Educação

21

Jun

Educação

USP divulga pesquisas de cientistas da instituição em evento online

A Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) da Universidade de São Paulo (USP) organizou uma série de três encontros online em que pesquisadores falam sobre os estudos da universidade, no evento chamado Pesquisas na USP – Destaques Recentes.

Os encontros são destinados a outros cientistas e ao público em geral, que poderão conhecer parte das pesquisas em andamento na instituição.

“A USP valoriza as pesquisas que integram diferentes unidades e esse evento é uma oportunidade para conhecermos não apenas seus trabalhos de impacto, mas também permitir maior integração entre diferentes áreas, promovendo possibilidades multidisciplinares e ciência de maior impacto. Essa é, na verdade, uma tendência mundial”, disse o pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Canuto, ao Jornal da USP.

Os encontros foram divididos em Saúde e Biológicas, Exatas e Agrárias, e Humanidades e Museus, sendo que cada apresentação terá a duração de dez minutos. O primeiro encontro será na próxima quinta-feira (24), às 14h, com transmissão pelo canal da USP no Youtube, com pesquisas apresentadas nas áreas de Saúde e Biologia.

Os encontros seguintes estão agendados para 30 de setembro, com pesquisas das áreas de Exatas e Agrárias, e 25 de novembro, de Humanidades e Museus.

Fonte: Agência Brasil

20

Jun

Educação

Quatro livros para dominar o universo dos vinhos, do básico ao expert

Existem livros que se aproximam tanto da história que contam que parecem carregar  aromas, texturas e sabores, despertando no leitor uma série de sensações. Quando o assunto é gastronomia ou bebidas, a experiência fica ainda melhor. No caso dos vinhos, que representam um universo de tipos, safras e combinações, as descobertas nunca terminam. Por isso, a Disal preparou uma seleção especial que contempla desde os que ainda não entendem nada do assunto até quem já tem um pouco mais de experiência.

A campanha é especial porque, ainda que pareça algo simples, uma taça de vinho contém mais do que apenas a bebida. Traz uvas de diversos lugares, um processo intenso de fabricação, lembranças adormecidas com o tempo e, ainda mais importante, benefícios para saúde.

A Sociedade Brasileira de Hipertensão Arterial indica que o vinho tinto é rico em polifenóis e essa substância, encontrada na casca da uva, inibe a formação de placas de gordura no sangue e de trombos, responsáveis por infarto e AVC. Além disso, duas taças da bebida por dia podem reduzir em até 20% o risco de doenças cardíacas.

Para os apaixonados, o vinho também tem alguns benefícios. Uma pesquisa feita na Nova Zelândia pela Universidade de Otago, revelou que casais que reservam um tempo para tomarem uma taça de vinho juntos são mais felizes do que aqueles que não têm esse costume.

Agora, pegue a sua melhor taça para degustar um bom vinho enquanto confere os títulos disponíveis na campanha especial da Disal:

Expert em vinhos em 24 horas – Jancis Robson

Jancis Robinson explica de forma didática e prática como escolher um bom vinho. Sugere maneiras de fazer uma degustação com os amigos afinal, a melhor maneira de curtir uma bela garrafa é na companhia de quem se gosta. Na obra há 10 dicas para escolher a garrafa certa, quanto deve-se pagar por cada uma e como combinar vinho e comida.

Saiba mais:  https://cutt.ly/8nWgCC0 

Viagens, vinhos, histórias – Milton Mira de Assumpção Filho

O objetivo desta obra é mostrar: como programar e visitar regiões vinícolas, mesmo não sendo um grande especialista em vinhos. O conceito básico deste guia é oferecer ao leitor recomendações e sugestões, para que possa programar melhor suas viagens para as regiões vinícolas em vários países, mesmo sendo um simples apreciador de vinhos.

Saiba mais: https://cutt.ly/wnWhejq

Os segredos do vinho – Para iniciantes e iniciados – José Osvaldo Albano do Amarante

Este é o mais completo livro sobre vinhos já escrito no Brasil. Além de fornecer ao leitor todas as dicas para que ele compre, armazene e consuma seus vinhos de forma correta, harmonizando-os com todos os tipos de comida, a obra – agora em edição revista, atualizada e ampliada – explica a arte da produção de vinhos e traz informações detalhadas sobre os principais países produtores. Inclui tabela das melhores safras do mundo.

Saiba mais: https://cutt.ly/6nWhbGl

Vinho Branco: O prazer é todo seu – Sérgio Inglez de Sousa

Seguindo o roteiro de degustação elaborado pelo enófilo Sérgio Inglez de Sousa, qualquer pessoa vai saber exatamente o que apreciar no vinho e como anotar suas impressões nas 100 fichas de degustação, que fazem parte do livro, bem como terá à disposição um roteiro completo para a degustação, tudo o que é necessário para entender as informações contidas nos rótulos e os detalhes que permitem apreciar as qualidades do vinho branco.

Saiba mais em: https://cutt.ly/NnWhF00

19

Jun

Educação

Rede Luminova destaca vantagens sobre investir no segmento de educação em webinar gratuito

O segmento de educação é bastante promissor. Segundo a HolonIQ, plataforma norte-americana de inteligência global com foco neste mercado, espera-se que, mundialmente, empresas, governos e consumidores invistam mais de US$ 7 trilhões em educação até 2025, montante esse que, acredita-se, pode chegar até US$ 10 trilhões, já em 2030. Os valores reforçam as oportunidades para que o mercado siga crescendo e, por consequência, trazendo novas soluções para a sociedade. 

E é com esta visão que a Luminova, que tem por objetivo democratizar o acesso à educação de qualidade e promover a ascensão social e o crescimento humano, convida para um bate-papo online e gratuito a fim de mostrar as vantagens em investir no segmento educacional que, mesmo durante a crise - sanitária e econômica - continua sendo uma boa oportunidade de negócio. Não é à toa que a rede, que entrou no segmento do franchising no início do ano passado, já vendeu 13 unidades e os executivos esperam chegar a quinze novos contratos em 2021.

O encontro será apresentado por Ana Carmo, especialista em expansão de franquias, e José Carlos, responsável pela implantação, operação comercial e expansão. O evento é direcionado aos gestores, diretores de escola, executivos, professores, pesquisadores, pedagogos, e empreendedores do setor educacional.  

Inscrições pelo link: https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZ0tc-6rqjMrHdxvSk5rO8JvY8F5HSJ9gSoP

18

Jun

Educação

MEC cria grupo de trabalho para atualização do Enem e do Encceja

Está publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (18), a Portaria 411/21 que institui um grupo de trabalho, no âmbito do Ministério da Educação (MEC), para discutir a atualização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Sob a coordenação da Secretária de Educação Básica do MEC, o grupo vai se reunir uma vez por mês e será formado pelas secretarias executiva, de Educação Superior, de Modalidades Especializadas de Educação - de Educação Profissional e Tecnológica, além do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Também vão integrar o grupo, os conselhos Nacional de Educação e de Secretários de Educação, além da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, a Undime. Pela Portaria, o grupo tem seis meses, a partir de hoje (18), para concluir os trabalhos.

Fonte: Agência Brasil

18

Jun

Educação

Terminam hoje as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade

Terminam hoje (18) as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade – o Encceja PPL 2020.

As provas para o ensino fundamental e médio serão aplicadas nos dias 13 e 14 de outubro deste ano. As inscrições de pessoas privadas de liberdade e jovens que estão sob medidas socioeducativas devem ser feitas pelo responsável pedagógico. Cabe a ele entrar na página do participante, fazer a inscrição dos interessados, verificar a divulgação dos resultados e determinar as salas de provas dos participantes, assim como a transferência entre as unidades, caso seja necessário. Também cabe ao profissional excluir do exame aqueles que tiverem a liberdade decretada.

No momento da inscrição é preciso selecionar qual o tipo de prova que deseja fazer: Encceja para ensino fundamental - idade mínima de 15 anos completos no dia de realização do exame - ou Encceja para ensino médio.

Para o ensino médio é exigida idade mínima de 18 anos completos na data de realização do exame. Ainda na inscrição, o responsável pedagógico precisa selecionar as áreas que o candidato deseja. Aqueles que têm declaração de proficiência parcial em algumas áreas não precisam repetir a prova. Já quem não possui essa declaração deve marcar todas as alternativas.

Provas

As provas do Encceja PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Encceja regular. A diferença entre elas é a aplicação, que ocorre dentro de unidades prisionais e socioeducativas. Podem participar jovens e adultos brasileiros que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos de nível básico na idade adequada. São quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, além de uma redação.

Como é

O Encceja é uma prova criada em 2002 pelo Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep para avaliar o conhecimento das pessoas que voltaram a estudar porque não conseguiram concluir o ensino fundamental ou médio na idade adequada. Um bom resultado no exame garante ao estudante o certificado de conclusão dos estudos com o mesmo valor de um diploma de uma escola de ensino fundamental ou médio.

Fonte: Agência Brasil

17

Jun

Educação

IFRN lança editais para cursos técnicos e para o ProITEC; saiba como participar

A Pró-Reitoria de Ensino do IFRN, através de sua ​Coordenação de Acesso Discente (Cadis/Proen/IFRN), lançou três novos editais nesta quarta, 16 de junho de 2021. Dois deles são voltados a cursos Técnicos de Nível Médio: o Edital nº 28/2021, que trata de oferta de vagas na forma Subsequente, e o Edital nº 29/2021, para vagas na forma Integrada - Modalidade Educação de Jovens e Adultos. O terceiro, Edital nº 30/2021, é referente ao Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania (ProITEC).

Edital nº 28/2021

Com a oferta na forma Subsequente, ou seja, para pessoas que já concluíram o Ensino Médio e querem obter a qualificação técnica, o período de inscrição do Edital nº 28/2021 vai de 18 de junho a 19 de julho de 2021, somente via internet, na Área do Candidato do Portal da Fundação de Apoio ao IFRN (Funcern) [https://inscricoes.funcern.org]. A inscrição tem o custo de R$ 30 (trinta reais). O Edital informa o passo a passo para solicitar a isenção de pagamento da taxa de inscrição.

A seleção para esse processo seletivo será realizada através da aplicação de Provas Presenciais, também descritas no Edital. Contudo, no caso da inviabilidade da aplicação das provas – dadas as condições sanitárias causadas pela pandemia da Covid-19, motivada por publicação de documentos legais pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio Grande do Norte ou do Comitê Covid do IFRN –, a seleção poderá ser realizada através da análise de notas do Histórico Escolar do Ensino Médio. Para isso, serão considerados somente os históricos escolares anexados ao sistema no período regular das inscrições, conforme prazos definidos no Anexo VII do Edital.

Observação: no caso de necessidade de cancelamento da aplicação das Provas Presenciais  e da execução da seleção através da Análise de Histórico Escolar do Ensino Médio, tais informações serão divulgadas no Portal IFRN, pelo Portal da Funcern e pelo e-mail cadastrado no momento da inscrição (ver oferta de vagas por campus no edital e no quadro ao final desta matéria).

Edital nº 29/2021

Para o Edital nº 29/2021, voltado a vagas para o Curso Técnico de Nível Médio em Edificações, na Forma Integrada na Modalidade Educação de Jovens e Adultos (ProEJA), ofertadas pelo Campus Mossoró, são 40 vagas. Disponibilizadas para o turno vespertino, tais vagas têm o mesmo período de inscrição do Edital nº 28/2021: de 18 de junho a 19 de julho de 2021; a forma de inscrição e informações sobre a taxa a ser paga também são as mesmas. O edital é voltado a estudantes que fizeram até o Ensino Fundamental e têm 18 anos ou mais. No ato da inscrição, os estudantes devem anexar o Histórico Escolar do Ensino Fundamental.

Edital nº 30/2021

Já o Edital nº 30/2021, para o qual não há limite de vagas, trata do Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania (ProITEC), curso de Formação Inicial e Continuada, na modalidade de Educação a Distância, com carga-horária total de 160 horas. O objetivo do Programa é o aprofundamento de aprendizagem de estudantes das escolas da rede pública de ensino do Rio Grande do Norte, contemplando as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ética e Cidadania.

O ProITEC é voltado, somente, a estudantes que estejam regularmente matriculados no 9º ano do Ensino Fundamental em escola da rede pública de ensino e que tenham cursado todas as “séries”, ou “anos” anteriores do Ensino Fundamental, exclusivamente em escola da rede pública de ensino. Ou que, já tendo concluído o Ensino Fundamental, o tenha feito, exclusivamente, em escola da rede pública de ensino.

Mais detalhes podem ser obtidos nos Editais.

Informações extras e demais esclarecimentos referentes aos processos seletivos poderão ser encaminhados ao e-mail inscricoesifrn@funcern.br. Outra opção é contato via Whatsapp Funcern, pelo (84) 99670-5522. A Funcern é a realizadora dos processos seletivos, com a coordenação da Cadis/Proen/IFRN.

16

Jun

Educação

Estudo realizado por pesquisadores da UFRN participa do trabalho mais citado no mundo na área de Biodiversidade

O Observatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (OCTI) do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), divulgou, neste mês, um boletim denominado Panorama da Ciência Brasileira: 2015-2020, que tem como objetivo apontar as principais pesquisas nacionais realizadas nos últimos anos sobre questões e desafios globais.

O documento apresenta uma lista com os 10 artigos mais citados no cluster Biodiversidade e, entre eles, está um trabalho de colaboração internacional publicado em coautoria com o professor José Luiz Attayde, do Departamento de Ecologia da UFRN, e seus ex-alunos Rosemberg Fernandes Menezes, aluno do PPG em Ecologia, e Francisco Rafael Souza Freitas, do PPG em Engenharia Sanitária e Ambiental.

O trabalho intitulado Ecological impacts of global warming and water abstraction on lakes and reservoirs due to changes in water level and related changes in salinity  foi publicado em 2015 na revista Hydrobiologia e contou com a participação do Grupo de Pesquisa em Ecologia e Microbiologia Aquática da UFRN, em parceria com pesquisadores da Dinamarca, Estónia, Turquia, Grécia, Espanha, Itália, Israel e Reino Unido.

A pesquisa se baseia em uma revisão do monitoramento de longo prazo de sete lagos e reservatórios, tendo o açude Cruzeta, localizado na região do Seridó do estado, como um deles, e discute tópicos como as mudanças no nível da água e na salinidade da água, relacionadas às mudanças climáticas e à captação de água para usos humanos, afetam a biodiversidade, a estrutura e o funcionamento dos lagos e reservatórios bem como a qualidade ambiental desses ecossistemas.

Além disso, os autores destacam algumas perspectivas de pesquisas futuras necessárias para melhorar o conhecimento sobre os efeitos desses impactos antropogênicos nos ecossistemas aquáticos estudados.

Panorama da Ciência Brasileira: 2015-2020 completo pode ser encontrado no site do CGGE, já o estudo realizado pelos pesquisadores da UFRN está disponível para download gratuito.

16

Jun

Educação

USP busca voluntários para estudo sobre tratamento da depressão via smartphone

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas deprimidas. No país, o número de diagnósticos é equivalente a 5,8% da população. Nesse cenário, pesquisas para novos tratamentos desse transtorno são fundamentais, como aqueles que envolvem neuromodulação. Este é o caso de estudo da Universidade de São Paulo (USP) que busca voluntários com idades entre 18 e 59 anos e com diagnóstico confirmado da doença.

A terapia, em fase de testes, combina estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) e atividades psicoeducacionais online. O diferencial é que será aplicada, diretamente, na casa dos participantes através de um aparelho para a neuromodulação, conectado a um smartphone. Este equipamento é uma espécie de tiara que deve ser fixada na testa do usuário, de onde é possível enviar sinais elétricos, e foi desenvolvido pela empresa Flow Neuroscience.

Entendendo a pesquisa sobre depressão

Desenvolvida pelo Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), o estudo avaliará a eficácia de um aparelho portátil de ETCC, que deve ser conectado, via Bluetooth, a um aplicativo de smartphone. “As sessões de ETCC são realizadas durante 30 minutos por dia, em ambiente domiciliar, sob supervisão remota de nossa equipe de pesquisadores”, comentam os psiquiatras André Brunoni e Lucas Borrioni, que coordenam o projeto, para o Jornal da USP.

No total, o objetivo do estudo é avaliar 210 participantes durante seis semanas. “Neste período, uma parte será randomizada para receber placebo, e a outra parte, diferentes combinações dos tratamentos ativos”, explicam os pesquisadores. “Após as seis semanas iniciais, os participantes poderão escolher se desejam receber os tratamentos ativos, de forma aberta, por até seis meses, se houver indicação médica para continuarem no estudo”, detalham sobre a possibilidade de todos os voluntários se aproveitaram do novo tratamento.

Afinal, o que é ETCC e o que isso tem a ver com o tratamento de depressão?

“A ETCC [estimulação transcraniana por corrente contínua] é um método aprovado, recentemente, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Anvisa], e que ainda é pouco usada nos serviços de saúde”, comentam os pesquisadores. “Trata-se de uma modalidade indolor e não-invasiva de neuromodulação, na qual o participante fica sentado enquanto recebe a estimulação” de baixa intensidade, explicam.

Além de ser considerada uma técnica segura e indolor, os coordenadores do estudo ressaltam que a terapia pode ser combinada ou não com medicações antidepressivas, dependendo da orientação médica. “O princípio básico de ação da ETCC é a aplicação de uma corrente elétrica de intensidade muito baixa, equivalente à corrente de uma pilha comum, através de áreas do cérebro que estão disfuncionais durante os episódios depressivos”, descrevem. É como se a corrente elétrica modulasse positivamente o funcionamento de regiões cerebrais afetadas, o que deve acarretar o alívio dos sintomas depressivos.

Como participar do estudo sobre depressão da USP?

Além de ter entre 18 e 59 anos, os voluntários do estudo da USP precisam ter um diagnóstico de depressão unipolar, sem outros diagnósticos psiquiátricos conflitantes, e sem doenças clínicas graves. Outra questão é que os participantes poderão, caso queiram, continuar com doses estáveis de antidepressivos que já estejam em uso antes de ingressar no estudo.

“As respostas [da pré-seleção] serão avaliadas e, se houver critérios clínicos e de segurança, os participantes serão convidados a participar de uma videoconferência com nossa equipe de pesquisadores, onde serão confirmados os critérios de inclusão e de segurança, para ingresso no estudo”, comentam os pesquisadores.

Para participar da pré-seleção de voluntários sobre o novo método para o tratamento da depressão, é necessário que o interessado responda a um formulário, que pode ser acessado aqui.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/saude/usp-busca-voluntarios-para-estudo-sobre-tratamento-da-depressao-via-smartphone-187347/

16

Jun

Educação

Professores receberão capacitação para ensinar educação financeira

Uma parceria firmada entre o Ministério da Educação (MEC) e a Comissão de Valores Imobiliários (CVM) qualificará cerca de 500 mil professores da rede pública em educação financeira. Segundo o MEC, os cursos terão início em julho e farão parte do currículo continuado de formação de professores da rede básica, tanto em escolas públicas quanto particulares.

Os cursos de formação - que terão duração de 40 horas-aula - serão feitos na modalidade ensino a distância (EaD) e visam a auxiliar educadores a incentivar práticas de saúde financeira e empreendedorismo em jovens.

De acordo com dados do Ministério da Educação, o Brasil tem atualmente 2,3 milhões de professores nos ensinos básico e fundamental. A estimativa do ministério é atingir pelo menos 25% desses profissionais.

Os conhecimentos sobre educação financeira, no entanto, não farão parte de uma nova disciplina, e serão incorporados à grade curricular já existente de forma complementar ao ensino das matérias já adotadas. 

Segundo nota publicada pela CVM, a responsabilidade da infraestrutura de aprendizagem do curso ficará por conta da entidade, que desenvolverá a plataforma digital de ensino. Ao Ministério da Educação caberá engajar os professores e divulgar a plataforma, além de articular a inclusão do conhecimento nas escolas.

Fonte: Agência Brasil

15

Jun

Educação

Projeto da UFRN quer saber se você realmente entende de política

Falar sobre política se tornou comum para muitos brasileiros. A pauta virou rotina nas rodas de conversa com amigos, almoço em família e na internet, e foi exatamente nesse contexto de diálogos cotidianos que surgiu a ideia do projeto de extensão A importância do Sistema Político Brasileiro. A ação é coordenada pela professora da Escola de Ciências e Tecnologia Simone Batista e a equipe é composta pelos alunos Felipe Ribeiro, aluno de História na USP; Luis Eduardo, aluno de Psicologia também da USP; Felipe Sales, que cursa Artes Visuais na UNESP; e Sabrina Guimarães que, por sua vez, cursa Direito na Universidade de São Judas. 

“A ideia surgiu de forma bem natural. A gente conversava sobre como projetos de extensão costumam funcionar nas universidades e como podem levar esse conhecimento para a população em geral. Discutir sobre sistema político foi nosso denominador comum e, a partir disso, pensamos que fazer um curso seria legal”, conta Felipe Ribeiro. Os universitários que compõem a equipe do projeto participaram de todas as etapas de construção do curso, desde a elaboração teórica até a parte de ministrar as aulas. São pessoas de áreas distintas envolvidas em um mesmo propósito.

Como vai funcionar? 

Inicialmente, será aplicado um questionário que neste momento está em processo de elaboração. As perguntas serão sobre o sistema político brasileiro e servirão para medir o nível de conhecimento dos participantes. Também serão feitas perguntas sobre a situação socioeconômica dessas pessoas para um possível estudo estatístico posterior ao curso. Os dados ficarão em sigilo absoluto. Em seguida, os resultados dos questionários serão devolvidos e os participantes poderão julgar se precisam e desejam participar do curso. 

A segunda etapa consiste no curso em si. Serão ofertadas aulas expositivas, que devem responder as questões presentes no questionário inicial, de forma remota, mas sempre síncrona. A ideia é que o curso tenha 20h e seja ofertado aos sábados, durante sete semanas (seis semanas de curso e uma semana a mais para a entrega final das atividades). As aulas serão gravadas, portanto, caso a pessoa, em um dia específico, não possa estar acompanhando em tempo real, pode acessar depois e acompanhar. Na etapa final, a equipe planeja reaplicar o mesmo questionário e, assim, comparar os resultados para avaliar se houve uma melhora nas respostas dos participantes antes e após o curso. 

Com todos os dados reunidos, será realizado um estudo estatístico com as conclusões que puderam ser obtidas através da experiência. A condição financeira, cor de pele, idade, nível de escolaridade, são fatores que influenciam no nível de conhecimento político que as pessoas têm? É isso que a pesquisa buscará responder.  

Público-alvo

“O público-alvo, pelo menos do nosso desejo, é a população em geral. Não queremos restringir ao público universitário”, comenta Simone. Segundo a equipe, quanto mais abrangente e heterogêneo o público participante for, mais dados significativos o estudo terá. Lembrando de que tudo depende muito da aceitação do curso e da heterogeneidade das pessoas do curso.

Ao fim do curso, todos ganharão um certificado de conclusão e aqueles que forem universitários podem usá-lo para garantir horas complementares. A professora Simone conta que acredita que esse vai ser um incentivo a mais para os seus alunos da ECT, por exemplo. “Quando você entra num curso de exatas, passa tanto tempo estudando cálculo que esquece das demais temáticas. Talvez, na realidade, a gente possa estar oferecendo pouco e agora disponibilizando o curso, os alunos se interessem. Os meus alunos costumam estar muito interessados por como as coisas funcionam”, finaliza.  

Sobre a participação

Serão oferecidas 100 vagas inicialmente. Dependendo de como for a aceitação e resultados do curso, a equipe conta que pretende aumentar esse número e estender o projeto por mais alguns anos. “Estou ansioso para ver o perfil do público que vai se interessar. Acredito que o atual momento político vai gerar uma curiosidade e trazer uma quantidade de pessoas bacana para o curso”, declara Felipe Ribeiro.

Nesse sentido, sobre a oferta de um curso sobre política no atual cenário que o país se encontra, a professora Simone enfatiza que o projeto será estruturado com base na Constituição. “Queremos um curso apolítico e apartidário”, declara. A equipe ressalta também a dificuldade que encontraram na busca de materiais na internet que servissem para agregar ao curso.

“Existe uma dificuldade de acessar esse conteúdo não só pela disponibilidade, mas pelo entendimento, desde a forma com que ele é colocado até a questão da linguagem. Toda pessoa que não é da área encontra essa dificuldade”, relata Felipe Salles. Um dos focos da equipe é, portanto, também  traduzir esse conteúdo e trazê-lo, respaldado pela Constituição, mas de uma maneira mais acessível à população.

O projeto de extensão deve ter seu planejamento concluído até setembro deste ano. No mesmo mês, mas ainda sem data, devem começar as inscrições para o curso que deve ser ministrado a partir do mês de outubro. Se interessou pela temática? Confira mais informações sobre a iniciativa.

15

Jun

Educação

Quatro em dez alunos pensaram em parar os estudos devido à pandemia

Em 2020, com então 15 anos de idade, a estudante do ensino médio Letícia de Araújo Alves Meira teve que tomar uma decisão difícil: considerada uma aluna aplicada, ela resolveu interromper os estudos. Moradora de Valparaíso de Goiás, a cerca de 40 quilômetros de Brasília, a adolescente sentia que não estava assimilando o conteúdo do 2º ano da rede pública de ensino.

“Estava achando muito complicado acompanhar [as aulas remotas]. Era atividade atrás de atividade, e poucos encontros [webaulas] para tirar dúvidas. Era desproporcional. E, muitas vezes, só éramos avisados em cima da hora. Tudo isso acabou me desmotivando”, contou Letícia à Agência Brasil.

Ao conversar com a família e concluir que, a longo prazo, o melhor seria refazer o 2° ano, Letícia entrou para um grupo que jamais pensara integrar: o dos jovens que interrompem os estudos antes de concluí-los. Grupo que cresceu devido à pandemia, segundo constatou a 2ª edição da pesquisa Juventudes e a Pandemia do Coronavírus.

Realizada pelo Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) com 68.144 jovens de todo o país, a pesquisa identificou que mais da metade (56%) dos jovens de 15 a 29 anos que estão atualmente afastados das aulas do ensino médio ou superior interromperam seus cursos durante a pandemia. Além disso, quatro em cada dez entrevistados admitiram ter pensado em desistir dos estudos devido aos impactos da covid-19 em suas rotinas. As respostas foram colhidas entre os dias 22 de março e 16 abril, com a perspectiva de identificar os impactos da pandemia para os cerca de 50 milhões de jovens brasileiros, segmento que representa aproximadamente um quarto da população brasileira.

Escolas adotam medidas de segurança contra a covid-19 na volta presencial às aulas.

Entre os entrevistados de 18 a 29 anos que interromperam os estudos, a principal causa foi financeira. O que reflete na constatação de que, enquanto na primeira edição da pesquisa, divulgada em junho de 2020, o percentual de jovens que responderam trabalhar formal ou informalmente para complementar a renda familiar estava na faixa dos 23%, na atual edição eles somam 38% do total – índice ainda maior entre os entrevistados negros, entre os quais o percentual chega a 47% dos participantes.

No geral, contudo, pesam também as dificuldades de se organizar e de acompanhar as aulas remotamente – empecilho que afetou principalmente aos mais jovens (15 a 17 anos), que se queixaram de não aprender o suficiente ou de não gostarem dos conteúdos transmitidos.

“Muitos colegas falavam que não estavam conseguindo acompanhar o ritmo do ensino remoto. Entrei em grupos online de estudantes e de pais de alunos que precisaram de apoio, de conversar sobre as dificuldades, e é sempre a mesma coisa: tem os que não tem suporte técnico necessário; os estudantes que têm necessidades especiais e precisam de auxílio; os que não conseguem acompanhar o ritmo das atividades”, exemplificou Letícia.

A maioria (47%) dos entrevistados que interromperam os estudos considera que a ação mais eficaz para atrair os estudantes de volta às salas de aula é vacinar toda a população. Além disso, 36% deles também apontaram a necessidade de o Poder Público oferecer políticas públicas que garantam uma renda básica aos jovens, seja por meio da concessão de bolsas de estudo, seja pela renda emergencial – preocupação que aumenta na mesma proporção da faixa etária dos entrevistados.

Entre os entrevistados que interromperam os estudos, 8% disseram que não planejam voltar a estudar, mesmo depois que a pandemia estiver sob controle. E os que continuam estudando afirmam que a maior motivação para superar os contratempos vem da preocupação com o futuro: 23% dos entrevistados disseram querer ter um bom currículo para conseguir ingressar no mercado de trabalho. A expectativa quanto a um futuro melhor é maior (57%) entre as mulheres que seguem estudando do que entre os homens (50%), da mesma forma que é maior entre os mais jovens (15 a 17 anos).

Leticia representa bem este grupo. No início do ano, decidiu retomar os estudos, mesmo que remotamente. Mais uma vez, a preocupação com o futuro a motivou a, junto com a família, tomar uma nova decisão difícil: recomeçar o ensino médio do zero – mesmo após ter conseguido ser aprovada nas provas de recuperação, o que lhe permitiria estar frequentando as aulas do 3° ano se não tivesse trocado de escola.

“No fim do ano passado, a direção da minha antiga escola entrou em contato, sugerindo que eu fizesse as provas de recuperação. Eu fiz as provas online e fui aprovada. Só que eu não estava confortável com aquilo, pois sabia que meu segundo ano não tinha rolado. Eu tinha perdido praticamente todo o conteúdo”, explica a jovem, que decidiu se matricular no Instituto Federal de Brasília (IFB) para fazer um curso técnico junto com todo o ensino médio. “Como quero prestar vestibular para uma boa faculdade, vi que era melhor recomeçar do primeiro ano e rever todo o conteúdo do ensino médio. Junto, estou aproveitando para fazer um curso técnico profissionalizante.”

Segundo o presidente do Conjuve, Marcus Barão, as consequências da pandemia para a formação dos jovens serão sentidas por algum tempo mesmo. “A situação é grave. Precisamos, urgentemente, de ações concretas, com real capacidade de promover mudanças, atendendo às demandas emergenciais e apresentando perspectivas de futuro”, sustenta Barão, enfatizando que os desafios não se limitam ao campo da educação.

O relatório completo da pesquisa realizada em parceria com a Unesco, Fundação Roberto Marinho, Em Movimento, Mapa Educação, Porvir, Rede Conhecimento Social e Visão Mundial pode ser consultado na página da plataforma Atlas da Juventude, na internet.

Fonte: Agência Brasil / Foto: Studio Formatura

14

Jun

Educação

Relatório da Unesco coloca UFRN em grupo seleto na inovação tecnológica do país

A Unesco lançou mundialmente na última sexta-feira, 11, o Relatório de Ciência da Unesco 2021, cujo título é “A corrida contra o tempo por um desenvolvimento mais inteligente: visão geral e cenário brasileiro”, disponível para acesso no endereço https://www.unesco.org/reports/science/2021/en/download-the-report No documento, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aparece no seleto grupo de instituições com maior número de depósitos de patente entre os anos de 2013 e 2018, ao lado de Unicamp, USP, UFPE e UFPR. 

Publicado a cada cinco anos, o relatório fornece uma visão geral da ciência e da política científica. Nele, a Unesco reconhece que os centros de inovação tecnológica dentro das universidades têm prosperado no país, principalmente no que diz respeito ao depósito de patentes, à colaboração com a indústria e à incubação de startups inovadoras. Os itens “polos de inovação tecnológica: história de sucesso para as universidades” e “tendências de publicações científicas” circunstanciam bem esse aspecto.

No documento, inteligência artificial e robótica são campos particularmente dinâmicos, com quase 150 mil artigos publicados sobre esses assuntos apenas em 2019. A pesquisa em inteligência artificial (IA) e robótica cresceu em países de renda média baixa, que contribuíram com 25,3% das publicações neste campo em 2019, em comparação com apenas 12,8% em 2015. Nos últimos cinco anos, mais de 30 países adotaram estratégias específicas, entre elas China, Federação Russa, Estados Unidos da América, Índia, Maurício e Vietnã. 
 
O relatório da Unesco registra ainda que as prioridades de desenvolvimento foram alinhadas nos últimos cinco anos, e agora países de todos os níveis de renda realçam a transição para economias digitais e verdes. Para acelerar esse processo, os governos estão usando ferramentas de políticas para facilitar a transferência de tecnologia para a indústria. A instituição identifica ainda que a pandemia da COVID-19 dinamizou os sistemas de produção de conhecimento.

UFRN em rankings

Esta não é a primeira vez que a UFRN alcança protagonismo em rankings para inovação de instituições oficiais. No Ranking 2020 do Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), a UFRN foi top 15 nacional em depositantes de patente com os números relativos ao ano de 2019. 

Em 2020, mesmo com a pandemia, a Universidade Federal alcançou números anuais inéditos relativos à propriedade intelectual. De acordo com levantamento anual realizado pela Agência de Inovação (AGIR), os números de programas de computador registrados e os pedidos de patente depositados, respectivamente 58 e 33, nunca haviam sido alcançados antes pela Instituição. 

Curiosamente, os melhores números nestes aspectos foram ambos em 2019. Os dados trazem a expectativa de atingir o topo do país na próxima edição do ranking em relação aos registros de computador, além de melhorar significativamente a posição nacional no ranking de depositantes.

Webinar

O lançamento do relatório contou com uma webinar, onde, dentre os palestrantes, estava o acadêmico Hernan Chaimovich. Assista aqui a transmissão (https://www.youtube.com/watch?v=7PsZekRj3yQ). Na oportunidade, foram apresentados alguns destaques, dentre os quais enumerar alguns dos esforços globais em busca de novos paradigmas de desenvolvimento sustentável baseados na inovação, na economia digital e em energias renováveis. O Relatório também discorre sobre o recente impacto da pandemia de Covid-19 e a importância da cooperação internacional para seu enfrentamento, além de apresentar avanços, desafios e tendências em investimento em pesquisa e desenvolvimento nos últimos anos no Brasil.

14

Jun

Educação

Enem: aberto prazo para quem teve isenção de taxa de inscrição negada

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 que tiveram o pedido de isenção da taxa de inscrição indeferido podem entrar com recurso de hoje (14) até o dia 18 de junho. Os resultados dos recursos estão previstos para serem divulgados no próximo dia 25 .

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a aprovação da justificativa ou da solicitação de isenção não garante a inscrição no Enem 2021. As inscrições deverão ser realizadas normalmente, entre 30 de junho e 14 de julho, por meio da Página do Participante.

Provas

As provas do Enem 2021 serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, tanto na versão impressa como na digital. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, 101.100 vagas estarão disponíveis exclusivamente para a versão digital do exame.

Quem pode pedir isenção?

Pessoas que cursaram todo o ensino médio em escola pública ou que foram bolsistas integrais durante toda a etapa educacional têm direito à isenção da taxa de inscrição do exame.

Alunos que estão cursando a última série do ensino médio na rede pública, no ano de 2021, também podem de pedir a isenção.

O mesmo vale para quem está em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda. Nesse caso, é preciso comprovar a inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Fonte: Agência Brasil

14

Jun

Educação

Fórum Aeroespacial Norte-Rio-Grandense promove palestra sobre educação espacial

Na próxima terça-feira, 15, acontece a palestra virtual Educação Espacial: jornada de uma aspirante a astronauta, às 18h30. O evento, promovido pelo Fórum Aeroespacial Norte-Rio-Grandense, junto à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Projeto Habitat Marte, com apoio ainda da Space Renaissance Brasil e Mars Society Brazil, será ministrado pela estudante de engenharia aeroespacial da Embry-Riddle Aeronautical University, Andressa Ojeda. 

O encontro tem como objetivo compartilhar conhecimentos e experiências dentro da área aeroespacial internacional. Os interessados podem encontrar mais informações sobre o evento mediante o site do Fórum Aeroespacial ou pelo telefone (84) 9 9981-8160.

Criado em 2017 pelo professor do Departamento de Engenharia de Produção da UFRN, Julio Rezende, a estação espacial Habitat Marte fica localizada na zona rural do município de Caiçara do Rio do Vento. De acordo com o fundador, o projeto foi inspirado na estação espacial norte-americana Mars Desert Research Station, coordenada pela Mars Society. Em seus 4 anos de existência, a estação espacial já realizou cerca de 65 missões, sendo parte delas de forma online devido à pandemia do coronavírus. 

Uma das pesquisas que mais se destacou foi uma realizada no solo do vulcão extinto Pico do Cabugi, localizado na cidade de Angicos. O estudo apontou características similares ao solo do planeta vermelho. Desde então, foi dado início ao cultivo de plantas na área no intuito de encontrar uma maneira autossustentável para a produção de alimentos e reutilização da água.

14

Jun

Educação

Seleção do IMD com 11 vagas para bolsistas adia inscrições até hoje

Os projetos Smart Retail, Skywalker e WiseFi, realizados pelo Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) em parceria com as empresas Intelbras e Foxconn/Asus, adiaram para 14 de junho o prazo final para inscrições em processo seletivo para bolsistas de pesquisa e desenvolvimento de soluções em Tecnologia da Informação (TI).

Ao todo, são ofertadas 11 vagas – além da formação de cadastro de reserva – e os interessados devem se inscrever por meio do preenchimento de formulário, ao qual devem ser anexados os documentos solicitados e vídeo constando apresentação pessoal, acadêmica e profissional, conforme exposto nos itens 5.2.2 e 5.2.3 do edital.

Conforme o Edital nº 35, a seleção é destinada a discentes de nível de graduação e pós-graduação em andamento, além de pesquisadores visitantes. A bolsa possui carga horária de 30 horas semanais e remunerações variando entre R$ 1 mil e R$ 3 mil, conforme a função e o nível de formação do bolsista.

As vagas ofertadas por meio do processo seletivo estão distribuídas entre oito perfis: desenvolvedor full stack em PHYTON, desenvolvedor front-end webdesigner de UX, engenheiro devops, engenheiro de testes, suporte ao usuário, auxiliar administrativo e desenvolvedor front-end mobile.

Seleção

Para participar da seleção, o candidato deve estar matriculado em um curso de graduação ou de pós-graduação da UFRN na área de Computação ou campos afins e certificar-se de que possui as habilidades e competências necessárias, conforme o Anexo I do edital.

O processo seletivo deve ser realizado entre 15 e 23 de junho e consistirá em duas etapas eliminatórias: avaliação dos documentos entregues na inscrição e entrevista por videoconferência com data e horário informados via e-mail.

O resultado da seleção será divulgado a partir do dia 25 de junho de 2021, no site do IMD, na aba Editais.