Os empreendedores que estão à frente de uma empresa ou startup que atua com ações voltadas para melhoria dos problemas da comunidade ou do meio ambiente poderão inscrever projetos e ganhar R$ 10 mil, impulso para expansão, capacitação e consultorias na área de gestão. Isso é o que oferece a terceira edição do Programa de Aceleração do Sabraelab para negócios inovadores de impacto socioambiental, promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte.

A iniciativa vai distribuir R$ 200 mil em prêmios para 20 iniciativas inovadoras nessa área, além de acelerar 40 negócios. As inscrições serão abertas no próximo dia 22, durante uma live de lançamento, que será exibida a partir das 17h pelo canal da instituição no YouTube. Os interessados poderão tirar suas dúvidas durante a transmissão. O edital completo pode ser conferido no www.rn.sebrae.com.br.

O programa de aceleração visa premiar empresas que desenvolvam negócios de Impacto Social de base tecnológica ou digital, que estejam legalmente constituídas no Rio Grande do Norte há até cinco anos, e que promovam impacto positivo em uma comunidade. Ou seja,  que a atuação acabe ampliando as perspectivas de pessoas em situação de vulnerabilidade social, aliada à possibilidade de geração de renda compartilhada e autonomia financeira a quem mora nessa comunidade ou solucionando problemas ambientais de uma região.

São considerados negócios de impacto social aqueles empreendimentos que geram lucro e impacto social ou ambiental positivo através da atividade principal, contribuindo diretamente para o alcance da agenda 2030 dos objetivos do desenvolvimento sustentável, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Na avaliação da gestora do projeto Negócios Inovadores de Impacto Socioambiental do Sebrae-RN, Mona Paula Nóbrega, os editais de fomento e aceleração são extremamente importantes para a consolidação do ecossistema de impacto do estado do Rio Grande do Norte. “O Sebrae é um dos atores nesse ecossistema, mas os empreendedores sociais são quem, de fato, conseguem gerar a transformação no dia a dia das pessoas, nas comunidades, e na resolução dos problemas”.

Podem participar do concurso pessoas jurídicas classificadas como pequeno negócios, enquadrados nas categorias de Microempreendedor Individual (MEI), Microempresa (ME) ou Pequena Empresa (EPP). Serão selecionadas 40 empresas, sendo que as 20 primeiras receberão um aporte de R$ 10 mil cada uma e também a participação no programa de aceleração com subsídio de 70%, como contrapartida do Sebrae.  

A empresa fica responsável por custear os 30% restantes – ou seja, R$ 3 mil. Outras 20 empresas serão premiadas com vagas no programa de aceleração, com subsídio de 70% do valor, cabendo o negócio entrar com uma contrapartida de R$ 1,5 mil pelos seis meses de aceleração, valor que pode ser parcelado.

Resultados

O Programa de Aceleração do Sabraelab para negócios inovadores de impacto socioambiental está em sua terceira edição e, depois de três anos fomentando diversas de impacto, o concurso se configura como uma importante ferramenta de incentivo à criação, consolidação e expansão desse tipo de empreendimento, que coloca propósito e lucro em patamares muito semelhantes, no estado.

“A gente consegue fomentar tanto novos negócios de impacto, quanto consegue remodelar negócios tradicionais para essa linha de impacto social, além de estimular a criação de negócios que resolvam os problemas da nossa sociedade, pensando em soluções criativas e inovadoras de como transformar esse problema em um produto ou um serviço”, exemplifica Mona Paula.

Sobre o programa

No edital do ano passado, foram acelerados 18 projetos nas áreas de comércio, serviço, indústria, saúde e agronegócio. “A cada edital, vemos como essas empresas conseguem aumentar a maturidade da gestão. Empresas que já participam de dois programas seguidos, entram no estágio de ideação e saem muito mais maduras, praticamente entrando no mercado com produto ou serviço”, ressalta a gestora.

O Programa de Aceleração do Sabraelab para negócios inovadores de impacto socioambiental do Rio Grande do Norte é pioneiro no Brasil, e entra na terceira edição em parceria com o Sebraelab. Modelo tem servido de exemplo para outros estados que desejam apostar no modelo de ecossistema de inovação aliado ao de impacto socioambiental.  “Para esta edição, vamos continuar mostrando como essas empresas conseguem equalizar propósito, geração de renda e a transformação socioambiental ao mesmo tempo. Já conseguimos acelerar mais de 100 negócios dentro dos programas de aceleração e pré-aceleração que lançamos e executamos”.