, R$ 303 bilhões e R$ 355 bilhões.

“Esse crescimento definitivamente não é tarefa fácil”, avaliam os especialistas. “O mercado de viagens é um dos setores mais afetados pela crise, pois a política de isolamento resultante das medidas de contenção ao contágio pelo novo coronavírus afeta frontalmente a dinâmica econômica do setor, restando quase nenhuma possibilidade receita.”