Mídias Sociais

16

Set

Mídias Sociais

Instagram adiciona legendas automáticas para vídeos no IGTV

Nesta terça-feira (15), o Instagram lança suas legendas geradas em tempo real para vídeos do IGTV. Criadas por inteligência artificial, a ferramenta tenta aprimorar a acessibilidade da plataforma para público portador de deficiências auditivas, se ajustando automaticamente ao idioma detectado. São 15 idiomas na lista inicial de suporte — incluindo o português brasileiro.

O usuário que precisa ou que gosta de acompanhar o conteúdo com legendas geradas automaticamente pode habilitar o recurso direto das configurações. Assim que ativada, a inteligência artificial levará legendas para a tela sempre que o celular estiver no volume mínimo, adaptando o conteúdo para portadores de deficiências auditivas ou para ambientes barulhentos.

a

Segundo o Instagram, a inteligência artificial foi carregada com uma extensa variedade de idiomas, tópicos, condições acústicas, gírias culturais e sotaques dos milhares de vídeos já publicados na rede social. Neste primeiro momento, a ferramenta oferecerá suporte para 15 línguas, mas a plataforma promete expandir essa lista ao longo dos meses.

“Quanto mais legendas de vídeo automáticas do IGTV forem usadas, melhor será a precisão da ferramenta”, descreve o Instagram. Sendo assim, o sistema será “retroalimentado” pelo consumo de conteúdo, aprimorando a ferramenta a cada vídeo assistido com legendas e tornando-as ainda mais precisas aos diálogos publicados.

A novidade deve ser introduzida em dispositivos Android e iOS de todo o mundo através de uma atualização; sendo assim, pode demorar alguns dias para que alcance seu celular.

Fonte: TecMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/177756-instagram-adiciona-legendas-automaticas-videos-igtv.htm

16

Set

Mídias Sociais

Dados mostram que uso do Instagram cresceu durante a pandemia e é 31% maior que o Facebook

Um novo estudo realizado pela Socialbakers, plataforma global de soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, mostra que o Instagram ampliou sua liderança sobre o Facebook durante a pandemia de Covid-19. Em termos de audiência global, a rede social ampliou para 31,2% a vantagem que já era de 28% no primeiro trimestre de 2020.

O total de interações no Instagram foi 18,7 vezes maior do que no Facebook entre os meses de abril, maio e junho. As marcas, no entanto, publicaram mais conteúdo no Facebook, que recebeu cerca de 70% de todas as postagens dos 50 maiores perfis de empresas, mesmo com a interação nessa rede social sendo muito menor do que no Instagram.

O Instagram quase bateu seu próprio recorde de interações no final de junho, e durante o período raramente ficou abaixo de 80%. Já no Facebook, o envolvimento com as postagens diminuiu significativamente, passando de 100% em março para 50,8% durante os meses de abril, maio e parte de junho, antes de aumentar novamente no final de junho, quando voltou aos níveis normais. 

“O Instagram está se tornando a plataforma de mídia social número um quando se trata de engajamento de marcas. Quando olhamos para o engajamento em um nível absoluto, o Instagram tem um alcance maior por marcas do que o Facebook”, explica Alexandra Avelar, country manager da Socialbakers.

No Brasil, a quantidade de postagens feitas tanto no Instagram quanto no Facebook é quase a mesma. Porém, ao contrário do que ocorre no mundo, a audiência das marcas ainda é maior no Facebook, mesmo que a quantidade de interações nessa mídia social seja muito menor do que no Instagram.

“O Instagram teve um aumento de atividade, a plataforma quase atingiu seu pico relativo das interações no final do trimestre. Além disso, vimos um crescimento do público-alvo e interações totais no Instagram das 50 maiores marcas na rede social. Esse panorama mostra que o caminho seguirá positivo para o Instagram no futuro. A plataforma continua sendo altamente eficaz para promover o engajamento e alcançar grandes públicos e é cada vez mais o lugar certo para as empresas se mostrarem de maneira criativa, estimularem engajamento e aumentarem o reconhecimento da marca”, explica Alexandra.

Uma outra descoberta presente no relatório da Socialbakers é que os posts de carrossel, que permitem a publicação de até 10 imagens e vídeos, têm superado consistentemente a imagem e o vídeo usados separadamente. E, com a média de 150,5 interações, alcançou o maior engajamento dos últimos 15 meses.

As principais marcas publicaram mais postagens no Facebook, mas o engajamento nessas postagens não atingiu os números alcançados no Instagram. As conclusões do novo relatório Social Media Trends Report Q2 2020 da Socialbakers foram feitas com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil, entre abril e junho de 2020.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/131883/pesquisa-mostra-que-uso-do-instagram-cresceu-durante-a-pandemia-e-e-31-maior-que-o-facebook/

15

Set

Mídias Sociais

Instagram pode permitir links clicáveis nas legenda das fotos, mas com um porém

O Instagram pode finalmente permitir que usuários coloquem links clicáveis na legenda das fotos publicadas na rede social, mas há uma pegadinha: o aplicativo, que pertence ao Facebook, pretende fazer uma cobrança para que o endereço se torne clicável pelos leitores.

Uma patente publicada no Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos mostra como funciona a ideia. A documentação foi enviada ao órgão pelo Facebook e tem até uma imagem que ilustra como ficaria uma postagem com o link para uma página externa à rede social.

De acordo com a descrição, você poderia colocar uma URL na legenda e, ao fazer a publicação, o app pergunta se link deve se tornar clicável. Caso você concorde, uma taxa de US$ 2 (cerca de R$ 10) será cobrada; se disser que não, a URL aparece como texto não clicável e não selecionável, tal qual acontece atualmente .

“Se detectar que o conteúdo em texto da legenda inclui uma sequência de texto de link, identificando um endereço, o sistema solicita ao usuário que pague uma taxa para gerar um link”, explica a patente, requerida há cerca de um mês. Não ficou claro se essa taxa seria cobrada de todos os usuários ou apenas de usuários comerciais nem se é fixa (ou seja, se o valor pode variar conforme o solicitante).

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-links-clicaveis-legenda-das-fotos-mas-tem-porem-171465/

15

Set

Mídias Sociais

Shorts: YouTube lança ferramenta de vídeos curtos para concorrer com o TikTok

O YouTube anunciou nesta segunda-feira (14) o lançamento do Shorts, ferramenta que possibilita aos criadores de conteúdo gravarem vídeos com até 15 segundos e uparem em seus canais. A novidade estava em desenvolvimento deste junho deste ano e chegará para competir diretamente com o TikTok e o Instagram Reels.

Segundo o YouTube, o Shorts estará disponível na Índia nos próximos dias em fase de testes, mas a promessa é de disponibilizar a ferramenta para mais países nos próximos meses. Além disso, serão adicionados novos recursos ainda ao longo deste ano. Inicialmente, o Shorts terá à disposição os recursos:

Multi-segment camera: capaz de encadear vários clipes de vídeo em um só;

Gravar com música: o YouTube disponibilizará uma grande biblioteca de canções com promessa de expansão;

Cronômetro e contagem regressiva: para facilitar a gravação com sem o uso das mãos.

Os vídeos curtos estarão disponíveis na página inicial do YouTube e, assim como o TikTok, basta deslizar o dedo na tela verticalmente para explorar outros conteúdos. A interface parece bastante similar à dos Stories, já que basta segurar o botão do obturador da câmera para gravar os clipes.

O Shorts será lançado inicialmente para dispositivos Android na Índia, com a promessa de expansão para o iOS "em breve". Ainda não há informações sobre a chegada da ferramenta ao Brasil.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/youtube-lanca-shorts-ferramenta-de-videos-curtos-para-concorrer-com-o-tiktok-171472/

15

Set

Mídias Sociais

WhatsApp deve liberar chamadas de voz e vídeo na página web em breve

O recurso de chamadas de voz e vídeo no WhatsApp Web parece finalmente estar perto de ser disponibilizado. De acordo com o site WABetaInfo, que analisa o código de toda nova versão do aplicativo em todas as plataformas, os botões de chamada de vídeo e de voz já podem ser encontrados, apesar de desativados para o usuário.

As linhas de código que tratam dos botões foram encontradas na versão 2.2037.6 do cliente web do WhatsApp. A publicação lembra que já havia mencionado menções a chamadas de voz, vídeo e em grupo na versão 2.2025.5, e que a novidade são os botões.

“Esses botões estão indisponíveis atualmente porque o recurso está em desenvolvimento”, explicou o site. A nova versão ainda não está disponível para os usuários, que acessam a 2.2037.5 quando acessam o cliente web do mensageiro neste momento.

Além dos botões de chamadas, a nova versão também traz menções a uma troca nos botões de anexo, que estarão disponíveis em uma nova versão do WhatsApp web, seguindo o novo estilo disponibilizado para Android na atualização 2.20.198.9.

Não há informações sobre quando a nova versão será disponibilizada para usuários do cliente de navegadores do WhatsApp.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-deve-liberar-chamadas-de-voz-e-video-no-cliente-web-em-breve-171491/

11

Set

Mídias Sociais

Campus: Facebook trabalha em seção destinada a estudantes

O Facebook está trabalhando em uma nova seção para seu aplicativo chamada Campus, que será destinada à interação de estudantes. No Campus, o usuário poderá criar um perfil separado do original e, ao registrar informações como seus emails estudantis e ano de formação, ter um feed destinado apenas ao conteúdo da faculdade.

No feed do Campus, o usuário poderá filtrar o conteúdo de acordo com suas turmas ou cursos, além de ter acesso a um chat específico para aquela parte do aplicativo. O teste acontecerá em alguns campus selecionados dos Estados Unidos. Segundo o Business Insider, uma das grandes diferenças é que o Campus não terá eventos ou grupos públicos, já que a plataforma será exclusiva para os estudantes cadastrados e, portanto, separada da rede principal – mesmo que dentro do mesmo aplicativo.

A novidade é interessante por se tratar de um retorno às origens. O Facebook, vale lembrar, começou como uma rede social exclusiva para estudantes de Harvard, tendo como princípio base que, para se cadastrar na plataforma, você precisaria ter um email com o endereço de Harvard. Aos poucos a plataforma expandiu e chegou a outras universidades até que, em certo ponto, Mark Zuckerberg decidiu que o futuro da empresa estava em globalizar o acesso, independente de convites ou matrículas.

Mesmo que seu sucesso se dê muito pelo fato de ter se popularizado entre estudantes, o Facebook, aos poucos, viu esse público procurar outras plataformas. Redes privadas como o WhatsApp – que pertence ao Facebook Group – ou plataformas com propostas diferentes como o TikTok e o Instagram – que também pertence à empresa – se tornaram os principais ambientes virtuais para interação desse público. Com o Campus, então, o Facebook visa reconquistar um nicho que foi tão importante em seus primeiros anos e se popularizar novamente com um público mais jovem.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/131676/facebook-trabalha-em-secao-campus-destinada-a-estudantes/

11

Set

Mídias Sociais

Twitter amplia regras sobre desinformação antes de eleições nos EUA

O Twitter informou nesta quinta-feira (10) que vai remover de sua plataforma informações incorretas publicadas com o objetivo de minar a confiança na eleição dos Estados Unidos (EUA), incluindo publicações que alegam a vitória antes da divulgação dos resultados ou que incitam uma conduta ilegal para evitar uma transferência pacífica de poder.

O Twitter disse em seu blog que está atualizando as regras para reconhecer as mudanças na forma como as pessoas votarão na eleição de 3 de novembro e tentar se proteger contra a supressão de eleitores e conteúdo enganoso em sua plataforma.

A rede social acrescentou que colocaria alertas ou removeria informações incorretas, que criem confusão sobre leis, regulamentos e funcionários envolvidos em processos cívicos, bem como alegações contestadas que poderiam minar a credibilidade do processo, como informações não verificadas sobre apuração de votos ou fraude eleitoral.

Um porta-voz do Twitter disse que, se o conteúdo trouxer mentiras específicas ou tiver potencial para causar maiores danos será determinado se será removido, terá um alerta e o alcance reduzido.

As empresas de mídia social há muito estão sob pressão para combater a desinformação depois que agências de inteligência dos EUA entenderam que a Rússia usou suas plataformas para interferir nas eleições de 2016, alegações que Moscou negou.

O Twitter disse que suas regras seriam "aplicadas igual e criteriosamente para todos". A nova política, que é global, entrará em vigor no dia 17 deste mês.

Fonte: Agência Brasil

10

Set

Mídias Sociais

Instagram vai diminuir importância do número de seguidores para verificar contas

O Instagram vai parar de priorizar contas com maior número de seguidores no processo de verificação de perfis na plataforma. A decisão foi anunciada nesta quarta (9) no blog oficial do Facebook como parte de um pacote de mudanças para combater a desigualdade dentro do aplicativo e praticamente lima por completo o volume de público como um fator no trabalho da rede social para destacar vozes importantes dentro da comunidade.

“Embora o número de seguidores nunca tenha sido exigido para conseguir o selo de verificado pelo formulário no aplicativo (o qual qualquer um pode aplicar), nós certamente temos alguns sistemas estabelecidos que priorizam perfis com alto volume de seguidores para ajudar na seleção dentro das dezenas de milhares de pedidos recebidos todo dia” escreve no anúncio o presidente do Instagram, Adam Mosseri, que garante que esta ferramenta foi eliminada da parte automatizada do procedimento.

O executivo também comenta que a empresa ampliou o escopo de publicações estudadas pelo departamento para diversificar os usuários “contemplados” com o selinho azul – o público negro, LGBTQ+ e latino é citado no anúncio. A ação ocorre sobretudo em vista das promessas feitas pela empresa na época dos protestos sobre o assassinato de George Floyd, quando o Instagram afirmou buscar ativamente “elevar vozes negras” nos debates promovidos dentro do aplicativo.

O principal anúncio, inclusive, se refere à criação de um “time de igualdade” dentro da rede social que vai buscar “compreender e abordar melhor a parcialidade do desenvolvimento de produtos e experiências” na plataforma, incluindo aí a cooperação com a equipe de inteligência artificial para afinar o algoritmo e criar ferramentas que auxiliem neste esforço de promoção. Um diretor de diversidade e inclusão também está sendo procurado.

“Mais do que nunca, as pessoas estão usando nossa plataforma para ampliar a consciência sobre causas raciais, civis e sociais que importam a elas.” escreve Mosseri na publicação; “Nós temos uma responsabilidade ao observar o que e como nós construímos, de forma que a experiência das pessoas com nossos produtos reflita melhor as ações e aspirações de nossa comunidade”.

Fonte: Portal B9

9

Set

Mídias Sociais

Google lança ferramenta que identifica o motivo de uma empresa ter te ligado

O Google anunciou nesta terça-feira (8) uma nova ferramenta que vai ajudar os usuários a descobrirem o motivo de uma eventual ligação de uma empresa antes mesmo de aceitá-la. A função faz parte do app Telefone, disponível para dispositivos Android, inicialmente para usuários de Brasil, Espanha, Índia, México e Estados Unidos.

Em comunicado, o Google afirmou que a ferramenta estava em testes há alguns meses e os primeiros resultados indicaram um aumento na probabilidade de alguém atender a uma chamada. O recurso funciona assim: quando o Google identificar uma empresa que está ligando para você, o aplicativo vai exibir nome, número e logotipo do estabelecimento, além do motivo da chamada e um símbolo de verificação. Segundo a empresa, a ferramenta é ideal para bancos alertarem seus clientes sobre possíveis transações fraudulentas e serviços de entrega de alimentos ou logística.

O app Telefone está disponível para alguns smartphones na Play Store e nativamente em aparelhos da linha Google Pixel. A empresa afirmou que mais dispositivos Android terão suporte ao aplicativo nas próximas semanas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-lanca-ferramenta-que-identifica-o-motivo-de-uma-empresa-ter-te-ligado-171197/

8

Set

Mídias Sociais

Facebook e Instagram testam ferramenta para sincronizar Stories

O Instagram quer implementar uma nova funcionalidade para permitir que seus usuários vejam os Stories diretamente no Facebook. Atualmente, essa opção ainda está em fase de testes e apenas um número limitado de usuários pode acessá-la.

Em uma declaração ao consultor de mídias sociais, Matt Navarra, um porta-voz do Facebook garantiu que a novidade respeita todas as políticas de privacidade. Dessa forma, os Stories serão visíveis apenas para usuários que já te seguem no Instagram e decidiram ativar a funcionalidade.

Privacidade em 1º lugar
Apesar de as empresas terem divulgado poucos detalhes sobre o assunto, ao que parece, a novidade também vai respeitar decisões prévias, como o bloqueio de perfis e o impedindo para visualizar Stories.

Segundo as informações compartilhadas por Matt Navarra no Twitter, ao fim do teste, as empresas vão receber feedbacks dos usuários que tiveram acesso antecipado à funcionalidade.

Maior Integração das plataformas

A novidade reflete o esforço para integrar as plataformas, o que também foi notado logo após o lançamento do recurso Facebook Stories, quando o Instagram passou a incentivar que seus usuários compartilhassem os posts rápidos na rede social de Mark Zuckerberg. A diferença agora é que, com a funcionalidade, esses posts vão aparecer automaticamente no Facebook.

Desde então, essa aproximação tem sido gradual. No mês passado, por exemplo, o Facebook Messenger começou a ser unificado ao chat do Instagram. Em um futuro próximo, o WhatsApp e SMS também serão adicionados à lista.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/177469-facebook-instagram-testam-ferramenta-sincronizar-stories.htm

4

Set

Mídias Sociais

Pesquisa: 95% dos brasileiros que usam o WhatsApp abrem o aplicativo todos os dias

Segundo dados da mesma pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, o app controlado pelo Facebook ficou ainda mais popular durante a crise da COVID-19. O WhatsApp segue instalado nos smartphones de 99% dos brasileiros, mas a novidade é a quantidade de entrevistados que afirmam abri-lo todos os dias: subiu de 93% para 95% em apenas seis meses, fruto do isolamento social causado pela pandemia.

Se levarmos em conta quem garantiu abri-lo “quase todos os dias”, esse montante sobe para 99%; ou seja, quase todos os brasileiros abrem o WhatsApp com uma frequência praticamente diária. Em relação aos recursos mais usados, a troca de vídeos e a realização de videoconferências seguem no topo de pódio: dos usuários mensais ativos, 76% deles usam tais funções ativamente, um aumento considerável em comparação com os 67% registrados no comecinho do ano. Dos respondentes, 29% afirmam fazer chamadas de vídeo todo dia ou quase todo dia.

Quando o assunto são as chamadas de voz, a porcentagem de usuários que utiliza a feature ativamente bateu os 70%; desse grupo, 75% se mostraram satisfeitos com a experiência e qualidade de áudio. A única feature que registrou queda de popularidade foi a publicação de status, cujo uso caiu de 50% para 45%. Para chegar a tais números, foram entrevistados 2.046 brasileiros que possuem dispositivos móveis.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/95-porcento-dos-brasileiros-que-usam-o-whatsapp-abrem-o-app-todos-os-dias-171055/

4

Set

Mídias Sociais

Facebook firma parcerias para portabilidade de dados

O Facebook informou nesta quinta-feira (3) que seus usuários podem transferir fotos e vídeos armazenados em seus servidores para duas novas plataformas de tecnologia - sua medida mais recente para lidar com questões antitruste, dando aos usuários a opção de facilmente deixar os serviços da empresa.

Os novos parceiros da empresa de mídia social são as empresas de armazenamento em nuvem Dropbox e Koofr - uma startup da União Europeia. O Facebook anunciou uma parceria semelhante com o Google Photos, de propriedade da Alphabet, em abril.

O recurso que permite essas transferências é chamado de portabilidade de dados. Ele dá aos usuários mais controle sobre seus dados e permite que a empresa de mídia social responda aos reguladores e parlamentares dos Estados Unidos, que estão investigando suas práticas competitivas e alegações de que a empresa tem prejudicado a concorrência.

A decisão do Facebook ocorre antes de uma audiência organizada pela Federal Trade Commission (FTC) em 22 de setembro para examinar os benefícios e desafios potenciais da portabilidade de dados. O controle de dados que prejudica a concorrência se tornou um tópico crítico no debate antitruste nos Estados Unidos e na Europa.

No início deste mês, o Facebook enviou declarações à FTC nos quais pressionou por uma legislação de portabilidade de dados.

Empresas menores de tecnologia estarão mais dispostas a fazer parceria com o Facebook assim que as regulamentações sobre portabilidade de dados se tornarem mais claras, disse o gerente de Privacidade e Políticas Públicas do Facebook, Bijan Madhani, à Reuters.

Fonte: Agência Brasil

3

Set

Mídias Sociais

Telegram cresce no Brasil e já está presente em 35% dos aparelhos nacionais

Uma nova pesquisa da Panorama Mobile Time/Opinion Box revela que o Telegram está ganhando cada vez mais espaço entre os internautas brasileiros. O mensageiro, que é rival do WhatsApp e se vende como uma opção mais segura, está presente em 35% dos aparelhos nacionais; trata-se de um aumento de 16 pontos percentuais em apenas um ano e de 8 pontos percentuais em seis meses.

Esses números foram obtidos após uma entrevista com mais de 2 mil brasileiros. Também foi constatado que o app é mais popular entre os homens (40%) do que entre as mulheres (33%). Mais curioso ainda é o fato de que o Telegram é mais empregado pelas classes A e B (46%) do que nas C, D e E (33%). Em relação a idade dos usuários, a maioria (38%) tem entre 30 a 49 anos, seguido pela faixa dos 16 a 29 anos (36%).

Embora a porcentagem de pessoas com o app instalado seja alta, vale observar que apenas 53% abrem o mensageiro diariamente, o que significa que quase metade do público usuário “se esquece” de executar o software todos os dias. Também foi possível perceber um aumento no uso da funcionalidade de “canais” do Telegram: o número de usuários ativos mensais que usam o recurso subiu de 36% para 48%.

Embora tais números sejam animadores, os responsáveis pela pesquisa criam uma hipótese de que tal aumento na popularidade do aplicativo decorra do fato de que, recentemente, o WhatsApp passou a aplicar uma série de restrições quanto ao encaminhamento em massa de mensagens. Por mais que tais limites tenham sido aplicados para evitar a disseminação de fake news, muitos internautas ficaram insatisfeitos com a medida.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/telegram-cresce-no-brasil-e-ja-esta-presente-em-35-porcento-dos-aparelhos-nacionais-170970/

26

Ago

Mídias Sociais

Algoritmos do YouTube removem 11 milhões de vídeos em um trimestre

Entre abril e julho deste ano, o YouTube removeu 11,4 milhões de vídeos da plataforma. O número, duas vezes maior se comparado ao primeiro trimestre de 2020. O resultado é fruto do trabalho dos algoritmos de automação da plataforma. Normalmente, uma rede de pessoas e serviços automáticos são combinados na busca por vídeos que violem as diretrizes do YouTube. Durante a pandemia do novo coronavírus, porém, o site se viu obrigado a reduzir seus colaboradores humanos e aumentar o uso da inteligência artificial. Os sistemas automatizados foram responsáveis por 10,85 milhões de remoções, mais de 95% do total.

Dos vídeos removidos, 3,8 milhões foram retirados por motivos de segurança infantil, 3,2 milhões por spam ou golpes, 1,7 milhão por nudez ou conteúdo sexual, 1,2 milhão por violência e 900 mil por promoção da violência.

Além disso, o site destacou que "a decisão de aplicar excessivamente as políticas levou a um aumento de mais de três vezes nas remoções de conteúdo que nossos sistemas suspeitavam estar vinculado ao extremismo violento ou potencialmente prejudicial às crianças". Esse conteúdo inclui desafios ou aqueles postados inocentemente, mas que podem colocar os menores em perigo, segundo o YouTube.

Além disso, o site destacou que "a decisão de aplicar excessivamente as políticas levou a um aumento de mais de três vezes nas remoções de conteúdo que nossos sistemas suspeitavam estar vinculado ao extremismo violento ou potencialmente prejudicial às crianças". Esse conteúdo inclui desafios ou aqueles postados inocentemente, mas que podem colocar os menores em perigo, segundo o YouTube.

O YouTube é um dos sites que mais recebe visitas em todo o mundo; são cerca de 5 bilhões de acessos diários à plataforma espalhados pelo mundo. Com tanta aderência e uma gama incrível de opções, se torna um tanto chocante o fato de que toda essa audiência seja concentrada somente em grandes produtores de conteúdo.

Grande parte desse problema está na forma como o YouTube seleciona os vídeos de recomendação. Geralmente, esses conteúdos são sugeridos a partir das curtidas recebidas, fazendo assim com que eles apareçam nos vídeos "Em alta" e na aba de conteúdo relacionado àquilo que o usuário consome diariamente.

Fonte: Olhar Digital, disponível em: https://olhardigital.com.br/carros-e-tecnologia/noticia/algoritmos-do-youtube-removem-11-milhoes-de-videos-em-um-trimestre/105862

26

Ago

Mídias Sociais

Brasil está na rota de lançamento do Facebook News

Por Meio & Mensagem

Depois de quase um ano de testes no mercado dos Estados Unidos, o Facebook News deve ser expandido a outros mercados – entre eles, o Brasil. A rede social anunciou que está acelerando a expansão internacional de seu serviço de notícias, que visa agregar os conteúdos jornalísticos feitos por publishers na plataforma.

Nos Estados Unidos, a ferramenta começou a ser testada em outubro de 2019 e consiste em uma aba, que aparece no feed de notícias dos usuários, para separar o conteúdo jornalístico de outras publicações.

De acordo com a rede social, tanto no Brasil quanto nos demais mercados em que o Facebook News for lançado, a empresa irá pagar aos veículos de imprensa para garantir que o conteúdo seja disponibilizado na ferramenta.

O Facebook News faz parte de uma série de iniciativas da companhia para auxiliar no desenvolvimento de modelos de negócios saudáveis e, ao mesmo, estimular a publicação de conteúdos jornalísticos de credibilidade.

A rede social não detalhou a data em que o serviço estará disponível no Brasil, mas esclarece que a nova ferramenta deve estar disponível em um período de seis meses a um ano. Além do mercado brasileiro, o Facebook News também chegará ao Reino Unido, Alemanha, França e Índia.

Fonte: Meio & Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/08/25/brasil-esta-na-rota-de-lancamento-do-facebook-news.html