O levantamento mensal da Braztoa revelou que os viajantes brasileiros estão começando a programar suas viagens com mais antecedência. Em setembro, 75% das operadoras associadas disseram ter comercializado viagens com embarques para o primeiro semestre de 2021, seguidas de roteiros que se realizarão em dezembro (60%). Já as vendas de 47% das operadoras foram para embarques no segundo semestre de 2021.

Ainda em setembro, 87% das operadoras associadas realizaram vendas, sendo que 16% tiveram faturamento equivalente a entre 50% e 100% e 2% registraram faturamento maior do que setembro de 2019. O número de empresas cujo faturamento ainda está até 90% menor do que no ano anterior foi reduzido a 28% (em agosto era 40%), enquanto as demais empresas faturaram entre 11% e 50% no mesmo período. No entanto, mesmo com a melhora dos negócios, o faturamento da alta temporada não atingirá 50% em comparação ao mesmo período de 2019.

“As expectativas ainda são limitadas dadas as restrições da malha aérea, da oferta hoteleira e sobretudo do cerceamento das fronteiras. Mas é importante destacar que, com a diminuição do contágio de covid-19 e as ações de promoção do Turismo no Brasil, planejadas pelo governo, poderá haver um impulsionamento das vendas das viagens domésticas. Todo o setor está preparado, adotando os protocolos de segurança sugeridos pelo Selo Turismo Responsável, mas faz um apelo para que o viajante faça sua parte e adote boas práticas. Assim o Brasil poderá ser o protagonista de uma história livre de retrocessos, com uma recuperação linear e sustentável. É isso que almeja o setor de forma geral”, disse o presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu.

De acordo com o estudo, 34% das operadoras relataram que os embarques do mês representaram 10% em relação ao mesmo período de 2019; 19% disseram que os embarques representaram entre 26% e 50%; e 17% ficaram no patamar de 11% a 25%. Outros 7% embarcaram entre 51% e 75% de passageiros, enquanto 2% sinalizaram ter chegado ao patamar de 76% a 100% dos embarques. Para 21% das empresas, o mês de setembro não teve embarques.

Mais uma vez, a região Nordeste se destacou entre as vendas das operadoras, seguida das regiões Sudeste e Sul, que ficaram no mesmo patamar. Entre os destinos nacionais mais comercializados no mês, destacam-se Salvador, Porto de Galinhas (PE), Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e Gramado (RS). No internacional, o destaque é Cancún, acompanhado de outras regiões do Caribe, seguido pelos Estados Unidos e Maldivas. Portugal, Itália e Argentina também aparecem com boa procura.

PERFIL DAS VIAGENS

Os destinos de praia estão entre os preferidos dos brasileiros, especialmente no Nordeste e no Caribe. Em seguida, aparecem destinos do interior e locais de natureza e ecoturismo. Em relação á duração, as viagens mais comercializadas tiveram um tempo médio de cinco a nove dias, seguidas das de curta duração (até quatro dias). As escapadas de final de semana aparecem em terceiro lugar e, na sequência, estão as viagens de longa duração (dez ou mais).

As preferências dos turistas se dividem entre viagens com aéreo de longa duração (voos de mais de duas horas), seguidos de roteiros com voos de curta distância (menos de duas horas). As hospedagens em locais de curta distância (até 400 km) aparecem em terceiro lugar no ranking, seguidos das hospedagens de longas distâncias ou outros estados. Entre as opções para acomodação, os resorts aparecem com maior destaque, bem próximos das hospedagens em hotéis de redes.

Fonte: Site Panrotas, via Fecomércio