Educação

14

Jun

Educação

UFRN forma 36 novos médicos

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou, na manhã desta sexta-feira, 11 de junho, a solenidade virtual de colação de grau da segunda turma de Medicina da Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM). Com a participação do reitor, José Daniel Diniz Melo, o evento formou 36 novos médicos que poderão atuar no enfrentamento à pandemia da covid-19.

“Nós, filhos de pedreiros, técnicos de enfermagem e professores, cultivamos nesse período um apreço tão grande pelo projeto que é a Escola Multicampi de Ciências Médicas. A ideia da interiorização da Medicina está deslocando o nosso eixo de ir e de ficar sempre pelas capitais e cidades distantes, para voltar para nossa casa, para o nosso terreno, para servir nossas cidades e o nosso povo”, discursou o representante dos concluintes da turma 2021.1 de Medicina, Jair Segundo.

Para o reitor Daniel Diniz, a solenidade traduz um desafio vencido pelos estudantes que agora são graduados e atuarão em uma área vital para a sociedade, especialmente no atual contexto de pandemia da covid-19. “É, portanto, missão de grande importância social a que cada um irá cumprir em sua vida profissional, com a credencial de graduados por uma instituição [UFRN] que obtém seguidas avaliações positivas”, o gestor lembrou que aprender é uma atividade que não termina, convidando os novos médicos a seguir na busca pelo aprimoramento.

A paraninfa da turma, professora Ticiana Ramos, falou sobre a trajetória de formação e atuação do profissional médico, aconselhando os concluintes a escolherem sempre o caminho correto. “Entendam, o pódio da vida será conquistado com honestidade, retidão e respeito ao próximo”, aconselhou a docente.

Participaram ainda da solenidade a pró-reitora de Graduação (Prograd), Maria das Vitórias de Sá; diretor da EMCM, George Dantas; diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Antônio Lisboa da Costa; diretora do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres), Sandra Kelly de Araújo; ex-reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz; e a oradora da turma, Sabrina Suzelly. A cerimônia pode ser assistida pelo Canal da EMCM no Youtube.

13

Jun

Educação

Estudo de Oxford sobre DNA pode esclarecer como a COVID-19 afeta cada pessoa

Por enquanto, a razão pela qual algumas pessoas são mais afetadas pela COVID-19 do que outras permanece um enigma a ser decifrado pela medicina. E um novo estudo conduzido pela Oxford pode representar um avanço para essa questão. Isso porque os pesquisadores desenvolveram um método que permite ver, com muito mais precisão, como o DNA forma estruturas em grande escala dentro de um núcleo celular.

A descoberta tem potencial para melhorar a compreensão de como as diferenças nas sequências de DNA podem levar a riscos aumentados de desenvolvimento de muitas doenças diferentes. Na prática, o método permite medir os contatos entre diferentes pedaços de DNA.

Dito de outra forma, se cada letra do DNA fosse do tamanho de um tijolo, cada célula conteria aproximadamente o número de tijolos de uma cidade (6 bilhões). Os cientistas agora são capazes de descobrir quais tijolos estão próximos uns dos outros e ver os detalhes de como o DNA forma estruturas dentro das células, quando antes eles só podiam ver a "arquitetura" do DNA na escala de pequenos edifícios.

Segundo o pesquisador que liderou o estudo, James Davies, a técnica tem potencial real para causar um impacto significativo na saúde humana. "Por exemplo, no momento sabemos que existe um fator genético variante que duplica o risco de ser gravemente afetado pelo COVID-19. No entanto, não sabemos como a variante genética torna as pessoas mais vulneráveis ​​ao COVID-19", afirma.

Fonte: Canaltech, disponÍvel AQUI

12

Jun

Educação

Cosern abre inscrições para Programa de Estágio 2021

A Cosern abiu o processo de inscrição para o Programa de Estágio 2021, este ano com várias novidades. A principal delas é que as vagas oferecidas em diversas áreas estarão disponíveis tanto no Rio Grande do Norte quanto em outros estados brasileiros e no Distrito Federal – locais onde o Grupo Neoenergia, controlador da Cosern, tem atuação.

Outra novidade é que as vagas ficarão disponíveis durante todo o ano no Portal de Vagas de Estágio da Neoenergia (Estágio 2021). Além disso, todos os processos seletivos serão realizados por recrutadores internos do Grupo. Dessa forma, o estudante terá o currículo analisado por mais de 20 pessoas em todo Brasil.

“O mundo pede cada vez mais agilidade, fluidez e praticidade, então decidimos criar um novo formato para o nosso Programa de Estágio caracterizado pelo dinamismo, em que o programa é dividido por uma etapa de seleção e outra de desenvolvimento, para quem está na empresa conosco”, explica a superintendente de Desenvolvimento Organizacional da Neoenergia, Régia Barbosa.

“Entendemos o estágio como a principal porta de entrada na companhia e, por isso, atuamos desenvolvendo esses talentos incentivando o protagonismo e criando oportunidades internas, já que eles são podem ser nossos futuros analistas, especialistas e líderes”, complementa Régia Barbosa.

Requisitos básicos para os candidatos:

 Graduação/ Tecnólogo: em curso;

 Conhecimento: Pacote Office Básico;

-Disponibilidade para trabalhar 30h ou 20h semanais (6h/dia ou 4h/dia) em horário comercial.

O que o estágio oferece:

-Bolsa auxílio compatível com o mercado;

 Vale Transporte;

Vale Refeição;

 Assistência Médica;

Assistência Odontológica;

Seguro de Vida;

 Auxílio Para Atividade Física;

Oportunidade de Crescimento Interno;

 Programa de Idiomas;

Programa de Desenvolvimento Exclusivo para Estagiários;

Programa de Voluntariado;

 Programa de Diversidade.

A partir do Programa de Estágio, os estudantes podem se desenvolver e buscar oportunidades de efetivação na Neoenergia, que em 2020 fechou 79% das vagas através das oportunidades internas. 

Além disso, o estímulo à aprendizagem contínua se mantém ao longo da carreira profissional na companhia, que possui cerca de 14 mil profissionais próprios, e realizou 790 mil horas de treinamento em 2020.

12

Jun

Educação

Nova modalidade de exame de proficiência em inglês é mais acessível para quem deseja estudar no exterior

Estudar fora do Brasil exige alguns detalhes que devem ser levados em consideração, desde o país escolhido até o estilo de vida desejado, mas as especificidades técnicas também são fundamentais. Para estudar em países que utilizam a língua inglesa como o principal idioma, é necessário realizar testes de proficiência para garantir o entendimento das aulas e também no dia a dia.

Entre as provas está o TOEFL, sigla traduzida como Teste de Inglês como Língua Estrangeira, que atesta se uma pessoa consegue entender e se comunicar por meio do idioma plenamente. No entanto, a ETS, organização responsável pela regularização dessas provas, lançou recentemente uma nova modalidade, chamada de TOEFL®Essentials™, que possui algumas diferenças da original.

Fabrício Vargas, fundador da Uniway Education Group, escola de inglês especializada nos exames de proficiência, relata que a nova modalidade tem muitos atrativos por ser uma prova mais completa e com valor mais baixo. "Diferente do TOEFL, o Essentials possui maior abrangência do idioma, indo além do necessário nas universidades, mas considerando também o inglês geral", conta.

O TOEFL®Essentials™ possui algumas diferenças dos outros exames, a primeira delas é que ele é mais curto, com o tempo máximo de 90 minutos. Ele também leva em consideração e apresenta diferentes sotaques e situações do dia a dia, propondo um caráter global. A prova é dividida em quatro seções, sendo elas: audição, leitura, escrita e fala e, além disso, é necessário finalizá-la com uma declaração pessoal em vídeo.

Segundo Fabrício, o valor do teste também é inferior aos demais. "Enquanto o preço do TOEFL IBT é de aproximadamente US$245, o Essentials terá o valor máximo de US$120, o que é um grande atrativo para as pessoas que desejam estudar fora", ele ressalta. No entanto, é importante verificar quais instituições de ensino irão aceitar a nova modalidade do exame, considerando o recente lançamento. As inscrições para o Essentials serão abertas no dia 17 de junho e os exames iniciados no dia 21 de agosto.

 

11

Jun

Educação

Publicada lei que garante R$ 3,5 bi para internet de aluno e professor

Está publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (11) a Lei 14.172, que determina o repasse de R$ 3,5 bilhões para garantir o acesso à internet, com fins educacionais, a alunos e professores da educação básica pública. A norma só foi possível após o Congresso Nacional rejeitar, em sessão no início de junho, o veto total do presidente Jair Bolsonaro ao projeto que originou a lei (PL 3.477/2020).

À época do veto, (VET 10/2021), o presidente Jair Bolsonaro, afirmou que a matéria não apresentava estimativa do respectivo impacto orçamentário e financeiro. Os Ministérios da Economia e da Educação argumentaram que a proposta aumentaria ainda mais a rigidez do Orçamento, o que dificultaria o cumprimento da meta fiscal e da regra de ouro, prevista na Constituição Federal.

A lei determina repasse de R$ 3,5 bilhões da União para estados, Distrito Federal e municípios investirem na ampliação do acesso à internet. As fontes de recursos para o programa serão o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) e o saldo correspondente a metas não cumpridas dos planos gerais de universalização do serviço telefônico fixo.

Durante a discussão da matéria no Senado, o relator da proposta na Casa, senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) explicou que os recursos podem assegurar a oferta mensal de 20 gigabytes de acesso à internet para todos os professores do ensino fundamental e médio das redes estaduais e municipais. Além deles, podem ser beneficiados os alunos da rede pública do ensino fundamental e médio integrantes de famílias vinculadas ao Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Também podem ser beneficiados os matriculados nas escolas das comunidades indígenas e quilombolas.

A norma determina ainda que, caso não haja acesso à rede móvel na região ou a modalidade de conexão fixa para domicílios ou comunidades se mostre mais barata, o acesso à banda larga poderá ser contratado. Além disso, metade dos recursos poderá ser usada para aquisição de celulares ou tablets que possibilitem acesso à internet. Esses equipamentos poderão ser cedidos a professores e alunos em caráter permanente ou temporário, a critério dos governos locais.

Contratações

O valor das contratações e das aquisições deverá considerar os critérios e os preços praticados em processos de compras similares realizados pela administração pública. A lei prevê ainda que empresas privadas nacionais ou estrangeiras doem celulares ou tablets por meio de chamamento público ou de manifestação de interesse.

Essas contratações e aquisições, segundo o texto, serão caracterizadas como “tecnologias para a promoção do desenvolvimento econômico e social”. Dessa forma, as empresas de telefonia poderão receber recursos do Fust. Criado em 2000, o fundo é direcionado a medidas que visem à universalização de serviços de telecomunicações.

Fonte: Agência Brasil

11

Jun

Educação

Estudante potiguar é 3º lugar nacional em competição de leitura

O Mundial Colégio e Curso, escola líder na zona norte de Natal, está no topo do ranking nacional da Liga de Leitores da Árvore, maior plataforma de leitura digital do Brasil que permite ao aluno o acesso a mais de 30 mil títulos de diversos gêneros e em vários idiomas, além de jornais e revistas de todo o mundo. A estudante Lidia Rebouças Dantas, do 8° Ano, fez 30.917 pontos e ficou em 3º lugar entre mais de dois mil estudantes do mesmo nível de ensino em todo o Brasil.

A competição envolve todos os leitores da plataforma, com o objetivo de estimular o hábito da leitura e engajar alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio a partir da gameficação. A parceria do Mundial com a Árvore oferece aos estudantes um ambiente de leitura estimulante e muito próximo do universo dos alunos. A plataforma pode ser utilizada com facilidade, além de possuir um acervo que atende desde a Educação Infantil ao Ensino Médio.

De acordo com Kelly Dantas, Diretora Administrativa do Mundial, a certificação é um reconhecimento pelo esforço na leitura. “Aproveitando o ranking nacional da Árvore, também fizemos o nosso ranking da escola e comemoramos com os outros alunos, de todas as séries, os leitores do trimestre. A gente valoriza cada resultado na nossa escola. As certificações trimestrais são para estimular nossos alunos, valorizando-os por notas, mas também por mérito”,celebra.

A instituição, que é primeiro lugar no ENEM na região e referência quando o assunto é educação de qualidade, possui educação bilíngue a partir do nível II, salas de aula com multimídia, formação integral voltada ao desenvolvimento humano, musicalização e ensino de robótica, incentivo ao esporte e educação física, Sistema Positivo de ensino, curso preparatório para o IFRN, oficinas de redação, aulas preparatórias para olimpíadas de conhecimento, carga horária ampliada para o ensino médio, mostra de profissões e orientação vocacional.

A utilização da Árvore reforça um dos diferenciais do Mundial, de incentivar a leitura aos alunos. “Entendemos que formando leitores estamos formando alunos que além de lêem bem, escrevem bem, interpretam bem e enriquecem o seu vocabulário, isto é, alunos preparados para a vida”, destaca a Diretora Pedagógica, Sheila Dantas. Os estudantes – assim como os professores – podem interagir entre si pelo aplicativo e trocar experiências.

11

Jun

Educação

Pesquisa da UFRN concorre a prêmio na área de Odontologia

A doutoranda Ana Larisse Carneiro Pereira, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Odontológicas da UFRN (PPGCO), sob orientação da professora Adriana da Fonte Porto Carreiro, é finalista do Prêmio Neal Garrett, que faz parte do evento promovido pela Internacional Association For Dental Research (IADR). A pesquisa que está concorrendo é intitulada Veracidade de um dispositivo para a fabricação de infraestruturas de arco completo, na área de Prótese e Implantodontia. 

 A pesquisa foi selecionada para concorrer ao prêmio, ficando entre as cinco indicadas como finalistas. Esses cinco estudos serão apresentados a uma banca avaliadora do prêmio, para definir o primeiro colocado. De acordo com a professora Adriana da Fonte Porto Carreiro, esse é um evento de destaque mundial em pesquisa na área de Odontologia. 

 Promovido anualmente pela Internacional Association For Dental Research (Associação Internacional de Pesquisa Odontológica), o evento será totalmente on-line nesta edição, acontecendo entre os dias 21 e 24 de julho.

A pesquisa é sobre o desenvolvimento de um dispositivo para a área de Odontologia que possibilita melhorar a precisão do escaneamento realizado na boca do paciente e que propicia a geração de um modelo digital mais preciso para implantes dentários. Com o invento, é possível saber, com maior perfeição, a distância entre um implante e outro, e também a angulação.

 

10

Jun

Educação

Enem: Inep divulga resultado de pedidos de isenção de taxa

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou ontem (9) os resultados preliminares dos pedidos de isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Também foram divulgadas as decisões sobre justificativas de ausência apresentadas por candidatos que, em 2020, foram liberados de pagar a taxa de inscrição para fazer o exame e não participaram dos dois dias de prova.

Os participantes isentos de pagamento de inscrição em 2020, que faltaram às provas no ano passado, e que ou não apresentaram justificativa de ausência, ou tiveram seus argumentos recusados, não poderão voltar a pedir liberação da taxa este ano. E, da mesma forma que os demais estudantes cujos pedidos de isenção forem negados, terão que pagar R$ 85.

Para consultar os resultados, os participantes devem acessar o endereço, com a senha de acesso pessoal cadastrada anteriormente. Será possível recorrer da decisão preliminar do Inep entre os dias 14 e 18 deste mês. O resultado será divulgado no dia 25.

Os interessados em fazer as provas agendadas para os dias 21 e 28 de novembro têm que se inscrever, pois a aprovação dos pedidos de isenção e da justificativa de ausência anterior não garante a efetivação da inscrição na edição deste ano. O período de inscrição está previsto para ocorrer entre 30 de junho e 14 de julho.

Fonte: Agência Brasil

10

Jun

Educação

IMD assina acordo de colaboração com Universidade de Sheffield, do Reino Unido

O Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) assinou, em maio, um acordo de colaboração com a Universidade de Sheffield (Reino Unido), em que prevê a aproximação de pesquisadores para o desenvolvimento de ferramentas na área de Psiquiatria Computacional.

A parceria, com foco em estudos sobre doenças neurodegenerativas, tem duração de até dois anos e possui entre seus objetivos o intercâmbio de pesquisadores em eventos de treinamento no Brasil e no Reino Unido, a aquisição de equipamento de pesquisa para utilização na UFRN e a oferta de bolsas de pesquisa no Brasil. A coordenação da iniciativa é do professor do IMD César Rennó Costa.

O projeto Modelling the link between working memory and language deficits in schizophrenia, que originou o acordo, foi aprovado em uma chamada pública da Royal Society e tem como objetivo criar um modelo computacional dos déficits de linguagem observado em esquizofrênicos.

Os professores Sidarta Ribeiro e Natália Mota, do Instituto do Cérebro (Ice/UFRN), descobriram que, ao analisar a fala de pacientes psiquiátricos, é possível identificar uma pessoa que vai desenvolver eventos psiquiátricos com meses de antecedência. Portanto, um dos propósitos do projeto é compreender o mecanismo por trás disso.

Bioinformática

De acordo com César Rennó, o centro de processamento de linguagem natural, do Departamento de Ciência de Computação da Universidade de Sheffield, é um dos mais conceituados do mundo. “Este intercâmbio abrirá novas portas de pesquisa na interface entre a Bioinformática, a Neurociência e a Inteligência Artificial. É mais um fruto das iniciativas de internacionalização do Programa de Pós-graduação em Bioinformática (BioME), do IMD”, afirma o professor.

A parceria com a Universidade de Sheffield foi realizada a partir de um projeto com financiamento do Newton Fund (iniciativa britânica que promove o desenvolvimento social e econômico de países parceiros), com a gestão da Royal Society (instituição voltada para promoção de conhecimento científico). O acordo foi assinado de forma remota pelo reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, e pelo deputy director de Sheffield, Neil Harris. A Secretaria de Relações Internacionais da UFRN e o Reserch Services da universidade inglesa intermediaram a ação.

Além da coordenação do professor César Rennó, o projeto também tem colaboração do professor Renan Moioli (IMD), da professora Aline Villavicencio (chair de Processamento de Linguagem Natural na Universidade de Sheffield), entre outros docentes do Instituto do Cérebro (ICe-UFRN), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), da Universidade de Coimbra (Portugal) e da Universidade de Birmingham (Inglaterra).

Foto: University of Sheffield

10

Jun

Educação

Enem Digital 2021 terá recursos de acessibilidade

A versão digital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 terá recursos de acessibilidade inéditos como prova ampliada, superampliada e com contraste, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ao todo, serão 101.100 vagas para o Enem Digital. Essa versão do exame será exclusiva para quem já concluiu o ensino médio ou que está concluindo a etapa em 2021.

Entre os perfis de participantes que podem solicitar os atendimentos estão: pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia, deficit de atenção, transtorno do espectro autista, discalculia, gestantes, lactantes, idosos, além de pessoas com outra condição específica.

Segundo o Inep, também será permitido que os inscritos usem materiais próprios que auxiliem na realização da prova no computador, como máquina de escrever em braile, caneta de ponta grossa, óculos especiais, tábuas de apoio, multiplano e plano inclinado.

Tradutor-intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), tempo adicional e salas acessíveis estão previstos no edital. Cão-guia, medidor de glicose, bomba de insulina, além de aparelhos auditivos ou implantes cocleares também serão permitidos no Enem Digital 2021.

O Inep esclarece que os participantes que precisam de recurso de acessibilidade diferente dos previstos no edital do exame digital terão o atendimento assegurado na versão impressa do exame.

O período de inscrições do Enem 2021, incluindo o prazo para solicitar atendimento especializado, começa no dia 30 de junho e vai até 14 de julho. Os procedimentos deverão ser realizados por meio da Página do Participante. Tanto a versão digital quanto a impressa desta edição serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, além de contarem com provas de itens iguais.

O Enem Digital foi aplicado pela primeira vez na edição de 2020. O objetivo é que o exame seja completamente digital até 2026. Ao todo, 93 mil candidatos se inscreveram para fazer as provas por computador. Cerca de 30 mil candidatos fizeram o exame.

Fonte: Agência Brasil

9

Jun

Educação

Biblioteca da UFRN digitaliza jornais potiguares do século XIX

Para preservar e facilitar o acesso de pesquisadores e alunos, a Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) digitaliza jornais potiguares do século XIX. O processo foi realizado mediante parceria da biblioteca com o Laboratório de Imagens (LABIM/CCHLA), que digitalizou os microfilmes do acervo da BCZM entre 2011 e 2015. É um grande catálogo com mais de 15 GB de informação. Ele pode ser acessado aqui

Para Magnólia de Carvalho Andrade, diretora da BCZM, os jornais são de grande ajuda para os pesquisadores, “uma vez que podem acessar essa importante fonte de pesquisa histórica na comodidade de sua casa, principalmente neste momento em que as bibliotecas da UFRN estão fechadas para pesquisas em seu acervo físico”, complementa. 

O jornal mais antigo que se encontra entre os digitalizados é a edição de 22 de outubro de 1862 de O Barbeiro. “Todas as publicações tratam do cotidiano norte-rio-grandense nas mais diversas perspectivas. Portanto digitalizar esses documentos é, sobretudo, garantir sua preservação e permitir que estudantes e pesquisadores de hoje e do futuro conheçam nossa história”, diz Tércia Marques, bibliotecária, documentalista e chefe do Setor de Coleções Especiais da BCZM. 

No total, foram digitalizados 69 títulos de jornais, alguns são: A Ordem (1935-1952), A República (1889-1910), Brado Conservador (1877-1882), Diário do Natal (1893-1904), Gazeta do Natal (1888-1890), Oasis (1894-1895), O Caixeiro (1892-1894), O Macauense (1886-1889), O Nortista (1892-1895), O Povo (1889-1891), O Santelmo (1891-1893), Jornal das Moças (1926), Tribuna do Norte (1950 – presente ) e muitos outros.

Todos são de livre acesso pela página da BCZM, exceto a Tribuna do Norte, que é um jornal ainda corrente.

*Por Ana Lourdes Bal de Agecom/UFRN

9

Jun

Educação

IMD abre 11 vagas para bolsistas de TI; saiba como participar

Os projetos Smart Retail, Skywalker e WiseFi, realizados pelo Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), em parceria com as empresas Intelbras e Foxconn/Asus, abriram processo seletivo para bolsistas de pesquisa e desenvolvimento de soluções de Tecnologia da Informação (TI). As inscrições podem ser feitas até o dia 11 de junho, por meio do preenchimento deste formulário, ao qual devem ser anexados os documentos solicitados e vídeo constando apresentação pessoal, acadêmica e profissional, conforme exposto no item 5.2.2 do edital.

Conforme o Edital nº 35, a seletiva é destinada a discentes de nível de graduação ou de pós-graduação em andamento, além de pesquisadores visitantes, sendo a carga horária de 30 horas semanais e as remunerações de R$ 1 mil a R$ 3 mil, de acordo com o nível de formação do bolsista.

São ofertadas 11 vagas mais cadastro de reserva, distribuídas entre os oito perfis: desenvolvedor full stack em PHYTON, desenvolvedor front-end web, designer de UX, engenheiro devops, engenheiro de testes, suporte ao usuário, auxiliar administrativo e desenvolvedor front-end mobile.

Seleção

Para participar da seleção, o candidato deve estar matriculado em um curso de graduação ou de pós-graduação da UFRN na área de Computação ou campos afins e certificar-se de que possui as habilidades e competências necessárias, segundo o anexo I do edital.

O processo seletivo será realizado entre os dias 14 de maio a 21 de junho e consistirá em duas etapas eliminatórias: avaliação dos documentos entregues na inscrição e entrevista por videoconferência com data e horário informados via e-mail.

O resultado da seleção será divulgado a partir do dia 22 de junho de 2021, no site do IMD, na aba Editais.

9

Jun

Educação

Pesquisa da UFRN é selecionada pelo Fundo Lemann Brasil

Investigar como o isolamento social e a consequente impossibilidade de frequentar a escola estão impactando a prática de leitura das crianças. Esse é o objetivo de uma pesquisa realizada com a colaboração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e selecionada para receber financiamento do Fundo de Pesquisa Lemann Brasil (FPLB).

A notícia dos selecionados no Concurso 2021 do FPLB foi divulgada pelo The Harvard Gazette. Intitulada como Examining the effects of Covid-19 restrictions on literacy practices in a child’s home: a global survey study, a pesquisa resulta do trabalho em conjunto entre a Universidade de Harvard, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

 Como explica a professora Cíntia Azoni, do Departamento de Fonoaudiologia (DFONO) do Centro de Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFRN), essa pesquisa começou em outubro do ano passado a convite da professora Nadine Gaab da Harvard Graduate School of Education (HGSE). “Esse trabalho já está em andamento e agora foi aprovado com financiamento em parceria com a Universidade de Harvard”.

 Professora Cíntia, que coordena o Laboratório de Linguagem Escrita, Interdisciplinaridade e Aprendizagem (LEIA) e também as atividades dessa pesquisa na UFRN, ressalta a parceria com a professora Júlia Beatriz Silva da UFMG e destaca: “o desafio agora é chegar às famílias de baixa renda para verificarmos o prejuízo na prática de leitura dessas crianças que ainda não retornaram às escolas devido à pandemia de covid-19”.

9

Jun

Educação

Pesquisa: matrículas em cursos superiores crescem 1,8% no país em 2019

O número de matrículas em cursos superiores presenciais e de ensino a distância (EAD), nas redes privada e pública, cresceu 1,8% em 2019, de acordo com dados do Mapa do Ensino Superior no Brasil 2021, divulgado hoje (8) pelo Semesp, entidade que representa mantenedoras de ensino superior do Brasil.

O crescimento total das matrículas na rede privada para cursos presenciais e EAD foi de 2,4%, enquanto na rede pública foi de 1,5%.

"Chama a atenção que, apesar de termos crescido nesses últimos anos, a taxa de escolarização líquida, que mede o percentual de jovens de 18 a 24 anos que estão no ensino superior, na faixa etária adequada, não cresce. Em 2018, esse número era de 17,9%, ou seja de toda essa população, só esses estavam matriculados no ensino superior. Em 2019, eram 18,1%; em 2020, 18%; e 2021 a estimativa é de 17,8%", disse o diretor executivo do Semesp, Rodrigo Capelato.

Quando se consideram apenas os cursos presenciais da rede privada, em 2021 a previsão é de queda de 8,9% no número de matrículas. Para os cursos EAD, na mesma rede e período, a estimativa de crescimento é de 9,8%. "Mas, mesmo no EAD, o crescimento que vinha ocorrendo antes da pandemia também diminuiu. Temos impacto da pandemia tanto no presencial quanto no EAD", afirmou o diretor. 

Segundo Capelato, é preciso estar atento para o fato de que, apesar de as aulas estarem sendo assistidas remotamente, não é possível dizer que o EAD cresce e o presencial decresce um em função do outro. "No modelo assíncrono, que é o antigo EAD [quando o aluno estuda sozinho, de acordo com sua disponibilidade de tempo, sem interação com professores e colegas], o curso é mais barato e é dirigido a alunos de 30 a 44 anos. São alunos que saíram do ensino médio, não entraram no superior, estão no mercado de trabalho e veem a possibilidade de ascender profissionalmente."

Já no presencial, o perfil é de alunos mais novos, com até 29 anos, que saíram do ensino médio e que querem ter contato com os professores, com os alunos, e não conseguem se concentrar sozinhos, estudando no tempo deles, por isso escolhem o modelo síncrono.

"O assíncrono não vai eliminar o síncrono. O que vemos é que o segundo é mais caro e, por isso, muitos jovens estão deixando de ingressar no ensino superior, não indo para o EAD e estamos voltando a ter uma massa de população mais velha só com ensino médio completo. Não estamos conseguindo trazer o mais jovens para o ensino superior", ressaltou. 

Financiamento

De acordo com Capelato, para alterar essa realidade, é preciso criar políticas públicas de inclusão. Os dados no mapa mostram que, em 2019, a taxa de evasão de alunos que não são contemplados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou programa Universidade para Todos (Prouni) foi de 26,2%.

Entre os alunos com Fies, a taxa de evasão ficou em 6,4%. Considerando os estudantes com Prouni, a taxa de evasão foi de 8,8%.

"A maioria dos jovens, mais de 90%, tem situação de vulnerabilidade financeira e não tem condições de ingressar em uma universidade pública porque as vagas são restritas e eles não conseguem entrar na particular porque não podem pagar."

Vagas  

Os dados indicam ainda que, em 2021, foram ofertadas 40 mil vagas com Fies por 892 instituições mantenedoras e 1,5 mil mantidas, sendo que foram ocupadas, até maio, 22 mil dessas ofertas. Para as bolsas do Prouni, em 2020, foram 237 mil parciais e 183 integrais. De 2009 a 2019, a ociosidade nesse tipo de bolsa chegou a 34,4%, de acordo com o mapa divulgado pelo Semesp.

Segundo os dados, em dez anos (2010 a 2019), o número de instituições de ensino superior de grande porte subiu 1,8 ponto percentual, com um aumento de 10,3 pontos percentuais no número de matrículas. No mesmo período, o número de instituições superiores de pequeno porte caiu 4,7 pontos percentuais, com uma diminuição de 6 pontos percentuais na participação dessas unidades em relação ao total de matrículas. 

Ensino médio

Para avaliar o potencial de crescimento do ensino superior, a 11ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil traz um estudo sobre o ensino médio no país. A conclusão foi que o número de alunos matriculados nas 29 mil escolas que oferecem ensino médio regular chegou a 7,55 milhões em 2020, dos quais 87,7% estudam em escola pública. 

Apesar de ter ocorrido um crescimento de 1,1% no último ano, o total de estudantes caiu 10,1% em comparação a 2011. Os dados apontam que 39,2% dos alunos do ensino médio estão matriculados na primeira série dessa etapa escolar.

Além disso, o país também conta com 1,94 milhão de pessoas matriculadas na educação profissional e 3 milhões na educação de jovens e adultos (EJA).

O levantamento mostra ainda que 97,5% da população com ensino médio no país têm renda domiciliar per capita de até três salários mínimos; 19,3% da população com ensino médio têm até 24 anos; 36,7% da população com ensino médio têm idade entre 25 e 39 anos.

Em 2020, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua, 7,5% dos estudantes trabalharam ou estagiaram durante pelo menos uma hora em alguma atividade remunerada na semana de referência. O percentual caiu 7,1 pontos percentuais, quando comparado a 2016, por exemplo. Em números absolutos, aproximadamente 648 mil alunos trabalhavam ou faziam estágio em 2020, valor 41,6% menor que no ano anterior.

Fonte: Agência Brasil

9

Jun

Educação

Habitat Marte: projeto da UFRN inicia missão em parceria com Agência Espacial Brasileira

Iniciou nesta segunda-feira, 7, a missão 73 da estação espacial análoga Habitat Marte em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB). Trata-se de uma missão virtual do Habitat Marte, projeto de pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), coordenado pelo professor Julio Rezende, do Departamento de Engenharia da Produção (DEP) do Centro de Tecnologia (CT/UFRN).

Compõem a missão 73 do Habitat Marte, 26 estudantes e professores de escolas estaduais, institutos federais, universidades, faculdades e instituições públicas e privadas de vários estados brasileiros e também uma estudante internacional da Embry-Riddle Aeronautical University (Flórida/EUA). 

As missões organizadas pelo Habitat Marte já tiveram mais de 300 participantes de 29 países. Nas missões virtuais, é discutido e imaginado como pode funcionar uma futura estação em Marte, discutindo-se vários aspectos como: produção de alimentos, geração de energia, saúde, psicologia, gestão, engenharia, exploração espacial, segurança, foguetes, entre outros temas de educação e pesquisa. 

Na parceria, a AEB foi responsável pela divulgação das inscrições, contribuindo para mais de 90 inscritos de vários lugares, incluindo o exterior, e o Habitat Marte é responsável por todos os detalhes operacionais da missão. 

A estação espacial análoga Habitat Marte mantém suas instalações na zona rural de Caiçara do Rio do Vento, no estado do Rio Grande, tendo suas pesquisas voltadas para a autossustentabilidade no ecossistema caatinga, verificando paralelos sobre como a sustentabilidade pode ser encontrada em futuras operações de exploração de Marte e Lua, observando a geração de energia, a gestão de água e esgoto e a produção de alimentos em sistemas fechados. 

Mais detalhes sobre o funcionamento das missões podem ser encontradas no perfil do Twitter e Instagram @HabitatMarte em www.habitatmarte.com, no canal do YouTube ou com o coordenador, professor Julio Rezende, no telefone: (84) 99981-8160.