Coronavírus

23

Jun

Coronavírus

Estudo revela que apenas 19% das pessoas voltariam a frequentar estabelecimentos físicos logo após a pandemia

Com o isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus, muitos estabelecimentos de food service, como bares e restaurantes, tiveram que fechar suas portas, trabalhando somente com o delivery ou drive-thru. Apesar de ser esperada uma volta iminente das pessoas a esses estabelecimentos no pós pandemia, segundo estudo da 4Life, para 44% das pessoas é muito pouco ou nenhum pouco provável o retorno imediato a esses locais em um momento pós flexibilização do isolamento social.

A pesquisa que entrevistou 1.206 pessoas pela plataforma SurveyMonkey, entre os dias 10 e 14 de junho de 2020, ainda revela que apenas 19% dos respondentes voltariam a frequentar bares e restaurantes em breve, 16% consideram esta volta em um curto prazo provável e 21% razoavelmente provável.

Entre os motivos pelos quais a maioria das pessoas não se sentiria confortável em retornar a esses locais estão: insegurança com higiene, distanciamento entre mesas e contato com manobristas. Já entre as razões que fariam as pessoas voltarem a frequentar esses comércios estão: saber todas as medidas de prevenção adotadas pelo estabelecimento (78%) e mesas ao ar livre (50%). A pesquisa ainda indica que 62% das pessoas consideram a distância entre as mesas extremamente importante ao decidir visitar um restaurante.

Além disso, o estudo aponta que 63% dos entrevistados acreditam que o principal motivo para pedir delivery está relacionado à escolha do restaurante favorito e 58% às embalagens higiênicas e diferenciadas. “O consumidor deixou claro que quer conhecer todas as medidas de segurança referentes à higiene e como são elaborados os protocolos de atendimento e limpeza do estabelecimento”, comenta Igor Kalassa, CEO da 4Life e idealizador da pesquisa.

Fonte: Portal Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/06/23/food-service-44-nao-voltariam-aos-restaurantes-em-breve.html

22

Jun

Coronavírus

Pandemia: empresas conseguem decisões judiciais para adiar débitos


Diante da pandemia do Covid-19 e suspensão de grande parte das atividades comerciais no Rio Grande do Norte, diversas empresas enfrentam sérias dificuldades financeiras, buscando negociação de débitos junto aos credores. Frustradas, em grande parte, na via administrativa, algumas começam a obter ganhos judiciais. É o caso da Mineradora Casa Grande Mineração Ltda., que através do Escritório Mariz Maia Advogados, conseguiu uma decisão inédita no estado: pagará débitos parcelados a partir somente de 2021.

Para os advogados Alfeu Eliúde Almeida de Macedo e Daniel Cabral Mariz Maia, a decisão inédita se amolda, de forma responsável, às condições econômicas temerárias que grande parte das empresas do Rio Grande do Norte vem enfrentando diante da pandemia do Covid-19. Eles informam que no início de maio iniciaram as tratativas de negociação junto à Cosern, com o objetivo de parcelar os débitos em aberto da empresa, que já somavam R$ 207.171,88. Após tentativa de negociação frustrada, requereram judicialmente, em sede de liminar, a determinação para que a Cosern se abstivesse da suspensão do fornecimento de energia à Mineradora, bem como o parcelamento dos débitos em 12 vezes sem juros, com exigência a partir do dia 30/01/2021. 

Os pedidos basearam-se na mudança da forma de contratação para energia efetivamente consumida, sobretudo enquanto durarem os efeitos da grave crise econômica, social e de saúde pública instalada com a pandemia do novo Coronavírus. Em decisão de primeiro grau, o Juízo de Parelhas/RN deferiu em parte o pedido, determinando que o parcelamento fosse realizado após o pagamento de 30% dos valores em aberto e o restante em seis parcelas iguais e sucessivas, acrescidos de correção monetária e juros de 1% ao mês. Vale ressaltar que o adimplemento já se iniciaria no mês de julho de 2020. 

Foi quando o Escritório Mariz Maia Advogados interpôs recurso ao TJRN reiterando que a Mineradora vem passando por sérias dificuldades em razão da Pandemia e que a suspensão do seu funcionamento, concorde determinação dos Decretos Estaduais, afetou sobremaneira a saúde financeira da empresa. Todos os débitos em aberto, incluindo os de consumo de Energia, precisavam ser urgentemente negociados e, assim, o indeferimento do pedido, tal qual estava sendo apresentado, poderia, inclusive, acarretar prejuízos irreparáveis, quiçá o encerramento definitivo de suas atividades. 

Diante disso, em decisão monocrática, o TJRN deferiu totalmente o pedido da Mineradora em sede de Agravo de Instrumento, por entender que “com as atividades paralisadas, qualquer forma de pagamento imediato resta comprometida, levando consequentemente a Agravante ao inevitável descumprimento da medida”. Além disso, o julgador ainda destacou que a boa-fé da proposta lançada pela empresa, era fato importante a ser observado no “drástico contexto econômico atualmente vivenciado pelo nosso Estado, em face da pandemia”. Deste modo, ficou determinado o pagamento das faturas em 12 parcelas mensais iguais e sucessivas, enquanto durarem os efeitos da grave crise econômica, social e de saúde pública instalada com a pandemia do novo Coronavírus. O primeiro vencimento deverá se dar no dia 30/01/2021 e a correção dos valores será realizada pelos índices da caderneta de poupança.

22

Jun

Coronavírus

Parceria entre Prefeitura e UFRN vai ampliar testagem em massa em Natal

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte irá somar mais esforços com a Prefeitura do Natal no trabalho de testagem da população para o novo Coronavírus. A decisão foi tomada em vídeo-conferência realizada no último sábado (20) entre o prefeito Álvaro Dias, o reitor da UFRN, José Daniel Diniz, a diretora do Instituto de Medicina Tropical, Selma Bezerra Jerônimo, a médica infectologista Eliana Tomaz, o secretário de Saúde, George Antunes, e a secretária-adjunta da SMS, Rayane Araújo.

Com a nova parceria estabelecida, será possível oferecer mais testes nas Unidades Básicas de Saúde de Natal e expandir os diagnósticos que já vêm sendo feitos para os profissionais que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 no Município. Os testes serão do tipo molecular (RT-PCR). A ação conjunta entre a Prefeitura e a UFRN vai permitir a testagem de 220 pessoas por dia.

Os testes já vinham sendo realizados nas quatro Unidades de Pronto Atendimento em Natal e no Hospital dos Pescadores, no bairro das Rocas, além do Hospital de Campanha. O trabalho alcançava a média de 80 testadas diariamente. Média que vai praticamente triplicar até a próxima terça-feira (23), quando a ampliação do atendimento será implantada na rede pública de Natal.

A estratégia de atuação no combate ao coronavírus é fazer a busca ativa dos possíveis infectados, direcioná-los para um tratamento adequado e tentar evitar que continuem disseminando o vírus e que cheguem ao estágio grave da doença. “Fico muito satisfeito pelo trabalho que está sendo feito e ainda mais por contar agora com a parceria importante e fundamental da UFRN, através do Instituto de Medicina Tropical, para ampliar a testagem e ter uma estratégia de atuação que, junto com um protocolo de atendimento e com uma terapêutica adequada, busca somar esforços para diminuir o número de casos graves e evitar óbitos” afirma o prefeito Álvaro Dias. 

O reitor da UFRN, José Daniel Diniz, celebra mais um acordo que se junta a outros já promovidos com a Prefeitura no combate à disseminação do novo coronavírus. “Além dos testes nas UPAs e em outras unidades, a UFRN já estava trabalhando em parceria no fornecimento de álcool gel e de medicamentos importantes para estas ações contra a Covid-19. Como instituição pública, precisamos apoiar e ajudar trabalhos como o que a Prefeitura vem realizando”, explica o reitor.

Para a diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT), Selma Bezerra Jerônimo, a realização dos novos testes também nas UBS e junto aos servidores da Saúde vai contribuir para desafogar as UPAs, que estão registrando o dobro de atendimentos de sua capacidade. “Com os testes estando disponíveis em mais unidades, evita-se que as pessoas sobrecarreguem as UPAs e dependam apenas delas para receber esse atendimento”, resume a diretora.

Testes já aplicados

Os testes rápidos que vêm sendo aplicados pela Prefeitura desde o início da semana abrem a possibilidade de um tratamento mais eficaz da doença quando detectada precocemente. Os testes começaram a ser aplicados no sistema drive thru, na Arena das Dunas, prioritariamente entre idosos e pessoas com comorbidades, para garantir a segurança e evitar aglomerações em filas, já que os pacientes não saem dos automóveis. Ao mesmo tempo, estão sendo testados os profissionais da saúde, começando pelos que trabalham nas urgências e emergências. Há ainda um trabalho paralelo de testagem realizado nos abrigos de longa permanência de idosos e com moradores em situação de rua assistidos pela Secretaria Municipal do Trabalho e da Assistência Social (Semtas).

Nos quatro dias na Arena das Dunas, foram realizados 5.425 testes, dos quais 924 pessoas apresentaram resultado positivo para a infecção e devem ser atendidas em uma unidade de saúde para, se for o caso, começar o tratamento imediatamente ou fazer novos exames para confirmar, a critério da análise médica. Além de serem isolados do contato com outras pessoas, para não transmitirem a doença.

Nesta terça-feira (23), será dado início ao mesmo tipo de trabalho no ginásio Nélio Dias, na Zona Norte. Agora, com a parceria com a UFRN, o serviço será aprofundado com mais equipes e testes para serem aplicados.

20

Jun

Coronavírus

Pessoas que se informam mais por redes sociais têm maior probabilidade de não seguir regras de afastamento, diz pesquisa

As pessoas que confiam nas mídias sociais para obter informações sobre o coronavírus que causa a COVID-19 são mais propensas a acreditar nas teorias de conspiração e violar as regras de afastamento ou isolamento físico durante a pandemia, de acordo com um estudo da Ipsos Mori para o King's College London.

O estudo mostra, por exemplo, que entre os que acreditam que não há evidências concretas de que o vírus exista, 56% usam o Facebook como sua principal fonte de informação, percentual quase três vezes maior que a proporção de pessoas que não acreditam nessa teoria conspiratória (20%).

Em outra situação, 60% das pessoas para as quais os sintomas que a maioria das pessoas atribui à COVID-19 parecem estar conectados à radiação da rede 5G – outra teoria conspiratória – disseram que obtêm suas informações do YouTube.

Três em cada 10 pessoas, segundo a pesquisa, que acreditam erroneamente que a rede 5G está causando sintomas da doença causada pelo coronavírus não seguiram regras de afastamento físico, apesar de suspeitarem que possam ter o vírus.

 “Esse tipo de associação não pode provar que a desinformação nas plataformas de mídia social causa crença em conspirações, menor confiança e maior probabilidade de violar as regras, mas apontam para uma mistura tóxica entre crenças subjacentes e informações enganosas que podem ter efeitos reais sobre como as pessoas comportar-se, mesmo durante uma pandemia”, disse o professor Bobby Duffy, diretor do Instituto de Políticas do King's College London.

"Nossas descobertas sugerem que o uso da mídia social está vinculado tanto a falsas crenças sobre o Covid-19 quanto ao não cumprimento das regras claras de isolamento", afirmou Daniel Allington, professor sênior de inteligência artificial social e cultural do King's College London . “Isso não é surpreendente, dado que muitas informações nas mídias sociais são enganosas ou totalmente erradas”.

“Estamos comprometidos em fornecer informações oportunas e úteis sobre o Covid-19 durante esse período crítico, usando dados da OMS e os recursos do NHS, para ajudar a combater desinformação”, disse um porta-voz do YouTube, segundo o site Press Gazette. O Facebook, por sua vez, informou ter removido “centenas de milhares de informações erradas relacionadas ao Covid-19 que poderiam levar a danos iminentes, incluindo postagens sobre curas falsas, alegações de que as medidas de distanciamento social não funcionam e que o 5G favorece o coronavírus”.

Fonte: ANJ, disponíevl em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/1-noticias/jornal-anj-online/29586-pessoas-que-se-informam-mais-por-redes-sociais-tem-maior-probabilidade-de-nao-seguir-regras-de-afastamento-diz-pesquisa.html

19

Jun

Coronavírus

Maternidade Escola Januário Cicco disponibiliza cartilha sobre saúde mental na pandemia

Grande parte dos trabalhadores da saúde não podem realizar o distanciamento social recomendado pelos órgãos de saúde pública, o que contribui para o sentimento de exposição, medo de contaminação, entre outros. Além disso, a situação de confinamento pode gerar mal-estar psicológico, pois, como seres humanos, nos organizamos em sociedade por meio da interação social.

Diante disto, a Maternidade Escola Januário Cicco, vinculada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte e à Rede Ebserh (MEJC-UFRN-Ebserh), disponibilizou uma cartilha eletrônica com orientações quanto à saúde mental em tempos de pandemia. O material faz parte de um plano de cuidados elaborado por uma equipe multidisciplinar, cujo o objetivo é auxiliar no enfrentamento da sobrecarga emocional e de trabalho de seus funcionários, ocasionados pela pandemia da covid-19. A iniciativa é incorporada ao Projeto de Extensão Saúde Mental dos Trabalhadores da MEJC frente à pandemia do novo coronavírus, vinculado ao Departamento de Enfermagem da UFRN.

Segundo a psicóloga Caroline Lemos, uma pandemia pode ser considerada uma situação de crise, pois é algo inédito e inesperado que traz modificações significativas para rotina e relações sociais. “Existe um risco iminente para a saúde e bem-estar do trabalhador. O momento requer atenção da Instituição para os efeitos psicológicos causados pelas incertezas, excesso de informações desencontradas, pelos riscos de contaminação e pela necessidade de isolamento social”, afirma.

A especialista comenta que, desse modo, pode-se afirmar que profissionais da área da saúde tem uma vulnerabilidade aumentada para o estresse, devido às características de suas profissões e ambientes de trabalho. “Esse material visa contribuir com sugestões que possam minimizar os efeitos causados pela pandemia”, acrescenta.

Ainda fazem parte do plano de cuidados para a saúde mental durante a pandemia, as ações de acolhimento dos profissionais, disponibilização de teleatendimento psicológico, psiquiátrico e de enfermagem, realização de pesquisa para traçar o perfil dos colaboradores no que tange ao autocuidado. Além da qualidade de vida no trabalho e sintomas físicos e psicológicos no enfrentamento da pandemia, produção de material audiovisual e informativos que auxiliem na preservação da saúde mental dos trabalhadores e familiares, a exemplo da cartilha.

17

Jun

Coronavírus

Instituições promovem online o Congresso Internacional Multiprofissional em Pediatria e Cardiologia do RN

No  mês de conscientização sobre cardiopatia congênita em tempos de COVID: unidos por um só coração, em Natal/RN, o Grupo da Cardiopediatria da UFRN, com o apoio da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Norte (SOPERN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia - seccional do Rio Grande do Norte (SBC-RN), promovem, no próximo sábado(27),  o Congresso Internacional Multiprofissional em Pediatria e Cardiologia.

O evento, totalmente gratuito e on-line, com o lema “Juntos contra a COVID-19”, reúne  especialistas de regiões do Brasil e do exterior, como São Paulo, Canadá e Itália, num grande fórum multiprofissional sobre  como o novo coronavírus vem afetando as crianças, formas de reduzir o impacto negativo na assistência à saúde das crianças neste período da pandemia  e  quais as terapêuticas vem sendo melhor administradas no mundo inteiro para  contornar os efeitos da doença nos níveis  hemodinâmicos e cardiológicos. O evento também tem um caráter assistencial, promovendo campanha de arrecadação de recursos para 04 instituições filantrópicas em Natal/RN, duas em Fortaleza/Ce e uma em Recife/Pe.

Além das palestras, o evento tem  também  trabalhos científicos previamente inscritos por estudantes e profissionais da saúde. Para a presidente do Congresso, dra. Gisele Leite, a iniciativa , num momento tão delicado traz a oportunidade de capacitar as equipes de saúde no atendimento às crianças de modo geral, especialmente as cardiopatas, neste período de pandemia. Por outro lado, esperamos poder contribuir com as instituições filantrópicas para as quais o CIMPEC está buscando doações, e, assim, poder ajudá-las neste momento difícil que estamos passando. 

16

Jun

Coronavírus

Evento discute produção de conhecimento durante a pandemia

Entre os dias 18 e 19 de junho, acontece virtualmente o I PESQUISACOM – Seminário Interprogramas em Comunicação das Regiões Norte e Nordeste. O evento é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN) e busca debater a produção de conhecimento durante a pandemia, por meio de palestras. A abertura vai abordar pós-graduação, ensino e democracia. Os interessados devem se inscrever até o dia 19 de junho, no site do evento.

No primeiro dia de evento, às 9h, o I PESQUISACOM recebe Edson Dalmonte, representante da área da Capes, que irá falar sobre o ensino e a pesquisa na pós-graduação em Comunicação para as regiões Norte e Nordeste. Já no dia 19, às 9h, o convidado será Maurício Ribeiro, presidente da Compós, que discutirá a importância da pós-graduação em Comunicação para o ensino e a democracia.

Além das palestras de abertura, haverá as sessões de apresentação das pesquisas nos dois dias do evento, no qual cada expositor terá até 20 minutos para falar sobre seu trabalho. No total, são seis grupos de trabalho. As apresentações do dia 18 são as seguintes: Convergência, transmidiação e jornalismo multiplataforma, pela manhã; e, à tarde, Narrativas midiáticas e mídia audiovisual e Jornalismo, tecnologia e história da mídia

No dia 19: Ciência, movimentos sociais e meio ambiente, pela manhã; e Publicidade, gênero e cultura e Comunicação, política e mídia comunitária, no período da tarde. Os horários das apresentações serão pela manhã, das 9h às 12h, e à tarde, das 14h às 18h. Os links para as apresentações ainda serão disponibilizados por e-mail aos ouvintes, após a confirmação da inscrição.

Essa edição teve 55 inscrições, representando docentes de 11 instituições federais, e a expectativa é ter cerca de 500 participantes que vão acompanhar as discussões nos dois dias de evento. Como se trata da primeira edição, serão apresentadas as pesquisas apenas de docentes, mas a intenção é que a próxima edição tenha a participação de grupos de pesquisa e pesquisas de discentes de universidades estaduais e particulares, além de outras propostas de conteúdo.

16

Jun

Coronavírus

Covid-19: cerimônia do Oscar de 2021 é adiada de fevereiro para abril

A cerimônia de premiação do Oscar de 2021 foi adiada de fevereiro para abril em razão da epidemia do novo coronavírus, anunciou nesta segunda-feira (15) a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

A entrega dos principais prêmios da indústria cinematográfica mundial será realizada em 25 de abril de 2021, informaram os organizadores. Originalmente, o evento estava marcado para 28 de fevereiro. A epidemia de Covid-19 fechou os cinemas em todo o mundo em meados de março e interrompeu a produção de filmes.

A Academia de Hollywood também estendeu o prazo para que os filmes sejam lançados para se qualificarem para uma indicação ao Oscar para 28 de fevereiro de 2021, ante 31 de dezembro de 2020.

"Nossa esperança, ao estender o período de elegibilidade e a data de premiação, é proporcionar a flexibilidade que os cineastas precisam para concluir e lançar seus filmes sem serem penalizados por algo além do controle de qualquer um", disse o presidente da Academia, David Rubin, e o executivo-chefe da Academia, Dawn Hudson, em comunicado.

A interrupção das produções fez com que muitos filmes ficassem sem poder ser finalizados ou lançados antes do prazo usual no fim do ano. Dezenas de lançamentos de filmes têm sido transferidas para 2021.

Fonte: Agência Brasil / Foto: Lucas Jackson

12

Jun

Coronavírus

Estudo mostra como o isolamento social está afetando a vida afetiva

Para investigar os impactos do isolamento social na vida afetiva, e ajudar marcas e profissionais de marketing e comunicação a pensar em estratégias mais efetivas para ocasiões como o Dia dos Namorados deste anoa agência Mutato lança o estudo “O Amor em Tempos de Pandemia”, em que trata de como o atual contexto de isolamento social está acelerando transformações na maneira como amamos e fazemos sexo, e ajuda a responder questionamentos de “Como encontrar o amor, sem ser ao vivo?” ou “Como lidar com a saudades de um/a companheiro/a?”.  

A metodologia da pesquisa, realizada entre março e maio, envolveu Desk Research e Social Listening. A partir de menções sobre o assunto capturadas nas redes sociais e na imprensa, a equipe de pesquisa decodificou esses insumos e os traduziu em novas tendências de comportamentos trazidos para as relações interpessoais e afetivas após a pandemia.

O estudo analisou as transformações a partir de 5 tendências: Solidão - como a quarentena coloca à prova a necessidade de interação social; Conexão - novas formas que as pessoas descobriram para se conectar por meio digital;  Zuera - um traço do comportamento do brasileiro, que mesmo neste contexto não perde a mania de fazer piada de si mesmo; Tretas - como o convívio intenso e extremo vem impactando a vida dos casais que estão isolados – e mais juntos do que nunca; Tesão -  as novas formas de alimentar o apetite sexual sem poder encontrar ou tocar.

1. Solidão: busca por ligação emocional

No tema da Solidão, o estudo mostra que as pessoas estão buscando conexões por conta da solidão, ansiedade e tédio, questões sérias e que demandam cuidados com a saúde mental. Essa busca não necessariamente é relacionada a sexo, mas a um desejo por conexão emocional, já que todos sentem falta do contato físico.

As pessoas estão apostando mais em apps que promovem esses encontros. Alguns dados mostram isso: em um único dia, o Tinder chegou a ter 3 bilhões de swipes (deslizadas). O volume das conversas em apps de encontros aumentou 20% e a duração 30% (segundo o Tinder e Okcupid). Houve ainda crescimento de 200% na quantidade de pessoas que afirmam ter participado de um encontro virtual (Okcupid).

Outro fenômeno é que a saudade de namorados, paqueras, amigos ou familiares tem crescido e, durante a quarentena, houve maior idealização das lembranças, fazendo com que amores do passado ressurgem. Uma expressão que está ganhando corpo é a “Carentena”, causada pela carência no isolamento social..

2. Conexão: mais possibilidades de conversa

A Mutato identificou fenômenos como o “relacionamento sério consigo mesmo”, e a conexão mais emotiva e profunda entre os dates, com mais tempo de conversa antes de partirem para o encontro físico. Hoje, diz a Okcupid, 85% das pessoas consideram importante desenvolver essa conexão emotiva, e há um aumento de 30% nas trocas de mensagens em março. No Tinder, houve alta de 20% nas conversas.

Também foram percebidos comportamentos como as chamadas de vídeo entre crushes, que agora são incentivadas para se ter uma relação mais realista. Apps como o Bumble se prepararam para oferecer uma experiência melhor nesse sentido. Também foi notada uma evolução no “jogo da sedução”, já que há necessidade de maior criatividade no flerte: o supermercado virou ponto de encontro, as pessoas enviam recados por drone e adotam diversas ferramentas para ativar o “contatinho”.

A quarentena ajudou as pessoas a assumirem melhor seus relacionamentos, ou percebendo o quanto gostam das pessoas, ou decidindo terminar de uma vez. São inúmeros os tweets com demonstração da vontade de oficializar um relacionamento depois do isolamento.

3. Tesão: nudes, sexo virtual e sex toys em alta

Há uma busca maior por brinquedos sexuais, com oportunidades no incipiente setor de sex tech. Os sex shops tiveram aumento de 50% na vendas em abril e a quantidade de clientes homens saltou 33%.

Formas de sexo virtual como sexting ou camming ganham espaço e os casados se vangloriam por conseguirem transar mais que os solteiros. O Zoom é a plataforma que ganhou espaço para as “sex parties” ou “zoomrubas”, embora conteúdo pornográfico seja proibido na plataforma e algumas festas tenham sido vetadas.

No espaço físico, os motéis tem sido espaço para encontros privados e festas. O envio de nudes e sexting cresceu, com o Reddit registrando aumento no número de posts compartilhados nas comunidades.

No caso específico do grupo gay masculino, há apps ganhando espaço, como o Grindr e o dilema de “furar ou não a quarentena”. A Mutato aponta a possibilidade de haver um sex boom no pós-quarentena.

4. Tretas: teste intenso para as relações

A Mutato identificou que os casais se conectam mais com a alta convivência, o que pode ser bom ou ruim, sendo que no extremo negativo nota-se o aumento da violência doméstica. Só no Rio de Janeiro houve aumento de 50% nos casos de violência doméstica e crescimento de 40% na chamadas ao 180.

Durante a quarentena, as reflexões ajudaram a se notar situações como o esvaziamento de relações, e o uso de plataformas para se encerrar relacionamentos.

Embora com mais tempo para fazer sexo, a questão econômica pode ser um impeditivo para quem deseja um bebê.

5. Zuera: porque rir é o melhor remédio

Sem surpresas, notou-se a habilidade do brasileiro de rir de si próprio, e o uso do humor como forma de escapismo. Também o desejo de falar sobre o tema “quando a quarentena acabar” e os inúmeros planos de rever pessoas queridas, sem contar o humor sobre a volta à normalidade.

Os flertes de quarentena também podem evoluir ou não para o mundo físico, com a discussão sobre a responsabilidade emocional. As pessoas passaram a brincar com a própria solidão e falta de “crushes”.

Outro aspecto é a liberdade feminina pela falta de rituais com a beleza e o não uso de maquiagem. A redução no consumo de itens de beleza chegam a a 25% segundo dados de Nielsen e Kantar.

Uma das conclusões do “O Amor na Pandemia” em todos os temas abordados é o fortalecimento das conexões emocionais entre as pessoas. “O ser humano precisa de amor para sobreviver e, a partir do estudo, vimos que essa necessidade tem sido suprida quando há compartilhamento de emoções e sentimentos com o outro, o que traz a sensação de cuidado e acolhimento. O isolamento tira todos da zona de conforto, independente do tipo de relacionamento, então, estamos nos adaptando a usar a internet como ferramenta de conexão”, afirma Juliana Morganti, Diretora de Estratégia da Mutato. Para conferir a pesquisa na íntegra, acesse http://www.muta.to/amor-na-pandemia.

Fonte: B9, disponível em: https://www.b9.com.br/127328/estudo-da-mutato-mostra-como-o-isolamento-social-esta-afetando-a-vida-afetiva/

10

Jun

Coronavírus

Pandemia aumenta procura por serviços de armazenamento em nuvem

Devido a pandemia do novo coronavírus, as empresas tiveram que correr para se adaptar ainda mais aos recursos tecnológicos. Com a maioria de seus profissionais atuando por home office, as organizações precisaram migrar seus arquivos para o armazenamento em nuvem, de modo que suas equipes pudessem acessar de onde estivessem. Segundo estudo realizado pela empresa de consultoria Gartner Group, até 2025, 80% das empresas migrarão para essa tecnologia. Consequentemente, a procura por profissionais especializados será maior no mercado de trabalho. 

O profissional que atende a essa demanda é o arquiteto de nuvem ou arquiteto de cloud, responsável por realizar a transferência dos arquivos, serviços e sistemas empresariais das empresas para o armazenamento digital. Apesar da demanda, o mercado de trabalho ainda sofre com a escassez de profissionais habilitados e especializados nessa nova profissão. Os salários podem variar de R$ 4 mil a R$ 25 mil reais e as ofertas por postos de trabalho só aumentam.

De acordo com o coordenador dos cursos de Tecnologia da Estácio Natal, Emmanoel Monteiro, este tipo de tecnologia já vem crescendo nos últimos dez anos e a tendência é que siga em ascensão no pós-pandemia. “A pandemia alertou para a necessidade de redesenhar os ambientes de computação. Na Estácio, nós temos dois cursos com foco em tecnologia de nuvem, são eles: Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Redes de computadores. É uma especialização cada vez mais procurada no mercado de tecnologia”, pontua.

A plataforma de recrutamento GeekHunter, que reúne profissionais de tecnologia de todo o mundo, aponta um aumento de 50% na procura por esses profissionais. Ainda segundo esse levantamento, mais de 90% das empresas já possuem algum serviço em nuvem. “Os nossos cursos contam com a disciplina de Computação em Nuvem e Web Services em Linux, específica para a formação dos arquitetos de nuvem. Com ela, os alunos entendem como funciona a infraestrutura da nuvem e suas nuances”, explica o professor.

8

Jun

Coronavírus

Cartilha orienta idosos sobre atividades físicas durante isolamento

Como prevenir os efeitos do sedentarismo no nosso corpo? Muitos responderiam que por meio de atividade física. Mas e quando estamos falando de pessoas que fazem parte do grupo de risco para a covid-19 e não podem sair para se exercitar? Esse é o caso dos idosos, que devem manter o distanciamento social e, por isso, estão sujeitos a permanecer um longo período confinados em casa. Como consequência, eles podem ter uma diminuição na capacidade de movimento, além de outros efeitos cognitivos e emocionais.

Para ajudar a reduzir isso e auxiliar a lidar com esse período de isolamento, foi elaborada a Cartilha de Exercícios para Idosos. O material foi produzido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Centro de Ciências da Saúde (CCS), do Departamento de Fisioterapia (DFST) e do Laboratório de Epidemiologia e Fisioterapia Geriátrica (Lafig/DFST).

Trata-se de uma ação de extensão que mobilizou o trabalho de professores e alunos de iniciação científica do curso de Fisioterapia em torno do desafio de elaborar uma cartilha direcionada para a população idosa, orientando sobre a prática de exercícios terapêuticos simples. A ideia é promover a prevenção do declínio físico decorrente do sedentarismo devido a esse período de confinamento.

A cartilha recorre ao uso de imagens e de linguagem simples para ensinar a fazer alongamentos e exercícios na posição sentada e em pé. Ela dá dicas de como exercitar os músculos dos ombros, dos braços, das pernas, do quadril e de como melhorar o equilíbrio.

De acordo com o professor do Departamento de Fisioterapia e um dos coordenadores Lafig/UFRN, Ricardo Oliveira Guerra, o confinamento em casa tem dificultado a prática de atividades físicas. Principalmente para o idoso, isso pode trazer prejuízos para a saúde.  “É preciso estar atento porque se trata de uma faixa etária mais sensível aos efeitos da inatividade.” A redução da força muscular, a rigidez articular e a perda da capacidade de esforço, por exemplo, podem resultar na diminuição da atividade física. Por isso, é preciso que o idoso mantenha uma rotina diária de exercícios.

Ricardo Oliveira também destaca que os familiares podem participar, quando for possível, da prática dos exercícios descritos na cartilha, ajudando o idoso. Mas se a condição de isolamento não permitir, isso pode ser feito de forma remota, via aplicativos de vídeos. Dessa forma, se estabelece uma interação social que ajuda a prevenir quadros depressivos e estimula a função cognitiva, como a orientação temporal e espacial.

Acesse a cartilha aqui.

5

Jun

Coronavírus

DNA Center monta Central de Agendamento exclusiva para exame de Covid-19

O DNA Center está disponibilizando ao público uma Central de Cadastro e Agendamento exclusiva para exame RT-PCR para Covid-19, que passa a operar como opção à marcação dos exames via Whatsapp.  A instalação funciona no estacionamento do Banco do Brasil da Avenida Afonso Pena, no Tirol, em frente ao Drive Thru onde é realizada a coleta para o exame. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 7h às 17h; e aos sábados, das 7h às 12h.

Diante do crescimento exponencial da demanda pelos testes, a Central de Cadastro e Agendamento foi montada em um espaço aberto e sinalizada de acordo com as regras de isolamento necessárias ao período. No local, oito atendentes protegidos com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) recebem as pessoas que precisam agendar os exames RT-PCR. Os testes são realizados no Drive Thru em frente, EXCLUSIVAMENTE com agendamento.

Para marcar o teste, é necessário que o paciente esteja munido de solicitação médica. O DNA Center não realiza exames sem solicitação de profissional médico habilitado, necessário para indicar o tipo de teste mais adequado para cada paciente.

 Demanda é crescente e laboratório chega a realizar quase 660 exames diários

Por ser o único laboratório privado a realizar exames de Biologia Molecular no RN durante a pandemia, não dependendo do envio de amostras para outros estados, o DNA Center tem recebido uma demanda crescente de exames de COVID-19. Os sistemas de atendimento chegam a registrar mais de mil e quinhentas mensagens diárias para agendamento deste tipo de exame, que após a coleta, é em entregue, em média, em dois dias úteis.

O DNA Center chegou a realizar, nesta quinta (04/06), 658 testes em um único dia. O número reflete o esforço na ampliação do atendimento, tendo em vista que quando o serviço de testes RT-PCR para Covid-19 foi instalado, ao final de março, estava dimensionado para a realização de até 90 exames diários.

Apesar da procura crescente e a do esforço para ampliação do atendimento, o DNA Center destaca que existe um limite de técnico diário para agendamento e realização de exames, necessário em função da limitação de insumos, materiais e profissionais especializados para a realização desse tipo de análise.

 Investimento para ampliar o atendimento, mesmo com limitação

O DNA Center tem investido em alternativas para expandir a capacidade de atendimento em tempo recorde, buscando proporcionar o acesso aos testes para o maior número possível de clientes. O laboratório foi o primeiro a instalar uma unidade de Drive Thru exclusiva para a coleta do exame RT-PCR para pesquisa do SARS-CoV-2, considerado padrão ouro para o diagnóstico da COVID-19. Além disso, vem realizando sucessivos investimentos na ampliação do número de atendentes para marcação de consultas e SAC Online, bem como das ferramentas tecnológicas para recebimento de mensagens, disponíveis de domingo a domingo.

Seis equipes atuam diariamente, em três turnos, para a realização de coletas domiciliares em Natal e na Grande Natal. A direção do laboratório também vem mantendo contato permanente com os planos de saúde para construir soluções que possam agilizar os processos de autorização dos exames, para assegurar uma resposta mais rápida aos clientes, tendo em vista que a maior parte dos testes realizados é feito via convênios de saúde.

5

Jun

Coronavírus

RN se mantém na segunda colocação nacional no Ranking Transparência Covid-19

O boletim semanal Transparência Covid-19 divulgado pela ONG Open Knowledge Brasil mantém o Rio Grande do Norte na segunda posição em transparência de dados apresentados pelos governos estaduais relativos à pandemia.

O Rio Grande do Norte manteve seus 98 pontos, o que reflete o alto índice de transparência e o acompanhamento e monitoramento semanal pela Controladoria-Geral do Estado na divulgação dos dados.

“Essa posição demonstra o compromisso do Governo em manter bem informada a população. Apresentamos dados reais da situação de emergência que passamos. Contribuímos, assim, para conscientização da necessidade do isolamento social”, destacou Lenira Fonseca, gestora da Lei de Acesso à Informação da Control.

No primeiro boletim publicado pela ONG, em 3 de abril, o Estado potiguar apareceu em 11º, então com 29 pontos. Desde então evoluiu na pontuação a cada boletim até os atuais 98 pontos.

Lenira descatou ainda o trabalho da Coordenação de Promoção à Saúde, setor responsável pela gestão de todos os dados, elaboração e divulgação dos boletins epidemiológicos dos dados referentes à pandemia, além de outros vírus respiratórios e sendo o principal instrumento de avaliação.

O trabalho executado pela equipe da Sesap é realizado com o apoio e acompanhamento da Control, responsável pela promoção da transparência pública do Executivo Estadual.

4

Jun

Coronavírus

Turma da Mônica lança cartilha sobre o uso de máscaras; confira

Uma cartilha dos responsáveis pelas publicações da Turma da Mônica foi desenvolvida para ajudar na conscientização sobre o uso de máscaras como forma de prevenção na pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O material traz orientações sobre o tema divulgados por autoridades de saúde em âmbito nacional durante a pandemia, como o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A publicação foi divulgada no perfil do Instagram da Turma da Mônica, que conta com mais de 800 mil seguidores. O material explica porque a máscara é importante, abordando a forma de transmissão do vírus e indicando o objeto como um item a mais de proteção, que não substitui as atitudes de higiene já recorrentemente divulgadas, como a higienização das mãos e superfícies.

O texto traz o número sugerido do uso de máscaras por dia (cinco) e o tempo indicado para a troca (a cada três horas). Além disso, ensina como colocar o item de proteção e como tirá-lo, listando cuidados como não tocar na parte da frente, lavar as mãos após a retirada e como descartá-lo.

Outra orientação é a de o que fazer ao lavar a máscara, como deixar de molho por até 30 minutos em uma mistura de água e água sanitária. Traz também outros cuidados, como não torcer demais e buscar passar o pano com ferro quente.

A cartilha tem informações específicas para crianças, como as orientações de autoridades de saúde para que não seja utilizada por pessoas com menos de dois anos e a necessidade de supervisão dos pais para pessoas de até 10 anos. O caderno pode ser encontrado no site do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e é de distribuição gratuita.

Fonte: Agência Brasil

3

Jun

Coronavírus

Ministério Público do RN lança ferramenta para acompanhar Portais da Transparência durante pandemia da Covid-19

O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (MPRN) desenvolveu um sistema capaz de verificar os Portais de Transparência dos Municípios, de forma automatizada e perene, acompanhando a execução orçamentária especialmente dos gastos com ações de serviço de saúde e de combate ao novo coronavírus (Covid-19). O sistema Confúcio foi pensado e implementado pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias do Patrimônio Público (Caop-Patrimônio). 

A equipe do Laboratório de Ciência de Dados do Gaeco desenvolveu crawlers (robôs) que varrem três vezes ao dia os portais da transparência dos Municípios, sendo criado um ambiente de monitoramento a partir dos dados coletados.

A ferramenta identifica se há compatibilidade dos sítios eletrônicos com a legislação pertinente, bem como a conformidade dos gastos públicos, oferecendo informações à sociedade e aos membros do MPRN, estabelecendo pontuações. 

Dos 167 municípios potiguares, nenhum atingiu a pontuação máxima (400 pontos), entretanto o Município de Serra Negra do Norte atingiu a maior pontuação com 375 pontos dos 400 possíveis. Já os municípios de Afonso Bezerra, Caiçara do Norte, Espírito Santo, Luís Gomes, Messias Targino, Pedro Velho, Santa Maria, São Paulo do Potengi e São Pedro obtiveram nota zero por não terem portais da transparência em funcionamento durante o período de monitoramento. O ranking é dinâmico e muda constantemente conforme os Municípios forem alimentando seus portais.

Para se chegar ao ranking, a ferramenta utiliza dados sobre a população (quantidade de habitantes por Município) obtidos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE); e sobre repasses federais (valores recebidos pelos entes públicos para enfrentamento à pandemia) junto à Controladoria Geral da União (CGU). 

Além disso, o Sistema Confúcio também verifica se há uma aba específica “Covid” no Portal da Transparência, onde devem constar todas as informações sobre as despesas para enfrentamento ao vírus, conforme legislação.

A ferramenta ainda se baseia em quatro critérios para classificar os Portais de Transparência, sendo: 1) Saúde do Portal; 2) Qualidade dos dados do portal; 3) Disponibilidade do Portal; 4) Usabilidade. Cada critério é pontuado de 0 a 100 pontos. 

Para o primeiro critério, Saúde do Portal, é avaliada a própria existência do Portal de Transparência e se há a aba Covid. Não dispondo de portal, a pontuação é de 0 pontos, ficando prejudicado o restante da análise; havendo portal de transparência, sem a aba Covid, pontuação é de 50 pontos; havendo portal com a aba Covid, a pontuação é de 100 pontos. 

No critério Qualidade dos Dados é feito a verificação de três pontos, a saber: 1) a existência de um formulário de busca dos dados do portal de transparência; 2) se os dados disponíveis pelo portal de transparência são apresentados de forma tabulada, ou seja, com o formato de uma tabela com linhas e colunas; 3) se o portal de transparência possui link ou área destinada para o download dos dados disponíveis.

O critério Usabilidade observa funcionalidades necessárias ao usuário para tomar conhecimento sobre a Administração Pública municipal e ter possibilidade de interação com o gestor. São avaliados: 1) Disponibilização de e-mail para contato; 2) Disponibilização de telefone para contato; 3) Disponibilização de FAQ / Perguntas Frequentes; 4) Avalia se o site tem Glossário. Cada um dos itens, confere 25 pontos ao Município.

O quarto critério observado diz respeito à Disponibilidade do Portal de Transparência ao público. São realizados três testes diários para constatar se o site está online. O percentual obtido é a razão entre a quantidade de vezes que o site estava funcionando e o número de tentativas de acessos ao portal, pelo Confúcio. 

Para o promotor dde Justiça Fausto França, coordenador do Gaeco, “o sistema funciona como uma espécie de ‘transparência dos portais da transparência’, possibilitando ao cidadão comparar como está a política de acesso à informação no seu Município, tendo parâmetros objetivos. Trata-se de um esforço com foco na questão do Covid-19, mas que pretendemos manter como ferramenta permanente, sendo aperfeiçoada continuamente com o lançamento de novas versões e funcionalidades em expansão”.

Já o coordenador do Caop-Patrimônio, promotor de Justiça Rafael Galvão, explicou que “há tempos que o Ministério Público cobra a implantação e efetividade dos portais da transparência e com o Confúcio ganhamos um reforço de fiscalização tecnológica que permitirá ao CAOP fazer um acompanhamento diário e gerar alertas, articulando-se na sequência com as Promotorias e Prefeituras as correções necessárias para fazer valer a lei do acesso à informação. A existência e a correta alimentação dos portais é pilar para fiscalização de várias políticas pública, inclusive das ações relativas ao Covid-19, de modo que preocupa a falta de alimentação de alguns Portais porque impede ou dificulta bastante o controle social e dos órgãos de fiscalização competente”.

Confúcio

O projeto foi batizado em homenagem ao filósofo da antiguidade chinesa, que viveu entre os anos 551 a.C a 479 a.C, que tem uma obra que sublinha a moralidade governamental e uma vida baseada em procedimentos corretos como alicerces de sua doutrina.

Acesso o sistema clicando aqui.