Comunicação, estratégia e mercado

O Blog da Juliska é um espaço para falar sobre os temas acima e ainda trazer dicas, abordar as tendências, acompanhar novidades do mundo corporativo, das mídias sociais e do mercado publicitário. Interaja comentando nos posts ou pelo e-mail juliska.azevedo@gmail.com. Conto com sua companhia!

19

Jun

O Edital de Inovação para a Indústria 2018, iniciativa do SENAI, SESI e Sebrae, vai investir até R$ 55 milhões para o desenvolvimento de projetos em empresas industriais de todos os portes, incluindo startups de base tecnológica.

Nesta edição, projetos inovadores poderão ser inscritos em cinco categorias: A. Inovação Tecnológica para Grandes e Médias Empresas; B. Inovação Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas (MPE), Micro Empreendedor Individual (MEI) e Startups de Base Tecnológica; C. Empreendedorismo Industrial – Grandes empresas e Startups; D. Inovação em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e Promoção da Saúde (PS) e E. Inovação Setorial em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e Promoção da Saúde (PS). As inscrições para o Ciclo 1 das categorias A, B, E e D foram prorrogadas para até o dia 03/07/2018.

Foco na seleção de projetos para a indústria 4.0

Uma das novidades é que as categorias A e B terão foco na seleção de projetos destinados a ajudar o setor industrial brasileiro a se inserir na indústria 4.0 – termo utilizado para definir a fusão entre os mundos físico e virtual. A também chamada quarta revolução industrial tornará a forma como se produz hoje obsoleta. “Entendemos que, para apoiar a indústria nessa necessária atualização tecnológica, temos de estimular projetos inovadores que vão ajudar a aumentar a competitividade do setor industrial por meio da indústria 4.0”, explica o gerente-executivo de Inovação e Tecnologia do SENAI, Marcelo Prim.

A categoria C, Empreendedorismo Industrial – Grandes empresas e Startups, também possui mais recursos em 2018 para estimular a conexão entre grandes indústrias e startups, micro e pequenas empresas. Nessa chamada, empresas consolidadas no mercado, denominadas instituição-âncora, podem apresentar, a qualquer momento, desafios a serem solucionados por empreendedores.

19

Jun

O Global Teacher Prize, principal premiação voltada ao reconhecimento de trabalhos realizados por professores em todo o mundo, está com as inscrições abertas. O prêmio, considerado o Nobel da Educação, oferece US$ 1 milhão ao vencedor. Professores podem se inscrever ou serem indicados até o dia 9 de setembro, no site www.globalteacherprize.org.

O prêmio é aberto a professores do ensino fundamental e médio, inclusive de cursos online. Os candidatos deverão obrigatoriamente cumprir carga horária mínima de 10 horas semanais e planejar se manter na profissão pelos próximos cinco anos.

No caso da indicação por terceiros, a pessoa deverá escrever uma breve explicação online com o motivo da recomendação. O professor indicado irá receber um e-mail sobre sua indicação acompanhado de um convite para a inscrição.

O Global Teacher Prize está na quinta edição e é organizado pela instituição de caridade Varkey Foundation, com o objetivo de valorizar boas práticas de educação, assim como promover a troca de ideias entre profissionais da área de pedagogia do mundo inteiro.

Em dezembro, serão anunciados 50 pré-selecionados e, em fevereiro de 2019, os dez finalistas. Eles serão levados a Dubai para a cerimônia de premiação no Global Education and Skills Forum, em março de 2019, onde o vencedor será anunciado durante o evento.

Prêmio já teve finalistas brasileiros

Professores brasileiros já foram destaque no prêmio. Diego Mahfouz Faria Lima, diretor da escola municipal Darcy Ribeiro, em São José do Rio Preto, São Paulo, esteve entre os dez finalistas em 2018, tendo sido selecionado entre mais de 30 mil inscritos de 173 países. Rubens Ferronato, professor de matemática voluntário da escola Dom Pedro 2º, de Curitiba (PR), especialista no ensino de cegos e pessoas de visão reduzida, foi pré-selecionado no mesmo ano.

Wemerson da Silva Nogueira, professor de ciências na escola Antônio dos Santos Neves, Boa Esperança (ES), foi um dos dez finalistas em 2017, e Valter Pereira de Menezes, professor de ciências da escola Luiz Gonzaga, Parintins (AM), foi pré-selecionado. Marcio de Andrade Batista, professor da Universidade Federal do Mato Grosso, foi um dos pré-selecionados em 2016.

Com informações da Agência Brasil.

 

19

Jun

A UNESCO está convidando fotógrafos profissionais de todo o mundo a enviar uma amostra de suas melhores fotografias, ilustrando jornalistas enquanto realizam seu trabalho. As fotografias selecionadas ajudarão a aumentar a conscientização sobre as condições de trabalho dos jornalistas e ilustrar as atividades e programas da UNESCO que contribuem para a promoção da liberdade de expressão. A diversidade regional também é fortemente incentivada.

Estão sendo procuradas imagens que retratam jornalistas que trabalham em diferentes situações, como por exemplo: jornalistas internacionais e/ou locais que trabalham em investigações de casos de corrupção ou irregularidades políticas; participando de julgamentos, coletivas de imprensa, manifestações ou grandes eventos públicos; dinâmicas de gênero no jornalismo; ameaças representadas pelo assédio na Internet; jornalistas que trabalham em mídias digitais; a vida cotidiana de um jornalista; e cenas da redação ou do estúdio de TV/rádio.

Além disso, em áreas de interesse particular que incluem: jornalistas inseridos na polícia ou nas forças armadas; jornalistas que relatam de uma zona de conflito; jornalistas em veículos protegidos ou em frente a locais de mídia com proteção ou qualquer outro caso estejam trabalhando em situações desafiadoras. As fotos selecionadas pela UNESCO incluirão uma representação equilibrada de gênero. 

Na condição de agência das Nações Unidas com um mandato específico para promover “o livre fluxo de ideias por palavra e imagem”, a UNESCO visa promover a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa e, ao fazê-lo, familiarizar o mundo com a vida cotidiana e as questões enfrentadas pelos jornalistas.

As fotografias serão escolhidas pelo seu conteúdo artístico, criativo e original. A UNESCO estabelecerá um contrato com os fotógrafos e comprará as fotografias selecionadas, de modo que os direitos não exclusivos das fotografias selecionadas sejam concedidos à UNESCO.

Requisitos para propostas: máximo de 12 fotografias; cor; resolução mínima 350 dpi; tamanho mínimo A4; legenda da foto em inglês ou francês para cada foto com informação (local, hora, assunto); preço por fotografia. As fotografias propostas podem ser enviadas para IDEI@unesco.org. O prazo para envio meia-noite (padrão GMT) de 15 de julho de 2018.

Fonte: Site da UNESCO em https://nacoesunidas.org/unesco-seleciona-ate-15-de-julho-fotografias-de-jornalistas-em-acao/ 

 

19

Jun

O Google anunciou hoje, em seu blog oficial (https://blog.google/), que está disponível na Play Store o aplicativo Google Podcasts, que vai permitir aos usuários assinarem e baixarem os seus programas de áudio favoritos, podendo fazer isso, inclusive, por comando de voz.

A intenção do Google é aprimorar sua ferramenta para áudio – que até então ficava restrita a uma seção discreta chamada Play Music – depois que a Interactive Advertising Bureau divulgou um crescimento de 86% no mercado de podcasts. Ou seja: há uma enorme potencial nos programas de áudio, e uma indústria ainda engatinhando em torno deles.

O Google Podcasts permite sincronizar os programas que você escuta com todos os dispositivos cadastrados automaticamente – podendo mudar de equipamento sem perder o ponto em que você está no episódio – e possui controle de velocidade da reprodução, de metade até o dobro do ritmo normal.

Como planos para o futuro, o Google prevê recursos com inteligência artificial em um futuro próximo, incluindo transcrições em tempo real dos podcasts para outros idiomas.

Crédito da imagem: reprodução do Blog do Google https://blog.google/.

19

Jun

Não basta o olho no lance na hora do jogo – o torcedor contemporâneo tem um olho na tela da TV e o outro, nas mídias sociais. Estudo realizado pela consultoria eCGlobal aponta que o Facebook é a plataforma preferida entre os que terão as redes sociais como segunda tela durante a Copa. A pesquisa foi feita por meio de um questionário digital feito com dois mil internautas, e divulgada hoje no Portal Meio & Mensagem.

O levantamento revelou que Facebook tem 58% da preferência como segunda tela de quem está acompanhando os jogos, seguido do WhatsApp, com 40%; do Instagram, com 32%; do Youtube, com 24% e do Twitter, com 19%.

O Instagram se mostrou mais relevante para os jovens de 15 a 20 anos de idade, a geração Z, que registrou 44% de menções, junto com WhatsApp (43%) e Facebook (53%). Do montante, 78% dos participantes pretendem compartilhar e consumir conteúdo sobre a Copa do Mundo nas redes sociais e 45% já seguem ou pretendem seguir jogadores nas redes.

18

Jun

A nova campanha de educação no trânsito do Governo do Estado, realizada pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito), instalou carros e motos destruídos por acidentes em outdoors localizados em pontos estratégicos do RN. A iniciativa executada pela agência Executiva Comunicação, que no ano passado levou os veículos destruídos aos shoppings, dessa vez foi de levar as peças que provocam impacto a algumas das principais vias de trânsito. A ação faz parte da campanha “Sua atitude vale mais que mil palavras”, que tem o objetivo de reduzir o número de acidentes e salvar vidas. O foco está cada vez mais presente na lei seca, os cuidados com o excesso de velocidade e o uso do celular.

A primeira parte da campanha, divulgada em 2017, foi a vencedora do XVI Prêmio Denatran de Educação de Trânsito. #CurtoDirigirBem foi produzida pela Executiva e eleita a melhor do Brasil na categoria “Comunicação I”, que envolveu agências de publicidade, profissionais de mídia de todo o país.

Em 2018, a nova campanha traz outdoors duplos com carro e moto de acidentes ganhando às ruas. Pontos em Mossoró, no Mossoró Cidade Junina, na zona norte de Natal, na avenida Salgado Filho em frente ao Edifício Jacumã, em Candelária, são alguns dos locais das peças instaladas nesta ação diferenciada.

A campanha forte, que chama a atenção de quem vê, tem obtido resultados. No Hospital Walfredo Gurgel, principal unidade de atendimentos a acidentados de trânsito, há registro de uma diminuição de 12% no número de pacientes vítimas de acidentes no último ano. Pesquisa realizada pelo Detran apontou que 97% da população do Estado aprova as campanhas e atesta sua importância para a conscientização e redução dos acidentes.

18

Jun

Novidade no Uber: o aplicativo incluiu no seu menu a opção para que o passageiro destine um valor para o motorista a título de gorjeta – não sujeito às taxas do aplicativo. O usuário pode dar uma gorjeta selecionando valor sugerido pelo aplicativo – e nesse caso incluir no cartão de crédito – ou optando por “pagar por fora”, entregando o valor diretamente ao motorista.

É preciso ter a versão mais recente do app para dar uma gorjeta ao seu motorista. O valor pode ser destinado depois de avaliar a viagem, pelo histórico de viagens ou pelo recibo do trecho percorrido. O passageiro tem até 30 dias para decidir dar a gorjeta.

Também é possível destinar gorjetas para entregadores via Uber Eats. Nesse caso, o usuário tem até 7 dias para registrar no aplicativo a destinação do valor. O Uber permite também que sejam usados créditos e valores pré-pagos para a destinação de gorjeta.

18

Jun

A partir de amanhã (19), estudantes do ensino médio da rede pública – inclusive do Rio Grande do Norte – podem se inscrever para a 17ª edição do programa Jovens Embaixadores, promovido pela Embaixada dos Estados Unidos. Em parceria com o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed) e secretarias estaduais de educação, 50 jovens, entre 15 e 18 anos, serão selecionados para um intercâmbio de três semanas nos Estados Unidos.

Para o conselheiro de Educação da Embaixada dos Estados Unidos, Erik Holm-Olsen, o programa, que começou em 2003, é uma oportunidade de descobrir jovens talentos brasileiros. “É inspirador ver pessoas de famílias economicamente desfavorecidas com desempenho incrível. Conhecer estudantes que, em meio a tanta dificuldade, conseguem se destacar e já fazem a diferença em suas comunidades. Queremos impulsionar e incentivar essas tendências”, afirmou.

O intercâmbio preconiza a liderança, isto é, os jovens são incentivados a multiplicar o conhecimento adquirido. “A ideia é formar um círculo virtuoso de oportunidades, no qual eles alcancem o sucesso e proporcionem novas oportunidades a outros jovens”, disse.

Para concorrer a uma vaga, os candidatos devem ter boas notas, domínio da língua inglesa e ter participado de trabalho voluntário por no mínimo um ano. As inscrições podem ser feitas até o dia 12 de agosto pelo site.

Em 16 edições, 572 jovens brasileiros participaram do programa. Alguns sequer tinham saído de suas cidades de origem. Viajar de avião com destino a outro país não fazia parte da realidade de muitos deles. Mas, depois do programa, voltaram com a certeza de que poderiam chegar onde quisessem e ainda fazer a diferença na vida de outras pessoas.

É o caso do economista e cientista político Giovani Rocha, 26 anos, que participou do programa em 2009. Negro, filho de empregada doméstica e auxiliar de mecânico, morador da periferia do Rio de Janeiro, voltou dos Estados Unidos com o objetivo de fazer com que outros jovens tenham as mesmas oportunidades que ele teve.

“Logo terminei o ensino médio e consegui uma bolsa de estudos em uma faculdade elitizada do Rio de Janeiro. Em um curso de 150 alunos, éramos apenas dois negros. Diziam que eu era um ponto fora da curva. Meu papel é fazer com que outros negros pobres tenham as mesmas oportunidades que eu tive”, comentou.

Para cumprir seu objetivo, seguiu como voluntário do projeto Líderes do Amanhã, trabalhou como consultor do Banco Mundial apoiando o Ministério da Educação na reforma do Ensino Médio e, em agosto, embarca para os Estados Unidos. Ganhou bolsa integral de uma universidade americana para fazer mestrado em relações raciais no Brasil, política pública, racismo e impacto.

Com informações e foto da Agência Brasil. 

18

Jun

Uma plataforma nova lançada pela Universidade de São Paulo (USP) está proporcionando ao público o acesso simplificado à produção intelectual dos pesquisadores da melhor instituição de ensino superior do país. A Biblioteca Digital da Produção Intelectual (BDPI) da USP reúne em seu acervo cerca de 925 mil registros, incluindo a produção científica, acadêmica, artística e técnica de pesquisadores, mais as teses e dissertações defendidas desde 1985. E, diariamente, esses números são atualizados, à medida que os bibliotecários cadastram novos documentos.

De acordo com a USP, a ferramenta foi idealizada para funcionar como um buscador sofisticado mas fácil de personalizar para o usuário de acordo com seus interesses. Com uma única interface, a ferramenta proporciona a descoberta, recuperação e rastreabilidade da produção de pesquisadores, departamentos e unidades da Universidade.

A universidade informa ainda que além do acesso à íntegra de documentos que estão disponíveis para acesso aberto na internet, a BDPI indica o caminho para o material mais antigo, que ainda não foi digitalizado.

BDPI permite pesquisas de artigos e teses

A BDPI pode ser utilizada para descoberta de artigos, trabalhos de evento, livros e capítulos de livro, teses e dissertações por assunto, autor e por unidade, expressando competências e especialidades dos pesquisadores da USP.

Mas também é fonte de indicadores e métricas associadas às produções registradas, apresentando os totais por tipo de material, autor, ano de publicação, idioma, título da fonte, editora, idioma, agência de fomento, indexação em bases de dados, entre outras opções de recuperação de dados, apresentados em gráficos.

O Dashboard permite visualizar de maneira simples informações pré-configuradas, podendo ser personalizado pelo usuário, com aplicação de filtros. O pesquisador poderá ter informações agregadas sobre sua unidade, departamento ou sobre um pesquisador, permitindo ter uma visão global do conjunto. Acesso pelo endereço http://bdpi.usp.br/dashboard.php

Com informações de texto de Luiza Caires, no Jornal da USP.

18

Jun

Não tem nada a ver com as excessivas quedas de Neymar no jogo de ontem nem com o pênalti que não foi marcado. Mas um estudo feito por acadêmicos de três universidades indica que a Seleção Brasileira não é a que mais tem chances de vencer a Copa do Mundo 2018, que acontece na Rússia. O estudo foi divulgado em matéria do portal Exame, neste domingo, antes da estreia do Brasil na Copa.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores desenvolveram uma inteligência artificial que executou 100 mil simulações com base em estatísticas de outras Copas. Em vez do Brasil, as equipes que mais têm chances de levantar a taça em 2018 são as da Alemanha e da Espanha. O Brasil aparece apenas como o terceiro país com mais chances na competição, seguido pela França e pela Bélgica – a Argentina só aparece em sexta colocação.

O estudo, disponível em inglês no arXiv, apontou que o número de jogadores que participaram da Champions League em cada seleção é um fator importante para determinar a quantidade de chances de vencer da Copa.

O resultado dos jogos é importante para montar os cenários analisados pela inteligência artificial dos pesquisadores, mas o acontecimento que pode definir o campeão deste ano é a equipe da Alemanha passar das quartas de final. Se isso acontecer, ela desbanca o favoritismo da Espanha e deve levantar o troféu na Rússia, segundo a previsão.

As equipes com zero por cento de chances de chances de vencer a Copa do Mundo 2018 não trazem surpresas para quem acompanha o futebol internacional. São elas: Arábia Saudita, Irã e Japão.

Fonte: Portal Exame https://abr.ai/2lf7GiV Acesse o estudo aqui: https://arxiv.org/abs/1806.03208