A primeira estação espacial análoga no Hemisfério sul está realizando a missão 77, chamada de Mission Olympics devido aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Dos dias 23 de Julho a 2 de agosto, acontecem, de forma presencial e on-line, pesquisas e coletas de informações para publicações futuras na chamada Lava Cave Habitat, formação rochosa que se localiza a 400 metros da estação principal, futura base secundária do projeto.

A missão, que segue todos os protocolos de segurança, está observando como obter uma condição física de melhor preparação para os participantes, de modo a existir maior segurança e saúde para a realização das Atividades Extraveiculares (EVA). Levando em conta que as pesquisas consideram que um possível local para ocupação humana em Marte seja em cavernas, e tendo em vista a alta radiação no planeta que pode ser até 600 vezes maior do que a Terra devido à atmosfera rala, a base no Lava Cave Habitat segue tendo objetivos sólidos. 

O diferencial nesta missão é a adoção de um protocolo de preparação física que deve ter continuidade em outras missões. A saúde é um tema muito importante na formação de astronautas análogos e um tópico de importantes discussões e pesquisas. Por ter metas autossustentáveis, a Mission Olympics tem algumas ideias a serem desenvolvidas, como saneamento inteligente, produção de alimentos e uso de energia off-grid (solar). 

A equipe é formada por pessoas motivadas em participar da missão e, depois, é criado um grupo no WhatsApp no qual são compartilhadas todas as informações relativas à operacionalização da missão. As reuniões “preparatórias” ocorrem de forma on-line. Com 11 dias de duração, estão participando nove integrantes, e Fernando Oliveira, o preparador físico da missão, participa virtualmente a partir da cidade de Belém (PA). 

O projeto, que é aberto para todos interessados nos estudos da ciência do espaço, encontra-se multiplataforma, no canal do YouTube, com mais de 400 vídeos, no Instagram e no Facebook também.