Aqui você encontra comunicação, educação, tecnologia, mundo corporativo, entrevistas, mídias sociais e cultura

Fale com a gente pelo e-mail blogdajuliska.news@gmail.com e nos siga no Instagram @blogdajuliska.

24

Jan

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu para 65,3 pontos em janeiro. Com a alta de 1 ponto em relação a dezembro de 2019, o indicador está 10,5 pontos acima da média histórica e é o maior desde junho de 2010. Os dados são da pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os indicadores variam de 0 a 100 pontos. Quando estão acima de 50, mostram que os empresários estão confiantes. Quanto maior o índice, maior e mais disseminada é a confiança. O Icei é maior nas grandes empresas, segmento em que subiu para 66,4 pontos neste mês. Nas médias, o Icei é de 64,9 pontos e, nas pequenas, de 63,4 pontos. “A confiança elevada se baseia não somente nas expectativas para os próximos seis meses, como também no sentimento de melhora da situação econômica corrente”, diz a pesquisa.

De acordo com a CNI, o índice que mede a percepção dos empresários sobre as condições atuais dos negócios e da economia aumentou 0,9 ponto em relação a dezembro e ficou em 59 pontos em janeiro, o maior nível desde junho de 2010. O índice de expectativas subiu 1 ponto em relação ao mês passado e está em 68,4 pontos. Na avaliação da CNI, isso mostra que os empresários estão otimistas em relação ao desempenho das empresas e da economia nos próximos seis meses.

“Os empresários estão mais otimistas porque percebem melhoras no ambiente de negócios. Os juros e a inflação estão menores e há um aumento da demanda e da produção. Desde o fim do ano passado, há uma melhora da atividade”, afirmou, em nota, o economista da CNI Marcelo Azevedo. “Além disso, os empresários acreditam que esse ambiente vai melhorar nos próximos seis meses. Por isso, a confiança começa o ano em alta”, completou Azevedo. Segundo o economista, a confiança elevada é condição necessária para aumentar a produção, os investimentos e o emprego.

De acordo com a pesquisa, a confiança é maior entre os empresários do Sul. Na região, o Icei de janeiro ficou em 67,2 pontos. Em seguida, vem a região Norte, onde o indicador alcançou 65 pontos. No Nordeste, o Icei foi de 64,5 pontos, e no Sudeste e Centro-Oeste, de 64,6 pontos.

O levantamento também mostra que o otimismo é maior entre os empresários da indústria de transformação. Nesse segmento, o Icei alcançou 65,7 pontos em janeiro. Na indústria extrativa, foi de 63,7 pontos e, na construção, de 64 pontos. Esta edição do Icei foi feita entre os dias 6 e 17 deste mês com 2.458 empresas de todo o país. Dessas, 921 são pequenas, 917 são médias e 620 são de grande porte.

Com informações da Agência Brasil

24

Jan

O professor Carlos Alberto Oliveira, pesquisador do LAIS, foi convidado a ocupar a posição de Assessor Técnico Temporário da Organização Mundial de Saúde para a discussão da “WHO Learning Strategy” durante os próximos seis meses. Durante este período, esses profissionais especialmente convidados, participarão de reuniões virtuais e presenciais na sede da OMS para discutir e propor estratégias de aprendizagem com a mediação tecnológica para a Academia de Formação em Saúde.

O grupo convidado é formado por especialista da própria OMS, de de instituições parceiras e países pelas regiões. O grupo é composto do Camarões, EUA, Reino Unido, Suiça, Singapura, Filipinas, Canadá, Panamá, França, Alemanha, Congo, Vietnam, Brasil, Argentina, Suécia, África do Sul, Tanzania e China.

Professor Carlos Alberto, único brasileiro a integrar o grupo de assessores convidados, além de pesquisador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúda, da UFRN, é professor da UERJ e  membro do comitê executivo do International Council for Open and Distance Education (ICDE) e da Associação Brasileira de Educação a Distancia (ABED).

23

Jan

Assim como cada ser humano é único, tem suas características e comportamentos individuais, os pacientes inseridos no Transtorno do Espectro Autista também. Diante disso, os especialistas da área não estudam mais o “autismo”, mas os “autismos”, garantindo melhores tratamentos e resultados aos pacientes. O tema “Autismos: leve, moderado e grave”, será o foco do 2º Vivenciar, evento que acontecerá em Natal (RN), entre os dias 13 e 15 de fevereiro, na Escola de Governo, e reunirá os principais nomes que atuam na área no Brasil e Estados Unidos.
 
Aberto ao público em geral, como familiares de portadores do espectro autista, profissionais da área médica, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, estudantes e pessoas interessadas no tema, o Vivenciar abordará de maneira única as diversas interfaces e as evidências científicas na condução dos tratamentos em pessoas portadoras do TEA, além da condução da integração família/sociedade. Para isso, agregará palestras, painéis e bate papo, proporcionando a plateia interação total com os participantes. Assim, além de se atualizar com o que há de mais novo nos tratamentos, os participantes poderão tirar dúvidas e conversar com os profissionais.
 
Dentre os profissionais participantes estão, Dr. Guilherme Polanczyk, psiquiatra da infância e juventude, pós doutor e professor livre docente da USPO; o neuropediatra Erasmo Casella, professor livre docente da USP e Coordenador do ambulatório de Distúrbios do Aprendizado do Instituto da Criança do HCFMUSP; a psicóloga Meca Andrade, mestre em análise do comportamento aplicada, doutoranda em Análise do Comportamento pela pela New England University,m Springfield Massachusetts (EUA) e diretora do Grupo Método Intervenção Comportamental de São Paulo.
 
Os assuntos a serem tratados pelos especialistas serão diversificados, como “Diagnóstico e tratamento com evidências”, “Implicações práticas das classificações diagnósticas em autismo”, "Formas naturalísticas e estruturadas de intervenção precoce”, “Currículo de sexualidade para pessoas com TEA”, “Inserção de pessoas com TEA no mercado de trabalho” e “Impacto na vida escolar”. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas através do site: http://verboeventos.com.br/vivenciar/. Informações pelos fones 3201 7429, 99634 3774 e pelo email: vivenciar@verboeventos.com.

23

Jan

Depois do sucesso registrado por dois finais de semana consecutivos no veraneio da praia de Pirangi, o projeto “Band Verão”, implementado pela TV Bandeirantes Natal, chega nesta sexta-feira, 24, ao litoral de Galinhos, paradisíaca praia localizada no litoral Norte do estado, onde está montada uma estrutura para a realização de competições esportivas e shows musicais.

“A opção por Galinhos deve-se não só a parceria com a prefeitura local, mas principalmente pela potencialidade turística do município, que é muito bonito e ainda pouco explorado”, explica o executivo Carlo Bastos, diretor geral da BAND Natal.

O “Band Verão” em Galinhos começa na sexta-feira com uma “oficina” de Beach Tênis, na qual instrutores vão iniciar no esporte alunos da rede municipal de ensino, além de representantes da população local que tenham interesse em aprender a modalidade esportiva.

Já no sábado, o dia inicia com um torneio de Beach Soccer, que terá premiação em dinheiro e a participação de dez equipes, compostas por atletas da região. “Vai ter equipe de Galinhos, Guamaré, Pendências, Galos, entre outras. O nosso objetivo é valorizar os atletas regionais”, destaca Bastos. No final da tarde do sábado, prosseguindo até às 22 horas, a festa fica por conta de shows musicais, a cargo da banda Doce Pecado.

Carlos Bastos anunciou ainda que tão logo encerre o “Band Verão”, o marketing da emissora estará lançando o “Band Folia”, já ‘esquentando os tamborins’ para o carnaval. “Vamos ter uma participação marcante no carnaval de Natal, com a participação inclusive de atrações nacionais”, revela.

23

Jan

Nesta sexta-feira (24) será aberta no Centro de Convenções de Natal a 25ª edição da Feira Internacional de Artesanato – FIART. Este ano, o diferencial da tradicional mostra de artesanato está na programação cultural, onde das 16h às 22h o visitante vai poder consumir artesanato local e internacional, além de cultura e gastronomia nos espaços reservados para apresentações e entretenimento. Vale a pena conferir a 25ª FIART!  

Com o tema “Inspiração e Arte, Negócios e Tradição”, o evento segue até o dia 02 de fevereiro, com uma programação extensa com muitas novidades, além dos artesãos potiguares, expositores de outros estados e países. Este ano, a FIART será composta por mais de 380 estandes, com expectativa de público de mais de 50 mil visitantes durante os dez dias de evento. A expectativa é que as vendas superem os R$ 7 milhões de 2019. A Feira está entre as quatro maiores do segmento no País. Além de servir como um espaço para o entretenimento e compras para turistas e visitantes locais, a FIART gera emprego e renda, movimentando a economia em plena temporada de verão. O ingresso custa R$ 16,00 (Inteira) e R$ 8,00 (Meia).

O artesanato local terá espaço dividido com a arte de países como: Colômbia, Dubai, Paquistão, Quênia, Senegal, Egito, Coera, Indonésia, Japão, Tailândia e Peru.

A FIART tem como patrocinadores e parceiros o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Sebrae/RN e Prefeitura de Natal. Toda a programação cultural será realizada com o incentivo da Lei Municipal Djalma Maranhão, com patrocínio da Unimed Natal e Luck Receptivo. Organização Espacial Eventos.

A programação cultural será diversificada e conta com mostra folclórica, seminário, cortejos, oficinas, shows, além de outras novidades. A gastronomia também terá um espaço diferenciado, com muitas degustações e até uma cervejaria. Destaque para os queijos produzidos artesanalmente e vindos do Seridó Potiguar, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Saiba mais através do site: feirafiart.com.br

23

Jan

A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte, em conjunto com a OAB Nacional, realizará na próxima quinta-feira (06) uma Audiência Pública para debater os "Novos Limites da Publicidade na Advocacia". O encontro iniciará às 10h, na sede da Seccional Potiguar, e contará com a participação do secretário-geral adjunto e corregedor da OAB Nacional, Ary Raghiant Neto.

Atualmente, o Código de Ética e Disciplina determina que a publicidade profissional tem caráter meramente informativo, bem como deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão.

Segundo o presidente da OAB/RN, Aldo Medeiros, a audiência servirá para promover uma reflexão. “Precisamos que essas regras sejam claras e que estimulem a igualdade de oportunidades na publicidade, sem ferir a ética, ainda mais diante do momento atual que apresenta mudanças nas formas de comunicação em todo o mundo, manter um Código à altura dos anseios profissionais é fundamental para advocacia”, afirmou.

O resultado da audiência será enviado à OAB Nacional para compor o trabalho que está sendo feito em todo o país pela Corregedoria Nacional na atualização do Provimento 94/2000 e do Código de Ética e Disciplina.

O representante da OAB Nacional afirma que é necessário ampliar o debate sobre a questão. “Queremos ouvir a classe neste momento e, em seguida, avaliaremos todas as hipóteses de alteração da legislação. Estamos recolhendo sugestões ouvindo as seccionais e grupos que tenham interesse neste tema e desejem colaborar”, explicou Ary Raghiant.

Pesquisa nacional “A OAB quer Ouvir Você”

O resultado da audiência será enviado a OAB Nacional, para compor o trabalho que está sendo feito em todo o país pela Corregedoria Nacional para a atualização do Provimento 94/2000 e o Código de Ética e Disciplina.

O questionário com perguntas objetivas e campo aberto para sugestões, contam com questões sobre a flexibilização das regras de publicidade, utilização das redes sociais, sites e plataformas digitais como aplicativos de localização, busca e troca de mensagens, para a divulgação dos serviços advocatícios. A pesquisa ficará disponível e para contribuir basta acessar o link clicando AQUI.

23

Jan

Deu no Meio & Mensagem

A circulação geral dos maiores jornais do País aumentou no ano passado. Impulsionado pelas assinaturas digitais, o desempenho desses títulos melhorou em um cenário de recente retração e queda nos números.

Na opinião de Pedro Silva, presidente do instituto Verificador de Comunicação (IVC), a transformação dos hábitos de consumo de conteúdo, o investimento dos veículos na qualificação de suas plataformas digitais e a complexidade dos cenários político e econômico do País atualmente pesaram para que os dados de circulação dos grandes jornais fossem positivos no ano passado na comparação com 2018. Os tópicos abaixo apresentam os motivos que, na visão do IVC, levaram as grandes marcas jornalísticas a encerrar o ano passado de forma mais positiva.

Notícias mais complexas
De acordo com Pedro Silva, é comum as circulações dos jornais aumentarem em anos de eleição. A regra, no entanto, não se aplica em relação a 2019, que registrou crescimento mesmo sem uma disputa eleitoral. Mas os desdobramentos dos resultados das urnas no ano passado colaboraram para que a demanda por notícias fosse mais alta no ano que passou. “Os assuntos mais discutidos ao longo do ano de 2019 era complexos e exigiam uma análise mais aprofundada. Embora estejamos em meio à proliferação de fake news, as pessoas buscam por informações de credibilidade quando precisam compreender melhor um assunto. A Reforma da Previdência é um bom exemplo. O assunto foi trabalhado na mídia há meses e as pessoas tinham curiosidade em entender como essas novas regras afetariam as suas vidas. Há, em todo o mundo, acontecimentos que precisam ser explicados de forma mais complexa e, nesse momento, as marcas jornalísticas consolidadas acabam prevalecendo”, analisa o presidente do IVC.

Alta do digital
Quando se analisa a circulação digital dos cinco maiores jornais do País, todos – com exceção do Zero Hora, do Grupo RBS – registraram crescimento em suas assinaturas digitais em 2019. Essa transição de hábitos de consumo de conteúdo mudou a relação das pessoas com o jornal, que deixou de ser algo pronto e estático para entrar na lógica de uma mídia dinâmica, alimentada continuamente. “Houve um tempo em que os assinantes das versões impressas dos jornais também ganhavam o direito de ter uma assinatura digital e isso acaba influenciando nos dados. Agora, quando conseguimos diferenciar essas assinaturas, percebemos que o digital já responde pela maior parte da circulação dos grandes jornais. Já há algum tempo, as pessoas estão lendo mais o digital do que o impresso”, diz Silva.

Regional, porém universal
Outro ponto que o presidente do IVC atribuiu para o aumento da média da circulação dos jornais é a postura mais universal das coberturas, sobretudo dos pequenos veículos. “Os jornais que eram bem focados nas notícias locais passam a se posicionar como veículos nacionais. A Folha de S.Paulo, por exemplo, apesar do nome, é um jornal nacional que acompanha os acontecimentos do Brasil e do mundo. Isso faz com que o interesse pelo conteúdo aumente em diferentes locais e, também, abre a possibilidade de o veículo conquistar novos mercados”, pontua.

Fortalecimento dos portais
O presidente do IVC também considera que, embora os dados de circulação digital refiram-se às edições “fechadas” dos jornais, que correspondem à determinada data, o consumo de conteúdo jornalístico nos portais dos veículos deve seguir em alta. “Estamos nos preparando para uma transição no consumo dos jornais e vemos que os websites dos veículos começam a ter um alcance ainda maior do que as próprias edições digitais pelo fato de oferecer informações sempre atualizadas. O impresso deve continuar caindo, essa é uma tendência inevitável, mas as pessoas continuarão em busca das informações jornalística no ambiente digital”, conclui Silva.

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/01/23/as-razoes-que-fizeram-os-jornais-crescerem-em-2019.html

23

Jan

Brincadeiras e jogos são atividades que fazem parte do cotidiano da maioria das crianças e, em determinado grau, contribuem para o processo de aprendizagem dos educandos. Tendo isso em vista, a professora Liane Morais, docente da Escola Estadual Tenente Coronel José Correia, localizada no município de Assú (RN), resolveu inovar em sua prática didática em sala de aula, e passou a introduzir o uso de jogos e ferramentas digitais no ensino da história. 

Professora de história e especialista em história do Brasil República, Liana elaborou uma metodologia de ensino que utiliza jogos – como cartas, tabuleiros, entre outros - para ensinar conteúdos didáticos relativos à história, matéria que na maioria dos casos recebe uma didática tradicional, apenas com uso do livro. 

A metodologia, aplicada com alunos do 6º ano do ensino fundamental, é baseada em conteúdos disponíveis em plataformas online educativas como Sua Pesquisa, Toda História, Mundo Estranho e Aventuras na História. Com base nesses conteúdos, Liana elabora jogos atrativos e interativos, por meio dos quais os alunos aprendem brincando. 

“Percebi que sempre que chegava na escola para dar aula eles estavam se entregando as brincadeiras, contando os segundos durante as aulas para voltarem a brincar. Trouxe então a ‘brincadeira’ de forma planejada e direcionada ao aprendizado do conteúdo, o que os motivou a acompanhar as aulas e aprender melhor as temáticas discutidas. Dessa forma, as aulas ganharam em produtividade e interesse dos alunos”, destaca a professora. 

Metodologia 

Liana ainda explica que a sua proposta didática foi desenvolvida e aplicada no segundo bimestre letivo da escola, e elaborada com o intuito de a atender aulas mais dinâmicas, bem como conquistar a atenção do aluno. 

A ação é exclusivamente voltada à disciplina de história, única matéria sob responsabilidade de Liana. Todos os conteúdos programados para o ano letivo são trabalhados de forma que, ao final de cada unidade, é aplicada uma avaliação utilizando os jogos didáticos, os quais os alunos competem entre si utilizando os conhecimentos adquiridos ao longo da unidade. 

“Fui variando as propostas de jogos para eles não perderem o interesse, e cada jogo aplicado era adaptado ao conteúdo que o aluno deveria aprender, sempre com verificação prévia dos textos”, acrescenta a professora.

Para o supervisor de tecnologia educacional da 11ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Direc), o professor Júlio Santos, a iniciativa aplicada por Liana trata-se de uma forma perspicaz de prática docente, pois mesmo utilizando recursos simples – ferramentas digitais de busca -  a professora conseguiu atingir amplos resultados. 

“No que refere-se à prática pedagógica, o projeto conseguiu superar um dos grandes dilemas da docência: o distanciamento entre teoria e prática, pois possibilitou atividades “mão na massa” onde os estudantes puderam aplicar os conteúdos programados. Além disso, as atividades estimulam o pensamento criativo, já que os estudantes tiveram de criar jogos, e que tal pensamento é uma das habilidades mais importantes no século XXI”, avalia o professor, que além de supervisor, é responsável por mapear, nos municípios da 11ª Direc, projetos utilizam tecnologia em sua execução.

23

Jan

O Instituto Ágora da UFRN divulga edital para inscrições em cursos de idiomas para o semestre de 2020.1. São oferecidas aulas de Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Libras, Latim, Grego Clássico e Hebraico, nas modalidades Básico, Leitura para Fins Acadêmicos e Conversação. Os cursos são destinados tanto para o público interno quanto para o externo. As inscrições ocorrem entre os dias 10 e 13 de fevereiro de 2020, divididas em categorias de público.

A contribuição semestral consiste em R$250,00 para as categorias de pagantes. Alunos assistidos pela Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proae) podem concorrer a bolsas, que correspondem a 20% das vagas disponíveis em cada semestre. Qualquer aluno da UFRN que não se encaixe nas condições de bolsista pode se inscrever nas vagas de aluno contribuinte.

O público externo deverá se inscrever presencialmente na secretaria do Instituto Ágora, em uma lista de cadastro de reserva, para as línguas inglesa, francesa, espanhola ou alemã, para ocupar vagas nos níveis III e IV ou Conversação. Caso o candidato opte pelos cursos de Libras, Latim, Grego Clássico ou Hebraico, deverá se inscrever pelo Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa).

As inscrições serão abertas no dia 10 de fevereiro de 2020 para os candidatos a bolsas assistidos pela Proae, e a inscrição deve ser feita pelo Sigaa. No dia 11 de fevereiro, serão realizadas as inscrições do público externo. O dia 12 será destinado aos demais estudantes e servidores da UFRN, na condição de contribuintes, e no dia 13, acontecem as inscrições presenciais na secretaria do Ágora para os cursos de Conversação (Inglês, Francês, Espanhol e Alemão) e a retirada da Guia de Recolhimento da União (GRU). O comprovante de pagamento deve ser enviado de 12 a 17 de fevereiro, pelo e-mail agoracomprovante@gmail.com.

Candidatos com conhecimentos prévios da língua podem realizar teste de nivelamento, exceto para os cursos de Leitura para Fins Acadêmicos. O teste será realizado no dia 19 de fevereiro para os candidatos que tenham solicitado a opção no ato da inscrição e no dia 20 para os inscritos no cadastro de reserva. Para mais informações, acesse o edital.

Alunos com vínculo no Instituto Ágora

Alunos aprovados no semestre 2019.2, tanto bolsistas quanto contribuintes, devem realizar matrícula por meio do vínculo no Sigaa, no menu Perfil > Ensino > Matrícula Online. Alunos bolsistas assistidos pela Proae e servidores assistidos pela Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) podem se inscrever nos dias 10 e 11 de fevereiro. Já os contribuintes, nos dias 12 e 13. Para mais informações, acesse o edital.

23

Jan

Nos últimos anos, diversas formas inovadoras de pagamento chegaram ao mercado. Aplicativos como o Apple Pay e o Google Pay, por exemplo, permitem que o celular substitua o cartão de crédito, facilitando que você faça pagamentos sem que tenha dinheiro ou o próprio cartão em suas mãos.

De acordo com o Business Insider, a Amazon está trabalhando para dar um passo adiante nessa tecnologia. A empresa de Jeff Bezos está desenvolvendo um sistema que utiliza apenas sua mão para efetuar pagamentos: ela é escaneada e, caso cadastrada, reconhecida por estar atrelada a uma conta ou forma de pagamento como os aplicativos citados.

Ainda não foi divulgado como o sistema funciona, mas é provável que as digitais da pessoa sejam escaneadas no momento em que ela se cadastra no sistema. Com isso, basta que o receptor do pagamento tenha uma máquina que também seja capaz de ler as impressões digitais para que a transação ocorra normalmente.

Por outro lado, a novidade também traz uma discussão importante sobre privacidade, já que os usuários do sistema estariam confiando a uma empresa privada suas impressões digitais, que poderiam ser um meio para acessar outros espaços. No Brasil, por exemplo, caixas eletrônicos utilizam leitura biométrica para acessar contas.

A Amazon já criou um sistema não parecido, mas também relacionado a formas de pagamento nos últimos anos. O Amazon Go permite que as pessoas comprem em lojas da Amazon sem a necessidade de passar por um caixa eletrônico, e pretende expandir o negócio abrindo três mil lojas até 2021. É possível que a tecnologia seja utilizada também nesses estabelecimentos.

Fonte: B9, disponível em: https://www.b9.com.br/120220/amazon-desenvolve-forma-de-pagamento-que-utiliza-apenas-a-palma-da-mao/amp/