Tecnologia

23

Ago

Tecnologia

Saúde e Tecnologia: “Odontologia e Ortodontia na Era Digital” acontece em setembro

No final de setembro, Natal sediará um evento que mesclará saúde e tecnologia: o “Odontologia e Ortodontia na Era Digital: uma visão clínica”, que é destinado aos profissionais e estudantes da área. Será realizado na sala de Convenções do CTC, na Amintas Barros, em Lagoa Nova, no dia 26/09, das 19h às 22h. 

A dentista, especialista em Ortodontia pela USP, Fernanda Amorim, será a palestrante do curso, que visa a capacitação dos profissionais e a atualização de conhecimentos. Entre os temas discutidos, a troca das moldagens tradicionais pelos escaneamentos digitais e o planejamento on-line. 

“Com os escaneamentos dos dentes, as informações vão para o computador e pode haver uma impressão em resina, em uma máquina 3D. A precisão na cópia de detalhes, por meio de uma imagem tridimensional das estruturas, facilita o trabalho dos profissionais e oferece, principalmente, conforto aos pacientes”, destaca Fernanda. 

O evento é organizado pela C&M Produções e Eventos e as vagas são limitadas. O participante receberá um certificado 4 horas/aula. Informações: (84) 99497.8725/ E-mail: contato@cemproducoes.com.br. Inscrições pelo endereço eletrônico http://www.cemproducoes.com.br/

Palestrante
Cirurgiã-dentista pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Fernanda Amorim é especialista em Prótese Dentária (Fundecto/USP-SP), especialista em Disfunção temporomandibular e Dor Orofacial (Unifesp) e especialista em Ortodontia pela Universidade de São Paulo (Fundecto/ USP-SP).

23

Ago

Tecnologia

Google propõe novo padrão de privacidade para proteger os usuários na web

A Google anunciou, no início desta quinta-feira (22), que está com uma nova iniciativa para desenvolver uma série de padrões para aprimorar a privacidade na web, chamada de Privacy Sandbox. Com a medida, seria possível que o usuário encontrasse pela web anúncios personalizados, sem precisar divulgar dados privados individuais, fortalecendo sua segurança.

Mas, para conseguir executar essa tarefa com sucesso, a Google está procurando por técnicas que consigam mostrar que determinada pessoa pertence a um grupo de gostos pessoais, até que fique claro que ela não está sozinho nele.

Com isso, a companhia implementaria um tipo de orçamento de privacidade, permitindo aos sites pedidos de solicitações de dados que pertençam a um grupo significativamente grande, bloqueando-os posteriormente.

"A tecnologia que anunciantes usam para fazer publicidade ainda mais relevante para as pessoas agora vem sendo usada para muito além do objetivo inicial de design, a ponto de fazer com que algumas práticas não combinem as expectativas de segurança dos usuário. Recentemente, alguns navegadores tentaram resolver esse problema, mas sem nenhum conjunto de padrões de acordo, as tentativas de melhorar a privacidade do usuário estão passando por consequências indesejadas", diz a Google em nota oficial, justificando a iniciativa.

Por fim, a Google planeja implementar essas medidas sem que seja preciso desativar os cookies, por exemplo, fazendo com que a capacidade de exibição de anúncios relevantes fosse limitada, mas sim criando um equilíbrio entre usuários e reguladores.

Além da Google, a Apple também está atrás de ideias para acompanhar conversões de anúncios, fazendo com que cada clique gere uma venda, sem que seja preciso rastrear os sites. O objetivo final da gigante da tecnologia é fazer com que esses métodos evitem fraudes em anúncios, beneficiando ainda sistemas de privacidade.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/seguranca/google-propoe-novo-padrao-de-privacidade-para-proteger-os-usuarios-na-web-147565/

22

Ago

Tecnologia

Aplicativo contra a dengue é lançado na capital potiguar

A Prefeitura do Natal, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), lançou, durante a Campus Party, que aconteceu de 16 a 18 de agosto em Natal, o aplicativo de smartphone “Dengue Não”, que tem o intuito do reforçar o combate ao mosquito transmissor da doença, de forma interativa e colaborativa com a população.   Na ferramenta, é possível ter recomendações sobre os mitos e verdades da enfermidade e checar recomendações de boas práticas para não facilitar a reprodução do Aedes aegypti.

Além disso, a aplicativo conta com espaço para notificações de casos de dengue (com mapa interativo, espaço para denúncia e Ranking Dengue Não) e com Boletim Entomoepidemiológico das Arboviroses. Outras funções do aplicativo são os jogos educativos para diversas faixas etárias e espaço para conhecer e registrar seus sintomas. Dentro do app, existe um ranking com pontuação e premiação para os usuários que usam a ferramenta.

Para a criação do programa, a SMS envolveu setores com representantes das pastas de Promoção à Saúde, Saúde Bucal, Saúde da Criança, Saúde da Família, Departamento Vigilância em Saúde, o Centro de Controle de Zoonose, Assessoria de Planejamento, secretários adjuntos e o próprio secretário municipal de Saúde, George Antunes. 

O aplicativo “Dengue Não” já está disponível para aparelhos móveis com sistema operacional Android e futuramente também estará disponível para IOS. Existe também a possibilidade de acessar o aplicativo por computadores em sua versão Web, mas sem a opção de jogos.  Para baixar o aplicativo, basta acessar o link Applink.com.br/colabore_natal.  
 

22

Ago

Tecnologia

Pulseira inteligente será capaz de prever crises de pessoas com autismo

Pulseiras e relógios inteligentes estão a cada dia mais úteis quando o assunto é a saúde. Além do Apple Watch, por exemplo, que é capaz de detectar possíveis quedas, conta com eletrocardiograma, e pode fazer chamadas de emergência, agora uma nova pulseira poderá ser capaz de prever crises de pessoas que sofrem de autismo.

O dispositivo, que funciona com aprendizado de máquina, faz a detecção de coisas como batimentos cardíacos, produção de suor, temperatura da superfície da pele e movimentos feitos com os braços e, juntando os dados todos, é possível detectar as crises cerca de 60 segundos antes que elas aconteçam, com 84% de chances de acerto.

A pulseira foi criada por Matthew Goodwin, cientista de comportamento da Universidade de Northeastern, em Boston, e o especialista conta que a equipe envolvida no projeto conduziu testes com 20 crianças com autismo em um período de 87 horas. Os resultados mostraram que o acessório foi capaz de monitorar cada episódio agressivo, correspondendo-o com mudanças psicológicas, includindo dados no sistema da pulseira.

Futuramente, o objetivo de Goodwin e sua equipe é testar o dispositivo em outras 240 pessoas. A tecnologia ainda está em desenvolvimento, mas pode ser uma ferramenta a mais para ajudar famílias e cuidadores de pessoas que lidam com a condição.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/wearable/pulseira-inteligente-sera-capaz-de-prever-crises-de-pessoas-com-autismo-147479/

20

Ago

Tecnologia

Pesquisadores criam adesivos corporais que verificam a saúde

Na última sexta-feira (16), a universidade de Stanford anunciou um novo experimento: adesivos corporais que leem informações a respeito da saúde da pessoa. Basicamente, os adesivos captam os sinais fisiológicos que emanam da pele, e então transmitem essas leituras de saúde para um receptor preso à roupa. O sistema foi batizado de BodyNet. Os pesquisadores usam tinta metálica e colocam um sensor em um adesivo elástico projetado para aderir à pele e monitorar indicadores de pulso e outros indicadores de saúde.

O professor de engenharia química responsável pelo estudo, Zhenan Bao, acredita que essa tecnologia vestível vai ser usada primeiramente em ambientes médicos, como monitoramento de pacientes com distúrbios do sono ou problemas cardíacos. No entanto, o laboratório já está tentando desenvolver novos adesivos para detectar o suor e outras secreções para rastrear variáveis ​​como temperatura corporal e estresse. "Achamos que um dia será possível criar uma matriz de sensores de pele para coletar dados fisiológicos sem interferir no comportamento normal de uma pessoa", Bao afirma.

O estudo foi feito por uma equipe de 14 pessoas, que passou três anos projetando os sensores. A ideia era uma tecnologia que fosse confortável de usar e não tivesse baterias ou circuitos rígidos. Assim, o adesivo de borracha preso ao pulso pode se ajustar à medida que a pele da pessoa se move. Os pesquisadores de Stanford tiveram que desenvolver um novo tipo de sistema capaz de transmitir sinais fortes e precisos ao receptor, apesar das constantes flutuações. 

O receptor alimentado por bateria usa o Bluetooth para carregar periodicamente os dados dos adesivos para um smartphone, computador ou outro sistema de armazenamento permanente. A versão inicial dos adesivos contava com minúsculos sensores de movimento para obter leituras de respiração e pulso. Os pesquisadores agora estão estudando como integrar suor, temperatura e outros sensores em seus sistemas de antenas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/inovacao/pesquisadores-criam-adesivos-corporais-que-verificam-a-saude-147117/

20

Ago

Tecnologia

Itep vai usar tecnologia 3D no RN para reconstrução facial

Com o objetivo de permitir a reconstrução facial em tecnologia 3D a partir de crânios encontrados em cenas de crimes, possibilitando a aproximação com a fisionomia real e a identificação do cadáver encontrado em decomposição, o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN), por meio do Instituto de Medicina Legal (IML) fechou uma importante parceria com o professor Cícero Morais, 3D designer e especialista com reconhecimento mundial em reconstrução facial forense que irá fornecer os softwares desenvolvidos gratuitamente.O trabalho científico de reconstituição facial forense com os programas desenvolvidos pelo professor Cícero Morais será pioneiro entre os institutos de perícia do país. 

“A partir de plug-ins que desenvolvi para atuar junto com o software Blender conseguimos atender várias demandas, entre elas a da perícia criminal com a aproximação da fisionomia da face de um cadáver e até mesmo de um corpo inteiro. Há possibilidade ainda de utilizar a fotogrametria que possibilita a partir de fotografias de um objeto reconstruí-lo em 3D, podemos ainda importar e converter tomografias, separando áreas especificas como osso, tecido, dentes, o que permite, também na área pericial, digitalizar cenas de crime para fazer aproximações de acidente de trânsito, por exemplo”, explicou o professor Cícero Morais, que visitou o Núcleo de Antropologia Forense do IML e foi uma das atrações da Campus Party Natal 2.

 

19

Ago

Tecnologia

Depois de criar primeiro âncora de jornal não-humano, China anuncia que vai recriar vozes de autores falecidos

Em 2018, a empresa Sogou, desenvolvedora de um popular mecanismo de pesquisa que equivale ao Google chinês, anunciou a criação de âncoras de telejornalismo inteiramente feitos com inteligência artificial. Na época, a justificativa utilizada foi redução de custos, já que um âncora artificial pode trabalhar por 24 horas por dia sem maiores gastos se não o planejamento do jornal e a programação do sistema. Conduzido pela agência estatal de comunicação, o projeto foi posto em prática e hoje já é responsável por influenciar novos experimentos.

Agora, porém, a Sogou está dando novos passos no uso da tecnologia para criar experiência e interação humana. Escritores falecidos terão suas vozes recriadas com uso de inteligência artificial para que possam narrar as versões em audio de suas obras, os famosos audiobooks.

A tecnologia já é capaz de transformar obras literárias em audiobooks com rapidez, mas o problema é que a grande maioria do público prefere consumir tais obras com narração dos próprios autores ou de vozes famosas, como artistas ou figuras públicas relevantes.

Os âncoras desenvolvidos pela Sogou já são utilizados na China pela agência estatal Xinhua. Apesar de ser uma reconstrução muito fiel à aparência humana, acaba ficando óbvio para o espectador que trata-se de uma cópia, e não uma pessoa de verdade. Tal diferença levanta uma interessante questão sobre a criação dos “narradores artificiais”: a novidade será capaz de funcionar assim como a voz de uma celebridade ou do próprio autor, ou será apenas uma forma de atenuar o estranhamento de uma voz mecânica e, com isso, permitir que as empresas continuem investindo na adaptação automática?

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/112498/ia-usada-para-criar-ancoras-chineses-nao-humanos-vai-recriar-voz-de-autores-falecidos/

19

Ago

Tecnologia

Palcos lotados e comunidade engajada são os destaques da 2ª edição da Campus Party Natal

A nova área do Centro de Convenções de Natal recebeu entre sexta-feira, 16, e domingo, 18 de agosto, a segunda edição da Campus Party Natal, maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo. Com o apoio do Governo do Rio Grande do Norte e da Prefeitura do Natal, mais de 20 mil pessoas passaram pelas três áreas do evento: Arena, Camping e Open Campus. Cerca de 750 pessoas ficaram acampadas e puderam acompanhar as mais de 150 horas de programação que contou com 145 palestras e 46 workshops nas diversas áreas de conhecimento que permeiam a Campus Party.

Entre os 180 palestrantes da Campus Party Natal vale destacar a presença do papa do Linux e especialista em software livre, Jon “maddog” Hall, da líder de parcerias para a América Latina do Google, Juliana Vasconsellos e do designer 3D brasileiro que, por meio de programas de código aberto como InVesalius e Blender, tornou-se uma referência no campo da reconstrução facial forense, Cícero Morais. Além disso, a participação dos campuseiros e das comunidades do Natal fizeram com que os conteúdos apresentados nos palcos fossem mais aderentes a realidade da região e como consequência os palcos estiveram sempre lotados.

“Chamamos os campuseiros a cocriarem a Campus conosco. Além do programa Call for Talks que contou com uma participação massiva, tivemos as comunidades oficiais – Dumont e Jerimum HackerSpace, LEP e Jerimum Valley, Boyzinhas Arretadas e DevOps RN – que nos ajudaram a construir cerca de 80% do conteúdo do evento”, explica Tonico Novaes, diretor geral do evento. Na Arena também ocorreram os Hackathons, maratonas de conhecimento cujo objetivo era o de desenvolver soluções tecnológicas para o bem da humanidade.

Entre sábado e domingo, foram realizados 3 desafios: Hackathon Justiça Federal no RN, que tinha como objetivo melhorar o atendimento da justiça para o cidadão; Hackathon Hackabeach, que buscava desenvolver soluções tecnológicas para melhorar a gestão de Educação e Saúde do Município de Natal; e Hackathon Governo Microlearning, que visava desenvolver soluções para treinamento e capacitação digital para o servidor público do Governo do Estado do Rio Grande do Norte. “Uma característica muito importante dos hackathons realizados em Natal é que todos foram voltados para encontrar soluções que melhorem a vida da sociedade”, explica Fernando Tomé, coordenador de hackathons da Campus Party.

Foto: Gabriel Maciel

17

Ago

Tecnologia

Realidade virtual é criada para pessoas treinarem o momento de demitir alguém

Quem já esteve ou está em cargos superiores sabe que não é nada fácil precisar demitir alguém, independente de qual for o motivo. Mas, pensando em ajudar nessa dolorosa missão, a empresa Talespin, especializada em realidade virtual, criou o Barry Thompson.

Barry é uma realidade virtual classificada como "tecnologia humana virtual", criada para ajudar as pessoas a treinarem seus discursos de demissão. Kyle Jackson, CEO e cofundador da Talespin, conta que o objetivo do software é oferecer aos funcionários um "espaço seguro para a prática de situações interpessoais e desafiadoras, enquanto usam a inteligência artificial para dar forma a personagens emocionalmente realistas, estimulantes e desafiadores".

A companhia desenvolveu Barry utilizando tecnologias de reconhecimento de fala, inteligência artificial, processamento de linguagem natural, pontuação gamificada, feedback dinâmico, sistemas de gerenciamento de aprendizado empresarial e integração. Ele é capaz de conversar com uma pessoa real de forma fluida, exibindo emoções realistas e entendendo o contexto das situações apresentadas.

Mais realista do que você imagina

Barry Thompson tem aparência física realista, com cabelos grisalhos, bolsas sob os olhos que mostram cansaço e, possivelmente muitos anos de trabalho dedicados a uma empresa.

A reação do robô à notícia de que está sendo demitido pode variar de acordo com a forma na qual o humano está lidando com a situação. Ele pode ficar irritado e gritar, ou ainda chorar, mas também pode aceitar a informação com calma. Jackson conta que o usuário pode aprender com a experiência de conversa com Barry, fazendo ainda melhor da próxima vez.

As inteligências da Talespin estão sendo treinadas também para ensinar pessoas a fazerem partos, operar máquinas e a soldar. "Uma das vantagens da realidade virtual é que ela pode ser implementada para direcionar tanto o sistema de habilidades comportamentais quanto o sistema de habilidades cognitivas", complementa Jackson.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/rv-ra/realidade-virtual-e-criada-para-pessoas-treinarem-o-momento-de-demitir-alguem-146913/

16

Ago

Tecnologia

Em tempos de Netflix, jovens são maioria nos cinemas, indica pesquisa

O PostTrak, serviço de pesquisa sobre filmes, indica que a faixa etária que mais frequenta os cinemas atualmente está entre 18 e 24 anos. O número surpreende principalmente porque era muito menor 7 anos atrás, quando os jovens representavam apenas um quarto de todos os compradores de ingressos.

Segundo os dados, apenas 11% do público geral que vai ao cinema tem mais de 55 anos. Também ficou registrado, utilizando 1,25 milhão de consumidores em 1.002 filmes como base, que 34,4% disseram que frequentemente assistem a filmes em serviços de streaming e na televisão.

Para Paul Dergarabedian, analista sênior de mídia da Comscore, dona da PostTrak, o número de espectadores em casa é a prova de que cinema e plataformas como a Netflix podem coexistir sem problemas, pois não é necessário escolher apenas uma das opções. Segundo ele, há um grupo de pessoas dinâmicas que buscam entretenimento e não se importam muito onde encontrarão o conteúdo desejado.

O analista, segundo aponta o portal IndieWire, também prevê que empresas como a Disney, detentora de cerca 40% da bilheteria do cinema mundial, trabalharão para aumentar a conexão entre as suas plataformas de streaming e os seus longas nas telonas. No caso da casa do Mickey, devemos ver uma grande ligação entre as séries do Disney+ e os filmes lançados fora do serviço.

Os cinemas ainda são um lugar visitado por jovens e deverão continuar sendo por muito tempo. Neste ano, vimos Vingadores: Ultimato se tornar a maior bilheteria de todos os tempos, com grande parte de seu público formado por pessoas mais novas. O Rei LeãoCapitã Marvel e Homem-Aranha: Longe de Casa também foram destaques, atingindo a casa do bilhão.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/cultura-geek/145005-tempos-netflix-jovens-maioria-cinemas-indica-pesquisa.htm

16

Ago

Tecnologia

Campus Party Natal: Petrobras realiza desafio com inteligência artificial

Entre os dias 16 e 18 de agosto, acontece em Natal a Campus Party - um dos principais eventos de tecnologia, ciência e internet do País. O evento terá três áreas de atividades que proporcionarão aos participantes uma imersão em diversas tecnologias. Esta é a segunda edição da Feira em terras potiguares e promete reunir estudantes, pesquisadores, professores, empresários e aficionados por tecnologia e internet.

“O evento é multidisciplinar e traz as tendências tecnológicas e de entretenimento digital. A Petrobras investe constantemente em inovação e novas tecnologias e, por isso, é importante estar em eventos como este, que fomentam a cultura da inovação”, comenta Aislan Greca, gerente de Patrocínio e Eventos da Petrobras. Com um estande de 60 m², a Petrobras estará na Open Campus, área gratuita do evento, com um espaço onde o visitante poderá participar de quiz de ciência e tecnologia, games interativos e o podcast Jornada pelo Conhecimento. Além disso, uma área de descompressão foi criada para quem preferir relaxar um pouco durante o evento.

Um dos destaques da programação é o Desafio Petrobras de Voicebots. Equipes de até quatro pessoas terão 36 horas para construírem, a partir de especificações apresentadas, um voicebot - assistente virtual com inteligência artificial que utiliza a voz como meio de interação. Além disso, palestras gratuitas sobre robótica, segurança da informação, big data e transformação digital serão oferecidas no estande da companhia (confirma programação abaixo).

No sábado, dia 17/08, no Palco Entrepreneurship, às 15h15, Michel de Souza Menezes, sócio da Fab Lab Recife – projeto que conta com patrocínio da Petrobras - fará a palestra “De estudante de robótica a educador maker”. Graduando de Licenciatura em Computação na Universidade Federal Rural de Pernambuco, Michel vai contar sua trajetória e desafios.

Programação de palestras no estande Petrobras da Campus Party

Dia 17.08 (sábado)
10h – Segurança da Informação no desenvolvimento de novas aplicações, com Paulo Henrique Pontes
11h – Robótica e Realidade Aumentada na Exploração e Produção de Petróleo, com Marcelo Goulart
14h20 – Transformação Digital: Novas Interfaces, com Luis Gustavo Neves
16h- Análises e Visualização de dados em tempo de big data, com Rodrigo Mantovaneli.

Dia 18.08 (domingo)
10h – Segurança da Informação no desenvolvimento de novas aplicações, com Paulo Henrique Pontes
11h – Robótica e Realidade Aumentada na Exploração e Produção de Petróleo, com Marcelo Goulart
14h20 – Transformação Digital: Novas Interfaces, com Luis Gustavo Neves
16h- Análises e Visualização de dados em tempo de big data, com Rodrigo Mantovaneli.

16

Ago

Tecnologia

IFRN vai emitir diplomas de forma digital por meio do sistema da instituição

O Comitê de Ensino do IFRN (Coen) se reuniu nesta segunda e terça-feira (12 e 13), na Sala de Atos da Reitoria do Instituto. A reunião, coordenada pela pró-reitora de Ensino, Ticiana Coutinho, teve como uma das principais pautas a emissão de diploma digital.  A pró-reitora explica que os diplomas serão emitidos através do Suap e contarão com um código único, utilizado nacionalmente.

Além de mais praticidade para os estudantes, a ferramenta confere mais segurança e garante a autenticidade do documento. A diretora de Avaliação e Regulamentação do Ensino, Tarcimária Gomes, complementa: "em breve, todos os diplomas do IFRN serão solicitados e emitidos de forma digital. Temos uma comissão multidisciplinar trabalhando nesse processo, com apoio da Diretoria de Gestão em Tecnologia da Informação (DIGTI), e diálogo com outras instituições de ensino do país". 

Outro tema abordado pelos integrantes do Coen foi a regulamentação do Plano Educacional Individualizado para atendimento a Pessoa com Deficiência (PCD) ou necessidades educacionais específicas. O documento está finalizado e serão enviado à discussão e aprovação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepex) e, posteriormente, ao Conselho Superior (Consup). Também foi pauta do encontro a regulamentação das atividades acadêmicas externas, mais conhecidas como aulas de campo. Uma comissão avaliará o regulamento em vigor a fim de atualizá-lo.

O Comitê de Ensino é formado pelos servidores atuantes na Pró-Reitoria de Ensino, integrantes da Equipe Técnico-Pedagógica do Instituto e pelos diretores acadêmicos dos campi. O objetivo do Comitê é promover a reflexão sobre os temas acadêmicos e pedagógicos da instituição, dando os encaminhamentos necessários às questões. 

15

Ago

Tecnologia

Open Campus: confira os destaques da área gratuita da segunda edição da Campus Party Natal

Para não deixar ninguém de fora da maior experiência tecnológica do mundo, a Campus Party Natal, que conta esse ano com o apoio da Prefeitura do Natal e do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, oferece um espaço gratuito e aberto ao público com inúmeras atividades – a Open Campus. A área funcionará no próximo sábado, 17, entre 10h e 20 horas, e no domingo, 18, entre 10h e 19h, no Centro de Convenções de Natal.

Quem passar pelo local poderá presenciar mostras de projetos acadêmicos e startups com ideias inovadoras. Pela primeira vez ainda, os visitantes poderão assistir a palestras do palco STEAM (um acrônimo em inglês para as disciplinas Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), uma metodologia integrada e baseada em projetos e que tem como objetivo formar pessoas com diversos conhecimentos preparando os alunos e cidadãos para os desafios do futuro. Entre os destaques desse palco está uma palestra sobre a utilização de sucata no ensino da Robótica Educacional, uma introdução completa ao universo do Machine Learning, a apresentação do programa Norte-Rio-Grandense de Pensamento Computacional e a uma discussão sobre o momento em que os robôs deixam de viver isolados nas linhas de montagem das industrias e chegam as casas das pessoas.

Além disso, no espaço, os visitantes poderão participar de workshops sobre robótica e educação que tem como objetivo atingir crianças, jovens, alunos e professores. Entre as atividades de destaque do espaço Educação do Futuro estão uma palestra sobre as ferramentas para a Educação 4.0 e o uso de Internet das Coisas na Educação do Futuro. Já no espaço RobotiCampus as crianças terão a oportunidade de montar uma luminária dos Vingadores utilizando princípios básicos de eletrônica, já os adultos, por sua vez, poderão aprender os princípios básicos de Arduino com o objetivo de realizar uma automação residencial básica por meio de Bluetooth e Apps gratuitos.

“Nosso objetivo com a área Open da Campus Party é receber um público cada vez maior e que vivencie um pouco do que é a Campus Party, além de impactarmos os campuseiros do amanhã, por isso, para essa área, selecionamos pílulas de conteúdos que serão apresentados na Arena, além de apresentar muitas ideias inovadoras com as Startups e os projetos da Campus Future”, explica Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party.

Confira abaixo as principais atividades da área:

WORKSHOP EDUCAÇÃO DO FUTURO

Neste espaço serão apresentados palestras, workshops e outras interações que abordarão novas ferramentas, abordagens e aplicações na educação. Mais informações em: https://campuse.ro/events/campus-party-natal-2019/workshop

PALCO STEAM

Com o objetivo de formar pessoas com diversos conhecimentos preparando os alunos e cidadãos para os desafios do futuro, subirão ao palco profissionais de tecnologia, educação, matemáticos entre outros profissionais, que falarão sobre os mais inovadores temas de suas áreas. A programação completa do palco poderá ser acompanhada em: https://campuse.ro/events/campus-party-natal-2019/talk

ROBOTICAMPUS
Espaço dedicado a robótica com workshops e mostra de projetos tecnológicos e científicos. Confira a programação em: https://campuse.ro/events/campus-party-natal-2019/workshop

STARTUP & MAKERS

O programa de incentivo ao empreendedorismo da Campus Party que já ajudou mais de mil startups, se tornou uma verdadeira plataforma para empresas com potencial de crescimento. Com um modelo único, o programa reúne networking, interação, conhecimento e possibilidade de contato com empresas e investidores.

CAMPUS FUTURE

Mostra de projetos acadêmicos desenvolvidos em salas de aula por alunos de graduação, recém-formados e em centros de pesquisas de todo o Brasil.

Sobre a Campus Party

A Campus Party é a maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo. O evento conta hoje com mais de 550 mil campuseiros cadastrados em todo mundo. Já produziu edições nos seguintes países: Espanha, Holanda, México, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia, Equador, Itália e Singapura. O evento está presente no Brasil há doze anos.

 

15

Ago

Tecnologia

Google desenvolve inteligência artificial para jogar futebol

Uma equipe de pesquisadores e agentes envolvidos no projeto intitulado Google Research Football Environment está testando três algoritmos de aprendizado de reforço em um variedade de desafios relacionados ao esporte em questão. A inteligência artificial vai jogar tanto contra jogadores humanos quanto contra máquinas. No ambiente de futebol virtual preciso da empresa, os agentes responsáveis pela criação vão precisar “controlar os jogadores, aprender como passar entre eles e como superar a defesa de seus oponentes para marcar gols”.

No próprio resumo do projeto, divulgado pela Cornell University, a equipe de pesquisadores explica: "O progresso recente no campo da aprendizagem por reforço foi acelerado por ambientes virtuais de aprendizagem, como os videogames, em que novos algoritmos e ideias podem ser rapidamente testados de maneira segura e reproduzível. Apresentamos o Google Research Football Environment, um novo ambiente de aprendizado de reforço em que agentes são treinados para jogar futebol em um simulador 3D avançado baseado em física".

A equipe responsável pelos estudos ainda completa: "O ambiente resultante é desafiador, fácil de usar e personalizar, e está disponível sob uma licença de código aberto permissiva. Além disso, fornece suporte para experiências com vários agentes e multi-agentes. Propomos três cenários completos de dificuldade variável e relatamos os resultados de linha de base para três algoritmos de reforço comumente usados ​​(IMPALA, PPO e Ape-X DQN)".

A inteligência artificial não precisa dominar apenas a parte de ataque ou defesa do futebol, mas também coisas como estratégia de alto nível e quando é absolutamente ideal fazer algum movimento. Vale ressaltar que os pesquisadores da Google também não são os únicos interessados ​​em obter máquinas para jogar futebol, já que isso é algo que faz parte dos planos da RoboCup desde 1996. Além disso, o futebol é o único esporte que os especialistas em inteligência artificial estão planejando ensinar: a IBM construiu recentemente, por exemplo, uma inteligência artificial que joga tênis.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/inteligencia-artificial/google-desenvolve-inteligencia-artificial-para-jogar-futebol-146821/

15

Ago

Tecnologia

Marco legal das startups deve ser encaminhado ao Congresso neste ano

O governo pretende encaminhar ao Congresso Nacional, até o final do ano, o Marco Legal de Startups, iniciativa que cria normas e práticas para o setor. A expectativa do Ministério da Economia é que o projeto de lei seja encaminhado até setembro. “Acreditamos que será uma alavanca para que o Brasil se torne um dos países mais inovadores do mundo. Quando comparamos o novo marco legal com o ambiente de startups em outros países, estamos aproveitando as melhores lições, e indo além. O Brasil vai se tornar uma grande potência de startups global”, disse o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, em entrevista à Agência Brasil. Ele proferiu palestra no Innovation Summit Brasil – 2019, evento que debate, em Florianópolis, o ecossistema brasileiro de ciência, tecnologia e inovação.

O marco legal é um projeto realizado pelos ministérios da Economia e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações em parceria com a sociedade civil. “O marco legal foi produto de uma construção que teve a participação de 160 pessoas, e que foi colocado em consulta pública, tendo recebido 711 contribuições, com mais de 4 mil sugestões de alterações. Por isso, estamos no momento de sistematizar essas contribuições para encaminhá-lo ao Congresso Nacional no segundo semestre”, disse Igor Nazareth, subsecretário de Inovação do Ministério da Economia.

Segundo Nazareth, o marco legal estuda a melhora do ambiente de negócios, com propostas de simplificação para que as startups se tornem sociaedade anônima (S.A.) e possam receber recursos, com diminuição da burocracia e redução de custos. Também foram objetos de trabalho, a facilitação de investimentos, as compras públicas e a atração de talentos para as startups.

“Hoje temos algumas leis dispersas que tratam do tema e trazem alguns avanços. Mas o que estamos fazendo é trazer tudo isso para aperfeiçoar o que diz respeito às startups e colocar no mesmo marco legal. Não estamos trabalhando só com leis. O projeto será encaminhado ao Congresso, mas também estamos trabalhando com decretos e instruções normativas. O objetivo do trabalho e do marco legal é identificar as barreiras que dificultam o crescimento e desenvolvimento das nossas startups e propor instrumentos e políticas para apoiar seu crescimento e desenvolvimento”, afirmou Nazareth.