Mídias Sociais

10

Set

Mídias Sociais

Instagram vai diminuir importância do número de seguidores para verificar contas

O Instagram vai parar de priorizar contas com maior número de seguidores no processo de verificação de perfis na plataforma. A decisão foi anunciada nesta quarta (9) no blog oficial do Facebook como parte de um pacote de mudanças para combater a desigualdade dentro do aplicativo e praticamente lima por completo o volume de público como um fator no trabalho da rede social para destacar vozes importantes dentro da comunidade.

“Embora o número de seguidores nunca tenha sido exigido para conseguir o selo de verificado pelo formulário no aplicativo (o qual qualquer um pode aplicar), nós certamente temos alguns sistemas estabelecidos que priorizam perfis com alto volume de seguidores para ajudar na seleção dentro das dezenas de milhares de pedidos recebidos todo dia” escreve no anúncio o presidente do Instagram, Adam Mosseri, que garante que esta ferramenta foi eliminada da parte automatizada do procedimento.

O executivo também comenta que a empresa ampliou o escopo de publicações estudadas pelo departamento para diversificar os usuários “contemplados” com o selinho azul – o público negro, LGBTQ+ e latino é citado no anúncio. A ação ocorre sobretudo em vista das promessas feitas pela empresa na época dos protestos sobre o assassinato de George Floyd, quando o Instagram afirmou buscar ativamente “elevar vozes negras” nos debates promovidos dentro do aplicativo.

O principal anúncio, inclusive, se refere à criação de um “time de igualdade” dentro da rede social que vai buscar “compreender e abordar melhor a parcialidade do desenvolvimento de produtos e experiências” na plataforma, incluindo aí a cooperação com a equipe de inteligência artificial para afinar o algoritmo e criar ferramentas que auxiliem neste esforço de promoção. Um diretor de diversidade e inclusão também está sendo procurado.

“Mais do que nunca, as pessoas estão usando nossa plataforma para ampliar a consciência sobre causas raciais, civis e sociais que importam a elas.” escreve Mosseri na publicação; “Nós temos uma responsabilidade ao observar o que e como nós construímos, de forma que a experiência das pessoas com nossos produtos reflita melhor as ações e aspirações de nossa comunidade”.

Fonte: Portal B9

9

Set

Mídias Sociais

Google lança ferramenta que identifica o motivo de uma empresa ter te ligado

O Google anunciou nesta terça-feira (8) uma nova ferramenta que vai ajudar os usuários a descobrirem o motivo de uma eventual ligação de uma empresa antes mesmo de aceitá-la. A função faz parte do app Telefone, disponível para dispositivos Android, inicialmente para usuários de Brasil, Espanha, Índia, México e Estados Unidos.

Em comunicado, o Google afirmou que a ferramenta estava em testes há alguns meses e os primeiros resultados indicaram um aumento na probabilidade de alguém atender a uma chamada. O recurso funciona assim: quando o Google identificar uma empresa que está ligando para você, o aplicativo vai exibir nome, número e logotipo do estabelecimento, além do motivo da chamada e um símbolo de verificação. Segundo a empresa, a ferramenta é ideal para bancos alertarem seus clientes sobre possíveis transações fraudulentas e serviços de entrega de alimentos ou logística.

O app Telefone está disponível para alguns smartphones na Play Store e nativamente em aparelhos da linha Google Pixel. A empresa afirmou que mais dispositivos Android terão suporte ao aplicativo nas próximas semanas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-lanca-ferramenta-que-identifica-o-motivo-de-uma-empresa-ter-te-ligado-171197/

8

Set

Mídias Sociais

Facebook e Instagram testam ferramenta para sincronizar Stories

O Instagram quer implementar uma nova funcionalidade para permitir que seus usuários vejam os Stories diretamente no Facebook. Atualmente, essa opção ainda está em fase de testes e apenas um número limitado de usuários pode acessá-la.

Em uma declaração ao consultor de mídias sociais, Matt Navarra, um porta-voz do Facebook garantiu que a novidade respeita todas as políticas de privacidade. Dessa forma, os Stories serão visíveis apenas para usuários que já te seguem no Instagram e decidiram ativar a funcionalidade.

Privacidade em 1º lugar
Apesar de as empresas terem divulgado poucos detalhes sobre o assunto, ao que parece, a novidade também vai respeitar decisões prévias, como o bloqueio de perfis e o impedindo para visualizar Stories.

Segundo as informações compartilhadas por Matt Navarra no Twitter, ao fim do teste, as empresas vão receber feedbacks dos usuários que tiveram acesso antecipado à funcionalidade.

Maior Integração das plataformas

A novidade reflete o esforço para integrar as plataformas, o que também foi notado logo após o lançamento do recurso Facebook Stories, quando o Instagram passou a incentivar que seus usuários compartilhassem os posts rápidos na rede social de Mark Zuckerberg. A diferença agora é que, com a funcionalidade, esses posts vão aparecer automaticamente no Facebook.

Desde então, essa aproximação tem sido gradual. No mês passado, por exemplo, o Facebook Messenger começou a ser unificado ao chat do Instagram. Em um futuro próximo, o WhatsApp e SMS também serão adicionados à lista.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/177469-facebook-instagram-testam-ferramenta-sincronizar-stories.htm

4

Set

Mídias Sociais

Pesquisa: 95% dos brasileiros que usam o WhatsApp abrem o aplicativo todos os dias

Segundo dados da mesma pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, o app controlado pelo Facebook ficou ainda mais popular durante a crise da COVID-19. O WhatsApp segue instalado nos smartphones de 99% dos brasileiros, mas a novidade é a quantidade de entrevistados que afirmam abri-lo todos os dias: subiu de 93% para 95% em apenas seis meses, fruto do isolamento social causado pela pandemia.

Se levarmos em conta quem garantiu abri-lo “quase todos os dias”, esse montante sobe para 99%; ou seja, quase todos os brasileiros abrem o WhatsApp com uma frequência praticamente diária. Em relação aos recursos mais usados, a troca de vídeos e a realização de videoconferências seguem no topo de pódio: dos usuários mensais ativos, 76% deles usam tais funções ativamente, um aumento considerável em comparação com os 67% registrados no comecinho do ano. Dos respondentes, 29% afirmam fazer chamadas de vídeo todo dia ou quase todo dia.

Quando o assunto são as chamadas de voz, a porcentagem de usuários que utiliza a feature ativamente bateu os 70%; desse grupo, 75% se mostraram satisfeitos com a experiência e qualidade de áudio. A única feature que registrou queda de popularidade foi a publicação de status, cujo uso caiu de 50% para 45%. Para chegar a tais números, foram entrevistados 2.046 brasileiros que possuem dispositivos móveis.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/95-porcento-dos-brasileiros-que-usam-o-whatsapp-abrem-o-app-todos-os-dias-171055/

4

Set

Mídias Sociais

Facebook firma parcerias para portabilidade de dados

O Facebook informou nesta quinta-feira (3) que seus usuários podem transferir fotos e vídeos armazenados em seus servidores para duas novas plataformas de tecnologia - sua medida mais recente para lidar com questões antitruste, dando aos usuários a opção de facilmente deixar os serviços da empresa.

Os novos parceiros da empresa de mídia social são as empresas de armazenamento em nuvem Dropbox e Koofr - uma startup da União Europeia. O Facebook anunciou uma parceria semelhante com o Google Photos, de propriedade da Alphabet, em abril.

O recurso que permite essas transferências é chamado de portabilidade de dados. Ele dá aos usuários mais controle sobre seus dados e permite que a empresa de mídia social responda aos reguladores e parlamentares dos Estados Unidos, que estão investigando suas práticas competitivas e alegações de que a empresa tem prejudicado a concorrência.

A decisão do Facebook ocorre antes de uma audiência organizada pela Federal Trade Commission (FTC) em 22 de setembro para examinar os benefícios e desafios potenciais da portabilidade de dados. O controle de dados que prejudica a concorrência se tornou um tópico crítico no debate antitruste nos Estados Unidos e na Europa.

No início deste mês, o Facebook enviou declarações à FTC nos quais pressionou por uma legislação de portabilidade de dados.

Empresas menores de tecnologia estarão mais dispostas a fazer parceria com o Facebook assim que as regulamentações sobre portabilidade de dados se tornarem mais claras, disse o gerente de Privacidade e Políticas Públicas do Facebook, Bijan Madhani, à Reuters.

Fonte: Agência Brasil

3

Set

Mídias Sociais

Telegram cresce no Brasil e já está presente em 35% dos aparelhos nacionais

Uma nova pesquisa da Panorama Mobile Time/Opinion Box revela que o Telegram está ganhando cada vez mais espaço entre os internautas brasileiros. O mensageiro, que é rival do WhatsApp e se vende como uma opção mais segura, está presente em 35% dos aparelhos nacionais; trata-se de um aumento de 16 pontos percentuais em apenas um ano e de 8 pontos percentuais em seis meses.

Esses números foram obtidos após uma entrevista com mais de 2 mil brasileiros. Também foi constatado que o app é mais popular entre os homens (40%) do que entre as mulheres (33%). Mais curioso ainda é o fato de que o Telegram é mais empregado pelas classes A e B (46%) do que nas C, D e E (33%). Em relação a idade dos usuários, a maioria (38%) tem entre 30 a 49 anos, seguido pela faixa dos 16 a 29 anos (36%).

Embora a porcentagem de pessoas com o app instalado seja alta, vale observar que apenas 53% abrem o mensageiro diariamente, o que significa que quase metade do público usuário “se esquece” de executar o software todos os dias. Também foi possível perceber um aumento no uso da funcionalidade de “canais” do Telegram: o número de usuários ativos mensais que usam o recurso subiu de 36% para 48%.

Embora tais números sejam animadores, os responsáveis pela pesquisa criam uma hipótese de que tal aumento na popularidade do aplicativo decorra do fato de que, recentemente, o WhatsApp passou a aplicar uma série de restrições quanto ao encaminhamento em massa de mensagens. Por mais que tais limites tenham sido aplicados para evitar a disseminação de fake news, muitos internautas ficaram insatisfeitos com a medida.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/telegram-cresce-no-brasil-e-ja-esta-presente-em-35-porcento-dos-aparelhos-nacionais-170970/

26

Ago

Mídias Sociais

Algoritmos do YouTube removem 11 milhões de vídeos em um trimestre

Entre abril e julho deste ano, o YouTube removeu 11,4 milhões de vídeos da plataforma. O número, duas vezes maior se comparado ao primeiro trimestre de 2020. O resultado é fruto do trabalho dos algoritmos de automação da plataforma. Normalmente, uma rede de pessoas e serviços automáticos são combinados na busca por vídeos que violem as diretrizes do YouTube. Durante a pandemia do novo coronavírus, porém, o site se viu obrigado a reduzir seus colaboradores humanos e aumentar o uso da inteligência artificial. Os sistemas automatizados foram responsáveis por 10,85 milhões de remoções, mais de 95% do total.

Dos vídeos removidos, 3,8 milhões foram retirados por motivos de segurança infantil, 3,2 milhões por spam ou golpes, 1,7 milhão por nudez ou conteúdo sexual, 1,2 milhão por violência e 900 mil por promoção da violência.

Além disso, o site destacou que "a decisão de aplicar excessivamente as políticas levou a um aumento de mais de três vezes nas remoções de conteúdo que nossos sistemas suspeitavam estar vinculado ao extremismo violento ou potencialmente prejudicial às crianças". Esse conteúdo inclui desafios ou aqueles postados inocentemente, mas que podem colocar os menores em perigo, segundo o YouTube.

Além disso, o site destacou que "a decisão de aplicar excessivamente as políticas levou a um aumento de mais de três vezes nas remoções de conteúdo que nossos sistemas suspeitavam estar vinculado ao extremismo violento ou potencialmente prejudicial às crianças". Esse conteúdo inclui desafios ou aqueles postados inocentemente, mas que podem colocar os menores em perigo, segundo o YouTube.

O YouTube é um dos sites que mais recebe visitas em todo o mundo; são cerca de 5 bilhões de acessos diários à plataforma espalhados pelo mundo. Com tanta aderência e uma gama incrível de opções, se torna um tanto chocante o fato de que toda essa audiência seja concentrada somente em grandes produtores de conteúdo.

Grande parte desse problema está na forma como o YouTube seleciona os vídeos de recomendação. Geralmente, esses conteúdos são sugeridos a partir das curtidas recebidas, fazendo assim com que eles apareçam nos vídeos "Em alta" e na aba de conteúdo relacionado àquilo que o usuário consome diariamente.

Fonte: Olhar Digital, disponível em: https://olhardigital.com.br/carros-e-tecnologia/noticia/algoritmos-do-youtube-removem-11-milhoes-de-videos-em-um-trimestre/105862

26

Ago

Mídias Sociais

Brasil está na rota de lançamento do Facebook News

Por Meio & Mensagem

Depois de quase um ano de testes no mercado dos Estados Unidos, o Facebook News deve ser expandido a outros mercados – entre eles, o Brasil. A rede social anunciou que está acelerando a expansão internacional de seu serviço de notícias, que visa agregar os conteúdos jornalísticos feitos por publishers na plataforma.

Nos Estados Unidos, a ferramenta começou a ser testada em outubro de 2019 e consiste em uma aba, que aparece no feed de notícias dos usuários, para separar o conteúdo jornalístico de outras publicações.

De acordo com a rede social, tanto no Brasil quanto nos demais mercados em que o Facebook News for lançado, a empresa irá pagar aos veículos de imprensa para garantir que o conteúdo seja disponibilizado na ferramenta.

O Facebook News faz parte de uma série de iniciativas da companhia para auxiliar no desenvolvimento de modelos de negócios saudáveis e, ao mesmo, estimular a publicação de conteúdos jornalísticos de credibilidade.

A rede social não detalhou a data em que o serviço estará disponível no Brasil, mas esclarece que a nova ferramenta deve estar disponível em um período de seis meses a um ano. Além do mercado brasileiro, o Facebook News também chegará ao Reino Unido, Alemanha, França e Índia.

Fonte: Meio & Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/08/25/brasil-esta-na-rota-de-lancamento-do-facebook-news.html

26

Ago

Mídias Sociais

Facebook ganha divisão para lojas similar ao Instagram

O Facebook anunciou uma nova divisão em sua rede social chamada Shop (Loja, em tradução livre). A novidade, que já está disponível nos Estados Unidos, funciona como uma espécie de vitrine para páginas de negócios, desde pequenas empresas até grandes companhias.

A nova seção para lojas é similar a um recurso lançado pela empresa recentemente no Instagram. A divisão é uma central que reúne páginas de marcas e comerciantes, permitindo que o usuário visualize produtos, entre em contato com a companhia e até adquira itens diretamente no aplicativo.

A nova divisão é uma espécie de vitrine para diferentes lojas

A aba para negócios veio acompanhada de outras novidades para quem trabalha com vendas e utiliza a rede social. A empresa também anunciou que vai expandir globalmente o Facebook Shops, que permite criar lojas dentro da plataforma e traz conexão com Instagram, Messenger e, futuramente, WhatsApp.

Outra novidade anunciada pela empresa é o lançamento do Instagram Checkout em todos os Estados Unidos. A ferramenta permite que os comerciantes utilizem o sistema da própria rede social para concluir compras e receber pagamentos de clientes. Além disso, a função permite anunciar e vender itens durante transmissões ao vivo no app.

As ferramentas para lojas permitem conectar páginas de vendas com o Messenger

O Facebook ainda promete que não vai cobrar tarifas de transação em seu meio de pagamento até o final do ano. Apesar da expansão, tanto as ferramentas de criação do Facebook Shops quanto o Instagram Checkout só poderão ser utilizados por empresas elegíveis e aprovadas pela rede social.

Mesmo com as limitações, a tendência é que as novidades voltadas para o comércio sejam expandidas rapidamente pelo Facebook. A empresa de Mark Zuckerberg vê grande potencial de lucro no e-commerce e, com estimativas apontando que 85% das pessoas estão comprando online durante a pandemia, agora é a melhor hora para investir no setor.

Fonte: TecMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/176443-facebook-ganha-divisao-lojas-similar-instagram.htm

25

Ago

Mídias Sociais

Facebook anuncia expansão de seu serviço de notícias

Menos de um ano após a estreia do Facebook News nos EUA, o Facebook anunciou nesta terça-feira (25) a intenção de ampliar o serviço para outros países, entre eles o Reino Unido, Alemanha, França, Índia e Brasil.

O Facebook News é uma seção dentro do Facebook que oferece conteúdo curado, fornecido por parceiros da empresa. Além de notícias gerais, o serviço também traz publicações regionais, de acordo com a localização do usuário.

"Os hábitos dos consumidores e o inventário de notícias variam de acordo com o local, portanto iremos trabalhar em conjunto com os parceiros de notícias de cada país para personalizar o conteúdo e oferecer uma experiência valiosa para as pessoas, enquanto honramos o modelo de negócios das editoras", disse Campbell Brown, Vice-Presidente de Parcerias Globais para Notícias no Facebook.

Ao contrário de concorrentes como o Google News, o Facebook remunera seus parceiros pelo conteúdo fornecido ao Facebook News. Segundo a empresa, 95% do tráfego que o Facebook News leva a seus parceiros é "complementar" ao tráfego que já recebem através dos feeds dos usuários.

Fonte: Olhar Digital, disponível em: https://olhardigital.com.br/noticia/facebook-anuncia-expansao-de-seu-servico-de-noticias/105781

25

Ago

Mídias Sociais

Banco do Brasil renegocia mais de R$ 7 milhões em dívidas por WhatsApp

Em quase um mês de funcionamento, a renegociação de dívidas de clientes do Banco do Brasil (BB) por meio do WhatsApp refinanciou R$ 7 milhões. Desde a estreia da ferramenta, no início de agosto, cerca de 800 acordos com pessoas físicas foram firmados exclusivamente com o uso do sistema de inteligência artificial. O banco espera encerrar o ano com R$ 100 milhões em débitos renegociados pela plataforma.

O assistente virtual está disponível na API do WhatsApp Business, versão do aplicativo destinada a contas comerciais. A ferramenta facilita a comunicação de empresas de médio e grande porte com os seus clientes por meio do WhatsApp e permite a renegociação de dívidas de até R$ 1 milhão, usando um fluxo simples e intuitivo fornecido pelo assistente virtual.

Caso o cliente se enquadre no público-alvo, o sistema oferecerá três opções para solução do débito. A ferramenta permite ainda cancelar acordo realizado, emitir segunda via de boleto de renegociação e liquidar acordos de forma antecipada.

Para usar a funcionalidade, o cliente deve acessar o WhatsApp do BB, pelo número (61) 4004-0001. Ele pode iniciar uma conversa com o assistente virtual ou enviar o texto #renegocie, escrito com hashtag. O assistente virtual identifica as ofertas de renegociação disponíveis e oferece as opções ao cliente. O boleto é enviado pelo próprio WhatsApp.

Em qualquer momento, o cliente pode pedir para conversar com um atendente, mas o processo pode ser concluído apenas com o uso da inteligência artificial. Para fazer uso da ferramenta, o dispositivo móvel do cliente deve estar liberado para transações pelo WhatsApp.

Segundo o Banco do Brasil, o atendimento e a realização de transações pelo WhatsApp aumentaram durante a pandemia do novo coronavírus, que ocasionou restrições de mobilidade e redução do horário de funcionamento das agências. Nos últimos quatro meses, a instituição atendeu a quase 5 milhões de pessoas pelo aplicativo, movimentação recorde na plataforma.

O banco começou a usar o WhatsApp como canal de atendimento em 2017, apenas para consultas. Em 2018, o uso da inteligência artificial foi ampliado para a realização de transações financeiras.

Com informações da Agência Brasil

24

Ago

Mídias Sociais

Facebook considera uso de 'circuit breaker' no combate à desinformação

Com as eleições presidenciais dos Estados Unidos se aproximando a passos rápidos, o Facebook busca aumentar suas opções na hora de controlar a desinformação dentro da plataforma – e o próximo recurso em mente é dos mais drásticos. De acordo com o The Interface, a companhia estaria considerando implementar um “circuit breaker de viralização” para diminuir drasticamente o compartilhamento de determinados conteúdos quando sob avaliação dos moderadores.

“Circuit breaker” no caso é uma ferramenta tradicional do mercado financeiro e que é utilizada quando a bolsa de valores atinge uma situação crítica, interrompendo de forma brusca todas as transações para permitir a estabilização do cenário. No caso do Facebook, a ideia seria aplicar este conceito de interrupção ao alcance de publicações mais explosivas que estejam sob escrutínio da avaliação de serem ou não desinformação e propagadores de notícias falsas. É uma forma de criar tempo a quem avalia o conteúdo, com a inspeção do conteúdo sendo realizada sem maior desespero.

A companhia não considera o aparato sem alguma base de pesquisa, claro. O Center for American Progress recentemente lançou um relatório no qual recomenda a utilização dos “circuit breakers virais” como forma de barrar o algoritmo de impulsionar a desinformação nas plataformas, e o Facebook agora deve realizar um programa piloto com o dispositivo que lembra o formato considerado pela entidade.

É um teste que faz sentido se considerar que desde o início da pandemia o Facebook já removeu em torno de sete milhões de publicações com desinformação sobre o coronavírus. Ações sobraram nestes meses, desde notificações com contexto sobre posts até uma central de informação sobre o Covid-19, mas o algoritmo da plataforma continua a ser um problema sério na hora de controlar as notícias falsas.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/130732/facebook-considera-uso-de-circuit-breaker-no-combate-a-desinformacao/

24

Ago

Mídias Sociais

Google lança função delivery direto pela busca ou Maps

A partir de agora, os brasileiros poderão pedir comida online diretamente pela busca do Google ou pelo Maps, ferramenta de localização da big tech. Até o momento, o Google fechou parceria com três companhias de entrega no Brasil: Rappi, Delivery Center e Onyo. Mas pretende aumentar essa lista em breve. A empresa já contava com esse serviço nos Estados Unidos desde maio do ano passado.

Por ter uma parceria com o Delivey Center, os shoppings centers administrados pela brMalls também oferecerão delivery pelo Google. Até o momento, 280 operações de alimentação dos shoppings estão aceitando a nova funcionalidade, número que pode chegar a mais 440, de acordo com a administradora.

 

Para fazer um pedido tanto pelo buscador quanto pelo Google Maps é preciso ter as versões mais recentes de todos os principais navegadores de celular e desktop. Em seguida, ao buscar por um restaurante que faça parte do catálogo desses serviços de entrega e que seja dentro de sua região, aparecerá o botão “Faça seu pedido”. Depois, será possível escolher o prato, os horários de entrega ou retirada e finalizar a compra usando o Google Pay.

Com o login e o pagamento do Google não será necessário informar os detalhes da conta ou as informações do cartão de crédito no serviço escolhido. Assim que a compra for concluída, o usuário receberá um e-mail com o resumo do pedido, dados de rastreamento e contatos do restaurante.

“Para proprietários de restaurantes e cafés, a nova experiência também pode ajudar a criar novos canais de descoberta e alcançar mais clientes, especialmente durante esses tempos difíceis”, disse Alessandro Germano, diretor de desenvolvimento de negócios do Google para a América Latina, em nota.“Estamos muito felizes em apoiar o ecossistema local, criando produtos e recursos para tornar a vida das pessoas mais fácil e melhor”, completou.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/08/21/google-lanca-funcao-delivery-direto-pela-busca-ou-maps.html

21

Ago

Mídias Sociais

Facebook lança ferramenta que destaca negócios de empreendedores negros

Em junho, o Facebook anunciou uma série de iniciativas para auxiliar a comunidade negra dentro da plataforma, como parte do posicionamento da empresa diante do movimento Black Lives Matter. Agora, a rede social lança uma ferramenta para tornar mais fácil para os usuários encontrarem negócios de empreendedores negros na plataforma.

O novo recurso permite que os administradores que gerenciam páginas de empresas possam identificar o empreendimento como “Negócios de Propriedade de Negros”, uma nova na subseção localizada na guia “Negócios Próximos”.

O Facebook também anunciou que vai usar US$ 40 milhões para concessões fornecidas a pequenas empresas de empresários negros. Negócios com até 50 funcionários podem se inscrever para receber o subsídio. No total, 10 mil empreendimentos serão selecionados para receber os fundos.

De acordo com a promessa feita pelo Facebook em junho, a empresa pretende investir US$ 200 milhões para apoiar empresas e organizações de propriedade de negros. Por enquanto, metade desse fundo já foi destinado a pequenas empresas, criadores de conteúdo e organizações sem fins lucrativos.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/130660/facebook-lanca-ferramenta-que-destaca-negocios-de-empreendedores-negros/

20

Ago

Mídias Sociais

Instagram cria feed infinito com sugestão de postagens

Um novo recurso de sugestão de conteúdos está sendo lançado ontem (19) pelo Instagram. Ele dará ao usuário uma opção para continuar na plataforma quando chegar ao final do seu feed, conferindo postagens de contas que não fazem parte da sua lista de contatos.

Até agora, o feed era baseado apenas nas preferências do proprietário do perfil e das contas seguidas por ele. Mas com a função de postagens sugeridas, isso vai mudar. A proposta parece ser fazer o usuário continuar no app de fotos o máximo de tempo possível, deixando de lado a ferramenta para evitar o uso excessivo da rede social, lançada há dois anos — entre outras coisas, ela avisa quando você está em dia com as atualizações de seus amigos.

De acordo com o diretor de produto do Instagram Robby Stein, a novidade é uma resposta para as pessoas que querem ver mais postagens quando chegam ao fim do seu feed, mas não sabem quais assuntos procurar. Ela se assemelha ao algoritmo utilizado no TikTok, com os usuários recebendo conteúdos sugeridos de maneira contínua.

Obter novos conteúdos na rede social ficará mais fácil com a ferramenta.

“Vemos as pessoas continuando a procurar mais postagens nas quais estão interessadas depois de acompanhar seus feeds, então queríamos aprender com isso e tornar mais fácil ir um pouco mais fundo para aqueles que optam por fazê-lo”, disse ele ao TechCrunch.

Anúncios também serão exibidos

As novas sugestões de postagens serão também um espaço que poderá ser aproveitado pelos anunciantes da plataforma, para a divulgação de seus produtos a uma enorme base de potenciais compradores.

É que a ferramenta incluirá a exibição de anúncios em meio aos conteúdos recomendados de contas não seguidas pelo usuário, os quais o Instagram acredita que ele possa gostar, diferente do método utilizado nas sugestões da guia Explorar. O recurso será lançado globalmente, devendo chegar em breve a todos os usuários da rede social.

Fonte: TecMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/163243-instagram-cria-feed-infinito-post-sugeridos.htm