No mercado há 7 anos, a Alexa desde sempre é definida por sua voz feminina, mas agora ganhou uma contraparte do outro sexo. De maneira muito silenciosa, a Amazon lançou na última semana uma versão da assistente virtual com um som masculino e batizada de “Ziggy”. Ela por enquanto está disponível apenas nos EUA, mas você pode ter um gostinho do perfil aqui.

Foi na surdina porque a atualização do programa veio junto do anúncio (aparentemente) maior da inclusão de Shaquille O’Neal e Melissa McCarthy como celebridades opcionais para assumir a posição de assistente. O diferencial da voz masculina em relação a esses últimos é que o termo “Ziggy” agora ganha mesma importância no dicionário de palavras dos aparelhos da Amazon que “Alexa”, “Echo” e o próprio nome da empresa tem, com todos sendo capazes de ativar os smart speakers e outros aparelhos com integração da assistente.

Como outras atualizações, o usuário pode alternar entre as diferentes vozes da Alexa pedindo que ela “mude de voz”, mas nesse caso é válido apontar que a alteração deve ser feita em cada aparelho com a assistente virtual. Para manter o discurso de que a Alexa e o Ziggy não tem gênero definido, a Amazon define as duas respectivamente como as opções de voz “original” e “nova” – um truque que imita a Apple e o Google, que usam números e sistema de cores para diferenciar os perfis da Siri e do Google Assistente.

Ainda não há uma previsão oficial de quando Ziggy chega ao resto do mundo.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/147834/alexa-ganha-opcao-de-voz-masculina/