Aqui você encontra comunicação, educação, tecnologia, mundo corporativo, entrevistas, mídias sociais e cultura

Fale com a gente pelo e-mail blogdajuliska.news@gmail.com e nos siga no Instagram @blogdajuliska.

21

Jan

Um dos mais bem-sucedidos artistas brasileiros, Lulu Santos retorna aos palcos para apresentar o disco e a turnê “Pra Sempre”. Hitmaker natural, dono de clássicos incontestáveis e com vendas milionárias de seus trabalhos, Lulu apresenta o show no Teatro Riachuelo Natal, no dia 5 de abril, em formato pista. Os ingressos custam a partir de R$110,00 e podem ser adquiridos na bilheteria do teatro e pela internet, através do site uhuu.com. Todos os ingressos e setores poderão ser adquiridos com 40% de desconto, através do Ingresso Solidário, que consiste na doação de 1kg de alimento não perecível no dia do evento. O show é uma promoção da Opus Entretenimento.  

Após o estrondoso sucesso de público alcançado em 2018 com o disco “Baby, Baby” e do show “Canta Lulu”, que mesclava clássicos da carreira com sucessos de Rita Lee, o cantor se reinventa mais uma vez. Agora, o artista lança um álbum e um concerto todo dedicado ao amor. Este, aliás, é um dos temas de maior destaque em sua vasta obra.

No palco com Lulu, músicos reconhecimentos pela sua excelência técnica, suingue incomum e pela alta sofisticação que a música do artista exige. Fazem parte do grupo nomes como Sérgio Melo (bateria), Jorge Ailton (baixo), Hiroshi Mizutani (teclado), Tavinho Menezes (guitarra) e Robson Sá (vocal).  Lulu Santos sempre se preocupou com a totalidade. No palco, tudo se completa sob sua concepção.

Nos últimos meses, o artista se dedicou à produção musical de seu novo álbum, que também será apresentado na nova turnê ao lado de músicas conhecidas e amadas pelos fãs. “Junto ao repertório dos clássicos – que nuca pode faltar – vou incluir cinco destas minhas novas canções, e que vão acabar parecendo mais clássicos, afinal, talvez eu seja mesmo o último romântico”.

21

Jan

O Sine RN teve um aumento de mais de 62% (3.389 ) na captação de vagas no mercado de trabalho em 2019 comparado a 2018 e de 230% no número de pessoas empregadas em decorrência de suas ações na intermediação do emprego. “Crescemos o número de vagas oferecidas”, explica a subsecretária do Trabalho da Sethas, Karla Veruska.

A Subsecretaria do Trabalho da Sethas, responsável pelo Sine-RN, vai intensificar este ano a busca pela qualificação profissional de trabalhadores cadastrados no órgão para atender às novas exigências das empresas para o preenchimento de vagas em seus quadros.

Na segunda semana de janeiro deste ano, a unidade matriz do Sine RN voltou a funcionar na rua Nossa Senhora da Candelária, no bairro Candelária, zona Sul de Natal. “Estamos começando esta nova fase no Sine mas não adianta ter só a vaga e não preenchê-la”, ressalva Karla Veruska.

Segundo ela, a falta de qualificação é um dos maiores entraves para a colocação dos trabalhadores no mercado. As empresas estão exigindo cada vez mais qualificação da mão de obra. No ano passado, esclarece, foram preenchidas ocupações para fisioterapia, auxiliar administrativo, secretária executiva e professor de inglês. O cadastro é para todo tipo de profissional e não apenas para a área de serviços gerais.

No ano passado, o Sine trabalhou para a captação de vagas passando de 2.417 pessoas encaminhadas a empresas em 2018 para 3.389 em 2019, um crescimento de 62,15%. Houve ainda um aumento de 230,65% no número de pessoas empregadas, passando de 240 em 2018 para 783 em 2019.

Somente a rede de Restaurante Madero de Curitiba, no Paraná, ofertou através do Sine-RN,  600 vagas de empregos para jovens de ambos os sexos que vivem no interior do Estado.

Os números, comenta Karla Veruska, são frutos do trabalho de prospecção que a Subsecretaria do Trabalho vem executando desde o início do ano passado junto às empresas na intermediação de vagas. Mesmo com limitação de recursos, explica, a reorganização do Sine foi iniciada.

A mudança de endereço da unidade matriz vai dar mais agilidade no processo de colocação e reinserção de mão de obra no mercado de trabalho, frisa Karla Veruska. O prédio foi desativado para reestruturação em seis meses mas se passaram seis anos. Foi inaugurado no governo passado sem as mínimas condições de funcionamento como uma rede lógica, imprescindível para instalação da rede informatizada, e uma subestação de energia elétrica.

“Foram muitas as conquistas para que o prédio passasse a funcionar”, frisa Karla Veruska. Para isso, foi estabelecida uma parceria com a Polícia Civil que instalou a rede lógica. Em troca a instituição de segurança vai ter espaço para o funcionamento de duas delegacias no prédio mas em áreas independentes.

A unidade matriz já está em uso para atendimento à população e com a nova estrutura um dos objetivos da Subsecretaria é reconquistar a credibilidade que o Sine tinha no passado junto aos trabalhadores e empregadores.

Responsável pela política de implementação das políticas públicas de emprego e combate ao desemprego, com o novo prédio, a Subsecretaria terá mais condições de realizar cursos de qualificação da mão de obra e também receber empresas em um espaço adequada e cômodo  o que não era possível nas instalações de Cidade da Esperança.

O Sine tem 15 unidades em funcionamento no Estado, sendo quatro em Natal. A unidade matriz funciona das 8h às 14h em cumprimento ao decreto de horário especial de expediente. Nas demais unidades, o expediente vai das 8h às 16h. 

Foto: Solano Petta

21

Jan

As inscrições para o Prêmio Sesc de Literatura, um dos mais importantes do país, serão abertas na próxima segunda-feira, dia 20. Os autores estreantes podem inscrever suas obras inéditas nas categorias Romance ou Conto. Os interessados têm até 20 de fevereiro para concluir o processo de inscrição, que é gratuito e online. O regulamento completo pode ser acessado em www.sesc.com.br/portal/site/premiosesc.

 Ao oferecer oportunidades aos novos escritores, o Prêmio Sesc de Literatura impulsiona a renovação no panorama literário brasileiro e enriquece a cultura nacional. Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, com tiragem inicial de 2 mil exemplares. Desde a sua criação, mais de 14 mil livros foram inscritos e 29 novos autores foram revelados.

A parceria com a editora Record contribui para a credibilidade e a visibilidade do projeto, pois insere os livros na cadeia produtiva do mercado livreiro. A premiação foi criada em 2003 e se consolidou como a principal do país para autores iniciantes. No ano passado, houve recorde de inscritos com 1.969 obras, sendo 1.043 romances e 926 livros de contos.

O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, protegidos por pseudônimos. Isso impede que os avaliadores reconheçam os reais autores, evitando qualquer favorecimento. Os romances e contos são avaliados por escritores  profissionais renomados, que selecionam as obras vencedoras pelo critério da qualidade literária.

A relevância do Prêmio Sesc também pode ser medida por meio do sucesso dos seus vencedores, que vêm sendo convidados para outros importantes eventos internacionais, como a Primavera Literária Brasileira, realizada em Paris, o Festival Literário Internacional de Óbidos, em Portugal, e a Feira do Livro de Guadalajara, no México.

No ano passado, o vencedor na categoria Romance foi Felipe Holloway, com ‘O legado de nossa miséria’. A obra narra a história de um crítico de literatura e professor universitário que é convidado para um evento sobre jornalismo literário, numa fictícia cidade do interior de Minas Gerais. Lá ele conhece um famoso escritor cuja obra sempre admirou. Os personagens rememoram suas respectivas carreiras, nas quais os fracassos éticos e estéticos se alternam. Natural de Canindé, no Ceará, Holloway mora desde criança em Cuiabá (MT), onde leciona Língua Portuguesa na rede estadual.

João Gabriel Paulsen foi o ganhador na categoria Conto, com o livro 'O doce e o amargo'. Ele escreveu uma coletânea de nove contos que tratam das tensões geracionais e os conflitos ocasionados pelos ritos de passagem. Paulsen nasceu em Juiz de Fora (MG), onde mora, estuda Filosofia e escreve desde os 15 anos.

Eles se juntam a um time de vencedores do Prêmio Sesc Literatura, que tem entre suas estrelas Franklin Carvalho, ganhador com o Romance “Céus e Terra”, em 2016, e vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2017; a carioca Juliana Leite em 2018, com Romance com “Entre as mãos”, que após a premiação do Sesc, ganhou o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA); a paulista Sheyla Smanioto Macedo, vencedora da edição 2015, com o Romance “Desesterro”, que conquistou o Prêmio Machado de Assis 2016; Marcos Peres, com “O Evangelho Segundo Hitler”, vencedor do Prêmio SP de Literatura 2014 na categoria estreantes; e Débora Ferraz, autora do livro “Enquanto Deus não está olhando”, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura 2015.

21

Jan

Um levantamento realizado pela Decolar - maior empresa de viagens online do Brasil e América Latina - aponta Natal, capital do Rio Grande do Norte, como a 6ª cidade mais procurada para o Carnaval 2020. A pesquisa mostra que a cidade subiu quatro posições em relação a 2019, quando foi a 10º capital mais buscada do Brasil para o período carnavalesco. De acordo com a pesquisa, entre as capitais do Nordeste, Natal está atrás apenas de Salvador e Fortaleza, tendo superado Maceió e Recife em consultas. 

“O crescimento de Natal no ranking das capitais mais procuradas para o Carnaval é um claro reflexo de que as ações da Secretaria de Turismo, como o incrementando a malha aérea, e as atividades da EMPROTUR promovendo o destino em todo o país estão surtindo efeito”, relatou a secretária Aninha Costa, à frente da SETUR. “Esperamos que Natal seja apenas a porta de entrada desses turistas para explorarem mais roteiros em nosso estado.



“O lançamento do site promocional Tudo Começa Aqui, o investimento em marketing turístico digital e as campanhas realizadas pela Empresa de Promoção são alguns dos fatores importantes para o crescimento da busca pelo RN”, afirmou o presidente da EMPROTUR, Bruno Reis.
 

Sobre o levantamento

O indicador de Carnaval foi realizado com base nas emissões de produtos de turismo considerando a antecedência de 80 dias antes do evento, para check-in de sexta ou sábado de Carnaval. O estudo levou em consideração os destinos mais procurados para o Carnaval no comparativo 2020 e 2019.

21

Jan

A cidade de Coimbra, em Portugal, vai receber entre os dias 27 e 28 de janeiro a 1ª edição do Seminário Internacional "Sífilis Não" na Perspectiva da Formação Humana em Saúde: a pesquisa no espaço lusófono e ibérico. O evento é uma promoção do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), em parceria com o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS 20), da Universidade de Coimbra.

O evento tem como objetivo fortalecer as cooperações internacionais e alinhar as pesquisas em andamento entre os dois centros, além de articular as produções conjuntas entres grupos de pesquisas, definir agendas de trabalho para os próximos anos (de 2020 a 2025), integrar pesquisadores e discutir o cenário de enfrentamento à sífilis no Brasil, onde ocorre o Projeto de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção (Sífilis Não), bem como nos demais países envolvidos. Além de Brasil e Portugal, o evento conta com a participação de palestrantes da Espanha, de Guiné-Bissau e de São Tomé e Príncipe. A programação completa está disponível no site do evento: https://seminariosifilisnao.lais.huol.ufrn.br/

Sobre o projeto “Sífilis Não”

O Projeto de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção, comumente conhecido como “Sífilis Não”, é fruto de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), tendo como objetivo ações efetivas e pesquisas aplicadas nas áreas acadêmica e médica que visem a redução dos casos de sífilis adquirida e a possível eliminação da sífilis congênita por todo o Brasil.

Atuando em quatro eixos distintos (gestão e governança, vigilância, cuidado integral e fortalecimento da educação e comunicação), o projeto visa a capacitação de gestores e profissionais na área da saúde, implantando linhas de cuidado para a sífilis com acompanhamento e intervenção em populações-chave, como grupos de gestantes e pessoas do meio LGBT. O projeto também conta com a participação de diversos apoiadores, que são responsáveis pelas ações na vigilância e na atenção primária em saúde, fortalecendo assim o Sistema Único de Saúde (SUS) e formando uma articulação rápida e forte contra a sífilis.

20

Jan

A pesquisa global Edelman Trust Barometer, realizada anualmente, aponta que 70% dos brasileiros estão otimistas e esperam melhorar sua condição econômica nos próximos cinco anos. 

A Edelman é uma agência global de comunicação com escritórios em todos os continentes. A pesquisa foi realizada em 28 países e apontou que os otimistas só predominam em economias emergentes.Desde 2001, a pesquisa mede a confiança das pessoas no governo, nas empresas, nas ONGs e nos meios de comunicação. Para a edição de 2020 foram consultadas mais de 34 mil pessoas em 28 países. 

Os chineses praticamente empataram com os brasileiros, com 69% de respostas positivas. Os mais otimistas são os quenianos, com 90% de esperança de melhora.

Uma crescente sensação de desigualdade e injustiça tem minado a confiança de boa parte das pessoas, de acordo com a pesquisa. De modo geral, as pessoas estão menos otimistas e menos confiantes nas instituições e nos efeitos das mudanças tecnológicas. 

O maior temor manifestado por 62% dos brasileiros foi o “medo de ficar para trás”, que também atinge 57% das pessoas, em 21 dos 28 países. Um total de 83% também declarou ter medo de perder o emprego por causa da automação, na falta de treinamentos, na competição estrangeira ou da presença de imigrantes dispostos a ganhar menos. 

Apenas 42% dos ouvidos expressaram confiança nos governos. Já quando perguntados se confiam em jornalistas, o percentual foi de 50%.

A pesquisa será apresentada a empresários e governantes em uma reunião paralela do Fórum de Davos. 

 

Com informações do Estadão. 

20

Jan

Estudo desenvolvido pelo Escritório de Carreiras da USP (ECar), divulgado pelo Estadão, apontou que o mercado de trabalho caminha para se dividir em 10 áreas, que podem envolver diversos campos.

Os especialistas apontam que a transformação do emprego como hoje concebemos será radical nos próximos 10 anos, e atributos passarão a ter mais valor do que “profissões”. Ou seja, o trabalho do futuro passa pela combinação de conhecimentos. 

Nesse contexto, a sequência de experiências e habilidades de cada trabalhador será mais importante que a sua formação inicial. Confira as 10 carreiras do futuro, segundo o escritório de carreiras da USP. 

1 - Saúde 
As pessoas estão mais atentas à saúde e interessadas em arqueiros novos hábitos. A área envolve profissionais das áreas de cuidados, prevenção, proteção, diagnóstico, cura, reabilitação e acompanhamento. 

2 - Transformação Digital
Desenvolvimento de produtos e serviços voltados a mudanças estruturais nas organizações e sociedade, por meio da tecnologia 

3 - Segurança
Engloba serviços de proteção pública,  cibernética, da educação e fisica.

4 - Educação 
Engloba treinamento, educação digital, formal e informal, elaboração de material didático, políticas públicas e gestão da educação 

5 - Entretenimento
Área de atuação para proporcionar diversão, recreação, lazer, satisfação pessoal de forma pública, coletiva, privada ou individual 

6 - Inovação 
Inovação em produtos, processos ou gestão. Atuação em processos de tradução de ideias ou invenção de produtos ou serviços.

7 - Infraestrutura 
Recursos físicos necessários para garantir o bem estar da população em áreas urbanas ou rurais. Soluções de infraestrutura para os grandes centros.

8 - Energia
Energia éolica, mecânica, elétrica, térmica, química, nuclear, solar e biocombustíveis são alguns dos campos de atuação 

9 - Socioambiental
Área ligada a ações que respeitam o meio ambiente e a políticas que visam promover a produção e o consumo sustentáveis 

10 - Ética 
Campo de atuação que inclui as investigações, preocupações e ações dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano

 

Com informações do Estadão. 

20

Jan

Os alunos das escolas do SESI-RN dispõem de laboratórios focados nas diretrizes do Enem, com aulas direcionadas às habilidades exigidas no exame. Além disso, contam com laboratórios de robótica, nos quais o estudante é desafiado a ir além da sala de aula, se preparando para torneio nacionais e internacionais. Esses são alguns dos diferenciais do ensino nas unidades do SESI-RN, que está com matrículas abertas para o ano letivo de 2020.

Essas escolas utilizam metodologias que unem ciências, tecnologias, engenharia, matemática e linguagens para incentivar habilidades necessárias à vida e ao mundo do trabalho. Trata-se de uma das melhores redes de ensino do país, com vagas disponíveis para o ensino fundamental e médio.

Os alunos são estimulados a valorizar o aprendizado para garantir mais oportunidades na vida profissional e a desenvolverem projetos de cidadania, saúde e segurança e aulas de robótica, destaca a gerente de Educação do SESI-RN, Ana Karenina de Luz Medina. “Formamos jovens para o mundo do trabalho por meio de projetos de pesquisa, estímulo ao desenvolvimento, capacitação e experimentação, além do domínio da linguagem e suas tecnologias”, reforça.

A gerente de Educação afirma que os alunos do SESI-RN utilizam material didático da “Somos Educação”, com sequências didáticas desafiadoras e diversificadas, organizadas de forma a provocar o diálogo, a reflexão, o debate, e com a intenção de garantir que os estudantes sejam estimulados a procurar soluções criativas para as atividades propostas e também para situações do cotidiano.

A organização do trabalho pedagógico está relacionada ao uso e à otimização dos diferentes espaços, como forma de favorecer as aprendizagens. As escolas são equipadas com laboratórios de informática educacional, de física, química e biologia; bibliotecas, salas multiuso, cantina e quadras poliesportivas.

Eventos como Torneio Regional de Robótica, Fórum de profissões e participação no JERNS são organizados e estimulados. “O SESI prepara e incentiva os alunos a participarem de torneios nacionais, entre eles estão a Olimpíada Brasileira de Robótica, a Olimpíada Brasileira de Astronomia, o Torneio Nacional de Robótica, a Olimpíada Brasileira de Matemática, a Olimpíada Brasileira de Geografia e a Olimpíada Brasileira de História”, enumera.

20

Jan

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o prejuízo do comércio em 2020 por conta de feriados nacionais deverá chegar a R$ 19,6 bilhões em todo o Brasil. O valor é R$ 2,2 bilhões (12%) superior ao registrado em 2019 (R$ 17,4 bilhões). A variação é explicada pela maior quantidade de feriados que caem em dias úteis neste ano, em comparação com o ano passado.

A maior incidência de feriados em dias úteis, embora tenda a favorecer atividades econômicas específicas, como aquelas típicas do turismo, tende a gerar prejuízos por conta da queda no nível de atividade ou pela elevação dos custos de operação.

Ao contrário de 2019, quando o feriado de Tiradentes caiu em um domingo e as celebrações de Independência, Nossa Senhora Aparecida e Finados ocorreram aos sábados – dia de meio expediente no comércio –, em 2020 todas estas datas ocorrerão em dias que seriam úteis para o comércio. Apenas o feriado da Proclamação da República, que aconteceu em uma sexta-feira no último ano, não impactará o setor, pois cairá em um domingo.

De acordo com o economista da CNC responsável pela análise, Fabio Bentes, a folha de pagamentos, por conta das horas extras a serem pagas, é a principal fonte dos prejuízos impostos pelos feriados. “Por mais que as vendas possam ser parcialmente compensadas nos dias imediatamente anteriores ou posteriores aos feriados, em virtude do fechamento das lojas ou da diminuição do fluxo de consumidores, o peso relativamente elevado da folha de pagamentos na atividade comercial acaba comprimindo as margens de operação do setor”, afirma o economista.

Impacto maior

Segundo o estudo, cada feriado reduz a rentabilidade mensal média do setor comercial como um todo em 8,4% (varejo e atacado). Entretanto, nas regiões ou ramos de atividade onde a relação folha/faturamento é mais elevada, esse impacto tende a ser maior. As taxas de perdas mensais decorrentes de cada feriado nacional ultrapassam os dois dígitos nos seguintes segmentos: hiper e supermercados; lojas de utilidades domésticas; ramo de vestuário e calçados (11,5%, 11,6% e 16,7%, respectivamente). Juntos, eles respondem por mais da metade (56%) do emprego no varejo brasileiro.

Os Estados de São Paulo (R$ 5,62 bilhões), Minas Gerais (R$ 2,09 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 2,06 bilhões) e Paraná (R$ 1,42 bilhão) tendem a concentrar mais da metade das perdas estimadas (57%). 

20

Jan

As modalidades esportivas oferecidas pelo Serviço Social do Comércio (Sesc RN), uma entidade do Sistema Fecomércio, ganharão um reforço em 2020 com o início da primeira turma de Pilates de Solo, a partir do dia 10 de fevereiro, nas unidades Cidade Alta e Zona Norte, ambas em Natal. As inscrições começam no dia 20 de janeiro e são limitadas a 20 alunos por turma.

O pilates de solo é caracterizado pela utilização do próprio corpo e de acessórios na prática do exercício físico e alongamentos que utilizam o peso do próprio corpo na execução. Além disso, a técnica se propõe a uma reeducação do movimento do corpo, como postura e equilíbrio muscular e mental. Entre os benefícios do método estão: consciência corporal, melhora da postura e da respiração, tonifica os músculos, aumenta a flexibilidade, equilíbrio e coordenação motora. É exigido do aluno apenas concentração, controle e precisão dos movimentos e da respiração.

Para o diretor regional do Sesc RN, Fernando Virgilio, a nova modalidade é uma conquista da entidade, lembrando que um dos públicos beneficiados são as pessoas da terceira idade, também conhecidos como geração 60+. “Como sabemos, o Brasil está passando de uma população jovem para um país de mais idosos. O Sesc se antecipa e procura atender a esse público, oferecendo atividades destinada à terceira idade, sendo a novidade o pilates de solo”, afirmou.

No Sesc Cidade Alta, serão três turmas, sendo uma as segunda, quarta e sexta-feira, das 7h50 às 8h40, e duas turmas de terça a quinta-feira, a primeira iniciando às 7h00 e outra a partir das 16h40, com 50 minutos de duração cada. Já na unidade Zona Norte, serão quatro turmas, sendo uma na segunda, quarta e sexta-feira, das 16h00 às 16h50, e outros três horários oferecidos nas terças e quintas-feiras, 7h50 às 8h40, 10h00 às 10h50 e 15h30 às 16h20.

O valor da inscrição varia de acordo com a frequência das aulas (dois ou três dias por semana) ou classificação de benefício, ou seja, se ele é colaborador (R$ 15,00 ou R$ 18,00), trabalhador do comércio (R$ 30,00 ou R$ 38,00), empreendedor (R$ 38,00 ou R$ 47,00), conveniado (R$ 45,00 ou R$ 55,00) ou público em geral (R$ 60,00 ou R$ 55,00).