Tecnologia

9

Jun

Tecnologia

Plágio e autoria na produção científica será tema de debate virtual, amanhã

Dentro da série de encontros virtuais promovidos pela Secretaria de Estado da Administração (Sead), por meio da Escola de Governo (EGRN), o “Plágio e Autoria na Produção Científica” é o tema desta quarta-feira (10), às 14h. Esta edição terá como convidado o professor Cezinaldo Bessa, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), doutor em Linguística e Língua Portuguesa e mestre em Estudos da Linguagem, que vai debater a temática proposta junto com os pesquisadores participantes do projeto.

O debate vai tratar o plágio e a autoria como questões que perpassam as formas de criação humana. “Penso em abordar o plágio e a autoria no contexto da ciência, tecnologia e inovação, focalizando as concepções de plágio e de autoria; os tipos (mais comuns) de plágio; as formas de combate ao plágio e, por fim, a criação autoral”, explica Bessa. O professor da UERN espera que o encontro seja um momento de interlocução com a possibilidade de construir boas reflexões sobre a temática. “Espero contribuir com um olhar mais atento e cuidadoso sobre essas questões tão fundamentais em nossas atividades de pesquisa e de comunicação científica”, revela.

Os encontros são abertos ao público em geral. Os interessados poderão acompanhar o próximo debate acessando o link http://meet.google.com/xda-vqvx-sht.

A ação é uma iniciativa da Sead em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern) e tem como objetivo fomentar discussões em torno do tema central "Modernização da Gestão Administrativa e Inovação”. De acordo com a assessora técnica da EGRN e coordenadora da ação, Lúcia Pessoa a proposta dos encontros virtuais é estimular o fomento de produção científica realizada no âmbito estadual. “É também uma oportunidade de acompanhar os projetos que tem sido desenvolvidos pelos pesquisadores da Sead e da Fapern”, destaca.

Ao todo, seis reuniões virtuais semanais integram a iniciativa, que começou no dia 27 de maio e já contou com a participação do presidente da Fapern, professor Gilton Sampaio; da professora doutora Sheyla Fontenele (UERN) e da filósofa mestre Rejane Oliveira. "Projetos de Pesquisa e Projeto de Inovação na Promoção do Desenvolvimento Social e Econômico do RN" e "Ética no Âmbito da Pesquisa Científica" foram os temas dos dois primeiros encontros.

9

Jun

Tecnologia

Google Maps para celular enviará alertas de trânsito durante a pandemia

 O Google disponibilizou, nesta segunda-feira (8), os novos recursos para usuários do Google Maps. A principal funcionalidade são os novos alertas de trânsito. Agora, será possível ter uma ideia se o metrô ou uma linha de ônibus está muito cheio, se há necessidade de usar máscara para se locomover e se algum serviço foi suspenso pelas autoridades.

O Google usará dados de agências locais para fornecer esse tipo de informação ao usuário. A boa notícia é que o Brasil será um dos primeiros países a receberem o recurso, que também valerá para Argentina, Austrália, Bélgica, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, México, Países Baixos, Reino Unido e Tailândia.

Além dos alertas de trânsito, o Maps também alertará sobre os pontos de verificação e restrições da COVID-19 ao longo do caminho — como ao atravessar fronteiras nacionais. Após iniciar a navegação, o app mostrará se sua rota foi afetada pelas medidas restritivas impostas pela pandemia. Inicialmente, a novidade estará disponível apenas no Canadá, México e EUA.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-maps-para-celular-vai-enviar-alertas-de-transito-durante-a-pandemia-166162/

8

Jun

Tecnologia

Governo federal digitaliza mais de 150 serviços públicos durante a pandemia

Nos últimos três meses, período de quarentena no país devido à pandemia do coronavírus, o governo federal digitalizou 156 serviços. Com a redução de custos e aumento na eficiência dos servidores públicos, o governo espera economizar R$ 2,2 bilhões por ano.

O esforço elevou para 729 o número de serviços públicos digitalizados desde janeiro. Segundo a Estratégia de Governo Digital, documento publicado em abril, o governo federal pretende alcançar os 100% de digitalização até o fim de 2022 e poupar R$ 38 bilhões em cinco anos, de 2020 a 2025. 

Segundo a secretaria, a economia decorre da eliminação do papel, da redução da burocracia, da diminuição de erros e de fraudes. Também serão reduzidos custos devido a menor necessidade de locação de estruturas, de manutenção de logística e de contratação de pessoal para atendimento presencial.

Serviços digitalizados

Serviços da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o cadastro para o auxílio emergencial são alguns exemplo da digitalização feita até então. Foram 46 serviços da Anvisa digitalizados. Já o auxílio emergencial da Caixa teve 107,2 milhões de pedidos cadastrados e 101,9 milhões de solicitações processadas até a última sexta-feira (5). 

Para o Ministério da Economia, a digitalização também é bem-sucedida por deslocar servidores públicos de tarefas operacionais para atividades especializadas, otimizando o trabalho. No caso do seguro-desemprego do trabalhador doméstico, digitalizado durante a pandemia, o serviço exigia 7,3 mil trabalhadores. Com o atendimento virtual, apenas 630 profissionais passaram a ser necessários, o equivalente a 8,5% do total anterior.

 

8

Jun

Tecnologia

Projeto da UFRN oferece cursos on-line sobre robótica para a comunidade

O projeto de pesquisa e extensão da UFRN, “URA – Um Robô por Aluno”, vinculado à rede de laboratórios NatalNet, visando as atuais condições impostas pela pandemia de Covid-19, está disponibilizando cursos de programação e robótica – inicialmente com os cursos da plataforma Arduíno e a linguagem Python, via canal do projeto no Youtube: “URA – Um Robô por Aluno”. O curso de Arduino já está disponível.  

O URA tem o objetivo de levar o ensino da robótica de baixo custo às escolas públicas. Atualmente trabalham com turmas do ensino médio e turmas de professores, ensinando desde a montagem dos robôs até a programação deles.

Além dos cursos citados acima, o projeto estará fazendo também Webinares no intuito educacional, com temas relacionados à educação e tecnologia. Serão disponibilizados certificados aos inscritos, basta preencher o formulário disponibilizado na bio do instagram do projeto.

Essas conferências online serão realizadas com professores da UFRN e de outras universidades, e alunos especialistas nos assuntos. O primeiro Webinar será realizado dia 10 de junho de 2020  às 19 horas, com o tema “Robótica Educacional: Aspectos técnicos e pedagógicos” com os professores Aquiles Burlamaqui (UFRN), Orivaldo Santana (UFRN) e Akynara Aglaé (UFERSA). Para mais informações e contato, acessar o Instagram do projeto: @umroboporaluno.

7

Jun

Tecnologia

Mais de 150 serviços públicos são digitalizados durante pandemia

Pressionado a reduzir aglomerações durante a pandemia de coronavírus, o governo federal digitalizou 156 serviços públicos nos últimos três meses. Um total de 58 serviços em março, 45 em abril e 53 em maio passaram a ser oferecidos sem a necessidade de que o cidadão saia de casa.

O esforço elevou para 729 o número de serviços públicos digitalizados desde janeiro de 2019. Segundo a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, que coordena o processo, a digitalização resulta em economia de R$ 2,2 bilhões por ano com a redução de custos e com o aumento de eficiência dos servidores públicos.

Segundo a Estratégia de Governo Digital, documento publicado em abril, o governo federal pretende alcançar os 100% de digitalização até o fim de 2022 e economizar R$ 38 bilhões em cinco anos, de 2020 a 2025. De acordo com a secretaria, a economia decorre da eliminação do papel, da redução da burocracia, da redução de erros e de fraudes e da menor necessidade de locação de estruturas, de manutenção de logística e de contratação de pessoal para atendimento presencial.

A digitalização de alguns serviços está diretamente relacionada ao enfrentamento à covid-19. O governo transformou em digitais 46 serviços da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), muitos dos quais considerados prioritários no combate à pandemia. Com 107,2 milhões de pedidos cadastrados e 101,9 milhões de pedidos processados até a ultima sexta-feira (5), o cadastro para o auxílio emergencial representa outro exemplo de digitalização, com o processo feito inteiramente pelo celular ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Otimização

Em relação aos servidores públicos, o Ministério da Economia considera a digitalização bem-sucedida por deslocar funcionários de tarefas operacionais para atividades especializadas, otimizando o trabalho. No caso do seguro-desemprego do trabalhador doméstico, digitalizado durante a pandemia, o serviço exigia 7,3 mil trabalhadores. Com o atendimento virtual, apenas 630 profissionais passaram a ser necessários, o equivalente a 8,5% do total anterior.

De acordo com a Secretaria de Governo Digital, a economia anual com o seguro-desemprego para domésticos chegará a R$ 357,9 milhões. Atualmente, o serviço é demandado por 280 mil trabalhadores por ano.

Agência Brasil

6

Jun

Tecnologia

Educação, ciência e tecnologia são tema de lives promovidas pela Robô Ciência

A Escola Robô Ciência vem realizando uma série de lives nas redes sociais sobre temas ligados à educação, ciência e tecnologia. Na próxima segunda-feira (08) acontece mais uma delas, sobre as curiosidades por trás das viagens espaciais. Todas serão conduzidas pelo professor de física Alexandre Amaral, que também é o diretor da escola. Os encontros on-line vão acontecer sempre a partir das 19h no Instagram (@robociencia) e no canal no Youtube da Robô Ciência.

“Nessa primeira live nós vamos falar sobre quais são as condições pra se lançar uma sonda no espaço, quais as condições biofísicas necessárias para o astronauta e, o mais importante, qual o objetivo da humanidade em conhecer o cosmo”, explicou o professor.



No próximo dia 16 de junho o tema será educação: “Enem digital, um novo modelo de avaliação”. O professor vai detalhar como será a aplicação do exame, que pela primeira vez terá parte das provas feita pelo computador. Mais de 100 mil alunos em 110 cidades brasileiras vão passar por essa experiência.

O terceiro encontro virtual acontecerá no dia 23 de junho e desta vez o tema será “Inteligência artificial aplicada à educação”. “Vamos mostrar algumas ferramentas que serão muito úteis para a educação. Só para termos uma ideia, se colocarmos uma câmera captando o rosto de uma criança, nós conseguimos saber, por meio de algoritmos, se essa criança está aprendendo, qual a porcentagem de atenção dela e, a partir daí, a gente consegue descobrir se ela tem déficit de atenção. Tudo isso é inteligência artificial”, exemplificou.

5

Jun

Tecnologia

Pesquisa: número de smartphones no mundo deve crescer mais de 50% até 2021

Um estudo divulgado pelo Cuponation revelou que a taxa de smartphones no mundo deve aumentar ainda mais se levarmos em consideração as projeções de compras feitas até dezembro do próximo ano, chegando à marca de 50% de novos dispositivos sendo adquiridos.

De acordo com um levantamento que tomou como base dados compilados entre 2016 e 2020, até o final de 2020 haverá cerca de 3,5 bilhões de pessoas com um dispositivo móvel. No ano de 2016 havia cerca de 2,5 bilhões de aparelhos, e a expectativa para o final de 2021 é de que existam por volta de 3,8 bilhões de smartphones em escala mundial, o que representaria esse aumento de mais de 50%.

Quando observamos apenas a taxa de inserção dos dispositivos móveis por país, é possível perceber que o Brasil ocupa a 23ª colocação do ranking com 32 países de diversos lugares do globo, com 60% da população com um celular ativo e moderno, 23% com um dispositivo móvel qualquer e 17% sem nenhum smartphone.

No topo da tabela temos a Coreia do Sul como o país de maior penetração de dispositivos móveis, com um total de 95% da população com algum tipo de dispositivo. Índia ocupa o último lugar dessa lista, com apenas 24% de seus habitantes portando um smartphone.

Fonte: TecMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/153859-numero-smartphones-mundo-deve-crescer-50-2021.htm

3

Jun

Tecnologia

Google é processado por monitorar navegação de usuários na internet

O Google foi processado nesta terça-feira em uma ação que acusa a companhia de invadir a privacidade de milhões de usuários ao monitorar o uso que fazem do modo privativo do browser de navegação pela internet.

O processo pede ao menos 5 bilhões de dólares em reparações e acusa a empresa de ilegalmente coletar informações sobre o que as pessoas estão vendo online e a partir de que locais estão navegando, por meio de vários aplicativos e plugins, incluindo Google Analytics e Google Ad Manager.

“Bilhões de vezes por dia, o Google faz computadores ao redor do mundo informarem em tempo real as comunicações de centenas de milhões de pessoas à empresa”, afirma o processo aberto em San Jose, na Califórnia. Representantes do Google não comentaram o assunto de imediato.

O processo coletivo afirma que provavelmente inclui milhões de usuários e busca reparação de danos de 5 mil dólares por usuário ou três vezes os danos a cada um, o que for maior.

Fonte: Exame, disponível em: https://exame.com/negocios/google-e-processado-por-monitorar-navegacao-de-usuarios-na-internet/

3

Jun

Tecnologia

Estudante do IMD cria Guia do Pensamento Computacional para crianças

De maneira a otimizar a formação e educação domiciliar durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19), a aluna Soraya Roberta Medeiros, discente de pós-graduação do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), criou o Guia do Pensamento Computacional, iniciativa que ajuda pais ou responsáveis por crianças a desenvolverem atividades educativas durante o período de isolamento.

Com foco no ensino dos pilares do Pensamento Computacional (PC) – decomposição, abstração, reconhecimento de padrões e algoritmos –, o material ajuda crianças de 6 a 11 anos de idade a desenvolverem competências como cooperação, produção, interpretação e leitura de textos, raciocínio lógico e formação de senso crítico e criativo diante de problemas escolares e do cotidiano.

Para isso, o guia propõe atividades que podem ser feitas com equipamentos comuns encontrados em casa. Exemplos disso são as tarefas Separar BrinquedosElaborando uma Festa de AniversárioCompras do SupermercadoCálculo de uma Conta Armada de Somar, entre outras. A iniciativa também representa uma alternativa aos pais que não podem pagar por cursos com essa estratégia.

Aluna do Programa de Pós-Graduação em Inovação em Tecnologias Educacionais (PPGITE), Soraya Roberta Medeiros contou, para a produção do material, com a orientação dos professores Cibelle Amorim Martins, do Centro de Educação da UFRN (CE), e Charles Andrye Galvão Madeira, do IMD, além da diagramação da aluna do curso de Turismo (UFRN) Carolina Dietrich.

29

Mai

Tecnologia

90% dos acessos bancários no Brasil são feitos por celular, aponta estudo

Uma pesquisa realizada pela Comscore e divulgada na última quarta-feira (27) mostra que os celulares são o método preferido dos brasileiros para acessar os serviços bancários, com 90% dos usuários preferindo essa opção. Além disso, a categoria Financeiro está entre as dez mais procuradas e acessadas, com mais de 106 milhões de usuários únicos.

Pagar contas ou verificar saldos, por exemplo, substituiu outras atividades, quando o consumidor tem um smartphone ou tablet em suas mãos. Manter a vida financeira atualizada ficou à frente de temas como Esportes, Estilo de Vida, Viagens, Notícias e Pesquisa, com 9,6 milhões de minutos de navegação, superando outras categorias relevantes.

Fintechs aceleraram o avanço ao mobile

A pesquisa da Comscore abrange ainda a relevância das fintechs para um maior acesso aos serviços financeiros por meio dos smartphones. Isso porque a esmagadora maioria delas usam, quase que exclusivamente, aplicativos para o manuseio de seus serviços, de forma mais descomplicada, bem como o atendimento ao público. E hoje, isso vale tanto para as startups financeiras, quanto para os bancos mais tradicionais.

Prova disso é que o documento aponta, por exemplo, que no caso do Nubank, 98% dos acessos são feitos feitos por celular. E tradicional Caixa Econômica Federal registrou, na pesquisa, 10% dos acessos feitos por computador e 90% por celular.

Ainda no caso do Nubank - a mais popular entre as fintechs - 52% dos usuários de Nubank são mulheres e 48% são homens, sendo que 30% dos consumidores estão entre 25 a 34 anos. O Neon também possui maior relevância entre as pessoas de 25 a 34 anos (28%) e das regiões Sudeste (39%) e Nordeste (38%).

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/90-dos-acessos-bancarios-no-brasil-sao-feitos-por-celular-aponta-pesquisa-165634/

29

Mai

Tecnologia

Pesquisa: e-commerce dobra o número de vendas no Brasil durante a pandemia

Embora a situação do país não seja das melhores, devido ao avanço da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), alguns setores têm faturado bastante, como o de entregas e, especialmente, o de comércio eletrônico. De acordo com o indicador de consumo MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie, o e-commerce tupiniquim dobrou suas vendas em abril, com uma alta de 98,74% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento registrou crescimento de 81,64%.

O desempenho também foi maior na relação mês a mês. De abril a março deste ano, a alta nas vendas foi de 37,14%. No acumulado do ano até agora, a variação é de 43,34% na comparação com 2019. "No comparativo diário das vendas dentro do período, foram registrados picos acima de 100% — um marco para história do e-commerce após mais de 20 anos no país", afirma André Dias, coordenador do camara-e.net e diretor-executivo do Compre & Confie.

A região Sudeste é a que mais se destaca, com registro de +104,97% na comparação de abril deste ano com o de 2019. Em segundo lugar vem o Nordeste (+96,36%), seguido por Centro-Oeste (+94,80%), Sul (+79,71%) e Norte (+66,68%). No acumulado do ano a composição muda. Em primeiro, ficou o Nordeste (+51,87%), depois o Centro-Oeste (+50,74%), Norte (+41,97%), Sudeste (+41,84%) e Sul (+41,04%).

A composição de compras realizadas pela web em março teve os seguintes líderes: Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (40,1%); Móveis e eletrodomésticos (24,5%); Tecidos, vestuário e calçados (12,4%); Artigos de usos pessoal e doméstico (10%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (8,3%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2,8%); Livros, jornais, revistas e papelaria (1,9%).

No primeiro trimestre deste ano, 12,3% dos internautas brasileiros realizaram ao menos uma compra online, com queda de 1,4% em relação aos quarto trimestre de 2019. Já na comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 2,1%.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/e-commerce/e-commerce-dobra-o-numero-de-vendas-no-brasil-durante-a-pandemia-165663/

28

Mai

Tecnologia

Fórum Aeroespacial acontece amanhã com palestras de especialistas

O Fórum Aeroespacial Norte-Rio-Grandense realiza na próxima sexta-feira, 29, às 10h, a Live: Space Education, por meio deste link. O evento contará com a participação de Eldrige de Melo, engenheiro de sistemas de informação e gestor de projetos espaciais, e Marco Romero, engenheiro aeronáutico, piloto e especialista em navegação de satélites na Força Aérea de Angola. A palestra apresenta orientações e oportunidades para jovens interessados na área espacial, além de ser importante para motivar os estudantes. Para mais informações, consultar o site

Eldrige de Melo é estudante de mestrado em Gestão de Projetos Aeroespaciais na ISAE-Supaero em Toulouse, na França. Com cinco anos de experiência no setor espacial, certificado como especialista sênior para o Canal de Controle de Serviço de Centro de Controle e Missão, é membro do Conselho Consultivo de Geração Espacial em apoio do Programa das Nações Unidas sobre Aplicações Espaciais. Defensor da diversidade e inclusão no setor espacial, já desenvolveu projetos ligados à educação espacial. 

Após 6 anos no Colégio Militar, Marco Romero iniciou a sua carreira em Engenharia Aeronáutica e piloto de planador na Força Aérea Angolana, após terminar o curso na Academia da Força Aérea Portuguesa. Depois disso, expandiu sua carreira para o Programa Espacial Angolano como especialista em Suporte e Navegação Balística para Operação de Satélites no Centro de Controle e Missão da Funda, ao mesmo tempo que trabalhava no acompanhamento da construção do primeiro satélite Angolano e no estabelecimento da Estratégia Espacial, acumulando, assim, mais de 5 anos de experiência no setor aeroespacial. Teve a oportunidade de criar vários hackathons, conferências, estudos, projetos e outras atividades em Angola, e juntou-se a atividades similares em outros países. 

27

Mai

Tecnologia

Câmara de Natal aprova PL que suspende corte no fornecimento de água e luz na pandemia

Com o objetivo de garantir mais tranquilidade às famílias natalenses durante o período da pandemia do novo coronavírus, os vereadores de Natal aprovaram durante a Sessão Ordinária virtual desta terça-feira (26), em regime de urgência, o projeto de Lei N° 109/2020, de autoria do vereador Klaus Araújo (SD), que garante a suspensão do corte de fornecimento de água e luz durante 120 dias na capital potiguar. 

A matéria ainda teve acrescentada uma emenda do vereador Fernando Lucena (PT), que abrange a proibição da suspensão no corte dos serviços aos beneficiários do programa Tarifa Social. “Nós sabemos que tem muita gente com idoso dentro de casa, criança e imagine, você estar com sua família e chegar um corte de água. Então, nós estamos pedindo a suspensão desses cortes”, explicou o vereador Klaus Araújo. 

Os parlamentares também aprovaram, em regime de urgência, o projeto de Lei N° 146/2020, do vereador Sueldo Medeiros (PROS), que trata da implantação em caráter de excepcionalidade e enquanto durar a pandemia do novo coronavírus, do uso da telemedicina no sistema público de saúde do Município de Natal para todas as especialidades. O objetivo é que o serviço seja uma ferramenta aliada da população, durante o período do isolamento social. 

27

Mai

Tecnologia

Brasil tem 134 milhões de usuários de internet, aponta pesquisa

Três em cada quatro brasileiros acessam a internet, o que equivale a 134 milhões de pessoas. Embora a quantidade de usuários e os serviços online utilizados tenham aumentado, ainda persistem diferenças de renda, gênero, raça e regiões.

As informações são da pesquisa TIC Domicílios 2019, mais importante levantamento sobre acesso a tecnologias da informação e comunicação, realizada pelo Centro Regional para o Desenvolvimento de Estudos sobre a Sociedade da Informação (Cetic.br), vinculado ao Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Conforme o estudo, 74% dos brasileiros acessaram a internet pelo menos uma vez nos últimos três meses. Outros 26% continuam desconectados. Se consideradas as pessoas que utilizam aplicativos que necessitam da conexão à internet (como Uber ou serviços de delivery de refeições), o percentual sobe para 79%. Há 10 anos, 41% da população estava nesta condição. Deste então, o crescimento se deu em média de 3,3% ao ano.

O acesso teve índices semelhantes entre mulheres (74%) e homens (73%). Mas os dados da pesquisa evidenciam diferenças entre os brasileiros. O índice varia entre as pessoas nas áreas urbana (77%) e rural (53%). Foi a primeira vez que a conectividade no campo ultrapassou a metade dos residentes nesses locais.

O percentual difere também entre brancos (75%), pardos (76%), pretos (71%), amarelos (68%) e indígenas (65%). No grau de instrução, 97% dos usuários que têm curso superior acessam a rede e 16% dos analfabetos ou da educação infantil usam a internet. 

No recorte por renda, o nível de acesso foi de 61% entre os que ganham menos de um salário mínimo, 86% entre os que recebem de três a cinco salários mínimos e 94% entre os usuários com remuneração acima de 10 salários mínimos. O índice também é distinto entre os participantes da força de trabalho (81%) e os fora das atividades laborais (64%).

Dispositivos

Em relação ao dispositivo, os smartphones e outros aparelhos móveis são as ferramentas mais comuns para se conectar (99%), seguidos dos computadores (42%), das TVs (37%) e dos videogames (9%). A alternativa por televisores cresceu 7% de 2018 para 2019, mostrando um novo recurso para a conexão.

Do total de usuários, 58% o fazem apenas por essa tecnologia. Em 2014, o percentual era maior pelo computador (80%) do que pelo celular (76%), e desde então a tendência se inverteu. No recorte por características socioeconômicas, a exclusividade do acesso móvel foi maior no campo (79%) do que nas cidades (56%), entre pretos (65%) do que entre brancos (51%) e nas classes D e E (85%) do que na A (11%).

A dependência de muitos brasileiros dos dispositivos móveis impacta a qualidade dos acessos, uma vez que esta modalidade possui franquias com quantidade limitada de dados, o que restringe a quantidade de serviços que podem ser utilizados ao longo do mês.

Tecnologias digitais

De acordo com a pesquisa, 58% das pessoas já utilizaram um computador. Nos recortes por gênero e raça, houve variação entre mulheres (55%) e homens (62%) e entre brancos (63%), pardos (57%), pretos (55%), amarelos (57%) e indígenas (48%). Na avaliação por renda, há diferença também entre os que recebem até um salário mínimo (41%) e mais de 10 salários mínimos (92%). Na área urbana, o índice é de 62%, enquanto na rural fica em 32%.

Uso

Em relação à frequência de uso, 90% relataram acessar todos os dias, 7% pelo menos uma vez por semana e 2% pelo menos uma vez por mês. Os recursos mais utilizados são o envio de mensagens por WhatsApp, Skype ou Facebook Messenger (92%), redes sociais como Facebook ou Snapchat (76%), chamadas de vídeo por Skype ou WhatsApp (73%), acesso a serviços de governo eletrônico (68%), envio de e-mails (58%), compras por comércio eletrônico (39%) e participação de listas ou fóruns (11%).

As informações mais buscadas foram sobre produtos e serviços (59%), serviços de saúde (47%), pagamentos ou transações financeiras (33%) e viagens e acomodação (31%). Na área de educação e trabalho, as práticas mais comuns foram pesquisas escolares (41%), estudo online por conta própria (40%), atividades de trabalho (33%) e armazenamento de dados (28%).

Na avaliação do gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa, os dados da pesquisa evidenciam que “embora o acesso esteja aumentando, o uso mais sofisticado ainda está na mão de pessoas de classe, renda e escolaridades mais altas”, uma vez que diversos usos (como consumo de serviços de streaming, cursos online e governo eletrônico) são mais comuns entre mais ricos e com maior instrução formal do que em outros segmentos.

Por essa situação, Barbosa defende a necessidade de se preocupar “com o desenvolvimento de habilidades digitais para todo mundo, considerando que serão exigidas competências que não temos hoje” acerca dessas tecnologias digitais.

Fonte: Agência Brasil

26

Mai

Tecnologia

Google testa confirmação de pagamentos usando comandos de voz

A Google iniciou testes de um novo recurso do Google Assistente para ser usado em compras online. A novidade é que você poderá realizar e confirmar aquisições pela assistente pessoal usando apenas comandos de voz.

O recurso de autorização de pagamento foi identificado pelo site Android Police em algumas capturas de tela do Android, junto com uma seção para cadastro de cartões de crédito. Ele funcionaria também em dispositivos com o assistente embutido, como speakers e displays da própria companhia ou de fabricantes parceiras.

Por enquanto, o recurso está restrito para aquisições feitas em restaurantes e produtos digitais disponíveis na Google Play Store. Além disso, as aquisições possuem um limite de valor por transação que não foi divulgado pela empresa, além de uma quantidade reduzida de compras liberadas por dia.

A função já é um recurso bastante difundido na assistente Alexa, da Amazon — e já resultou em situações bastante constrangedoras, com encomendas feitas acidentalmente ou por crianças. No caso da Google, a empresa garante que vai usar a comparação de voz para liberar apenas aquisições feitas pelo usuário autorizado.

Em resposta, um porta-voz da companhia confirmou ao site que o recurso é parte de um programa de testes de novas funções para alto-falantes e telas inteligentes. Por enquanto, a função deve permanecer limitada a um grupo de usuários.

É possível que ela fosse anunciada junto com outros novos comandos durante o Google I/O 2020, evento para desenvolvedores da empresa cancelado por causa da pandemia do novo coronavírus.

Fonte: TecMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/153489-google-testa-confirmacao-pagamentos-usando-comandos-voz.htm