Mídias Sociais

27

Ago

YouTube já removeu 1 milhão de vídeos com desinformação sobre coronavírus

YouTube afirmou que já removeu um milhão de vídeos com informações perigosas ou erradas sobre a Covid e a pandemia. A informação foi divulgada após o chefe de produto da empresa, Neal Mahon, divulgar estatísticas da plataforma em uma postagem no blog do YouTube.

“A desinformação deixou de ser algo marginal para ser popular. Não há mais restrição de mundos isolados nos quais há negadores do holocausto ou defensores dos atentados de 11 de setembro. Agora, esses mundos se estendem a todas as facetas da sociedade, às vezes destruindo comunidades rapidamente”, disse Mahon. Outras redes sociais têm seguido o mesmo caminho, principalmente para evitar que novas campanhas anti-vacina se propaguem.

O relatório aponta ainda que as contas com conteúdo prejudicial ou perigoso representam apenas uma pequena porcentagem dos bilhões de acessos que o YouTube recebe. Segundo a empresa, algo entre 16% e 18% das visualizações totais representam vídeos que violam as diretrizes de uso e comunidade da empresa da Alphabet.

Os vídeos inclusos nessa marca de 1 milhão foram removidos do período a partir de fevereiro de 2020 até hoje – ou seja, durante os primeiros meses da pandemia em boa parte do mundo. Esses vídeos eram relacionados a falsas curas e tratamentos, além de afirmações de que o vírus e a pandemia são uma farsa. “Em meio a uma pandemia global, todos devem estar armados com a melhor informação possível para se manterem e manterem seus familiares seguros”, diz a empresa.

Fonte: Portal B9, disponível em: 

27

Ago

Instagram testa nova busca com fotos e vídeos no Android

O Instagram está testando um novo sistema de busca que promete levar a uma "experiência de página de resultados de pesquisa completa", conforme anunciou o chefe da rede social Adam Mosseri nessa quarta-feira (25). O recurso, parecido com o já adotado pelo TikTok, facilitará a descoberta de conteúdos relacionados ao interesse do usuário.

Atualmente, se você buscar por algo na plataforma, digitando a palavra "espaço" no campo de busca, por exemplo, verá uma lista com perfis, hashtags, áudios e locais relacionados ao assunto como resultado. Mas com a chegada da Pesquisa de Interesses, como a novidade foi denominada, isso deve mudar.

Depois de implementada, a nova ferramenta de busca do app exibirá também fotos e vídeos nos resultados sobre o termo. No exemplo usado, o Instagram passará a mostrar as imagens com temática espacial primeiro, mas ainda será possível navegar pelas tags, contas, áudios e lugares que tenham relação com a pesquisa, bastando trocar para as abas correspondentes.

Fotos e vídeos também serão exibidos nos resultados das buscas no Instagram.

De acordo com Mosseri, a mudança permitirá ao usuário se aprofundar ainda mais em seus interesses, encontrando de forma mais rápida o que procura. Além disso, ele afirma que os aprimoramentos oferecidos pelo recurso são muito úteis para quem não tem em mente um nome de usuário ou hashtag ao pesquisar por um determinado tópico.

Disponível para poucos, por enquanto

No momento, a nova ferramenta de buscas do Instagram está disponível apenas para um grupo seleto de usuários, que poderão testá-la antes do lançamento. Outro detalhe é que ela só funciona nas pesquisas por termos em inglês, pelo menos por enquanto.

Apesar da limitação inicial em relação à língua, a empresa confirmou que adicionará suporte para outros idiomas no futuro. Porém, ela não revelou quando a Pesquisa de Interesses estará disponível para todos os usuários da plataforma.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/223863-instagram-testa-nova-busca-fotos-videos-android.htm

26

Ago

Messenger celebra 10 anos de vida com novos recursos visuais, pagamentos e mais

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (25) que o Messenger, seu aplicativo de bate-papo, celebra 10 anos de vida e comemora a data com novos recursos. Entre eles, os destaues ficam pela expansão e integração com o Facebook Pay, no intuito de impulsionar os pagamentos via chat, e planos de fundo animados.

O envio e recebimento de dinheiro pelo programa era algo já em testes e importado diretamente do WhatsApp. Por enquanto, essa adição só está liberada para moradores dos Estados Unidos, mas ela não deve levar tanto tempo para chegar a outras localidades, afinal é apenas uma questão de adaptação — o WhatsApp Pay foi liberado pelo Banco Central do Brasil em maio.

Após receber um valor pelo Messenger, a quantia será direcionada para o Facebook Pay e poderá ser enviada direto para sua conta bancária. Neste momento inicial, o serviço não cobra taxas, por isso esta pode ser uma forma interessante de transferir dinheiro.

Recursos, facilidades e mudanças visuais

Como marco da data especial, o Messenger permitirá reunir amigos para jogar games no estilo Most Likely To, similar ao "Eu nunca" aqui do Brasil e muito popular nos Estados Unidos. No caso virtual, as pessoas podem fazer a brincadeira cada uma de sua casa, o que ajuda a manter todos envolvidos em festas online.

Neste tipo de game, as pessoas costumam beber sempre que alguém fala o que ela fez, por exemplo: "Eu nunca fiquei bêbado e dei vexame". Todos que já ficaram bêbados e deram vexame precisam se acusar e tomar uma dose. É uma forma divertida de conhecer pessoas e dar muitas risadas.

Um pacote de adesivos comemorativos foi disponibilizado para quem quiser compartilhar seu amor pelo serviço com outras pessoas. Também foi liberado um plano de fundo novo juntamente com um efeito de realidade virtual dos 10 anos de criação do app.

Outra adição muito bem-vinda é a chegada de um recurso que permite adicionar efeitos às palavras, como fogo, raios e corações. Agora, é possível também configurar temos para serem enviados acompanhados de emojis, como os olhos de corações ao falar a palavra "amor" ou o chapéu de festa ao desejar "Feliz Aniversário" para alguém.

Por fim, o mensageiro do Facebook também trouxe uma nova forma compartilhar contatos com amigos: basta selecionar o que deseja compartilhar, acessar as configurações de bate-papo e tocar em "Compartilhar contato" na seção Mais ações.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/messenger-celebra-10-anos-de-vida-com-novos-recursos-visuais-pagamentos-e-mais-193754/

25

Ago

WhatsApp deve permitir reagir a mensagens com emojis no estilo Instagram

O WhatsApp desenvolve novas reações para dinamizar o papo no aplicativo. Um recente aviso descoberto na versão de teste revela que, mais cedo ou mais tarde, usuários poderiam interagir diretamente com mensagens através de emojis tal qual acontece nos outros apps de mensagem do Facebook — Messenger e no Direct do Instagram.

Até agora, não se sabe muito sobre a função, tampouco sobre como ela irá se parecer. A descoberta do site WABetaInfo se resume ao balão de aviso que incorpora mensagens quando há uma reação anexada, mas que não pode ser exibida porque o WhatsApp está em uma versão antiga.

A expectativa, porém, é que a função seja semelhante ao que existe no Instagram e no Messenger, em que o usuário pode reagir diretamente a uma única mensagem com qualquer emoji disponível. A figurinha escolhida, então, é colocada no cantinho do balão como destaque e o recebedor é notificado da interação no celular.

Não se tem nem ideia de quando o recurso chegará para o usuário final nem sequer para membros da versão beta. Agora, resta ficar de olho em atualizações para conferir o funcionamento da novidade assim que ela sair.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-deve-permitir-reagir-a-mensagens-com-emojis-no-estilo-instagram-193671/

25

Ago

[VÍDEO] Campanha do WhatsApp traz influenciadores dando dicas sobre como se proteger de golpes

A maioria dos brasileiros já ouviu falar de golpes digitais ou conhece alguém que já foi vítima deles. Pensando nisso, e para reforçar suas iniciativas para proteger a experiência dos usuários no aplicativo, o WhatsApp está lançando uma campanha que traz dicas de segurança para as contas dos usuários da plataforma.

Com a assinatura “Todo mundo pode cair, mas todo mundo pode evitar”, a campanha traz os influenciadores Hugo Gloss, Pequena Lô e Thelminha Assis para apresentar as diversas ferramentas que ajudam os usuários a evitarem qualquer tipo de golpe no WhatsApp.

Com criação da AlmapBBDO, a campanha conta com três filmes de 30 segundos, cada um estrelado por uma das celebridades participantes. O primeiro, com o Hugo Gloss, traz dicas de como evitar cair no golpe do amigo que pede transferência de dinheiro ou compartilhamento de informações pessoais. Já no segundo filme, protagonizado pela Pequena Lô, a narrativa é sobre como evitar que a conta do usuário no WhatsApp seja roubada com a ativação da confirmação em duas etapas, que funciona como uma camada extra de proteção. E por fim, o terceiro filme, estrelado por Thelminha, explica que para evitar que a conta do aplicativo seja clonada ou roubada é preciso manter o código de ativação, aquele de 6 dígitos que chega por SMS, em sigilo, sem compartilhar com ninguém.

Voltada para o universo digital, a campanha ainda conta com desdobramento de pílulas de 15 e 6 segundos. Os vídeos serão veiculados nas redes sociais oficiais do WhatsApp no Instagram e no Facebook, assim como em canais como o Spotify e outras redes.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149616/campanha-whatsapp-influenciadores-dicas-contra-golpes/

24

Ago

WhatsApp vai ganhar aplicativo nativo para tablets

WhatsApp já possui seu aplicativo principal, para smartphones, o aplicativo para computadores e a versão desktop, o WhatsApp Web. Agora, o app de conversas do Facebook Group deve receber uma versão pensada para tablets (iPad Android).

Segundo o WABetaInfo, site especializado em encontrar novidades do WhatsApp antes de elas serem anunciadas, o WhatsApp para tablets deve funcionar independentemente das outras versões do aplicativo. O foco da empresa, ao que parece, é expandir a integração multidispositivos, como aponta o Canal Tech.

A próxima versão beta do WhatsApp já deve trazer a integração, que permitirá que aparelhos tablet sejam adicionados ao recurso “dispositivos vinculados” pela primeira vez. Com o uso da criptografia do aplicativo, não haverá necessidade de um telefone principal estar conectado À internet. A conta será sincronizada na nuvem, e qualquer dispositivo vinculado poderá acessar a plataforma, o histórico, enviar e receber mensagens e mídias.

Mesmo que os tablets possuam suporte à internet móvel, a maioria das pessoas usa apenas pela rede Wi-Fi, e por isso, sem um número de telefone atrelado. Por isso, o WhatsApp nunca se interessou em disponibilizar um aplicativo nativo. Ainda não há previsão para a novidade ser oficialmente anunciada e lançada, mas não deve demorar tanto, visto que o WhatsApp tem investido em tantas melhorias e novidades nos últimos meses. Ainda segundo o WABetaInfo, os usuários participantes do programa beta do WhatsApp para iOS já devem receber a versão de iPad na próxima atualização.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149484/whatsapp-vai-ganhar-aplicativo-nativo-para-tablets/

24

Ago

Instagram vai aposentar o “arrasta pra cima”

Um dos itens mais desejados dos Stories está com os dias contados. O Instagram nesta segunda-feira (23) começou a notificar usuários com a informação de que vai desligar a ferramenta que permite anexar links às publicações da aba, um recurso que muitos conhecem como o famigerado “arrasta pra cima” – dado que quem o possuía sempre pedia aos seguidores que fizessem o movimento com o dedo para serem redirecionados para fora da plataforma.

De acordo com o The Verge, o aviso diz que a ferramenta será removida oficialmente a partir do dia 30 de agosto, com sua aplicação sendo substituída pelo uso de stickers. Esta última já foi liberada para todos os usuários no fim de junho e é basicamente o que o nome diz: basta selecionar o recurso, colocar um link e posicionar no stories.

Na prática a situação não muda muito – como nos “stories linkados” é preciso ser verificado ou ter pelo menos dez mil seguidores para conseguir os stickers especiais acima – mas a dúvida sobre o porquê do fim da ferramenta original permanece. O problema maior talvez seja interação: ao contrário dos stickers, os stories linkados inviabilizam que seguidores respondam o post, tendo que apelar a publicações anteriores ou posteriores se houver.

Instagram libera link no stories para todos os usuários

É algo que o antigo gerente de produto da plataforma, Vishal Shah, corroborou anteriormente, pelo menos, dizendo ao próprio The Verge que os stickers se adequavam melhor à forma como os usuários utilizavam o app nos últimos tempos.

Não deixa de ser um fim triste para o recurso, porém, até porque ao contrário de muitos colegas ele teve um impacto imenso na comunidade da plataforma. Afinal, que atire a primeira pedra quem nunca quis linkar nos Stories um acesso a um site específico e acabou tendo que recorrer ao triste “o link está no perfil”.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149524/instagram-vai-aposentar-o-arrasta-pra-cima/

24

Ago

Pesquisa: negros ainda são sub-representados em anúncios nas rede sociais

Apesar dos esforços da indústria da comunicação para destacar a importância da equidade racial e da representatividade na publicidade e na mídia, de forma geral, a evolução dessa questão, na prática, ainda vem acontecendo de forma tímida. Isso é o que mostra a mais recente edição da pesquisa “Diversidade na Comunicação de Marcas em Redes Sociais”, feita pela Elife em parceria com a agência SA365.

O estudo foi feito com base na análise de 1902 postagens no Instagram e no Facebook, realizadas por 50 marcas que compõem os negócios dos 20 maiores anunciantes brasileiros (segundo o ranking da Kantar Ibope Media) ao longo de todo o ano de 2020. A análise contemplou as postagens de marcas dos setores de cerveja, bebidas não alcoólicas, higiene e beleza, farmacêutica, financeiro, varejo, alimentos, telecomunicações, hotelaria e automotivo.

De modo geral, a pesquisa mostrou uma pequena evolução na presença de personagens negros em anúncios postados nas redes sociais: e 2019, esse grupo populacional representava 34% dos anúncios publicitários e, no ano passado, o índice subiu para 38%. O percentual ainda é bem mais baixo do que a representação populacional dos negros na sociedade brasileira, que correspondem a 56% da população, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

A pesquisa apontou que, do total de publicações que fizeram uso de pessoas negras, 48% foram feitas por marcas do segmento financeiro. Esses anúncios, de acordo com a análise das empresas responsáveis pelo estudo, traziam um tom de superação em torno das dificuldades geradas pela pandemia de Covid-19. Outros setores que também teve uma quantidade mais elevada de pessoas negras em seus anúncios nas redes sociais foram os de higiene e beleza e de cerveja.

Para Breno Soutto, head de insights da SA365 e do grupo Elife, a razão para que exista pouca evolução na representatividade de um ano para outro pode estar no fato de as empresas acabarem repetindo fórmulas com que já estão acostumadas e com as quais se sintam mais seguras. “Esse tipo de comportamento se acentua em um momento de crise ou diminuição de presença nas mídias, como o que aconteceu em 2020 devido à Covid. Como a presença é menor, fórmulas mais tradicionais e cujos resultados são conhecidos, são mais frequentes. Para que isso mude, é importante que as empresas entendam que navegam em um mix de público mais amplo e diverso e passem a buscar conexões com individualidades mais múltiplas, permitindo que mais pessoas se encontrem nos posicionamentos de seus produtos e serviços”, aconselha.

A pandemia, de fato, teve um impacto significativo na amostra utilizada para a pesquisa. Em 2020, o estudo mapeou 1.902 publicações, enquanto no ano anterior foram analisadas 5.281 postagens. A razão para a queda nas publicações deve-se à pandemia de Covid-19, que causou um impacto nos anúncios de muitas marcas, sobretudo nos meses iniciais das medidas de distanciamento social.

Além da baixa representatividade de pessoas negras, de forma geral, o estudo também apontou também a presença pequena de outros grupos. Pessoas LGBTQIA+, por exemplo, apareciam em 4% dos anúncios analisados pelo estudo em 2019; neste ano, a participação ficou ainda menor, recuando para 3%. Pouco espaço também ainda é dado para pessoas com deficiência, representadas em apenas 1% das publicações analisadas no estudo. Pessoas de origem asiática estiveram presentes em 2% dos anúncios avaliados em 2020, enquanto os indígenas apareceram em apenas 1% das peças. Já personagens brancos foram utilizados, no geral, em 74% das postagens analisadas.

As empresas responsáveis pelo estudo, no entanto, ressaltam que, de forma geral, a amostra utilizada para a pesquisa no ano passado foi bem menor do que a de 2019. Em 2020, o estudo mapeou 1.902 publicações, enquanto no ano anterior foram analisadas 5.281 postagens. A razão para a queda nas publicações deve-se à pandemia de Covid-19, que causou um impacto nos anúncios de muitas marcas, sobretudo nos meses iniciais das medidas de distanciamento social.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2021/08/24/populacao-negra-ainda-e-sub-representada-em-anuncios-nas-rede-sociais.html

23

Ago

WhatsApp Pay: novo atalho no Android facilita pagamentos com app

O WhatsApp começou a liberar no aplicativo do mensageiro para Android uma nova forma de mandar dinheiro para contatos. A novidade faz com que a transferência de dinheiro seja tão fácil quanto enviar uma foto, áudio ou anexo em um chat.

O atalho é o símbolo da moeda corrente do país em questão — ou seja, usuários brasileiros devem ver um ícone com "R$", enquanto na Índia o ícone é o das rúpias indianas. O botão fica ao lado dos ícones de documento (o clipe de papel) e imagem (a câmera fotográfica), como mostrado na imagem abaixo.

Segundo o site WABetaInfo, a novidade apareceu na versão Beta do aplicativo (2.21.17) e já está em funcionamento, o que significa que ela logo pode ser liberada também no mensageiro estável. Posteriormente, dispositivos com iOS também devem ter acesso ao botão.

Conectado ao Facebook Pay, o WhatsApp Pay foi liberado para funcionamento no Brasil em maio de 2021, fazendo o país o segundo a receber a novidade. Oficialmente, o anúncio ocorreu no ano passado, mas problemas regulatórios envolvendo o Banco Central atrasaram a chegada da ferramenta.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/223533-whatsapp-pay-novo-atalho-android-facilita-pagamentos-app.htm

20

Ago

Twitter experimenta permitir assinatura de newsletters pelo perfil do usuário

O Twitter segue na missão de fazer acontecer a assinatura e consumo de newsletters por sua plataforma. Depois de adquirir a Revue no começo do ano e começar a permitir a inscrição a partir do aplicativo, a companhia nesta quinta-feira (19) iniciou testes para o que é na base a sublimação de intermediários: a possibilidade de assinar newsletters diretamente do perfil do responsável.

A novidade foi confirmada pela Revue em sua conta oficial na plataforma, que escreve que o recurso pode ser ativado por todos os seus escritores – a exibição de fato, porém, fica por enquanto restrita a um pequeno grupos de contas do Twitter no Android e no desktop. Em execução, a ferramenta exibe a newsletter logo abaixo da descrição do perfil com uma foto e o botão, que a partir daí exibe uma notificação pedindo para o usuário confirmar a assinatura e lembrando que o dono da publicação agora tem acesso a seu e-mail.

Como bem nota o The Verge, o objetivo aqui parece ser facilitar o trabalho de usuários com menor alcance a conseguir mais leitores a partir da plataforma, um recurso importante dado que o desafio maior de qualquer newsletter é achar o público. Além disso, o Twitter cria uma vantagem em cima do concorrente maior Substack que este não tem como equiparar: aproveitar uma comunidade estabelecida para disseminar publicações do tipo com mais facilidade.

É também mais uma forma da companhia aumentar os meios de monetização de seu produto, algo que começou a dar mais atenção a partir de fevereiro com o anúncio do Super Follow e deu seguimento em maio com uma opção de gorjetas.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149339/twitter-experimenta-permitir-assinatura-de-newsletters-pelo-perfil-do-usuario/

20

Ago

Depois do Instagram, Reels começa a ser testado no Facebook


Adam Mosseri podia estar só se referindo só ao Instagram quando disse que o futuro das redes sociais é o vídeo, mas o Reels agora está indo para a nave mãe. O Facebook anunciou nesta quinta-feira (19) que começou a testar o recurso dedicado ao meio em sua própria plataforma nos EUA, com a aba sendo exibida por enquanto na linha do tempo e na seção de grupos de alguns usuários.

O experimento soa como um avanço decisivo para implementação do Reels em relação ao que já vem sendo tocado desde agosto de 2020 na Índia – e este por sua vez já havia sido expandido para o México e o Canadá. Como parte da introdução, os usuários poderão publicar suas produções simultaneamente no Facebook e no Instagram.

facebookreels

Ao The Verge, a rede social escreve que o experimento se dá pela rápida ascensão do Reels no Instagram e do consumo de vídeos na plataforma, que hoje corresponde a quase 50% do tempo gasto pelo usuário no Facebook. O “novo” Reels inclusive é pensado para possibilitar que as pessoas “se expressem, descubram conteúdos interessantes e ajude criadores de conteúdo a aumentar seu alcance”.

Além do teste, o Facebook também confirmou que vai investir um montante adicional aos programas de financiamento de US$ 1 bilhão que anunciou para os criadores de conteúdo em julho. O foco do investimento é no Reels, que cada vez mais ganha importância dentro do ecossistema da companhia.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149361/depois-do-instagram-reels-comeca-a-ser-testado-no-facebook/

20

Ago

[VIDEO] Facebook anuncia salas de reunião em realidade virtual, a única evolução possível das videochamadas

Se você está cansado de reuniões por videochamada nessa pandemia, definitivamente não está sozinho – afinal, até o Facebook está atrás de uma solução. Junto de sua divisão dedicada ao Oculus, a companhia anunciou nesta quinta-feira (19) o lançamento do Horizon Workrooms, um novo serviço de seus Oculus Quest 2 que busca utilizar a realidade virtual para a realização de reuniões virtuais.

Descrito pela Oculus como uma experiência que permite ao público “se encontrar para trabalhar numa mesma sala virtual, independente da distância física”, o projeto aproveita diversas ferramentas já disponibilizadas pela companhia para tornar a confraternização virtual o mais próximo possível da real. Além de materializar o usuário em avatares digitais, o Workrooms também possibilita integrações de vídeo, rastreio de movimentos de teclado e aproveitamento de áudio espacial para reproduzir os integrantes em sua sala e permitir que estes interajam como se estivessem reunidos fisicamente.

O serviço é ambicioso e nasce com capacidades maiores do que o esperado. Apesar de exigir a criação de conta por desktop, o Workrooms permite até 16 usuários por meio de VR, outros 34 como espectadores de videochamadas tradicionais e a possibilidade de tornar a reunião num evento virtual com audiência passiva. Segundo o The Verge, o Facebook vem usando o recurso internamente já há seis meses.

Engadget ainda reporta que o Facebook não deve fazer quaisquer registros das conversas tocadas no serviço para fins publicitários, além de disponibilizar de antemão recursos que possibilitam a denúncia de indivíduos e grupos que estejam assediando outros ou violando diretrizes da comunidade.

O Workrooms também faz parte do projeto maior do Facebook de lançar um “metaverso” entre todos os seus produtos, o Horizon que deve aprofundar a relação com o público a partir da realidade virtual. Mas enquanto o lançamento deste serviço não acontece, ficando restrita a convites de testes de fase beta, as salas de reunião já estão disponíveis para uso em todos os territórios onde o Quest 2 é vendido e está plenamente funcional.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149306/facebook-anuncia-salas-de-reuniao-em-realidade-virtual/

20

Ago

Espaços do Twitter recebe suporte para apps de terceiros

A nova interface de programação (API) do Twitter permitirá que aplicativos de terceiros tenham suporte ao recurso Espaços. Isso significa que plataformas como Tweetbot poderão acompanhar dados e pesquisar as salas com conversas de áudio.

A informação foi revelada na página para desenvolvedores da rede social nesta quinta-feira (19). Segundo a postagem, as novidades estarão disponíveis na recente versão do API do Twitter.

“Como parte do lançamento de hoje, todos os desenvolvedores que usam a nova API serão capazes de pesquisar Espaços ao vivo ou programados usando critérios como Spaces ID, nome de usuário ou palavra-chave”, cita a nota no site.

O Twitter espera a criação de ferramentas que ajudem as pessoas a encontrarem as salas de conversa com mais facilidade. Bem como, a plataforma acredita que a mudança beneficiará os criadores com a possibilidade de atrair mais ouvintes engajados.

A rede social também acredita que o suporte para apps de terceiros ajudará profissionais de social media e marketing digital a entenderem os metadados do recurso. Por consequência, será possível acompanhar novas métricas relacionadas a um Espaço ativo.

Suporte apenas para ferramentas de análise

A atualização do API do Twitter tem o objetivo de dar a capacidade de aplicativos de terceiros exibirem materiais e dados do Espaços. Com isso, é possível que mais ferramentas sejam disponibilizadas no futuro.

Por outro lado, os apps não devem atuar como uma plataforma para a criação de salas e publicação dos conteúdos. Além de não ser um plano da plataforma, os desenvolvedores não expressaram interesse em construir um software com essa proposta.

Dessa maneira, o aplicativo do Twitter para Android e iOS permanece como o único meio para os criadores enviarem áudio. Enquanto isso, os usuários podem continuar usando outras plataformas de terceiros para ler tweets.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/223431-espacos-twitter-recebe-suporte-apps-terceiros.htm

19

Ago

YouTube começa a incluir marcações de vídeos nos resultados de busca

Como se o volume de resultados atual já não fosse o suficiente, o YouTube agora vai começar a disponibilizar capítulos de conteúdos nas buscas. A novidade é parte de um novo pacote de atualizações anunciado na última terça-feira (17) pela companhia e procura ajudar os usuários a localizar com mais facilidade os tópicos de interesse dentro da plataforma – até porque vídeos de mais de uma hora se tornaram uma constante já há um tempo.

De acordo com o The Verge, o recurso permite que a conta veja nas pesquisas os trechos dos vídeos ao invés de necessariamente acessar o conteúdo e pular até a parte que interessa e acompanha a inclusão de prévias nos aplicativos da rede para o celular. É tudo sobre dinamismo, em outras palavras, e no quão rápido o usuário pode chegar ao que lhe interessa ao acessar o YouTube.

Além disso, a companhia também confirmou que vai passar a exibir vídeos com traduções simultâneas e automáticas para títulos, descrições e até mesmo falas na língua do usuário quando sua pesquisa não chegar a nenhum resultado na língua local. Embora por enquanto a atualização só vá valer para o inglês, a rede social pretende expandir o uso para outras línguas nos próximos meses.

Por fim, o YouTube também diz que vai aumentar a integração com o mecanismo de busca do Google e passar a exibir links da plataforma dentro de seu ecossistema. Nesse caso, porém, a atualização é tratada como experimento e é concentrado por enquanto à Índia e Indonésia.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149223/youtube-comeca-a-incluir-marcacoes-de-videos-nos-resultados-de-busca/

19

Ago

WhatsApp: agora você pode enviar mensagens que somem após 90 dias

O WhatsApp está trabalhando em uma expansão para o recurso de envio de mensagens que desaparecem depois de um tempo, de acordo com a configuração feita pelo usuário.

Desta vez, a novidade é um prazo mais ampliado para que os recados sumam: 90 dias, o que permite que você faça uma faxina automática após cerca de três meses em chats que considera mais privados. Atualmente, a função conta com as opções 24 horas e sete dias, que serão mantidos na plataforma.

A informação, vinda do confiável site WABetaInfo, afirma que o recurso ainda está em desenvolvimento. A novidade apareceu pela primeira vez na versão 2.21.9.6 do Beta para Android e, com o tempo, deve ser expandida para outras plataformas e também nos aplicativos estáveis.

As mensagens que somem sozinhas são uma característica clássica do rival Telegram, mas chegaram ao mensageiro concorrente somente a partir do final de 2020. Ainda em agosto deste ano, o WhatsApp também lançou oficialmente uma função de fotos e vídeos que desaparecem após visualização.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/223352-whatsapp-voce-enviar-mensagens-somem-90-dias.htm