Por Meio & Mensagem

O Facebook e o Centro Internacional para Jornalistas (ICFj, em inglês) anunciaram os 44 selecionados para o programa de apoio à veículos de notícias na América Latina durante a crise de Covid-19. Entre os eleitos de 12 países da região (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai) estão 14 veículos brasileiros: Folha de S.Paulo; Estado de S.Paulo; UOL; Nexo Jornal; Rede Gazeta; Agência Pública; Alma Preta; O Povo; Gazeta do Povo; Metro Jornal; NSC Total; Nós, mulheres da periferia; Estado de Minas; e TV e Rádio Jornal do Commercio.

Com o objetivo de fortalecer a cobertura sobre a pandemia, combater a disseminação de notícias falsas, investir em tecnologia e auxiliar jornalistas neste momento, o projeto destinará US$ 2 milhões à essas organizações de notícias latino-americanas, variando de US$ 10 a US$ 40 mil. Fora isso, 18 veículos participarão de um treinamento de dez semanas, liderado por Tim Griggs, ex-executivo do New York Times, voltado ao fortalecimento de seus negócios com receitas geradas pelos próprios leitores, o Acelerador de Receita de Leitores.

Relação da plataformas com as notícias

Esta não é a primeira vez que o Facebook investe em veículos de comunicação com o intuito de fomentar o jornalismo. Em abril do ano passado, a plataforma lançou dois projetos, Aceleradores de Vídeo Digital e Notícias Locais, no Brasil. Ambas fazem parte de um plano de investimento de US$ 300 milhões da empresa até 2021 em programas de notícias, parcerias e conteúdo. Já, em 2017, a plataforma lançou o projeto global Facebook para Jornalismo com o objetivo aproximar os usuários, engenheiros e desenvolvedores da plataforma à indústria jornalística e melhorar o sistema de distribuição de notícias. Ainda para tentar combater as fake news, em 2018, a companhia lançou o botão “contexto”, que acompanha links compartilhados na plataforma.

Apesar da plataforma ter anunciado diversas medidas, projetos, recursos e investimentos para combater a disseminação de notícias falsas, recentemente diversas marcas estão boicotando a plataforma por terem seus anúncios colocados ao lado de notícias com conteúdos falsos, entre elas estão: The North Face, Coca-Cola, Verizon, Unilever e Adidas.

Fonte: Meio & Mensagem, disponpivel em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/07/02/folha-e-estadao-estao-entre-eleitos-pelo-projeto-do-facebook.html