Educação

14

Jul

Educação

Habitat Marte: estação espacial análoga da UFRN pesquisa atividade física de astronautas

A estação espacial análoga Habitat Marte da UFRN anuncia as inscrições para mais uma missão de simulação espacial na zona rural de Caiçara do Rio do Vento. A missão de número 77 dará seguimento ao cuidadoso retorno das missões presenciais no Habitat, suspensas desde o início da pandemia. Seguindo os protocolos de segurança, uma parte das ações acontecerá de modo virtual do dia 23 de julho até 02 de agosto. Já as atividades presenciais no local serão restritas aos dias 30 e 31 de julho e 1º de agosto. 

Os interessados em fazer parte da missão 77 podem entrar em contato com o comandante da missão, o professor Julio Rezende através do e-mail juliofdrezende@hotmail.com. Entre as atividades previstas estão a preparação da estação avançada do Lava Cave Habitat, o aperfeiçoamento dos protocolos operacionais de funcionamento da estação e a pesquisa e desenvolvimento no novo traje espacial análogo.

Os participantes também vão ajudar na pesquisa sobre atividades de preparação física para astronautas análogos, na manutenção e na melhoria dos sistemas de aquaponia com testes de medidas de conforto térmico. Além disso, está prevista uma atividade extraveicular no Pico do Cabugi com testes no camping. 

Segundo o professor Júlio Rezende, nas missões espaciais análogas são seguidos variados protocolos de uma estação espacial, inclusive o uso de vestimenta de   astronauta. O projeto é direcionado a pesquisa e a sustentabilidade no semiárido, observando a gestão hídrica, a geração de energia e a produção de alimentos em sistemas fechados que possam simular outros planetas.

Mais informações sobre as atividades de pesquisa do Habitat Marte podem ser encontradas nas redes sociais do @HabitatMarte ou no canal do YouTube HabitatMarte.

 Foto: Anastácia Vaz

14

Jul

Educação

Inscrições do Enem terminam nesta quarta-feira

Termina hoje (14) às 23h59 o prazo para inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021. Os interessados em participar do exame devem acessar a Página do Participante, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

A taxa de inscrição para os não isentos é de R$ 85. O pagamento deve ser feito por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança) até o dia 19 de julho. 

Provas

As provas do Enem 2021 serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, tanto a versão digital quanto a impressa. As duas versões terão a mesma estrutura de prova: quatro cadernos de questões e a redação.

Exame Nacional do Ensino Médio,Enem

Cada prova terá 45 questões de múltipla escolha, que, no caso do Enem Digital, serão apresentadas na tela do computador. Já a redação será realizada em formato impresso, nos mesmos moldes de aplicação e correção da versão em papel. Os participantes receberão folhas de rascunho nos dois dias.

No primeiro dia, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, e ciências humanas e suas tecnologias, além da redação. A aplicação regular terá cinco horas e 30 minutos de duração.

No segundo dia, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias, e matemática e suas tecnologias. Nesse caso, a aplicação regular terá cinco horas de duração.

Fonte: Agência Brasil / Foto: Marcello Casal Jr

13

Jul

Educação

Fundase/RN conclui projetos político pedagógico de todos os centros de atendimento

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fundase/RN) concluiu neste mês de julho os projetos político pedagógicos (PPP) de todos os centros. O material foi publicado no Diário Oficial do Estado e está disponível para download.

O objetivo dos documentos é nortear as ações desenvolvidas pelos socioeducadores (gestores, agentes socioeducativos e equipe técnica) e parceiros externos, desde os processos de acolhimento dos adolescentes que cometeram ato infracional até o seu desligamento do sistema.

De acordo com o presidente da Fundação, Herculano Campos, o PPP serve como referência para o trabalho realizado com adolescentes em cumprimento de medida de restrição e privação de liberdade.

“Cada unidade tem o seu próprio plano político pedagógico. Eles orientam o trabalho fazendo vínculo entre as ações socioeducativas e o caráter propriamente educativo das medidas. Estamos publicando todos os projetos das 10 unidades da Fundase e é previsto que a cada ano seja avaliado e, eventualmente atualizado, o plano de ação de todo PPP”, explica o gestor.

A diretora de Desenvolvimento Institucional da Fundase, Sayonara Dias, detalha por que cada centro de atendimento deve ter o seu próprio documento: “Eles têm a ver com a modalidade do centro, a caracterização e o quantitativo de adolescentes. Esse é mais um documento central para o fortalecimento da ação socioeducativa e que dialoga com o Regimento Interno da Fundase e com o Manual de Segurança”, argumenta.

A elaboração dos PPPs foi realizada inicialmente em parceria do Observatório da População Infantojuvenil em Contextos de Violência (Obijuv/UFRN) em 2018. Em 2021, todo o material produzido passou por ajustes junto às equipes de servidores das unidades, para então serem publicados.

 

13

Jul

Educação

Inscrições para o Prouni começam hoje

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação (MEC), começam nesta terça-feira (13). Ele oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Os interessados têm até as 23h59 de sexta-feira (16) para se inscrever.

São ofertadas 134.329 bolsas, sendo 69.482 integrais e 64.847 parciais, para 10.821 cursos em 952 instituições de ensino superior da rede privada. 

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Somente poderá se inscrever no Prouni,  estudante brasileiro que não possua diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

As modalidades de participação são para os estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola; estudantes com deficiência, neste caso não é necessário ter cursado todo ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola e, por fim,  professores  da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

Processo seletivo

O candidato a bolsas do Prouni não precisa fazer vestibular, nem estar matriculado na instituição na qual pretende se inscrever. Entretanto, é permitido às instituições participantes do programa submeter os pré-selecionados a processo seletivo específico, isento de cobrança de taxa. Essa informação será dada ao candidato no momento da inscrição.

O processo seletivo do Prouni tem uma única etapa de inscrição. Essa inscrição, gratuita, é feita exclusivamente pela internet, na página do Prouni. O candidato pode escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno dentre as bolsas disponíveis, de acordo com seu perfil. 

O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo, pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Pré-selecionados 

Encerrado o prazo de inscrição, o sistema do Prouni classifica os estudantes de acordo com as opções e as notas obtidas no Enem. Os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, observadas a ordem escolhida no momento da inscrição e o limite de bolsas disponíveis.

Serão realizadas duas chamadas. A cada chamada, os candidatos pré-selecionados têm um prazo para comparecer à instituição de ensino e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição. Para se certificar da veracidade das informações prestadas, a instituição pode pedir ao estudante outros documentos que julgar necessários.

É permitida às instituições a realização de processo seletivo próprio dos pré-selecionados pelo Prouni. Essa informação é dada ao candidato no momento da inscrição. Nesses casos, as instituições que optarem por processo próprio de seleção devem explicar formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas, a natureza e os critérios de aprovação, os quais não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares. É vedada a cobrança de taxas para realização do processo seletivo próprio.

Fila de espera

Ao final das duas chamadas, o candidato pode manifestar interesse em participar da lista de espera do Prouni. As bolsas eventualmente não preenchidas nas duas chamadas serão ocupadas pelos estudantes participantes da lista de espera que comprovarem as informações prestadas na ficha de inscrição.

Fonte: Agência Brasil

13

Jul

Educação

IFRN lança editais para cursos técnicos e para o ProITEC; saiba como participar

A Pró-Reitoria de Ensino do IFRN, através de sua ​Coordenação de Acesso Discente (Cadis/Proen/IFRN), lançou três novos editais nesta quarta, 16 de junho de 2021. Dois deles são voltados a cursos Técnicos de Nível Médio: o Edital nº 28/2021, que trata de oferta de vagas na forma Subsequente, e o Edital nº 29/2021, para vagas na forma Integrada - Modalidade Educação de Jovens e Adultos. O terceiro, Edital nº 30/2021, é referente ao Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania (ProITEC).

Edital nº 28/2021

Com a oferta na forma Subsequente, ou seja, para pessoas que já concluíram o Ensino Médio e querem obter a qualificação técnica, o período de inscrição do Edital nº 28/2021 vai de 18 de junho a 19 de julho de 2021, somente via internet, na Área do Candidato do Portal da Fundação de Apoio ao IFRN (Funcern) [https://inscricoes.funcern.org]. A inscrição tem o custo de R$ 30 (trinta reais). O Edital informa o passo a passo para solicitar a isenção de pagamento da taxa de inscrição.

A seleção para esse processo seletivo será realizada através da aplicação de Provas Presenciais, também descritas no Edital. Contudo, no caso da inviabilidade da aplicação das provas – dadas as condições sanitárias causadas pela pandemia da Covid-19, motivada por publicação de documentos legais pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio Grande do Norte ou do Comitê Covid do IFRN –, a seleção poderá ser realizada através da análise de notas do Histórico Escolar do Ensino Médio. Para isso, serão considerados somente os históricos escolares anexados ao sistema no período regular das inscrições, conforme prazos definidos no Anexo VII do Edital.

Observação: no caso de necessidade de cancelamento da aplicação das Provas Presenciais  e da execução da seleção através da Análise de Histórico Escolar do Ensino Médio, tais informações serão divulgadas no Portal IFRN, pelo Portal da Funcern e pelo e-mail cadastrado no momento da inscrição (ver oferta de vagas por campus no edital e no quadro ao final desta matéria).

Edital nº 29/2021

Para o Edital nº 29/2021, voltado a vagas para o Curso Técnico de Nível Médio em Edificações, na Forma Integrada na Modalidade Educação de Jovens e Adultos (ProEJA), ofertadas pelo Campus Mossoró, são 40 vagas. Disponibilizadas para o turno vespertino, tais vagas têm o mesmo período de inscrição do Edital nº 28/2021: de 18 de junho a 19 de julho de 2021; a forma de inscrição e informações sobre a taxa a ser paga também são as mesmas. O edital é voltado a estudantes que fizeram até o Ensino Fundamental e têm 18 anos ou mais. No ato da inscrição, os estudantes devem anexar o Histórico Escolar do Ensino Fundamental.

Edital nº 30/2021

Já o Edital nº 30/2021, para o qual não há limite de vagas, trata do Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania (ProITEC), curso de Formação Inicial e Continuada, na modalidade de Educação a Distância, com carga-horária total de 160 horas. O objetivo do Programa é o aprofundamento de aprendizagem de estudantes das escolas da rede pública de ensino do Rio Grande do Norte, contemplando as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ética e Cidadania.

O ProITEC é voltado, somente, a estudantes que estejam regularmente matriculados no 9º ano do Ensino Fundamental em escola da rede pública de ensino e que tenham cursado todas as “séries”, ou “anos” anteriores do Ensino Fundamental, exclusivamente em escola da rede pública de ensino. Ou que, já tendo concluído o Ensino Fundamental, o tenha feito, exclusivamente, em escola da rede pública de ensino.

Mais detalhes podem ser obtidos nos Editais.

Informações extras e demais esclarecimentos referentes aos processos seletivos poderão ser encaminhados ao e-mail inscricoesifrn@funcern.br. Outra opção é contato via Whatsapp Funcern, pelo (84) 99670-5522. A Funcern é a realizadora dos processos seletivos, com a coordenação da Cadis/Proen/IFRN.

13

Jul

Educação

Pesquisa mostra que 99,3% das escolas suspenderam aulas presenciais

Segundo pesquisa publicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 99,3% das escolas brasileiras suspenderam as atividades presenciais durante a pandemia de covid-19.

O estudo, chamado Resposta Educacional à Pandemia de Covid-19 no Brasil, aponta que pouco mais de 53% das escolas públicas conseguiram manter o calendário letivo original para 2020. No ensino privado, cerca de 70% das escolas conseguiram manter a previsão de 2020 inalterada.

“Os resultados, de caráter censitário, podem auxiliar o Ministério de Educação e os secretários estaduais e municipais de ensino na tomada assertiva de decisões. É este o papel do Inep: gerar  informações relevantes para o planejamento de ações de enfrentamento e política educacionais", disse Danilo Dupas, presidente do Inep.

O levantamento foi realizado entre fevereiro e maio de 2021, com a 2ª etapa do Censo Escolar 2020. Segundo o (Inep), os dados aferidos serão fundamentais para a compreensão das consequências da pandemia no sistema educacional brasileiro. 

A pesquisa reúne dados sobre os impactos e as respostas educacionais decorrentes da pandemia de covid-19. Para isso, o Inep desenvolveu um formulário específico para coletar informações sobre a situação e as estratégias adotadas pelas escolas durante o ano letivo de 2020.

Ensino a distância cresce mais que presencial

Uma das funções do estudo será apoiar decisões de gestores estaduais e ajudar na elaboração das diretrizes de biossegurança para o retorno às aulas presenciais, afirmou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Mauro Luiz Rabelo. “A partir dessa iniciativa, foram destinados mais de R$ 672 milhões às escolas para a aquisição de insumos no retorno às atividades presenciais.”

Somadas a rede pública e privada, 94% das escolas brasileiras responderam ao questionário por meio do Censo Escolar. “É uma cobertura que nos permite chegar a um nível de informações muito relevante para mostrar como as redes de ensino reagiram a essa situação de excepcionalidade”, afirmou o diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio.

Achados

A realização de reuniões virtuais para planejamento, coordenação e monitoramento das atividades foi a estratégia mais adotada pelos professores para dar continuidade ao trabalho durante a suspensão das aulas presenciais. Na sequência está a reorganização ou a adaptação do planejamento ou do plano de aula, com o objetivo de priorizar habilidades e conteúdos específicos. A comunicação direta entre aluno e professor (e-mail, telefone, redes sociais e aplicativo de mensagem) foi a estratégia mais adotada para manter contato e oferecer apoio aos estudantes.

Quando se trata da realização de aulas ao vivo, 72,8% das escolas estaduais e 31,9% das municipais implementaram a estratégia. Em 2.142 cidades, nenhuma das escolas municipais adotou essa medida. Por outro lado, em 592 cidades, todas as escolas da rede municipal fizeram o uso desse meio. Ao todo, 28,1% das escolas públicas planejaram a complementação curricular com a ampliação da jornada escolar no ano letivo de 2021. Na rede privada, 19,5% das escolas optaram por essa alternativa. 

Entenda a pesquisa

Principal pesquisa estatística da educação básica, o Censo Escolar é coordenado pelo Inep e realizado, em regime de colaboração, entre as secretarias estaduais e municipais de Educação, com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país. O levantamento abrange as diferentes etapas e modalidades da educação básica: ensino regular, educação especial, educação de jovens e adultos (EJA) e educação profissional.

O levantamento aponta, ainda, que o Brasil teve um período expressivo de suspensão das atividades presenciais em relação a outros países. A média brasileira foi de 279 dias de suspensão de atividades presenciais durante o ano letivo de 2020, considerando escolas públicas e privadas. 

Dados do monitoramento global do fechamento de escolas causado pelo coronavírus, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), mostram que Chile e Argentina, por exemplo, registraram 199 dias sem atividades presenciais entre 11 de março de 2020 e 2 de fevereiro de 2021. No México, foram 180 dias de paralisação, enquanto o Canadá teve 163 dias de aulas presenciais suspensas. França e Portugal contabilizaram menos de um trimestre sem aulas presenciais, com a suspensão de 43 e 67 dias, respectivamente.

Fonte: Agência Brasil / Foto: Divulgação/MCTIC

12

Jul

Educação

Após pedido do MPRN, Justiça confirma retomada das aulas presenciais no Estado a partir do dia 19 de julho

Após um pedido de cumprimento de sentença feito pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Justiça potiguar confirmou a retomada das aulas presenciais na rede pública de ensino do Estado para o próximo dia 19 de julho. A decisão da 2ª vara da Fazenda Pública de Natal foi publicada no último domingo (11). A Justiça, também acatando pedido formulado pelo MPRN, alterou o prazo entre as fases de abertura proposto no Plano de Retomada apresentado pelo Governo do Estado, que caiu para 14 dias. Esse retorno às aulas será de forma híbrida, gradual e segura.

O pedido de cumprimento de sentença foi proposto pelo MPRN em desfavor do Estado devido ao não cumprimento do acordo homologado pela 2ª vara da Fazenda Pública de Natal. Pela decisão publicada neste domingo, os professores retornam às atividades presenciais na próxima segunda-feira (19), tendo a semana de acolhimento.

Sobre a antecipação do tempo estabelecido para avanço das fases previstas no plano, a Justiça acatou o pedido do MPRN “tendo em vista o estado avançado de vacinação, em termos etários – atualmente em 39 anos ou com tendência a diminuir a idade da população geral – e da própria recomendação expedida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública, em Nota Informativa nº 16/2021, de 2 de julho”.

A Justiça já determinou a intimação do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Procuradoria Geral do Estado, da governadora do Estado e do secretário estadual da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer para cumprimento da decisão. 

12

Jul

Educação

Prefeitura do Natal convoca 101 professores temporários

A Prefeitura do Natal publicou na edição do Diário Oficial do Município (DOM) desta segunda-feira (12), a convocação dos professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Processo Simplificado de Seleção Temporário referente ao resultado parcial divulgado no dia 01 de julho do edital nº 01/2021.

Foram convocados 101 professores que deverão assinar a contratação num prazo máximo de 30 dias consecutivos, contados a partir desta segunda-feira (12). É importante que o candidato convocado fique atento aos prazos e à documentação que deve ser apresentada para efetuar a contratação.

Devido à pandemia do novo Coronavírus, o candidato pode prorrogar a entrega dos exames médicos, conforme a Portaria nº 643/2020-GS/SEMAD, de 24/03/2020, devendo preencher uma Declaração de Saúde e enviá-la por e-mail no endereço cpmsht@natal.rn.gov.

Também deverá ser encaminhado ao Departamento de Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Saúde através do e-mail drhseletivos2021@gmail.com os seguintes documentos anexados: 01 foto 3x4, RG, CPF, Certidão de Nascimento (ou casamento), Título de Eleitor com comprovante de quitação eleitoral, Certidão de quitação do Serviço Militar (para o sexo masculino), Certidões Criminal Negativa da Justiça Eleitoral, Federal e Estadual, comprovante de residência, Carteira de Trabalho (folha da foto, dados pessoais e contratos assinados), PIS ou PASEP, diploma de graduação em Pedagogia (podendo ser substituído por certificado, certidão ou declaração com histórico), cartão ou contrato de abertura de conta do Banco do Brasil (caso não tenha, solicitar encaminhamento através do mesmo e-mail), e avaliação médica emitida pela Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho – CPMSHT, que será encaminhada por e-mail em resposta à Declaração de Saúde.

12

Jul

Educação

Inscrições para o Prouni começam amanhã

Começam amanhã (13) e vão até sexta-feira (16) as inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação. O programa oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. 

O resultado da primeira chamada está previsto para o dia 20 de julho.   

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

Somente poderá se inscrever no Prouni o estudante brasileiro que não possua diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

As modalidades de participação são para os estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública, ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola; estudantes com deficiência, neste caso, não é necessário ter cursado todo ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola e, por fim,  professores  da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

O candidato a bolsas do Prouni não precisa fazer vestibular nem estar matriculado na instituição na qual pretende se inscrever. Entretanto, é permitido às instituições participantes do programa submeter os pré-selecionados a processo seletivo específico, isento de cobrança de taxa. Essa informação será dada ao candidato no momento da inscrição.

O processo seletivo do Prouni tem uma única etapa de inscrição. A inscrição, gratuita, é feita exclusivamente pela internet, na página do Prouni. O candidato pode escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno dentre as bolsas disponíveis, de acordo com seu perfil. O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Encerrado o prazo de inscrição, o sistema do Prouni classifica os estudantes de acordo com as opções e as notas obtidas no Enem. Os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, observada a ordem escolhida no momento da inscrição e o limite de bolsas disponíveis.

Serão realizadas duas chamadas. A cada chamada, os candidatos pré-selecionados têm um prazo para comparecer à instituição de ensino e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição. Para certificar-se da veracidade das informações prestadas, a instituição pode pedir ao estudante outros documentos que julgar necessários.

É permitida às instituições a realização de processo seletivo próprio dos pré-selecionados pelo Prouni. Essa informação é dada ao candidato no momento da inscrição. Nesses casos, as instituições que optarem por processo próprio de seleção devem explicar formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas, a natureza e os critérios de aprovação, os quais não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares. É vedada a cobrança de taxas para realização do processo seletivo próprio.

Ao final das duas chamadas, o candidato pode manifestar interesse em participar da lista de espera do Prouni. As bolsas eventualmente não preenchidas nas duas chamadas serão ocupadas pelos estudantes participantes da lista de espera que comprovarem as informações prestadas na ficha de inscrição.

Fonte: Agência Brasil

12

Jul

Educação

Pesquisa mostra que 99,3% das escolas suspenderam aulas presenciais

Segundo pesquisa publicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 99,3% das escolas brasileiras suspenderam as atividades presenciais durante a pandemia de covid-19.

O estudo, chamado Resposta Educacional à Pandemia de Covid-19 no Brasil, aponta que pouco mais de 53% das escolas públicas conseguiram manter o calendário letivo original para 2020. No ensino privado, cerca de 70% das escolas conseguiram manter a previsão de 2020 inalterada.

“Os resultados, de caráter censitário, podem auxiliar o Ministério de Educação e os secretários estaduais e municipais de ensino na tomada assertiva de decisões. É este o papel do Inep: gerar  informações relevantes para o planejamento de ações de enfrentamento e política educacionais", disse Danilo Dupas, presidente do Inep.

O levantamento foi realizado entre fevereiro e maio de 2021, com a 2ª etapa do Censo Escolar 2020. Segundo o (Inep), os dados aferidos serão fundamentais para a compreensão das consequências da pandemia no sistema educacional brasileiro. 

A pesquisa reúne dados sobre os impactos e as respostas educacionais decorrentes da pandemia de covid-19. Para isso, o Inep desenvolveu um formulário específico para coletar informações sobre a situação e as estratégias adotadas pelas escolas durante o ano letivo de 2020.

Uma das funções do estudo será apoiar decisões de gestores estaduais e ajudar na elaboração das diretrizes de biossegurança para o retorno às aulas presenciais, afirmou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Mauro Luiz Rabelo. “A partir dessa iniciativa, foram destinados mais de R$ 672 milhões às escolas para a aquisição de insumos no retorno às atividades presenciais.”

Somadas a rede pública e privada, 94% das escolas brasileiras responderam ao questionário por meio do Censo Escolar. “É uma cobertura que nos permite chegar a um nível de informações muito relevante para mostrar como as redes de ensino reagiram a essa situação de excepcionalidade”, afirmou o diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio.

Achados

A realização de reuniões virtuais para planejamento, coordenação e monitoramento das atividades foi a estratégia mais adotada pelos professores para dar continuidade ao trabalho durante a suspensão das aulas presenciais. Na sequência está a reorganização ou a adaptação do planejamento ou do plano de aula, com o objetivo de priorizar habilidades e conteúdos específicos. A comunicação direta entre aluno e professor (e-mail, telefone, redes sociais e aplicativo de mensagem) foi a estratégia mais adotada para manter contato e oferecer apoio aos estudantes.

Quando se trata da realização de aulas ao vivo, 72,8% das escolas estaduais e 31,9% das municipais implementaram a estratégia. Em 2.142 cidades, nenhuma das escolas municipais adotou essa medida. Por outro lado, em 592 cidades, todas as escolas da rede municipal fizeram o uso desse meio. Ao todo, 28,1% das escolas públicas planejaram a complementação curricular com a ampliação da jornada escolar no ano letivo de 2021. Na rede privada, 19,5% das escolas optaram por essa alternativa. 

Entenda a pesquisa

Principal pesquisa estatística da educação básica, o Censo Escolar é coordenado pelo Inep e realizado, em regime de colaboração, entre as secretarias estaduais e municipais de Educação, com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país. O levantamento abrange as diferentes etapas e modalidades da educação básica: ensino regular, educação especial, educação de jovens e adultos (EJA) e educação profissional.

O levantamento aponta, ainda, que o Brasil teve um período expressivo de suspensão das atividades presenciais em relação a outros países. A média brasileira foi de 279 dias de suspensão de atividades presenciais durante o ano letivo de 2020, considerando escolas públicas e privadas. 

Dados do monitoramento global do fechamento de escolas causado pelo coronavírus, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), mostram que Chile e Argentina, por exemplo, registraram 199 dias sem atividades presenciais entre 11 de março de 2020 e 2 de fevereiro de 2021. No México, foram 180 dias de paralisação, enquanto o Canadá teve 163 dias de aulas presenciais suspensas. França e Portugal contabilizaram menos de um trimestre sem aulas presenciais, com a suspensão de 43 e 67 dias, respectivamente.

Fonte: Agência Brasil

12

Jul

Educação

Inscrições para o Enem terminam na quarta-feira

Termina na próxima quarta-feira (14) o prazo para inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021. Os interessados em participar do certame, isentos ou não, devem acessar o site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para fazê-lo, na Página do Participante.

A taxa de inscrição para os não isentos é de R$ 85. O pagamento deve ser feito por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança).

Provas

As provas do Enem 2021 serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, tanto a versão digital quanto a impressa. As duas versões também terão a mesma estrutura de prova: quatro cadernos de questões e a redação.

Cada prova terá 45 questões de múltipla escolha, que, no caso do Enem Digital, serão apresentadas na tela do computador. Já a redação será realizada em formato impresso, nos mesmos moldes de aplicação e correção da versão em papel. Os participantes receberão folhas de rascunho nos dois dias.

No primeiro dia, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, e ciências humanas e suas tecnologias, além da redação. A aplicação regular terá cinco horas e 30 minutos de duração.

No segundo dia, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias, e matemática e suas tecnologias. Nesse caso, a aplicação regular terá cinco horas de duração.

Fonte: Agência Brasil

12

Jul

Educação

IFRN oferta curso em parceria com a Universidade Católica de Moçambique

No dia 21 de maio de 2021, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) realizou uma reunião com a Universidade Católica de Moçambique (UCM) para discutir parcerias. Na ocasião, representantes da instituição moçambicana apresentaram a proposta de realizar uma atividade conjunta de Ensino, a fim de atender demandas relativas à formação de seus docentes e de estudantes de pós-graduação, referente a metodologias de Pesquisa.

Em conjunto à Assessoria de Extensão e de Relações Internacionais, vinculada à Pró-Reitoria de Extensão (Aseri/Proex), a Coordenação de Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (COPPG/Propi) articulou-se à Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Uso Sustentável de Recursos Naturais (PPgUSRN), para materializar a proposta. Para o coordenador do PPgUSRN, professor Jean Tavares, essa “será uma excelente oportunidade para fortalecer a internacionalização do Programa, levando nossa expertise aos moçambicanos e adquirindo, com eles, conhecimento sobre sua cultura e práticas de Pesquisa”.

O coordenador ainda ressaltou os desafios para organizar esse primeiro curso, como as questões operacionais do Sistema Unificado de Administração Pública (Suap), no que concerne a estudantes estrangeiros, mas reforçou que a recompensa será a estruturação do IFRN para replicar ações como essa com outras instituições parceiras.

Quem corrobora com a importância da ação é o professor visitante no Campus Natal-Central, Julio Navoni, docente credenciado ao PPgUSRN e um dos responsáveis pelo curso: “A oferta irá fomentar o pensamento científico através do raciocínio lógico, unificando aspectos metodológicos e estatísticos”. Na oportunidade, a coordenadora das ações de Pós-Graduação, da Propi, (COPPG/Propi), professora Francinaide Nascimento, declarou: “Aproveitaremos o uso das tecnologias digitais para promover a internacionalização do PPgUSRN por meio da mobilidade virtual de docentes e discentes estrangeiros”.

Curso “Bases Metodológicas da Investigação Científica Mediante Análise de Dados”

O curso “Bases Metodológicas da Investigação Científica Mediante Análise de Dados” será ministrado às quintas-feiras, das 9h30 às 12h (no Brasil) e das 14h30 às 17h (em Moçambique). As aulas iniciam no dia 15 de julho e vão até 21 de outubro deste ano. Aproximadamente, 200 inscritos, entre discentes e docentes moçambicanos, participarão.

11

Jul

Educação

Escola Digitalista abre inscrições para curso de podcast

A Escola Digitalista, que oferece conteúdos e treinamentos customizados para jornalistas, abriu inscrições para uma nova turma online e ao vivo do curso de podcast. As aulas serão via Zoom, em 27 e 29 de julho e 3 e 5 de agosto (terças e quintas), das 19h30 às 21h30 (de Brasília). O instrutor é o jornalista e especialista no assunto Matheus Riga.

A capacitação é altamente indicada para jornalistas. Isso porque, com o boom dos podcasts, uma nova possibilidade de atuação se abriu para os profissionais de comunicação. São empresas, agências, órgãos públicos e influenciadores incorporando este tipo de mídia em suas estratégias de comunicação.

Durante o curso, os alunos realizam atividades como elaboração de roteiro, gravação, edição e distribuição. Tudo de forma muito intuitiva e de fácil aprendizagem, mesmo para quem não tem nenhum conhecimento no assunto.

O objetivo é que, ao final do treinamento, cada participante publique seu programa em plataformas como Spotify. Por isso, são apresentadas diversas ferramentas para fazer todo o processo, além dos equipamentos necessários.

As vagas para o curso de podcast da Escola Digitalista são limitadas, de modo a permitir uma maior interação entre os alunos e o instrutor. Mais informações, assim como a página de inscrição para o treinamento estão disponíveis no site da empresa.

Curso online de podcast, com aulas gravadas, é outra opção

Além desta turma ao vivo citada acima, a Escola Digitalista já oferece o mesmo treinamento com aulas gravadas. Ao adquirir o curso, o aluno pode acessar os conteúdos durante 3 meses.

Fonte: Portal Comunique-se, disponível em: https://portal.comunique-se.com.br/escola-digitalista-abre-inscricoes-curso-podcast/

11

Jul

Educação

Seis aplicativos e plataformas de cursos online

Em meio a tantas atividades remotas, iniciar um curso online é uma boa opção para aprender algo novo, ter novas experiências e enriquecer sua carreira profissional. Apps e plataformas virtuais oferecem cursos para diferentes áreas com metodologia própria, aulas, projetos experimentais e certificados, permitindo que as pessoas acompanhem todo o processo pela tela do celular.

Se você planeja dedicar uma parte do seu dia a realizar um curso, vale a pena pesquisar pelos temas oferecidos nas plataformas educativas. Com opções gratuitas e pagas, é possível utilizar o seu dispositivo para ver aulas e criar lembretes de estudo em sua nova experiência. Confira uma lista com os principais apps para cursos online!

1. LinkedIn Learning

Compatibilidade: AndroidiOS

- Preço: instalação gratuita

LinkedIn possui a sua própria plataforma de cursos online, chamada de Learning. O aplicativo reúne materiais das mais diferentes áreas do conhecimento e utiliza o seu perfil da rede social para enviar sugestões e indicar novos cursos. É possível, por exemplo, receber recomendações de cursos de acordo com uma habilidade adicionada ao seu perfil ou seguindo competências solicitadas pela empresa em que trabalha.

A biblioteca de vídeos é dividida em três categorias principais: Business ("Negócios"), Creative ("Criativo") e Technology ("Tecnologia"). Cada curso é segmentado em vídeos, que podem ser assistidos a qualquer momento. Além das aulas, há um espaço para discussão e comentários com outros participantes.

O acesso ao catálogo do Learning é um dos benefícios para usuários do LinkedIn Premium, serviço pago da rede social. Caso queira consumir apenas um curso específico, há a possibilidade de pagar um valor individual.

2. Coursera

- Compatibilidade: AndroidiOS

- Preço: instalação gratuita

O Coursera é uma plataforma de cursos online criados por universidades e instituições, incluindo Stanford, Yale, Google e IBM. A abrangência de disciplinas traz desde programas para iniciantes até opções de graduação e pós-graduação. São mais de 25 áreas do conhecimento disponíveis, com cursos em português e presença de legendas para aulas em outros idiomas.

A metodologia varia entre cada opção escolhida, mas é comum encontrar cursos com aulas, um projeto experimental e área para comentários ou avaliações. Os materiais são disponibilizados em vídeos e textos, e é possível acompanhar cada aula no próprio ritmo. Os vídeos podem ser baixados para reprodução offline, e o aplicativo disponibiliza recursos para criar lembretes de estudo.

O Coursera possui opções gratuitas e pagas no acervo de cursos. Em alguns casos, é possível acompanhar como ouvinte ou realizar uma inscrição que não garante certificado. Para as opções pagas, a plataforma permite solicitar auxílio financeiro mediante análise da instituição.

3. Cursa

-  Compatibilidade: AndroidiOS

-  Preço: instalação gratuita

O Cursa destaca-se por oferecer apenas cursos e certificados gratuitos. Portanto, se você não pretende gastar dinheiro, vale a pena olhar o acervo da plataforma, que conta com mais de mil cursos disponíveis. As temáticas são variadas, incluindo opções profissionalizantes, preparatórios para vestibulares ou concursos, aprendizado de idioma, entre outras opções.

Além dos cursos individuais, o Cursa oferece "trilhas de conhecimento": uma série de cursos e vídeos separados em módulos sobre um determinado tema. No app, além de salvar as disciplinas em andamento, é possível configurar lembretes em forma de notificação para não esquecer de acompanhar suas aulas com frequência.

O certificado pode ser obtido através do próprio aplicativo após cumprir com todos os requisitos do curso escolhido. Todo o funcionamento é gratuito, sem cobrança de taxas.

4. Udemy

- Compatibilidade: AndroidiOS

- Preço: instalação gratuita

A Udemy destaca-se pela grande quantidade de materiais disponíveis: são mais de 130 mil cursos em vídeos oferecidos pela plataforma, distribuídos entre mais de 3 mil temas diferentes. Todas as disciplinas adquiridas são vitalícias: dessa forma, o usuário pode acessar a biblioteca de vídeos quando quiser.

O app da plataforma traz diversos recursos que ajudam com a experiência das aulas. É possível criar lembretes de notificação, algo comum em apps desse segmento, além de um espaço para criar anotações durante cada aula em vídeo. Ao acessar uma aula novamente, é possível encontrar todos os seus registros armazenados. A Udemy ainda é compatível com Chromecast e AirPlay.

A maior parte dos cursos da Udemy são pagos, mas há uma área reservada com todas as opções gratuitas. Após finalizar cada disciplina, é possível solicitar um certificado de conclusão. Clique aqui para visualizar a lista de cursos oferecidos gratuitamente.

5. Domestika

-  Compatibilidade: AndroidiOS

-  Preço: instalação gratuita

A plataforma Domestika é voltada para oferecer cursos na área da indústria criativa. Os temas incluem design, ilustração, fotografia, edição, música, artesanato, entre outras opções. Todos os cursos possuem legendas para português, inglês ou espanhol, e podem ser acompanhados pelo app com vídeos, materiais de apoio e comunidade de discussão para atividades práticas.

Os vídeos da plataforma possuem acesso ilimitado pelo usuário e podem ser baixados para reprodução offline no aparelho. A área de cursos permite navegar com diferentes filtros, como os níveis de dificuldade e os softwares utilizados. Cada aula é separada em um vídeo individual, que pode ser acessado a qualquer momento.

O Domestika possui cursos pagos na maioria do acervo. Existem modalidades gratuitas, opção de compra individual de um curso ou assinatura do Domestika Pro, que libera uma série de disciplinas mensalmente. A versão Pro é oferecida por R$ 250 ao ano.

6. Yousician

- Compatibilidade: AndroidiOS

- Preço: instalação gratuita com plano Premium (US$ 12,99 ao mês)

Se você quer aprender a tocar um instrumento musical, o Yousician é uma das principais plataformas para essa função. O aplicativo possui aulas de violão, guitarra, baixo, ukulele e canto. Para utilizá-lo, basta liberar o acesso ao microfone e tocar o instrumento para que o app reconheça e dê o feedback sobre seu trabalho.

O Yousician possui diferentes métodos de ensino, adaptados para os diferentes níveis de experiência de cada aluno. Existem videoaulas que abordam conceitos básicos, desafios diários e semanais, exercícios específicos, um espaço dedicado para aprender a tocar canções específicas e uma área para monitorar todo o seu progresso na plataforma. As sessões ainda são curtas, com uma média de 17 minutos por aula.

O aplicativo é gratuito para download, mas requer uma assinatura paga para liberar todas as funções. Para novos usuários, há um período de testes de um mês. O plano Premium do Yousician é oferecido por US$ 12,99 ao mês.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/melhores-aplicativos-cursos-online/

10

Jul

Educação

Projeto para favelas do Brasil vence Shark Tank da América Latina

Membros do Students For Liberty Brasil venceram a competição Think Tank Shark Tank 2021 da América Latina ao apresentar projeto sobre educação para moradores de favelas do Brasil sobre seus direitos de propriedade e capacitá-los para criar um futuro melhor para suas famílias.

“Para que o Rio de Janeiro recebesse a Copa do Mundo e as Olimpíadas, mais de 20 mil famílias foram removidas de onde moravam. Muitos foram despejados em locais dominados por facções criminosas, longe de seus antigos vizinhos, comunidades e empregos. Nosso projeto quer mudar essa realidade, treinando uma nova geração de jovens estudantes com as habilidades certas para que possam ajudar os moradores de favelas a legalizar suas propriedades no Brasil”, afirma Bernardo Vidigal, Diretor Executivo do Learn Liberty do Students For Liberty Brasil.

Para ajudar os moradores de favelas a proteger suas casas, a equipe da SFL no Brasil produzirá um documentário expondo os problemas que enfrentam por estarem desprotegidos de direitos de propriedade. Cerca de 1.500 estudantes ativistas organizarão mais de 70 eventos em favelas em todo o Brasil e o documentário será exibido no canal do Learn Liberty no Youtube - projeto educacional em vídeo do SFL.

O projeto foi desenvolvido por três membros do Students For Liberty Brasil em parceria com a Atlas Network: Bernardo Vidigal, Diretor Executivo do Learn Liberty, Ivanildo Santos Terceiro, Gerente de Comunicações do Students For Liberty Brasil, e Nycollas Liberato, Diretor de Programas do Students For Liberty Brasil.

“Estamos muito orgulhosos da imensa diversidade de experiências no SFL Brasil, mas queremos ir além. Nossa meta é recrutar mais de 1.500 novos voluntários por meio desses eventos, que serão capacitados para ajudar todo e qualquer morador de uma favela a legalizar sua propriedade, para que se defendam daqueles que querem tirar sua dignidade”, disse Vidigal em seu discurso.

Outros concorrentes do Think Tank Shark Tank 2021 na América Latina foram Ana Lilia Moreno, com a apresentação do projeto sobre reforma energética no México, e Fatima Masse, com a apresentação de um projeto para incentivar o empreendedorismo formal para mulheres no México. O vencedor da competição 2021 foi anunciado no 2021 Latin America Liberty Forum - #ForoLibertad21, realizado virtualmente de 23 a 24 de junho de 2021.

No início desta semana, Students For Liberty também foi nomeado o vencedor do 2021 Europe Liberty Award pela inovadora campanha de mídia da SFL para aumentar a conscientização sobre as violações dos direitos humanos na Bielo-Rússia e foi finalista do 2021 Africa Liberty Award para o programa de bolsa de estudos para Liberdade Africana.