Comunicação

10

Ago

Comunicação

Jornalista Glácia Marillac anuncia pré-candidatura a vereadora em Live com Virna Dias

A jornalista Glácia Marillac anunciou que é pré-candidata a vereadora em Natal, em uma Live no Instagram, na sexta passada (07), com a medalhista olímpica no Vôlei Feminino, Virna Dias. A atleta questionou a adesão de Glácia na política. A jornalista respondeu argumentando sobre a resistência que somos educados a ter contra política. “Nós fomos educados a ficar longe de política. É como se política fosse algo sujo. E o pior é que isso ajuda os corruptos, porque eles sendo maioria, a farra continua. Agora entendi a missão que as pessoas do bem tem pela frente encarando esse desafio’”, respondeu.

A jornalista, que trabalha há dois anos como assessora de comunicação do senador Styvenson Valentim (Podemos/RN), reiterou que o convite para sua pré-candidatura a vereadora partiu do partido que o senador Styvenson lidera, incentivando-a a mostrar amor através da política. “Você não fala tanto de amor, pois é na política que o povo do amor tem de estar”, recordou Glácia.

Glácia Marillac afirmou que entregou sua carta de exoneração do Senado para ser candidata e comentou o caminho até a decisão pela política.  “Eu emagreci. Eu adoeci.  Isso mexeu comigo. Mas hoje me sinto completamente forte e disposta a encarar. Quando a missão chega, o soldado tem de estar pronto”.

10

Ago

Comunicação

Toinho Silveira deixa a televisão e assume pré-candidatura a vereador de Natal

O queridíssimo jornalista Toinho Silveira despediu-se telas da TV Ponta Negra, onde apresenta o Programa Versátil – no ar há mais de 22 anos - para assumir uma pré-candidatura a vereador de Natal. Toinho mantém segredo sobre o partido pelo qual será candidato: diz que só revelará nas convenções, que ocorrem entre o final deste mês e o início de setembro. Mas a campanha já em slogan: “A política precisa de Educação”. 

Ao Blog da Juliska, Toinho Silveira explicou porque resolveu encarar a campanha política para lutar “com elegância e gentileza”. “Eu acho que tenho muitas habilidades e posso servir a minha cidade. Não vou parar de trabalhar e essa é uma oportunidade de ter mais uma tribuna para lutar por Natal e o seu povo. Não deixarei a minha tribuna jornalística . Não vivo em uma redoma de vidro, vejo os problemas da minha cidade. Tenho muitas frentes para luta. Irei lutar com elegância e gentileza”, declarou.

Em vídeo a seguidores, Toinho Silveira deu uma dica de sua posição partidária, dizendo que é um republicano, democrata e usa um botom com o brasão da república. “Vou colocar minha história a disposição de Natal. Vamos lutar pelo transporte público, de péssima qualidade. Pelas paradas de ônibus, que são de péssima estrutura, as pessoas ficam no sol. Essas são coisas que vou fiscalizar, vou lutar pelo transporte público e toda a sua infraestrutura. As paradas são horrorosas, ridículas”, disse.

Toinho Silveira disse que atende a um pedido de seu pai, Milton Silveira, falecido há dois anos. Na família, há ainda irmão, tio e primos na política. "Meu pai passou a vida inteira na política. Foi vereador por seis legislaturas em Mossoró, presidente da Câmara, prefeito em exercício e ele me pedia muito e eu nunca quis ser candidato. Ele morreu faz dois anos e eu resolvi tentar realizar o sonho dele que era me ver vereador em Natal. Eu não quero parar de trabalhar. Será mais uma oportunidade de trabalhar e me realizar. Tenho muitos talentos que posso colocar a disposição da cidade, dos idosos, da arte, da acessibilidade. Posso contribuir com o muito que aprendi na vida", declara Toinho. 

10

Ago

Comunicação

Brasileiros criam chatbot no WhatsApp que te diz se link é fake news ou não

A disseminação de notícias falsas é um problema cada vez mais presente na vida de quem utiliza redes sociais e mensageiros instantâneos. Essa questão, aliás, tornou-se ainda mais crítica desde o início da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV2), visto que o isolamento social incentivou o uso da internet como forma primária de comunicação e facilitou a proliferação de informações errôneas — e perigosas — sobre a COVID-19.

Pensando nisso, um grupo de estudantes da Universidade de Brasília criou o João Fake News, um chatbot que existe dentro do próprio WhatsApp capaz de verificar, dentro de pouquíssimos segundos, se uma notícia é falsa ou não. Para isso, basta adicionar o contato +1 (415) 523-8886 (desta forma, visto que se trata de um número virtual dos Estados Unidos) e enviar a mensagem “join fast-swept” para realizar a ativação da plataforma.

Em seguida, você já pode mandar a mensagem que desejar para o João: experimente fazer perguntas naturalmente e ele retornará fontes de notícias confiáveis a respeito daquelas palavras-chaves. Em nossos testes, o robô foi eficaz em retornar resultados interessantes para as questões “a Terra é plana?” e “limão combate COVID-19?”. É válido ressaltar que o chatbot funciona tanto em celulares quanto no WhatsApp Web (desktop).

Recentemente, o próprio WhatsApp anunciou um novo recurso para facilitar a checagem de notícias. O mensageiro adicionou um botão — que surge automaticamente sempre que ele identifica uma notícia compartilhada no chat — que, ao ser pressionado, realiza uma pesquisa na web instantaneamente para conferir se aquela informação é verídica.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/brasileiros-criam-chatbot-no-whatsapp-que-te-diz-se-link-e-fake-news-ou-nao-169594/

9

Ago

Comunicação

Confira sete erros que o profissional nunca pode cometer no seu currículo

O que a obra “Mona Lisa”, uma das pinturas mais brilhantes, famosas e reproduzidas de todos os tempos, tem em comum com a carreira profissional nos dias de hoje? A “Mona Lisa” foi concluída em 1506 por Leonardo da Vinci, pintor de destaque do Renascimento Italiano, que também foi um gênio em diversas outras áreas. É da autoria dele o primeiro currículo profissional que se tem notícia. Foi em 1482. Ele tinha 30 anos e queria convencer o Duque de Milão, Ludovico Sforza, a lhe dar um emprego para construir pontes, máquinas, trincheiras e outras coisas. Com esse objetivo, ele escreveu um documento que descrevia suas habilidades e como elas poderiam ser úteis para Milão. “Apesar de escrito centenas de anos atrás, ele reforça algumas lições para elaborar um currículo nos dias de hoje”, afirma Mari Clei Araújo, diretora da MC Coaching e Consultoria (www.mccoachingeconsultoria.com.br), de São Paulo (SP), especializada também em processos de recrutamento.



O nome “curriculum vitae” vem do latim, onde significa “trajetória de vida". Hoje em dia, ele é mais conhecido simplesmente como “CV” ou “currículo” e tem como objetivos contar a história educacional e as experiências profissionais de alguém, além de destacar suas habilidades e competências. Independente da pessoa estar empregada, e buscar uma melhor posição, ou desempregada, o currículo é uma ferramenta-chave para se comunicar com os recrutadores e conseguir outro emprego. “Então, é essencial elaborar o CV com muito cuidado, e evitar cometer alguns erros que ainda são muito comuns”, aponta Mari Clei. Ela indica sete erros que o profissional nunca pode cometer no seu currículo:

1) Não faça um currículo longo demais. “O CV precisa ser bem objetivo, com no máximo duas páginas. As pessoas costumam mandar currículos com três a quatro folhas, mas eu já cheguei a receber documentos com até oito páginas! Isso é muito cansativo para quem está avaliando os currículos e pode acabar prejudicando bastante o candidato”, destaca a especialista. Em outras palavras, um currículo longo pode ser simplesmente descartado do processo por causa do seu tamanho. O bom recrutador espera receber informações objetivas. Ele deseja que o CV a ser analisado já esteja direcionado adequadamente à vaga para qual a pessoa está se candidatando.

2) Não mande o mesmo currículo para todas as vagas que disputa. O ideal é que todos sempre tenham mais de um currículo com versões mais direcionadas para determinada vaga. É uma dica mais aplicável aos profissionais com bastante experiência e que já passaram por diversas áreas, às vezes dentro da mesma empresa. “Minha sugestão é que você tenha no mínimo dois currículos”, diz Mari Clei. Exemplo: se você tem experiência nas áreas financeira e contábil, por mais que você ache que sejam áreas ligadas, não adianta destacar as atividades contábeis para conquistar uma vaga na área financeira. É claro que no seu histórico profissional essas informações serão apresentadas, mas no item “Resumo das Qualificações” é muito importante que você destaque habilidades e experiências diretamente ligadas à vaga em disputa. “O melhor é você adequar o seu currículo para cada vaga, mas sempre com informações verdadeiras. Se a vaga exige experiência internacional, por exemplo, você vai precisar criar um item para mostrar essa experiência, caso você possua”, acrescenta ela. Aqui vale outra dica: não perca tempo se candidatando a vagas que você não tem qualificação ou experiência. Muita gente costuma fazer isso, e não funciona. Se, por exemplo, a oportunidade é para uma secretária executiva e você nunca exerceu essa função e nem tem um curso de secretariado, mas tem grande experiência como auxiliar administrativo, por mais que algumas atividades possam ser semelhantes, você não será escolhido e ainda deixará uma má impressão com o selecionador.

3) Não minta no seu currículo. Um exemplo: se você não possui determinada vivência profissional e afirma que tem no CV, você corre o sério risco não só de perder a vaga, mas de ainda passar por uma situação constrangedora durante a entrevista. O recrutador vai checar informações com você e pedir detalhes que você não terá como passar. Há também os casos de profissionais que colocam “inglês avançado” no seu CV. Na hora da entrevista, quando esse é um aspecto considerado muito importante pela empresa, a entrevista pode acontecer em inglês e, neste caso, uma mentira certamente significará o fim do processo para aquele candidato.

4) Não esqueça de colocar o seu CEP. Seu currículo deve conter todos os seus dados pessoais, como endereço completo com CEP. Especialmente para vagas operacionais, o recrutador pode precisar destas informações para calcular a distância que o candidato terá de casa ao trabalho, e vice-versa. Isso é imprescindível, se a empresa determinar um limite de distância para seu futuro profissional. “Como estamos trabalhando com um grande volume de CVs, quem colocar tudo certinho terá a preferência de ser avaliado melhor e não ser descartado injustamente”, informa a diretora da MC.

5) Não coloque fotos inadequadas. Não é obrigatório colocar foto no seu currículo, mas se você quiser colocar, fique à vontade. Mas tenha muito cuidado ao escolher a foto. É importante que seja uma imagem com roupas mais sociais, de preferência com fundo branco, sem outras pessoas. Não publique fotos de você nos seus momentos de lazer, por exemplo. Essa foto do CV deve ser planejada e feita com este objetivo. Falando em fotos e imagem pessoal, uma dica que vale para quem busca um emprego e também para quem está contratado: cuidado com o que você posta nas suas redes sociais. Não poste exageradamente temas radicais sobre política, religião ou futebol, por exemplo. Cuidado com fotos feitas em churrascos e festas com amigos. Não poste fotos com bebida alcoólica. No caso do processo seletivo, pode ter a certeza que o recrutador vai dar uma olhada nas suas redes sociais antes de agendar uma entrevista – e você pode passar uma impressão errada sobre você mesmo com as suas publicações.

6) Não seja repetitivo. Além da questão do tamanho do seu CV, é importante você passar ao recrutador uma imagem de objetividade e organização. E um dos erros mais comuns que contribui para transmitir uma imagem oposta disso é ser repetitivo. Para evitar, planeje seu CV, escreva tudo com cuidado e depois leia e releia. Muitas pessoas repetem praticamente a mesma informação em “Resumo das Qualificações” e “Histórico Profissional”, e isso é cansativo e percebido como algo negativo. “Resumo das Qualificações” deve ser o segundo item do seu CV, logo após “Dados Pessoais”. Se você colocou ali, por exemplo, “10 anos de experiência em cargos de liderança e gestão de equipes” porque isso faz sentido para a vaga em disputa, não detalhe novamente isso no “Histórico Profissional” ao contar sobre suas experiências – neste caso, bastará colocar o seu cargo e o período. Em “Resumo das Qualificações”, sim, é importante apontar seus destaques e experiências profissionais de uma forma resumida, clara e objetiva.

7) Não deixe de destacar suas principais realizações. Outro item importante para se destacar de outros candidatos: mostre claramente que premiações e realizações você já conquistou. Por exemplo: uma certificação internacional ou algum resultado concreto que a sua empresa obteve ganhos ou economias por intermédio de um projeto que você idealizou ou realizou, ou mesmo algo que você conquistou por iniciativa sua. “É importante, quando for o caso, você demonstrar suas iniciativas, foco e resultados para atingir aquilo que foi importante para a empresa e também para o seu currículo”, conclui Mari Clei.

7

Ago

Comunicação

Governo federal: Secom abre licitação para escolher três agências de publicidade

A Secretaria Especial de Comunicação (Secom) do Governo Federal anunciou a abertura de uma concorrência para a contratação de três agências de publicidade. A verba para o trabalho das agências selecionadas é de R$ 270 milhões. A abertura do edital foi publicada na edição desta quinta-feira, 6, do Diário Oficial da União.

Em comunicado, a Secom informa que a escolha se dará pela proposta técnica e que as agências contratadas terão a função de trabalhar no “estudo, planejamento, conceituação, concepção, criação, execução interna, intermediação e supervisão da execução externa, além da distribuição de ações publicitárias junto a públicos de interesses”.

O contrato da Secom com as agências terá duração de 12 meses a partir da assinatura, podendo ser prorrogado por outros períodos iguais, em um limite máximo de cinco anos.

As agências interessadas em participar do processo devem entregar as propostas no dia 22 de setembro, em Brasília. A última licitação feita pela Secom para selecionar agências de publicidade aconteceu em 2017, com vitória de NBS, Calia e Artpan.

Desde junho de 2020, a Secom passou a fazer parte do Ministério das Comunicações, que voltou a ganhar status de pasta após o desmembramento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, chefiado por Marcos Pontes. O Ministério das Comunicações é comandado por Fabio Faria. Ao recriar o Ministério, que havia sido extinto em 2016, o Governo Federal transferiu à pasta as atribuições da Secom, que até então era chefiada por Fabio Wajngarten, que, após a mudança, assumiu o cargo de secretário executivo do Ministério das Comunicações. 

Fonte: Meio & Mensagem, disponpivel em: https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2020/08/06/secom-abre-licitacao-para-escolher-3-agencias-de-publicidade.html

7

Ago

Comunicação

Estudo mostra que brasileiros consideram importante que haja punição para quem financia a criação de fake news

Uma novidade no novo levantamento do Datafolha, encomendado pelo Facebook, mostra que brasileiros consideram extremamente importante que haja punição para quem financia a criação de fake news. O levantamento aposta que 80% dos entrevistados atribuem notas 9 ou 10 no grau de importância de punição destes casos.

A pesquisa mostra que, mesmo não havendo unanimidade sobre a importância do assunto “fake news”, 71% declaram já ter recebido conteúdo duvidoso ou notícias falsas por parte de amigos e parentes. O Datafolha revela ainda que o brasileiro vê responsabilidade de todos no combate à divulgação da desinformação, incluindo jornais, portais e canais de notícias (77%) autoridades e governos (74%), os próprios cidadãos (70%), redes sociais (68%), escolas e ONGs (68%), e aplicativos de mensagens privadas (63%).

"As plataformas de internet conquistam cada vez mais espaço na vida dos brasileiros e alcançam a grande maioria da população", afirma o diretor do Datafolha, Alessandro Janoni Hernandes. "As redes sociais têm papel central nesse crescimento por reunirem vetores de formação da opinião pública como afinidade temática, debate de valores e comunicação instantânea".

A pesquisa mostra ainda que 95% dos entrevistados declararam utilizar a internet para se informar, se comunicar ou trabalhar, percentual que corresponde a, aproximadamente, 156 milhões de brasileiros. O documento revela ainda que 70% destes usam as redes sociais, e-mail ou aplicativos de mensagem para trabalhar, sendo o WhatsApp a plataforma mais mencionada entre aqueles que utilizam em suas ocupações profissionais.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/legislacao/87-dos-usuarios-de-apps-de-mensagens-querem-conversas-privadas-sem-rastreamento-169518/

6

Ago

Comunicação

De forma pioneira, Assembleia Legislativa do RN lança campanha em ambiente virtual

Ao conjunto de leis que ao longo de sua história vem sendo elaboradas para a proteção e auxílio às vítimas da violência, notadamente no período mais recente, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte dá mais um importante passo nesse sentido, com a campanha “Violência Doméstica: precisamos dar um basta nisso”.  No lançamento oficial, nesta quinta-feira (6), o presidente Ezequiel Ferreira de Souza convocou toda a sociedade e os poderes constituídos a se engajar nesta campanha.

“No Rio Grande do Norte a violência doméstica praticada contra mulheres teve aumento de 258%, chegando a 300% nos casos de violência doméstica em geral. No Brasil, o aumento foi de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. E infelizmente os casos de feminicídio aumentaram também”, alertou o parlamentar, na abertura da solenidade. Foi a primeira vez em sua história que a Assembleia Legislativa realizou audiência pública no formato online, para respeitar as medidas de isolamento impostas pela pandemia do coronavírus.

A campanha da Assembleia Legislativa é inovadora em vários aspectos: desde a concepção das peças que já estão sendo divulgadas nas televisões, rádios e meios eletrônicos de comunicação, até o seu próprio lançamento, em audiência pública em formato de “live”, com transmissão simultânea pela TV Assembleia e redes sociais da Casa. Nas peças publicitárias produzidas pela agência Base Propaganda, uma das inovações é o uso de QR Code. Outra inovação são as atividades virtuais com ciclo de “Lives” como estratégia de engajamento através das redes sociais para que todos tenham acesso ao conteúdo.

O presidente Ezequiel Ferreira também anunciou que além da campanha que dará ainda maior visibilidade ao problema, o Legislativo do RN, dentro das atividades alusivas ao Agosto Lilás, oferecerá atendimento terapêutico online, para auxiliar na promoção da saúde mental e conscientização sobre relacionamentos abusivos e nos casos de violência doméstica. Também citou as iniciativas como o Programa Estadual de Orientação, Conscientização e Combate à Violência Doméstica no Rio Grande do Norte. Seu objetivo é instituir medidas de incentivo a ações que estabeleçam apoio às vítimas de violência doméstica no mês de agosto, em alusão ao Agosto Lilás e ao aniversário da Lei Maria da Penha.

Todos os convidados foram unânimes em destacar a importância da iniciativa sobre o tema, num momento em que vem chamando a atenção o aumento dos números de ocorrências. O lançamento contou com a presença de representantes do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte (TJRN), via a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar; o Ministério Público Estadual (MPE/RN); a Defensoria Pública Estadual (DPE/RN); Governo do RN; Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SESED/RN); Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos – (SEMJIDH/RN); Prefeitura Municipal do Natal; Secretaria de Trabalho e Ação Social, Secretaria de Políticas para as Mulheres e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RN).

A promotora de Justiça da Vara de Enfrentamento da Violência Contra a Mulher, Érica Canuto, parabenizou a campanha lançada pelo Legislativo do RN por contribuir com a divulgação a fim de que haja diminuição do problema e da subnotificação de casos. “A violência é subnotificada, não sabemos o seu tamanho, mas as mulheres estão confiando mais. Então parabéns à Assembleia que marca uma posição nessas políticas públicas. Os canais de acesso facilitados por projetos como a Delegacia Virtual e outros são ações que se constituem em políticas públicas, contribuindo para o aumento dos registros e é melhor denunciar e pedir a proteção à Lei Maria da Penha”, afirmou a promotora.

A bancada feminina da Casa, formada pelas deputadas Cristiane Dantas (SDD), Eudiane Macedo (Republicanos) e Isolda Dantas (PT) destacou a urgência de ações para o combate ao problema. Cristiane Dantas parabenizou a Assembleia e a Assessoria de Comunicação da Casa pela iniciativa que já vem mobilizando a sociedade e a imprensa: “Fazendo chegar longe essa mensagem a quem mais precisa para romper o ciclo de violência. É muito sério esse assunto que nos traz aqui hoje”, afirmou Cristiane, cujo mandato vem destinando projetos de proteção às mulheres, como a criação da delegacia virtual, a lei que obriga condomínios a comunicar casos de violência e a que autoriza o governo a criar as Casas Abrigo.

A deputada Isolda Dantas disse que se sente honrada e feliz por compor um Poder que abraça uma causa de tamanha envergadura. “A violência contra a mulher é consequência de uma sociedade desigual e é gestada todos os dias, seja na economia, na cultura e quando as mulheres continuam ganhando 70% do que os homens ganham e são as primeiras a serem demitidas. É necessário um pacto da sociedade como um todo para rompermos com isso”, defendeu.

Para a deputada Eudiane Macedo é preciso que todos se unam a fim de dar um basta: “Essa violência acontece em todas as classes sociais e é importante que aqueles que estão nos acompanhando tenham esse entendimento e que as mulheres saibam quais são os seus direitos e as leis que já existem em nosso País. Imaginem como era antes da Lei Maria da Penha, que vai completar 14 anos, quando a violência era banalizada”, disse.

A vice-presidente da Câmara Municipal de Natal, vereadora Nina Souza (PDT) afirmou que muito já se avançou, mas “é preciso mudar o eixo e colocar os homens dentro dessa discussão, pois a violência doméstica tem que ter um fim e só terá quando todos nós participarmos”, disse.

A psicóloga e servidora da Casa, Helga Torquato, explicou o funcionamento do plantão para a população. “A Assembleia Legislativa vem trazer uma escuta especializada. Iremos oferecer uma escuta e acolhimento a esse sofrimento que é tão doloroso. A mulher e as vítimas da violência doméstica sofrem com o desrespeito, humilhação e punições exageradas, que prejudicam o desenvolvimento do ser humano e deixam graves sequelas, como depressão, ansiedade, pânico e distúrbio do sono, entre outros”, afirmou.  O atendimento (3232-6964) será das 8h às 17h, durante o Agosto Lilás.

Também participaram da audiência pública virtual os deputados Francisco do PT e Hermano Morais (PSB); a secretária das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos no RN, Eveline Almeida de Souza Macedo; o juiz Rosivaldo Toscano, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação Doméstica e Familiar do TJRN; a procuradora adjunta do MPE, promotora Elaine Cardoso; a secretária adjunta municipal das Políticas Públicas para as Mulheres de Natal, Jandira Borges; a vice-presidente OAB-RN, Rossana Fonseca; a defensora pública Maria Tereza e a Major Soraia, representando a Polícia Civil.

6

Ago

Comunicação

Com quase 50 mil assinaturas, petição quer que vira-lata caramelo estampe nota de R$ 200

Como se não tivesse tormento suficiente pra sobreviver, a nova dor de cabeça do brasileiro nos últimos tempos é a nota de duzentos reais. Anunciada no fim de julho, a nova cédula virou piada nas redes sociais desde a notícia de sua criação e deve continuar sob julgamento público até seu lançamento no mercado no fim de agosto. Um ponto específico tem chamado bastante atenção neste primeiro momento de recepção, porém: a escolha do animal que estampa a cédula.

Ainda que o Banco Central tenha confirmado que o lobo-guará já foi previamente escolhida para ilustrar a nota, não foram poucos os usuários que reagiram ao anúncio nas redes com montagens que usam do cachorro vira-lata caramelo como animal, e agora a espécie virou alvo de uma nova petição que pede a alteração na cédula oficial. Intitulada “Vira-lata caramelo na nota de R$200”, o documento foi criado no change.org pelo deputado mineiro Fred Costa e busca trazer algum tipo de pressão popular sobre a decisão – e está obtendo, porque a petição já conta mais de 48 mil assinaturas na hora de publicação desta nota.

No documento, o líder do partido Patriotas na Câmara dos Deputados escreve que os autores e assinantes da petição não descartam “a relevância do lobo-guará na história e na fauna brasileiras”, mas que acreditam que o “cachorro vira-lata está mais relacionado ao cotidiano dos brasileiros e, além disso, é presente em todas as regiões do país”. Ao UOL, Costa ainda declara que criou o pedido porque “as causas fundamentais do meu mandato são a defesa e o bem-estar dos animais” e alega que o vira-lata caramelo representa o Brasil e é um “incentivo não só para a adoção, mas também para o controle da espécie”.

Enquanto os interessados podem assinar a petição aqui, vale acrescentar que a cédula de duzentos reais segue gerando incêndios ao BC, que já definiu a cor cinza como oficial da nota e declara que vai precisar imprimir a nova opção porque muitas pessoas estariam guardando dinheiro em casa e diminuindo a circulação. A colunista do UOL Carla Araújo reportou nesta quinta (6) que o BC estaria preocupado com notas falsificadas que já estariam circulando nos arredores de Madureira, no Rio de Janeiro, semanas antes de sua estreia oficial no mercado.

Fonte: B9, disponível em: https://www.b9.com.br/130078/com-quase-50-mil-assinaturas-peticao-quer-que-vira-lata-caramelo-estampe-nota-de-r-200/

6

Ago

Comunicação

Estudo mapeia comportamento por trás da ''Cultura do Cancelamento''

Mutato apresenta um estudo sobre a “Cultura do Cancelamento” e seus impactos e ensinamentos para os profissionais de comunicação e para as marcas, num cenário em que as redes sociais passaram a ser palco crescente dos cancelamentos, tanto de pessoas quanto de empresas. Para chegar no documento final, a pesquisa envolveu análises sobre 35 das pessoas que foram “canceladas” nos últimos 3 anos nas redes sociais, além de se basear em dados de Social Listening para entender questões como: os mecanismos que levam a movimentos como esse; os perfis mais comuns de quem é atingido; e os reflexos desse comportamento para as marcas.

Segundo o estudo, 46% dos cancelados no período analisado foram homens, brancos e heterossexuais, seguidos por 28% de mulheres, brancas ou negras, e heterossexuais, depois por 12% de homens, negros ou brancos, e gays; e 6% de mulheres brancas, lésbicas e bissexuais. A análise aponta que os três maiores motivos alegados para um cancelamento são por divergência política, homofobia e mau-caratismo.

“O termo ‘cancelamento’ indica uma pessoa, marca ou perfil que, por diferentes motivos, é abandonado ou boicotado diante de suas ações e comportamentos. A cultura do cancelamento pode impactar a reputação de uma marca, que precisa escolher bem em que conversas deve entrar e quem vai lhe representar”, comenta Juliana Morganti, diretora de Estratégia da Mutato. “É importante analisar se a pessoa possui discurso consistente, verdadeiro e, mais importante, alinhado com as verdades e crenças da marca. Caso o influenciador se mostre desconectado dos valores da marca e seja cancelado, a melhor ação imediata deve ser se desassociar da pessoa de forma pública”.

Estudo de caso(s) & níveis de cancelamento

A Mutato analisou casos específicos de cancelamento, como o recente da influenciadora Gabriela Pugliesi que descumpriu recomendações internacionais e locais e reuniu amigos para uma festa durante a quarentena causada pelo Covid-19. A pandemia, inclusive, tem sido um momento de acirramento da cultura de cancelamento. No caso da influenciadora, o “cancelamento” foi agravado pelo desdém à doença um mês antes da festa, quando contraiu o novo coronavírus durante casamento de sua irmã.

O cancelamento de Pugliesi levou à perda de 150 mil seguidores, à desativação de seu Instagram – e às críticas públicas por parte de artistas como Emicida e Tatá Werneck. Segundo o estudo, em casos como este (em que a pessoa cai em contradição ou se mostra desconectado dos valores das marcas que o apoiam), empresas parceiras devem se desassociar do influenciador.

Das 35 personalidade públicas canceladas que foram analisadas, o boicote mais duro envolveu o creator Otávio Albuquerque (Tavião), envolvido em acusações sobre comportamentos abusivos com a ex-namorada e youtuber Dora Figueiredo. Suas redes diminuíram em número de seguidores e ele perdeu contratos de trabalho. O estudo analisou, ainda, os participantes do Big Brother Brasil, em que apareceram “cancelamentos” na internet motivados por posturas machistas, racistas e assediadoras.

O estudo catalogou, ainda, os três tipos de “cancelamento” mais comuns e suas características:

Boicote: é normalmente relacionado à política, marcas e pessoas ou instituições em posição de poder que quebraram a confiança de seus consumidores. O boicote que parte da população para às grandes instituições raramente é efetivo, aponta a Mutato.

Ban e close errado: é um movimento informal, podendo atingir desde internautas “anônimos” que viralizam, até influenciadores e celebridades. Normalmente se referem a casos pontuais e isolados.

Linchamento virtual e cancelamento: é algo também informal, normalmente gerado por um ou mais closes errados que desencadeiam um cancelamento. São mais focados em influenciadores e celebridades, e estão ligados a comportamentos que desviam da norma padrão, como uma fala tida como absolutamente descabida.

O estudo sobre “Cultura do Cancelamento” é o segundo de uma série de pesquisas conduzidas pela equipe de Estratégia da Mutato para apoiar marcas e profissionais de marketing e comunicação a navegar pelo período de incertezas exacerbado pela pandemia global do novo coronavírus. Além desta, a agência já divulgou o estudo “Novo Normal Pós-Covid-19” “O Amor em Tempos de Pandemia”.

Todas as pesquisas são disponibilizadas pelo site da Mutato e em suas redes sociais.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/129993/estudo-mapeia-comportamento-por-tras-da-cultura-do-cancelamento/

5

Ago

Comunicação

Ecad dará descontos no pagamento de direitos autorais até 2021

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) vai promover descontos temporários no pagamento de direitos autorais de obras musicais, lítero-musicais e fonogramas em shows e eventos que forem realizados no país. A medida vai vigorar até o final de 2021. O Ecad é responsável pela arrecadação e distribuição dos direitos autorais das músicas aos seus autores, no Brasil.

A superintendente executiva da Ecad, Isabel Amorim, disse hoje (5) à Agência Brasil que a decisão resultou de uma conversa do escritório com diversos produtores de eventos e compositores. “Entendemos que era um momento de apoiar o setor de eventos e a classe artística, mesmo sabendo que isso poderia causar algum tipo de redução para os compositores, que são os donos dos direitos”.

Segundo Isabel, a decisão mostra que o setor está flexível e aberto a conversar, apesar de os compositores também estarem tendo uma queda significativa nos seus recebimentos, em função da pandemia do novo coronavírus.

Desde março, o setor de eventos foi paralisado em todo o território brasileiro. “Eu diria que alguns segmentos, como o de eventos, estão passando por tempos muito difíceis. Acho que foi um acordo que agradou a todos”.

Critérios

A medida começa a vigorar a partir deste mês. “Qualquer evento que comece a existir já entra nessa nova tabela”, disse a superintendente executiva do Ecad.

Ela acredita que o retorno das atividades do setor ocorrerá de forma gradual, com público menor. “Mas a gente vai voltar. É difícil saber exatamente aonde e quando porque o Brasil é muito grande, mas já tem estados que estão com uma abertura maior. A ideia é entender que até 2021 esse segmento volta aos poucos, mas com muita cautela”.

Será concedido desconto de 50% nos licenciamentos que considerem os percentuais sobre a receita bruta ou custo musical, passando de 10% para 5%, em música ao vivo, e de 15% para 7,5%, em música mecânica. Terão direito a essa redução os clientes que estiverem em dia com o pagamento de direitos autorais.

Os shows e eventos de caráter beneficente recebem mais 30% de desconto, passando de 5% para 3,5% (música ao vivo) e de 7,5% para 5,25% (música mecânica).

Para shows de caráter religioso e ingresso com direito a bufê ou open bar (bebida liberada) e para os promotores que disponibilizarem acesso online à bilheteria (venda de ingressos para 'shows', festas e cinema), é oferecida redução extra de 15%.

Os promotores de shows e eventos devem entrar em contato com as unidades do Ecad em todo o país para obterem maiores informações e tirarem dúvidas.

Suspensão

Desde março deste ano, o Ecad registrou a suspensão de 6,6 mil eventos mensais licenciados. Em abril ainda foi registrado o recebimento de direitos autorais referentes a eventos realizados no início de março. “Mas depois zerou”, afirmou Isabel.

Antes da pandemia, os compositores recebiam em torno de R$ 15 milhões por mês, que eram distribuídos entre 300 mil titulares. “Toda a cadeia da música foi afetada”, afirmou a superintendente do Ecad.

Com informações da Agência Brasil

5

Ago

Comunicação

Agosto Dourado: 1º Mamaço Virtual é realizado para valorizar e estimular o aleitamento materno em Mossoró

O mês de agosto é dedicado a valorização do aleitamento materno por meio das ações do Agosto Dourado. Como forma de estimular a amamentação a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Mossoró, realiza uma extensa programação. Durante todo o mês as Unidades Básicas de Saúde e as equipes da Estratégia de Saúde da Família estão promovendo ações de conscientização e apoio ao aleitamento materno.

Em decorrência da pandemia, a programação do Agosto Dourado realizada pela Secretaria de Saúde, contou com a oferta de cursos on-line sobre amamentação para profissionais da Estratégia de Saúde da Família. Outra ação realizada por meio das redes sociais foi a realização do 1º Mamaço Virtual, que marca a programação do Agosto Dourado e da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), desenvolvida em Mossoró. A nutricionista Ivana Moraes, de Apoio a Política de Alimentação e Nutrição da Secretaria de Saúde, explica que a ação consiste no compartilhamento de imagens do momento da amamentação ou textos que expressem apoio ao ato que contribui para a valorização da vida e do planeta.

“Estamos convidando todas as mulheres lactantes para participar do 1º Mamaço Virtual, marcando o perfil da Prefeitura Municipal de Mossoró no Instagram (@prefeiturademossoro), como forma de incentivar mães para a amamentação, formando uma corrente de amor em prol do Aleitamento Materno”

Ivana Moraes destaca que a amamentação traz inúmeros benefícios para a saúde da criança, evitando infecções, obesidade, mortes prematuras, além de influenciar no desenvolvimento da fala e da inteligência. O aleitamento também é importante para a saúde da mulher, já que reduz o risco de câncer de mama, de ovário e de útero, assim como o desenvolvimento de diabete tipo 2.

Os benefícios também podem se estendem ao meio ambiente. Este ano, por exemplo, a Semana Mundial do Aleitamento Materno – SMAM 2020 tem como tema central “Apoie a amamentação por um planeta mais saudável”. “Amamentando a mulher contribui para a diminuição do aquecimento global, a poluição e a desertificação, diminuindo os impactos de agentes agressivos ao meio ambiente”, enfatiza.

Em relação ao novo coronavírus (COVID-19), a especialista afirma que estudos apontam que a doença não se transmite por meio do aleitamento materno. “Um estudo recente da Escola de Medicina em Nova York, detectou que o leite de mulheres infectadas pelo novo coronavírus tem uma maior quantidade de IGA, que tem o potencial de proteger os tecidos respiratórios, no entanto muitos testes estão sendo realizados para comprovar o uso do leite materno na prevenção da COVID-19.

A UBS Sinharinha Borges, do bairro Barrocas, por exemplo, como forma de incentivar o aleitamento materno criou um Cantinho da Amamentação, espaço destinado para as usuárias amamentarem seus filhos e além de receberem orientações sobre a importância do aleitamento materno.

Outra ação da Campanha Agosto Dourado visa o incentivo às doações de leite materno para o Banco de Leite Humano de Mossoró, que teve redução de estoque em decorrência a pandemia do novo coronavírus. A doação de leite é uma campanha nacional promovida pelo Ministério da Saúde.

As lactantes interessadas em contribuir para a campanha podem entrar em contato com a profissional responsável pelo Banco de Leite Humano, Patrícia Minnelli, por meio do telefone (84) 98858-5458, que serão orientadas sobre como conservar o leite a ser doado e agendar um dia para a equipe do órgão recolher a doação em sua residência.

5

Ago

Comunicação

Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo em parceria com o Insper lançam manual de eleições municipais 2020

O Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo), em parceria com o Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa), acaba de lançar o Manual GPI Eleições 2020. O guia é destinado aos interessados em temas relativos às eleições municipais e integra o projeto Grande Pequena Imprensa (GPI), idealizado pelo jornalista e fundador do Projor Alberto Dines (1931-2018). 

Segundo os organizadores, a proposta é reunir, de forma acessível, as informações e recursos necessários para a plena cobertura jornalística e o debate democrático sobre a campanha eleitoral a prefeituras e Câmaras Municipais em todo o país. 

Abraji e o Instituto Pólis são parceiros institucionais do projeto, que é apoiado financeiramente pelo Google News Initiative e pelo Facebook Journalism Project.

O  Manual abrange as seguintes seções:

● Raio-X Municipal: Ferramenta interativa para análises de dados municipais e comparações customizadas a partir de bases do IBGE, INEP e Tesouro Nacional.
 Vídeos: Entrevistamos onze especialistas em políticas públicas e jornalismo que abordam questões críticas e dão dicas para a cobertura.
 Panorama Municipal: Contrastes socioambientais, máquina municipal, arrecadação e divisão de receitas e entidades representativas dos municípios.
 Políticas Públicas: Questões críticas (desafios para gestores públicos locais em meio à pandemia e crise financeira), planejamento territorial, direito à cidade, ferramentas de gestão pública, e marcos legais de políticas setoriais (educação, habitação, meio ambiente, mobilidade, saúde e segurança).
● Transparência: Marco legal (Lei de Responsabilidade Fiscal, Lei de Acesso à Informação, Lei da Ficha Limpa e Lei Anticorrupção).
 Dados: Conceitos básicos, ferramentas e tutoriais para obtenção, análise e visualização de dados
municipais.
 TSE: A legislação e o calendário eleitoral.
 Ética: Os desafios históricos da imprensa brasileira e princípios éticos jornalísticos.
 Checagem: Os desafios jornalísticos ante a desinformação e tutoriais para verificar conteúdos suspeitos.
● Impacto: Como jornalistas podem observar e medir a repercussão de suas reportagens.
● Perguntas: Sugestões de perguntas sobre o perfil das candidaturas e conhecimentos sobre gestão municipal e finanças, transparência e prestação de contas, receita, gasto e dívida pública e políticas
setoriais.
● Mais: Fontes de consulta aprofundadas sobre os temas tratados pelo Manual.

Com informações da Abraji

5

Ago

Comunicação

Semana Nacional da Juventude começa hoje e vai até o dia 12

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos promove a Semana Nacional da Juventude a partir de hoje (5) até o próximo dia 12 quando é celebrado o Dia Internacional da Juventude. De acordo com a pasta, neste período, serão promovidos seminários, fóruns e solenidades para debater e dar visibilidade a temas de interesse de jovens de 15 a 29 anos.

Nesta quarta-feira, dando início à semana, haverá a comemoração dos sete anos do Estatuto da Juventude, com o lançamento de um vídeo da campanha “Cada jovem com o seu estatuto”. A ação da Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), em parceria com o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), enviou exemplares da legislação para todo o país. A meta é distribuir 100 mil cópias do documento aos jovens.

O estatuto está disponível no site da secretaria  e a versão impressa pode ser solicitada por e-mail , informando a quantidade de cópias e endereço para envio.

Para amanhã, está marcada a cerimônia de premiação dos vencedores da primeira edição do Prêmio de Inovação em Políticas para a Juventude. A iniciativa tem o objetivo de fomentar a elaboração de políticas públicas efetivas. Na solenidade, na sede da SNJ em Brasília, haverá entrega de troféus e selos para os autores das melhores propostas.

Em celebração às adesões ao Sistema Nacional da Juventude (Sinajuve), no sábado (8), será realizada uma transmissão online com representantes estaduais, que poderão tirar dúvidas e contar suas experiências com a ferramenta. De acordo com o ministério, o objetivo do encontro é aprimorar os serviços ofertados e para que outros gestores públicos ou representantes da sociedade civil possam conhecer melhor o sistema.

Na terça-feira (11), será realizado fórum de debate sobre políticas de juventude, com a participação de representantes do ‎Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, do Organismo Internacional da Juventude para Ibero América (OIJ) e do Conjuve.

Para finalizar a Semana Nacional da Juventude, serão apresentados os dados de violação de direitos da juventude do Disque 100, canal de denúncias do ministério. Quem fará a análise das informações será a secretária Nacional da Juventude, Jayana Nicaretta, por meio de transmissão nas redes sociais.

As informações sobre a semana e os eventos serão transmitidos nas redes sociais do ministério e da Secretaria Nacional da Juventude.

Com informações da Agência Brasil

5

Ago

Comunicação

Anatel: reclamações nas telecomunicações aumentaram 6,6% em 2020

As reclamações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no primeiro semestre de 2020 aumentou 6,6% em comparação com o segundo semestre de 2019, embora tenha havido uma queda em relação ao mesmo período do ano passado. Foram registradas 1,52 milhão de queixas contra as prestadoras neste ano.

Segundo a Anatel, o aumento de reclamações em relação ao último semestre é consequência, principalmente, do aumento de queixas de consumidores de banda larga fixa. A principal reclamação é em relação à qualidade. Nesta categoria, foram registradas, ao todo, cerca de 394 mil reclamações sobre o serviço no primeiro semestre de 2020, o que  representa um aumento de 40% em relação ao segundo semestre do ano passado.

Na banda larga fixa, a Claro foi quem recebeu mais críticas (131.909), seguida da Vivo (90.209), da Oi (72.003) e da TIM (38.831). Outras operadoras, como pequenas empresas de atuação regional, foram responsáveis por (60.941) contestações.

O serviço de telefonia celular pré-paga teve cerca de 228 mil reclamações, o que representa um aumento de 20% em relação ao segundo semestre de 2019. Os principais motivos, segundo a Anatel, são bloqueio ou suspensão indevidas do serviço e cancelamento indevido. A TIM foi a operadora com mais críticas neste segmento (100.032), seguida por Claro (47.066), Vivo (43.738) e Oi (33.650).

Queda

Nos demais serviços houve queda de reclamações em relação ao semestre anterior. A telefonia móvel pós-paga foi o serviço que registrou o maior número de reclamações em números gerais, com 497 mil queixas, mas houve queda de 2,6% em comparação com o segundo semestre de 2019. 

Neste serviço, a TIM foi a mais questionada, com 147.218 reclamações. A Claro se aproximou deste patamar, com 138.180. No ranking constam ainda Vivo (118.952) e Oi (68.056).

A telefonia fixa teve 241 mil reclamações no primeiro semestre de 2020, uma queda de 9% em comparação ao semestre anterior. A Oi apareceu no topo do ranking (106.483), seguida por Vivo (80.923), Claro (41.206) e TIM (8.930).

Na TV por assinatura, foram registradas 154 mil notificações, uma queda de 10%. A Claro teve  73.833 queixas. Em segundo lugar ficou a Sky (51.884), em terceiro a Vivo (13.147) e em quarto lugar ficou a Oi (14.005).

Fonte: Agência Brasil 

5

Ago

Comunicação

Descubra por que o mercado digital está focado em conquistar links

As estratégias de otimização de sites para ranqueamento nas primeiras páginas do Google estão cada vez mais profissionalizadas no Brasil. A técnica é conhecida como SEO (Search Engine Optimization) e tem um peso muito grande para os negócios e serviços que precisam obter acessos em seus sites.

E não é à toa. Dados mostram que mais de 70% das jornadas dos consumidores começam nas páginas dos buscadores.  Estar em uma boa posição pode ser  determinante para garantir um bom público e, consequentemente, boas vendas.

Junto com o crescimento do SEO, também houve um aumento da procura por uma estratégia conhecida como link building. Apesar dessa última estar contida na  primeira, existe uma diferenciação importante que pode ser dividida em SEO on-page e SEO off-page. 

O SEO on-page talvez seja o mais conhecido por se tratar de ajustes e intervenções que podem ser realizadas dentro do próprio site que está sendo trabalhado. Ajustes nos códigos, títulos, testes de velocidade, redirecionamentos, verificação de estruturas de URL e criação de conteúdo otimizado estão entre as ações que podem ser tomadas nesta etapa.

Entretanto, existem outros fatores que possuem uma grande importância nas estratégias para ranquear no Google e que faz parte de um outro braço, chamado de SEO off-page. Nesse caso, o foco da execução está em ações que podem ser realizadas fora do site. Entre os destaques do SEO off-page está a busca pela conquista de links (ou backlinks) vindos de outros sites, a técnica também é chamada de link building.

Algoritmos mais inteligentes

Até bem pouco tempo, conseguir backlinks era uma tarefa simples, pois o Google considerava a maior parte dos links recebidos por um site, independente da origem. Entretanto, os algoritmos ficaram mais inteligentes e agora são capazes de perceber quanto há um processo de manipulação e automação de backlinks, o que fez com que a "ciência dos links" ficasse mais complexa .

"Links são a essência da web. O conceito de poder navegar em uma grande rede é fruto da existência dos hiperlinks. Assim como uma região geográfica pode ser mapeada pelas estradas que se conectam, toda a Internet também pode ser mapeada por meio do modo como as páginas da web se vinculam." Explica Flávia Crizanto, especialista em link building e jornalista da Experta Media.

Desde sempre, essa navegação precisou ter contexto, ou seja, os links necessitam estar em locais que façam sentido e encaminhar para outros sites que realmente possam acrescentar algum tipo de informação. Por isso, os bons profissionais da área batem tanto na tecla de que a melhor fórmula para se conquistar backlinks de qualidade é por meio da produção e distribuição de conteúdos de qualidade. 

Com o aprimoramento dos algoritmos, os backlinks chegam a ser responsáveis por mais de 50% do sucesso de uma estratégia que pode levar um site a alcançar os primeiros resultados nas páginas de buscas. Em compensação, está cada vez mais notório que  guest posts, fóruns, comentários e, até mesmo, criação de rede sites não são locais bons para se obter backlinks. Pelo contrário, costumam ser ineficazes e, em casos mais extremos, podem inclusive prejudicar e levar a uma punição. 

O webmaster do Google John Mueller realiza de tempos em tempos webinars para que as pessoas possam tirar dúvidas e levantar questões. Em uma de suas aparições, disse que o Google reconhece quando os links são gerados automaticamente e, nesses casos, não os leva em consideração. "Na maioria das vezes, nós os ignoramos. São links que se vinculam a tudo, por isso são fáceis de reconhecer". 

Ele também admite o quão difícil é realizar o trabalho de link building e ressalta a necessidade de promoção dos conteúdos. "Então, basicamente, como você precisa que algumas pessoas visitem seu site de alguma forma, é necessária alguma autopromoção do seu lado. O que colabora para que pessoas possam reconhecer que um site é realmente bom para posteriormente enviar links."