Por Juliska Azevedo

Em pouco mais de uma semana de lançamento, o livro “Eu sou, eu posso” – que conta um pouco da história, reflexão e estudos do empresário Paulo de Paula em sua jornada de autoconhecimento e relacionamentos construídos ao longo da vida – tornou-se best seller no país, figurando em primeiro lugar na lista da PublishNews e em um dos primeiros da lista da revista Veja. O Blog da Juliska repercutiu o sucesso do livro com o autor, em uma conversa descontraída, por telefone, neste sábado (24).

Perguntei, de início, a que Paulo de Paula credita o sucesso tão destacado do seu primeiro livro, que fala sobre sua vida com pinceladas de física quântica, da lei da atração e da importância dos sentimentos positivos. Para ele, o sucesso do livro também é um reflexo da generosidade.

“Nessa jornada, nos últimos anos, eu queria entender quem era Paulo de Paulo. Fui em busca, pela neurociência, pela filosofia oriental, pela física quântica, para entender como acontecia isso tudo. Nossa vibração boa depende dos nossos sentimentos. Percebi que eu havia dado certo, mesmo em circunstâncias que apontavam que eu poderia ter dado errado, porque tinha sentimentos bons, especialmente o de generosidade com as pessoas. As vendas do livro são também uma resposta da generosidade que tive na minha vida com as pessoas. As pessoas estão sendo generosas comigo. Muitos amigos, pelo Brasil inteiro, comprando o livro, presenteando pessoas, compartilhando comigo o interesse por essa história”, analisa.

Paulo de Paula conta ainda que no processo de elaboração do seu primeiro livro, nos últimos quatro anos, construiu muitos relacionamentos ao participar de congressos e mergulhar nos estudos da física quântica. Um desses relacionamentos é foi com a consultora e mentora em saúde quântica, Rosângela Armt, que assina o prefácio do livro.

Usando o seu próprio exemplo, o autor apresenta no livro várias situações que viveu ao longo de sua vida, mostrando como foi capaz de enfrentar problemas, achar soluções e se tornar um vencedor. “Se as pessoas soubessem o poder que nós temos... nós somos parte de um todo, e esse todo é parte de nós. Somos um ser poderoso, somos dotados de uma energia incrível”, ressalta Paulo de Paula, na conversa com o blog.

É quando eu pergunto a ele se considera-se um místico. “Um místico, não. Me considero uma pessoa comum. No máximo, um observador do comportamento humano. No meu estilo, no meu dia a dia, sou prático, daqueles de botar a barriga no balcão e resolver. Não me considero um intelectual, nem neurocientista, nem filósofo, nem místico. Sou uma pessoa comum que acredita na força de cada um”, afirmou.

Paulo de Paula contou ao blog que não vai parar por aqui. Já está gestando um novo livro, que vai falar sobre gratidão na educação. Nesse ramo, o empresário tem muito o que contar. Fundador da UnP e atualmente sócio-diretor do Colégio Porto, Paulo de Paula já empreendeu por diversas vezes na área. “É um livro que vai falar sobre como podemos chegar na formação das pessoas, e ajuda-las através da gratidão. Trabalhar a formação do jovem não é trabalhar apenas a parte acadêmica, mas a formação do ser humano”, comenta.